Calçadas da Voluntários da Pátria são refeitas pelas mesmas mãos de 50 anos atrás

As calçadas de pedras que os curitibanos pisam têm muitas histórias: arte, cultura e o talento de pessoas. Assentadas por mestres calceteiros de várias épocas, o trabalho artesanal e milenar resiste e pode ser conferido na revitalização da Rua Voluntários da Pátria, no Centro, onde será preservada uma parte do tradicional petit-pavé, ao lado de uma faixa acessível feita em concreto.

Na Voluntários da Pátria estão hoje o trabalho das mesmas mãos caprichosas dos irmãos e mestres dos mosaicos portugueses Sebastião e José de Souza. Junto com outros calceteiros, eles estão reconstruindo o petit-pavé que fizeram na mesma via há quase 50 anos. Um dos primeiros e dos muitos trabalhos feitos pelos irmãos na capital paranaense.

“Começamos lá pela Rua João Negrão, depois na Pedro Ivo e chegamos aqui na Voluntários. Acho que foi no final de 1960 ou começo de 70”, lembrou Sebastião, 65 anos.

De família de calceteiros, aprenderam o ofício em Ponta Grossa, distante a 100 quilômetros de Curitiba. Na capital chegaram ainda jovens, e carregam no currículo o tradicional calçadão da Rua XV de Novembro, as calçadas em ondas do Teatro Guaíra, da Praça Rui Barbosa, da Generoso Marques e tantos trechos que estão sob os pés dos curitibanos até hoje.

Os irmãos defendem a arte da calcetaria com afinco e conhecimento de causa. Trabalham no mesmo ofício desde os 15 anos. “As pessoas confundem, não somos pedreiros, somos calceteiros, que é muito diferente”, falou José.

“Amo meu trabalho e acho mesmo que de calçadas de passeio elas são as melhores. Veja o petit-pavé da Santos Andrade (praça), tem mais de 40 anos e estão do mesmo jeito”, disse Sebastião de Souza.

Com quantas pedras se faz uma calçada

A receita para uma boa calçada de mosaico português segundo Sebastião é preparar bem a base, com areia e deixar o terreno nivelado. Cada pedra é encaixada seguindo o desenho definido pelo Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba), responsável pelos projetos.

Para um metro quadrado de calçada de petit-pavé, os calceteiros usam entre 300 e 350 pedras, dependendo do desenho. “Por dia dá pra fazer uns 6 metros quadrados”, contou Sebastião.

Uma a uma, o calceteiro escolhe pelo toque o lado da pedra que fica voltado para cima, onde o pedestre vai pisar. Se não der o encaixe, é preciso preparar a pedra antes de assentá-la.

O mosaico que está sendo feito em metade da calçada da Rua Voluntários da Pátria é uma rosácea de pinhão, tradicional desenho do Movimento Paranista das décadas de 1920 e 1930.

Em Curitiba, as calçadas portuguesas também são conhecidas por petit-pavé. Técnica trazida por imigrantes no início do século 20, e que aqui ganharam desenhos art déco e art nouveau e, especialmente, os do Movimento (1903 -1923), criado por artistas e como Lange de Morretes, Domingos Nascimento, Romário Martins, Zaco Paraná e João Turin.

Via: Prefeitura de Curitiba/SMCS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Universidade presta auxílio jurídico gratuito e online durante pandemia

Núcleo de Prática Jurídica da Universidade Positivo já atendeu mais de 500 pessoas durante a pandemia

Com o objetivo de garantir o direito ao acesso à Justiça, mesmo durante a pandemia, o Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) da Universidade Positivo (UP) está atendendo remotamente. Universitários do curso de Direito, sob supervisão de professores e advogados, prestam atendimento jurídico gratuito à população de Curitiba via e-mail, telefone e WhatsApp.

