terça-feira, fevereiro 27, 2024
spot_img
InícioParanáCamomila de Mandirituba conquista a Indicação Geográfica | ASN Paraná

Camomila de Mandirituba conquista a Indicação Geográfica | ASN Paraná


A Camomila Desidratada de Mandirituba, no Paraná, foi reconhecida, nesta terça-feira (23), com o Selo de Indicação Geográfica (IG), na modalidade de Indicação de Procedência. Cultivada no município localizado a cerca de 40 quilômetros de Curitiba, a camomila recebeu o registro do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e se tornou a 14ª IG paranaense. O trabalho de organização e busca pela distinção foi iniciado em 2021 e contou com a parceria da Associação dos Produtores de Camomila de Mandirituba (Camandi), Sebrae/PR e Prefeitura de Mandirituba.

Com 14 Indicações Geográficas, o Paraná se tornou o segundo maior estado do Brasil, passando Rio Grande do Sul, com 13 produtos chancelados, e atrás apenas de Minas Gerais, que conta com 19 IG. Ao todo, o País conta com 111 IG brasileiras e nove estrangeiras.

O gerente da Regional Leste do Sebrae/PR, Weliton Perdomo, destaca o trabalho realizado na região, que incluiu desde a aproximação entre produtores e prefeitura, o desenvolvimento de um caderno de especificações, o resgate da história do produto e o estatuto para a criação da Camandi.

“A IG vem para chancelar o trabalho desenvolvido, demonstra a preocupação de quem produz na cidade para entregar o melhor produto, com o cuidado desde o plantio até a colheita, que resultam em produtos de qualidade”, explica.

Além de movimentar a economia, os campos floridos de camomila também são palco de caminhadas e incentivam o turismo. Foto: Inove.

A camomila tem o nome científico de Matricaria recutita L. (Matricaria chamomilla, Chamomilla chamomilla, Chamomilla recutita), é uma erva medicinal pertencente à família Asteraceae, popularmente conhecida como camomila alemã ou camomila, apenas.

O cultivo da camomila começou há cerca de 40 anos, ao ser trazida para o município por imigrantes europeus, principalmente da região da Polônia e da Ucrânia. Com o plantio sendo realizado entre abril e maio e a colheita entre agosto e outubro, a região também é conhecida pelas caminhadas nos campos floridos. O circuito é um diferencial turístico e pode receber 2 mil pessoas durante o período.

Com propriedade situada na comunidade Chimboveiro, Jose Edinei Klichevicz se dedica a produção desde 2011 e é o primeiro presidente da Camandi. Segundo ele, a associação é composta por oito agricultores com produção de cerca de 110 toneladas por ano.

“É uma alegria ter esse reconhecimento, teremos os benefícios que notamos presentes nos outros exemplos de IG do Paraná. A nossa expectativa é de alcançar novos compradores, chegar a mercados internacionais, além de demonstrar para o público outras formas de uso relacionado à camomila, como em produtos farmacêuticos, cosméticos e de perfumaria”, destaca.

Jose Edinei lembra que o cultivo da variedade começou entre o plantio de culturas de verão, como milho, feijão e soja, uma alternativa que rapidamente demonstrou potencial na geração de renda e que caiu no gosto da família.

“O apoio do Sebrae em todo o processo foi fundamental, nós conseguimos ter uma visão ampla, identificar mais oportunidades e meios para alavancar nossa produção”, finaliza.

Prefeito de Mandirituba, Luis Antonio Biscaia, e o presidente da Camandi, Jose Edinei Klichevicz durante exposição da camomila na Expoapras 2023, em Pinhais. Foto: Prefeitura de Mandirituba.

Para um óleo essencial de camomila ser considerado de qualidade é necessário superar a concentração de 0,4% em sua composição. Os cultivos realizados em Mandirituba possuem cerca de 0,7% de concentração.

O pedido foi registrado no INPI em 21 de novembro de 2022. Além do trabalho do Sebrae/PR e da Camandi, a Prefeitura de Mandirituba também participou ativamente no processo. Em 2022, Mandirituba obteve o título de Capital da Camomila, por meio da Lei Estadual nº 21.126/2022, devido ao destaque produtivo na localidade. O prefeito da cidade, Luis Antonio Biscaia, celebra a conquista.

“Temos certeza de que ela vai incentivar a abertura de novos negócios, estimular ainda mais as nossas caminhadas, incentivar outros produtores que venham produzir a nossa camomila, a plantar, a colher e a comercializar. A nossa camomila agora é reconhecida por todo o Brasil e, quem sabe, no mundo inteiro. Meus agradecimentos as equipes que trabalharam na busca, ao Sebrae/PR e a Camandi”, pontua.

Produtos com IG no Paraná

Com a Camomila de Mandirituba, o Paraná conta com 14 produtos com Indicação Geográfica: Bala de Banana de Antonina; Melado de Capanema; Goiaba de Carlópolis; Queijo de Witmarsum; Uvas de Marialva; Café do Norte Pioneiro; Mel do Oeste; Mel de Ortigueira; Erva-Mate do Sul do Paraná; Morango do Norte Pioneiro; Vinhos de Bituruna; Barreado do Litoral do Paraná e a Aguardente de Cana e Cachaça de Morretes.

Outros produtos estão em busca do selo, entre eles estão as Broas de Centeio de Curityba, Mel de Prudentópolis, Urucum de Paranacity, Queijos do Sudoeste do Paraná, Cracóvia de Prudentópolis, Carne de Onça de Curitiba, Café de Mandaguari, Ponkan de Cerro Azul e Ovinos e Caprinos da Cantuquiriguaçu.



Leia a matéria no site do Sebrae

MATÉRIAS RELACIONADAS
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img

As últimas do Busão