Calçadas da Voluntários da Pátria são refeitas pelas mesmas mãos de 50 anos atrás

As calçadas de pedras que os curitibanos pisam têm muitas histórias: arte, cultura e o talento de pessoas. Assentadas por mestres calceteiros de várias épocas, o trabalho artesanal e milenar resiste e pode ser conferido na revitalização da Rua Voluntários da Pátria, no Centro, onde será preservada uma parte do tradicional petit-pavé, ao lado de uma faixa acessível feita em concreto.

Na Voluntários da Pátria estão hoje o trabalho das mesmas mãos caprichosas dos irmãos e mestres dos mosaicos portugueses Sebastião e José de Souza. Junto com outros calceteiros, eles estão reconstruindo o petit-pavé que fizeram na mesma via há quase 50 anos. Um dos primeiros e dos muitos trabalhos feitos pelos irmãos na capital paranaense.

“Começamos lá pela Rua João Negrão, depois na Pedro Ivo e chegamos aqui na Voluntários. Acho que foi no final de 1960 ou começo de 70”, lembrou Sebastião, 65 anos.

De família de calceteiros, aprenderam o ofício em Ponta Grossa, distante a 100 quilômetros de Curitiba. Na capital chegaram ainda jovens, e carregam no currículo o tradicional calçadão da Rua XV de Novembro, as calçadas em ondas do Teatro Guaíra, da Praça Rui Barbosa, da Generoso Marques e tantos trechos que estão sob os pés dos curitibanos até hoje.

Os irmãos defendem a arte da calcetaria com afinco e conhecimento de causa. Trabalham no mesmo ofício desde os 15 anos. “As pessoas confundem, não somos pedreiros, somos calceteiros, que é muito diferente”, falou José.

“Amo meu trabalho e acho mesmo que de calçadas de passeio elas são as melhores. Veja o petit-pavé da Santos Andrade (praça), tem mais de 40 anos e estão do mesmo jeito”, disse Sebastião de Souza.

Com quantas pedras se faz uma calçada

A receita para uma boa calçada de mosaico português segundo Sebastião é preparar bem a base, com areia e deixar o terreno nivelado. Cada pedra é encaixada seguindo o desenho definido pelo Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba), responsável pelos projetos.

Para um metro quadrado de calçada de petit-pavé, os calceteiros usam entre 300 e 350 pedras, dependendo do desenho. “Por dia dá pra fazer uns 6 metros quadrados”, contou Sebastião.

Uma a uma, o calceteiro escolhe pelo toque o lado da pedra que fica voltado para cima, onde o pedestre vai pisar. Se não der o encaixe, é preciso preparar a pedra antes de assentá-la.

O mosaico que está sendo feito em metade da calçada da Rua Voluntários da Pátria é uma rosácea de pinhão, tradicional desenho do Movimento Paranista das décadas de 1920 e 1930.

Em Curitiba, as calçadas portuguesas também são conhecidas por petit-pavé. Técnica trazida por imigrantes no início do século 20, e que aqui ganharam desenhos art déco e art nouveau e, especialmente, os do Movimento (1903 -1923), criado por artistas e como Lange de Morretes, Domingos Nascimento, Romário Martins, Zaco Paraná e João Turin.

Via: Prefeitura de Curitiba/SMCS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Trufas frescas estrelam festival no Marcondes Cozinha Autoral

Ingredientes de alto padrão costumam ser ponto de destaque em restaurantes de alta gastronomia. Insumos raros, preparados com excelência de forma criativa são celebrados nas maiores cozinhas do mundo. E um dos itens mais celebrados, a trufa, estrela um festival completo no Marcondes Cozinha Autoral. Ao invés de usar pastas e cremes de trufa, mais comuns de encontrar, a casa tem um menu completo que leva trufas frescas vindas direto da Itália. O menu sai a R$ 159 por pessoa e começa a ser servido a partir desse sábado (05/11), por tempo limitado.

Iniciando a sequência, o couvert tem Pão feito no vapor com manteiga trufada, e a entrada conta com Bocado de pasta e sálvia, umamassa grano duro com molho cremoso de sálvia. Como prato principal, o cliente pode escolher entre quatro opções. Uma delas é o Mignon ao molho de mostarda apresentado com risoto milanês e finalizado com trufas frescas. Já o Entrecot tem nhoque ao molho de vinho Barolo e finalizado com as trufas.

Uma terceira pedida é o Fettuccine artesanal ao molho pesto e espuma de parmesão, que leva as trufas frescas na finalização. Já a quarta escolha apresenta uma Polenta cremosa com ragu de ossobuco, finalizados com as trufas frescas. Na sobremesa, a sequência leva Zabaglione com sorvete de café.

As trufas frescas têm procedência garantida pela ÉlEat Tartufi, uma das fornecedoras de destaque na região de Piemonte, no norte italiano. As trufas, de aroma marcante, são raras, crescendo na comuna de Alba. São colhidas à noite para garantir o frescor característico. O Festival de Trufas Frescas do Marcondes Cozinha Autoral acontece por tempo limitado. O menu com couvert, entrada, prato principal e sobremesa sai a R$ 159,90 por pessoa. A casa abre de segunda a sábado para jantar, às 18h30, e para almoço de sábado, das 11h30 às 15h30. O Marcondes funciona na R. Recife, 220 – Cabral. Mais informações no perfil oficial do restaurante no Instagram (@marcondesrestaurante). Reservas por WhatsApp (41) 3205-4982.

Happy Hour no ST 444 Batel: de terça a domingo, restaurante italiano-mediterrâneo oferece opções exclusivas de porções

O St 444 Batel, empreendimento gastronômico que atua no segmento italiano-mediterrâneo, está lançando um menu de porções exclusivas para o Happy Hour, que acontece de terça a domingo, das 16h às 20h, para preencher as noites curitibanas com muito sabor.

O novo cardápio com porções exclusivas para o horário de Happy Hour mantém os ingredientes característicos da gastronomia mediterrânea mas com um toque de refinado sem perder a facilidade que as porções precisam no momento do consumo.

As opções formam um menu completamente irresistível. Para os apaixonados por crocância, o restaurante oferece frutos do mar – mais especificamente a lula, camarão e iscas de peixe – empanados na farinha panko acompanhados de molho especial da casa, além da versão do requintado polvo à grega, regado a azeite de oliva e condimentado com sal grosso, páprica picante e acompanhado de pequenas fatias de pão.

Para os fãs dos clássicos, uma boa pedida pode ser as batatas rústicas que vêm acompanhadas com molho de páprica picante. Aos que preferem a maciez e suculência marcante das carnes bovinas, têm a opção de degustar a fraldinha na mostarda e/ou o entrecôte – também conhecido como bife ancho –, este último acrescido de farofa crocante e chimichurri. No horário de Happy Hour, os pratos presentes no menu comum não estarão disponíveis.

Para acrescentar uma dose de personalidade brasileira à refeição, o chopp Pilsen de 300ml chega – bem gelado – à mesa por apenas R$10; os valores variam de R$29 a R$49 por porção.

SERVIÇO

Happy Hour no ST 444 Batel

Onde: Alameda Presidente Taunay, 444 – Curitiba – PR

Quando: de terça a domingo, das 16h às 20h

Como: (41) 3044-0444

Instagram: @st444batel

Fotos: Rafael Ribeiro.