Com quatro postos de atendimento em Curitiba, instalados no câmpus sede – Ecoville e Santos Andrade, da Universidade Positivo, e nos Juizados Especiais Cíveis e Federais, o NPJ-UP mantém a execução dos termos de cooperação que tem com os órgãos do Poder Judiciário, ofertando um canal para que o atendimento à população continue acontecendo neste momento de isolamento social. “Entretanto, mesmo que seja possível realizar a petição sem advogado nos Juizados, muitas pessoas não sabem como os pedidos devem ser formulados e, consequentemente, ficam sem o adequado acesso à Justiça. Por isso, esse serviço, que alia tecnologia e o nosso compromisso com o ensino para o desenvolvimento sustentável, é fundamental neste momento”, explica. 

Em pouco mais de três meses de funcionamento remoto, mais de 500 pessoas já foram atendidas por meio do serviço gratuito. Para Thaís, considerando o atual momento e que o atendimento não pôde ser presencial, é um resultado excelente. “O alcance de tantas pessoas em tão pouco tempo superou nossas expectativas. Toda a equipe está satisfeita com o apoio prestado à população na promoção do acesso à justiça”, revela. 

O Núcleo de Prática Jurídica da Universidade Positivo atua nas áreas de Direito Penal, Direito Previdenciário e Direito Civil e de Família. Questões sobre pensão alimentícia e divórcio são as mais buscadas pela população. Em razão da pandemia, o NPJ também presta auxílio jurídico para demandas relativas ao auxílio emergencial. “Além disso, a pandemia impactou nas relações contratuais, como aluguéis, mensalidades de instituições de ensino privadas, academia, entre outros. Em todos esses temas, estamos prontos para ajudar a comunidade”, finaliza a supervisora. 

Serviço

Núcleo de Prática Jurídica Universidade Positivo

Residentes no CIC, Gabineto, e casos de auxílio emergencial (Curitiba e região metropolitana) | Telefone ou WhatsApp Business: 3317-3232 e administrativonpj@up.edu.br

Residentes no Centro e atendimento dos Juizados Especiais Cíveis (Ahú) | Telefone ou WhatsApp Business: 3526-6908 e npj.santosandrade@up.edu.br

Atendimento dos Juizados Especiais Federais | npjjef@up.edu.br

Agentes da Setran terão novo uniforme e viaturas também vão mudar em Curitiba

O trabalho de repaginação dos uniformes e das viaturas da Setran foi devido ao Dia Nacional do Agente da Autoridade de Trânsito, comemorado nesta quarta-feira (23)

Para comemorar o Dia Nacional do Agente da Autoridade de Trânsito, os fiscalizadores da Superintendência de Trânsito (Setran) de Curitiba ganharam uma nova identidade visual. A data simbólica, que acontece nesta quarta-feira (23), trouxe mudanças nos uniformes e na plotagem da viaturas usadas pelos agentes no trânsito da capital e pelos que verificam a utilização adequada do Estacionamento Regulamentado (EstaR).

Em entrevista exclusiva à Banda B, o secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Guilherme Rangel, revelou que a mudança tem dois objetivos. “Os uniformes vêm para garantir uma maior visibilidade dos agentes, mas também para criar uma identidade visual e fazer com eles sejam reconhecidos pela população. Além disto, tem a segurança deles visto que vários usam motocicletas, por exemplo”, destacou.

Homenagem

Ainda nesta quarta-feira (23), os agentes de trânsito participaram de um evento na Setran e receberam uma homenagem. De acordo com Rangel, é uma forma de reconhecimento do trabalho dos agentes.

Foto: Daniel Castellano

“Sem dúvida nenhuma, eles são de grande relevância, uma vez que eles atuam diariamente na segurança viária com o intuito de salvar vidas, de organizar o nosso trânsito. Então, fizemos uma homenagem a estes profissionais que tanto lutam para garantir um trânsito seguro a todos nós”, concluiu à Banda B.

Informações Banda B.