Caminhos do rolê: 5 opções em conta para curtir na Getúlio Vargas

Uma das avenidas mais circuladas da região central da cidade, a Getúlio Vargas atende a todos os tipos de demanda: comércio, beleza, entretenimento, esportes e, principalmente a gastronômica. Com opções para agradar quem quer economizar ou mais sofisticação, é bastante plural em relação aos cardápios.  

Para aproveitar qualquer ocasião e conhecer mais ainda as variedades da Getúlio Vargas, confira uma lista com cinco opções baratas e muito gostosas para curtir em família, amigos ou em casal: 

Mr. Hoppy Getúlio Vargas 

Um dos points mais novos da avenida, o Mr. Hoppy tem sido muito procurado pela galera que gosta de comer e beber por um preço justo. O espaço é o lugar ideal para encontrar os amigos depois do trabalho ou para fazer um lanche, antes de chegar nas baladas do final de semana. Com música ao vivo, você vai curtir o melhor do rock e blues. São seis opções de hambúrgueres de R$ 10 a R$ 18, acompanhamentos e sobremesas a partir de R$ 8, além das variedades de chope por R$ 10.  

Avenida Presidente Getúlio Vargas, 3310 – Água Verde 

Terça a domingo – 17h às 23h30 (exceto às sextas-feiras e sábados, quando o pub fecha à 0h) 

 

Mondrí Água Verde 

Um pequeno centro gastronômico na metade do percurso da avenida, essa novidade oferece seis operações que vão de confeitarias, pastelarias, espetinhos e até chás asiáticos. Por estar instalado na mesma quadra do Estádio Joaquim Américo, é o point dos torcedores que vão assistir aos jogos e as outras apresentações. É uma opção também para matar a fome depois de participar dos eventos culturais da praça Afonso Botelho, que fica na quadra seguinte. Os valores variam entre as operações.  

Avenida Presidente Getúlio Vargas, 1919 

Terça à sexta-feira das 17h às 23h, sábado das 15h às 23h e domingo das 14h às 22h 

 

The Dog Cachorro Quente 

Tem vezes que nada mata a fome melhor que um cachorro quente bem caprichado, não é? Chegando ou indo para a balada, toda hora é hora de hotdog. O The Dog é um dos pontos mais conhecidos e antigos da avenida, com os cachorros quente mais desejados da rua. Os preços variam entre R$ 8 e R$ 16 reais, além da variedade de acompanhamentos como batata palha, duas vinas, calabresa, bacon, milho e até nachos fritos.  

 
Av. Pres. Getúlio Vargas, 2120 – Água Verde 

Todos os dias, das 18h até 00h (exceto aos domingos, quando a barraca fecha às 23h) 

 

Waldo X-Picanha Getúlio 

Numa das esquinas mais conhecidas e antigas da avenida, o Waldo X-Picanha é um estabelecimento que está na memória da cidade. Uma das primeiras lanchonetes a ganhar espaço na região central. É um ambiente para quem quer matar a fome depois da balada, curtir um lanche em família ou levar o par para dividir um sanduíche aberto. Os preços dos lanches variam entre R$ 9 e R$ 27,90, com diferentes sabores, carnes e acompanhamentos. A entrada principal fica na República Argentina, a rua com quem a avenida faz esquina.  

 

Av. Rep. Argentina, 535 – Água Verde 

Domingo a quarta, das 11h às 03h e de quinta a sábado, das 11h às 5h 

 

Choripan Getúlio Vargas 

Gosta da cultura e, principalmente, da gastronomia dos nossos vizinhos argentinos? Então vai adorar o cardápio do Choripan Getúlio Vargas. Como carro chefe, a casa oferece o tradicional sanduíche, que leva o nome do espaço: o pão com linguiça Choripan. O restaurante é ideal para se encontrar com os amigos, por conta do espaço todo despojado e moderno, com display de mesas e cadeiras diferenciadas e que ocupam também a calçada. A faixa de preço do cardápio é entre R$ 8 e R$ 13.  

