Brasil acumula mais de 10 milhões de casos de covid-19

Publicidade
Publicidade

Divulgado no início da noite de ontem (18), o boletim de situação epidemiológica do Ministério da Saúde aponta que o Brasil já registrou, desde o início da pandemia, mais de 10 milhões de casos de covid-19.

Segundo o informe, 51.879 novos diagnósticos da doença foram registrados em 24 horas. No total, o país já confirmou 10.030.626 casos de infecção pelo novo coronavírus.

Situação epidemiológica da covid-19 no Brasil.

Situação epidemiológica da covid-19 no Brasil. – Divulgação/Ministério da Saúde

O número de óbitos em decorrência da doença é de 243.457, com 1.367 novas mortes desde a última edição do boletim, no fim da tarde de ontem. O número de recuperados soma 8.995.246, equivalente a 89,7% do total de infectados. Segundo o ministério, 791.923 pessoas estão com a saúde sendo monitorada.

São Paulo segue em primeiro lugar em número de casos. No total, 1.949.459 casos foram registrados no estado, com 57.240 óbitos. Minas Gerais e Bahia se mantêm em 2º e 3ª lugar, respectivamente, com 822.448 casos e 17.249 óbitos na região mineira e 643.244 casos e 10.995 óbitos na região baiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba vacinou 67.885 pessoas contra a covid-19

Publicidade
Publicidade

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba imunizou, até segunda-feira (1/3), 67.885 pessoas com a vacina contra o novo coronavírus. Foram vacinados 4.818 moradores, funcionários e cuidadores de instituições de longa permanência; 73 indígenas; 19.767 idosos; e 43.227 profissionais dos serviços de saúde da cidade, incluindo as equipes de vacinação.

A aplicação da primeira dose recomeçou na sexta-feira com a chegada de um novo lote de vacinas. Foram atendidos idosos acamados de 85 anos e mais.

Nesta segunda-feira (1/3) começou um cronograma para os idosos não acamados com idade entre 85 e 82 anos por escalonamento de idade. Nesta terça-feira (2/3) a vacinação é para idosos de 84 anous ou mais. Também foi retomada a aplicação da primeira dose para profissionais de saúde. 

Segunda dose

Em Curitiba, 27.041 pessoas receberam a segunda dose até segunda-feira (1/3). A vacinação com a segunda dose está sendo feita nas instituições de longa permanência e para os profissionais de saúde, além dos indígenas.

Total

Curitiba recebeu do Ministério da Saúde 94.420 doses de vacinas para serem usadas na primeira aplicação no público prioritário elencado pelo Plano Municipal de Imunização, sendo 43.680 do imunizante produzido pela Universidade de Oxford e pelo Laboratório AstraZeneca. As demais são doses da CoronaVac, produzidas pelo Instituto Butantan.

O município também recebeu 32.610 vacinas CoronaVac para aplicar a segunda dose dos moradores e trabalhadores das instituições de longa permanência, indígenas e profissionais da saúde já imunizados com a primeira dose.
 

Sony confirma que deixará de vender produtos no Brasil em março

Publicidade
Publicidade

Conforme havia anunciado em setembro de 2020, a Sony Brasil comunicou nesta segunda (1º) que irá encerrar suas atividades no país no final de março. Com isso TVs, câmeras digitais e equipamentos de áudio da marca deixarão de ser comercializados no Brasil.

A lembrança ganhou contornos políticos nas redes sociais, com críticas ao governo Jair Bolsonaro (sem partido) na esteira do anúncio, em janeiro deste ano, do fim das atividades da Ford no Brasil.

“Sem renda para a maioria do povo, sem mercado consumidor”, afirmou o deputado federal Jorge Solla (PT-BA).
Como já estava previsto, as demais operações do grupo, que envolvem games, soluções profissionais, música e cinema, continuam.

Quando anunciou o fechamento da fábrica na Zona Franca de Manaus (AM), em setembro, a marca afirmou em nota que a decisão foi tomada “considerando o ambiente recente de mercado e a tendência esperada para os negócios”.

Em dezembro do ano passado, a Mondial, marca brasileira de eletrodomésticos portáteis, anunciou a compra da unidade da Sony na em Manaus. A aquisição inclui tanto o espaço quanto os equipamentos da marca japonesa.

A empresa já possuía uma fábrica na região desde 2014, local onde são produzidos DVDs, caixas de som acústicas de média e alta potência, thunder, boombox e outros produtos de áudio e vídeo.

Nos últimos anos, o grupo japonês estava perdendo terreno para as coreanas Samsung e LG por não conseguir adaptar seus produtos às tendências de mercado, principalmente voltados para conectividade, como aparelhos de som portátil com conexão via bluetooth e smart TVs.

Informações Banda B.