Brasil tem mais de 130 milhões de pessoas totalmente imunizadas contra a covid-19

O Brasil tem 130,4 milhões de pessoas totalmente imunizadas contra a covid com duas doses ou com imunizante de aplicação única. O porcentual em relação à população é de 61,15%. O Estado da Bahia não divulgou dados por problemas técnicos.

O número de pessoas parcialmente imunizadas, com ao menos uma dose da vacina, é de 158.201.793. Isso corresponde a 74,16% do total de habitantes do País. Os dados são do levantamento do consórcio de veículos de imprensa, em parceria com 27 secretarias de Saúde.

Nas últimas 24 horas, houve 1,2 milhão de aplicações. As primeiras doses foram aplicadas em 152,5 mil pessoas, enquanto 737,1 receberam a 2ª aplicação da vacina.

O registro de dose única aparece como -3.045 porque os Estados do Ceará, Minas Gerais e Rondônia fizeram uma revisão para baixo nos dados. Já as aplicações de reforço foram administradas em 383,9 mil habitantes, com total de 14,6 milhões de doses aplicadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Brasil supera marca de 90% da população-alvo vacinada com a 1ª dose

A Campanha de Vacinação contra a covid-19 do Brasil ultrapassou a marca de 90% da população-alvo com a primeira dose da vacina. Com o avanço na imunização dos brasileiros contra a doença, nove estados já ultrapassaram essa marca. Entre os estados que mais aplicaram a primeira dose do imunizante estão Santa Catarina, Roraima, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Para o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, isso se deve à política do governo em adquirir, logo no início, mais de 550 milhões de doses de vacina contra a covid-19. Dessas, mais de 378 milhões já foram distribuídas e 314 milhões foram aplicadas, graças a um forte programa de imunização.

“Nós temos um Programa Nacional de Imunizações (PNI), que é forte e realiza hoje uma das maiores campanhas de vacinação da história do Brasil. Se juntarmos os outros agentes imunizantes do Calendário de Vacinação brasileiro, ao todo, são quase 1 bilhão de doses de vacina. Isso só demonstra que o nosso Sistema Único de Saúde é forte, que foi capaz de implementar e colocar em prática uma campanha de vacinação tão importante e significativa”, disse.

De acordo com o ministério, “das mais de 314,1 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas, 159,5 milhões de brasileiros iniciaram o ciclo vacinal e 140,5 milhões completaram o esquema com a segunda dose ou dose única do imunizante. Com o envio de doses de reforço, 14,1 milhões de brasileiros já reforçaram a imunidade com a dose adicional ou de reforço. Para 2022, mais de 354 milhões de doses estão garantidas para dar continuidade à campanha no próximo ano”.

Viajantes para o exterior podem antecipar esquema vacinal em Curitiba

Moradores de Curitiba com viagem marcada para o exterior que ainda não completaram o esquema vacinal contra covid-19 podem antecipar a segunda dose ou a dose de reforço, desde que cumpridos os critérios definidos pelo Ministério da Saúde.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) já estava antecipando o esquema vacinal para viagens com fins profissionais ou de estudos, mas agora a antecipação também passa a valer para viagens turísticas.

Com a aproximação das férias e a conclusão de convocação de todos os públicos definidos para receber a primeira dose, a SMS adota essa estratégia para reforçar a imunização, principalmente para aqueles que vão para regiões de menor cobertura vacinal.

“Diante do cenário das variantes que circulam pelo mundo, é importante que os viajantes estejam imunizados para que elas não se espalhem pelo Brasil e para que a população não adoeça”, explica o diretor do Centro de Epidemiologia, Alcides Oliveira.

O viajante deverá comprovar a ida a outro país com a apresentação de passagem em seu nome. A comprovação deverá ser feita diretamente no ponto de vacinação.

Segunda dose

Os vacinados apenas com a primeira dose poderão antecipar a segunda a partir de 21 dias da primeira aplicação para o imunizante da Pfizer e 28 dias para o da AstraZeneca.

Coronavac

As pessoas que receberam as duas doses da Coronavac e irão viajar para países que não reconhecem a eficiência deste imunizante poderão receber uma dose de outra farmacêutica que seja aceita pelo país de destino. Neste caso, deverão ser observadas as normas já estabelecidas para a intercambialidade de vacinas. O intervalo mínimo entre a segunda dose e o reforço de outro imunizante deverá ser de 28 dias.

Além da comprovação da viagem, também deverá ser apresentada a comprovação de que o país de destino não reconhece a Coronavac.

Janssen

Para o imunizante da Janssen, a recomendação do Ministério da Saúde é de que a segunda dose/reforço seja da mesma marca.

Em caso de necessidade de viagem e falta da vacina em estoque, a SMS seguirá a regra da intercambialidade da vacina e fará o reforço com imunizante da Pfizer.

O que fazer para antecipar a vacina

O viajante que se enquadra no intervalo indicado entre 21 e 28 dias a depender do imunizante, deverá procurar um dos pontos de vacinação da cidade das 8h às 17h. Os endereços estão no ImunizaJáCuritiba.

É preciso apresentar documento de identificação com foto, CPF, comprovante de endereço e documentação que comprove a viagem (passagem aérea).

Viagem carro

Aqueles que pretendem viajar para outro país de carro deverão apresentar, além dos documentos exigidos para a vacinação, o comprovante de reserva de hospedagem e um termo autodeclarado de responsabilidade legal pela veracidade das informações apresentadas. O termo está disponível no site da SMS.