CAMPO LARGO A “CAPITAL DA LOUÇA” REALIZA A 29ª FEIRA DA LOUÇA

Mais conhecida como a “Capital da Louça”, Campo Largo realiza de 05 a 15 de Setembro, a 29ª edição da FEIRA DA LOUÇA.  O evento é uma organização do SINDILOUÇA/PR,  que através desta mostra, apresenta ao público, suas principais indústrias, os últimos lançamentos da produção do pólo-cerâmico, além de vasto artesanato regional. A Feira, que consta na agenda turística do Estado e Nacional, é a primeira feira do gênero aberta ao público.
Foto: Prefeitura de Campo Largo

Produção

O pólo cerâmico possui 30 indústrias que geram em toda sua cadeia produtiva cerca de 6.000 empregos diretos e indiretos. As cerâmicas de Campo Largo são responsáveis pela fabricação de 75% das porcelanas brancas de mesa nacional, 80% das porcelanas da América Latina, 35% das cerâmicas de mesa nacional e 15 mil metros quadrados de pisos e revestimentos. A capacidade de produção nacional do setor é de mais de 50 milhões de peças.

O setor exporta entre 15% e 20% de sua produção e atende o mercado Europeu, Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Caribe, México e países do Mercosul.

Variedade de opções

Como acontece desde a sua origem em 1990, durante a Feira da Louça  as indústrias cerâmicas apresentam com exclusividade seus últimos lançamentos, estes podem ser adquiridos a preços promocionais. Outro sucesso em todas as edições da Feira e que atrai muitos visitantes, são as disputadíssimas pontas de estoque, que são encontradas em praticamente todos os stands e os preços são imbatíveis. O visitante tem a oportunidade de conhecer e levar para casa grande variedade de louças de mesa, cozinha, além das linhas: bar, restaurante, gourmet, hospitalar, todas com design arrojado e de bom gosto. Na Feira também podem ser encontradas cerâmicas e porcelanas decorativas, assim como muitas peças artesanais de louça para diversas finalidades.

Apoios

O evento é uma promoção do Sindilouça/PR, e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Campo LargoCOCEL- Companhia Campolarguense de Energia; ACICLA – Associação Comercial e Industrial de Campo Largo; SISTEMA FIEPSISTEMA FECOMÉRCIOCAIXA ECONÔMICA FEDERALITAIPÚ BINACIONALCOMPAGÁSSINDIVAREJISTA Campo Largo e INCEPA.

Serviço:
29ª Feira da Louça de Campo Largo

Data: de 05 a 15 de setembro.

Horários para Sábados/Domingos: das 10 às 21 horas
Horários nos dias úteis: das 14 às 21 horas

Local: Ginásio da Rondinha – BR 277 – KM 20 (ao lado da Igreja São Sebastião)
Valor do Ingresso: R$ 6,00

Entrada livre para: Idosos (acima de 60), Crianças até 12 anos e Doadores de Sangue (com Carteirinha de Doador)
Praça de Alimentação no local: com pratos típicos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sem semicondutores, Volkswagen suspende produção em fábrica de São José dos Pinhais

A Volkswagen suspendeu a produção na fábrica de São José dos Pinhais (PR) por dez dias, a partir da terça-feira, 9. A unidade produz o utilitário-esportivo (SUV) T-Cross e até agora estava sendo privilegiada pelo grupo com os semicondutores que chegavam ao País, mas os estoques acabaram.

Os 2,1 mil trabalhadores dos dois turnos estão em férias coletivas.

Na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, 1,5 mil funcionários estão em lay-off (contratos suspensos) desde o início do mês e a dispensa deve ser mantida até março. Nesse período, a linha de produção funciona apenas com um turno.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba e Região, a fábrica do Paraná só havia parado a produção por falta de componentes durante 10 dias em junho e três dias na semana do feriado de 12 de outubro.

Ao todo, há no momento 6,4 mil trabalhadores da área produtiva de várias montadoras em casa em razão da falta de semicondutores, problema que atinge a indústria automobilística global e que deve se prorrogar até o fim do próximo ano. O número representa 6,3% de toda a mão de obra das fabricantes, hoje em 102,6 mil trabalhadores, incluindo o pessoal administrativo.

Escassez de chip vai seguir até fim de 2022

“Teremos de conviver com esse problema durante todo o ano de 2022”, admitiu, na sexta-feira, o presidente da Volkswagen América Latina, Pablo Di Si. Neste dia, ele anunciou novo plano de investimentos para a região, de R$ 7 bilhões entre 2022 e 2026, valor ser gasto em novos produtos, digitalização e pesquisas e desenvolvimento de etanol para uso em carros híbridos e elétricos.