Avenida Presidente Getúlio Vargas, 3777 – Água Verde 

Terça a Sexta das 17:00h às 23:00h. Sábado das 14:00h às 23:00h e domingo das 14:00h às 21:00h 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba ilumina pontos turísticos de laranja pela prevenção ao câncer de pele

Nesta terça-feira (7/12), a Praça do Japão e a Torre de Cronometragem do Parque Náutico estarão iluminados de laranja, em alusão à adesão de Curitiba ao Dezembro Laranja, a campanha nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

A iluminação nesses locais foi feita para essa segunda-feira (6/12) e hoje ainda pode ser contemplada pela população. O objetivo é chamar a atenção dos curitibanos sobre a importância do diagnóstico e do tratamento precoce, além de orientar sobre os cuidados que devem ser incorporados à rotina diária.

O câncer de pele é o tipo de neoplasia mais incidente no Brasil, com cerca de 180 mil novos casos ao ano. Em Curitiba, dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam a projeção de 1.820 novos casos por ano. A boa notícia é que a maior parte, 95%, é do tipo não melanoma, menos agressivo. Além disso, quando descoberto no início, tem mais de 90% de chances de cura.

“Por isso é importante que a população fique atenta aos sinais e sintomas, e procure logo um serviço de saúde”, afirma a dermatologista do Centro de Especialidades de Santa Felicidade da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Simone Viola Ampuero Gehlen.

Prevenção

De acordo com a médica, a orientação é para que as pessoas fiquem atentas a lesões na pele que não cicatrizam, principalmente nas áreas que comumente ficam expostas ao sol. Sangramentos e pruridos neste tipo de lesões também são sinais de alerta. Segundo Simone, é importante observar pintas com mudança na cor e bordas irregulares.

Em qualquer um desses casos, a orientação é procurar o mais breve possível, um serviço de saúde, para uma avaliação. No SUS Curitibano, a porta de entrada é a unidade de saúde. Caso seja necessário, a unidade faz o encaminhamento do paciente para um especialista.

Além de observar os sinais de alerta, é importante também se prevenir. Medidas básicas do dia a dia que podem ajudar são o uso de filtro solar nas áreas que ficam expostas (com mínimo de fator de proteção solar de 30); evitar o sol entre as 10h e 16h; além de usar chapéu e roupas que protejam a pele o máximo possível da exposição direta ao sol.  

Câmara de Curitiba aprova suspensão de reajuste e limita correção do IPTU em 2022

O projeto da Prefeitura que adia a revisão da Planta Genérica de Valores e garante que o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) não sofra reajuste em 2022 foi aprovado, por unanimidade, nesta segunda-feira (06/12) em primeiro turno na Câmara Municipal de Curitiba (CMC). A proposta, que recebeu 38 votos favoráveis, será votada em segundo e último turno nesta terça-feira (07/12).

Confirmada a aprovação, a atualização da Planta Genérica de Imóveis fica adiada para outubro de 2022, sendo que o reajuste que será aplicado valerá para 2023.

Dessa forma, os reajustes que estavam em vigor nos últimos anos, de 4% para imóveis residenciais, e de 7% para terrenos (mais a inflação), não serão praticados no IPTU 2022, que terá apenas a correção pela inflação, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

A revisão da Planta Genérica de Valores atualizaria o valor venal dos imóveis da cidade, de acordo com o mercado. Com isso a cobrança do IPTU poderia variar acima da inflação para aqueles imóveis com valor venal defasado.

“A atual pandemia de Covid-19 teve repercussão no campo econômico, diminuindo a renda de muitas famílias e a receita de muitas empresas, que foram obrigadas a paralisar suas atividades. Fazer essa correção, neste momento, traria inúmeros prejuízos para população”, diz a mensagem da Prefeitura no projeto.

A revisão da Planta Genérica é prevista pela legislação. A Lei Complementar nº 40, de 18 de dezembro de 2001 determina, no § 2º do art. 36, que o Poder Executivo deve encaminhar ao Poder Legislativo, até o dia 15 de outubro do primeiro ano do mandato, projeto de lei com proposta de atualização dos valores unitários de metro quadrado de construção e de terrenos, constantes na Planta Genérica de Valores Imobiliários

No entanto, a valorização imobiliária observada nos últimos quatro anos e a entrada em vigor da nova Lei de Zoneamento, em agosto de 2020, provocaram consideráveis alterações na ocupação urbana, com reflexos diretos no valor venal dos imóveis na capital.