Em nota divulgada nesta quarta-feira, a Volkswagen informa que, nos últimos meses, e empresa tem trabalhado intensamente, em parceria com a matriz e os fornecedores, para minimizar os efeitos da escassez de semicondutores para a produção em suas fábricas na região. “Entretanto, o cenário atual não demonstra o encaminhamento para uma solução definitiva visando a normalização do fornecimento de chips.”

A Fiat também colocou em lay-off 1,8 funcionários da fábrica de Betim (MG) por três meses a partir de 1º de outubro. Na unidade da General Motors de São José dos Campos (SP) foi adotada a mesma medida para 700 operários, assim como para 300 na planta da Renault em São José dos Pinhais (PR).

Além disso, nas últimas semanas a fabricante francesa abriu um programa de demissão voluntária (PDV) para 250 funcionários. A Honda também ofereceu incentivos para a saída de trabalhadores das plantas de Indaiatuba e Itirapina, ambas em São Paulo, mas não divulgou meta de adesão.

Startup de roupas usadas, Troc vai abrir 250 vagas de emprego na RMC

O prefeito de Quatro Barras, município da Região Metropolitana de Curitiba, Loreno Tolardo, e a fundadora da startup Troc, que hoje compõe o Grupo Arezzo, Luanna Toniolo, assinaram nesta terça-feira (19) o protocolo de intenções para a instalação de um brechó de roupas de luxo online na cidade, que deve gerar 250 empregos.

A fundadora da Troc, empresa que tem como pilares a sustentabilidade, inovação e incorporação do reuso na cultura de consumo, disse que a filosofia do negócio está alinhada com as características ambientais de Quatro Barras, já que tem como essência a geração de impacto positivo.

“A indústria da moda é a 2ª mais poluente em todo o mundo. Nos nossos 4 anos de existência, o impacto positivo da Troc resultou em quase 600 milhões de litros de água economizados, que seriam utilizados no sistema de produção de novos itens, além da doação de mais de 23 mil peças para instituições filantrópicas”, contou Luanna.

Fomentando a moda circular e apostando na inovação, na tecnologia e na reeducação do consumo da moda, a empresa também tem outro foco importante: a abertura de oportunidades para o 1º emprego.

“Acreditamos muito nos profissionais que atuam conosco e queremos que todos eles cresçam com a Troc. Por isso, investimos muito no processo de qualificação e no avanço destes profissionais que poderão evoluir para cargos de liderança. Queremos priorizar a mão de obra local e crescer juntos”, afirmou a fundadora.

Empregos

Segundo o prefeito, a assinatura do protocolo de intenções foi um marco para a gestão. “É o primeiro protocolo que firmamos e, com especial satisfação, por se tratar de uma empresa realmente engajada na geração de empregos, no conceito de sustentabilidade e com forte engajamento comunitário e social”, destacou Tolardo.

De acordo com ele, a abertura de vagas com mão de obra local, em especial, para o público feminino e destinadas ao 1º emprego, com médias salariais acima das praticadas no mercado, chegam em um importante momento de retomada econômica e atendem um grande anseio da população, que almeja por oportunidades. “Esta é a nossa bandeira, uma das principais metas da nossa gestão, gerar emprego e oportunidades para as pessoas”, concluiu o prefeito.

Incentivo

O processo de vinda da Troc foi intermediado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo, com apoio da Agência do Trabalhador, que realizou as rodadas iniciais de entrevistas e seleção de candidatos para atuar na empresa.

“Nos sentimos realmente muito acolhidos no município. Recebemos todo o suporte neste processo e ficamos otimistas com a relação que se desenvolveu com o poder público. Estamos muito felizes e acreditando muito neste projeto. Vocês já fazem parte da nossa história”, ressaltou Luanna.

O secretário da pasta, Fernando Cunha, também agradeceu à Câmara Municipal pela aprovação unânime da lei que prevê incentivos fiscais para a empresa, tendo em vista a contrapartida da geração de empregos na cidade, 100% viabilizados pela Agência do Trabalhador. “Quero agradecer a sensibilidade de todos os vereadores, que estiveram conosco neste processo, entendendo a importância da instalação da Troc especialmente para fomentar o 1º emprego”, destacou Fernando.

A assinatura do protocolo foi acompanhada pelo gerente financeiro da Troc, Francisco Gil; pelo gerente de operações, Leonardo Verdi; pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo, Fernando Cunha; pelo diretor geral da secretaria, Laertes Andreatta; e pelo assessor Valdomiro da Cruz Júnior.