Boqueirão Cultural agita o sábado em Curitiba

Neste sábado, dia 18 de agosto, a Praça Menonitas volta a ser palco de um dos eventos mais queridos da cidade de Curitiba: o Boqueirão Cultural. Em sua quinta edição, o evento gratuito tem como proposta principal ocupar o espaço urbano e levar música de qualidade para os curitibanos.

Os shows do Boqueirão Cultural são sempre inusitados, juntando bandas e artistas que, por mais que estejam dentro de uma mesma cena, normalmente não tocam juntos em festas e eventos na cidade. O primeiro a se apresentar neste sábado será Davi Henn, músico conhecido por tocar nas ruas de Curitiba, sempre pela rua XV ou no Largo da Ordem. Davi é um “homem-banda” que utiliza seu corpo todo para destilar o verdadeiro blues.

Depois será a vez do metal alternativo do Macumbazilla, banda formada por antigos músicos da cena da cidade, que priorizam a qualidade em tudo que fazem, principalmente em suas apresentações. Fechando a tarde, uma banda que dispensa apresentações, os pioneiros do country rock alternativo no Brasil: Hillbilly Rawhide. Há mais de 15 anos na estrada, a banda está sempre em constante produção, lançando discos, fazendo turnês internacionais e influenciando uma enorme legião de músicos por todo país. Para completar o line-up, os DJs Tone RMS e PedroPe sobem no palco para não deixar a música parar.

Ciclo-mobilidade

Pensando na responsabilidade social e na sustentabilidade, em tempos onde o caos está instaurado na locomoção dos cidadãos de Curitiba, os organizadores apostam na ideia da ciclo-mobilidade, convocando centenas de representantes desse movimento para trazer essa ideia e diversas informações ao público que irá comparecer para prestigiar as atrações artísticas.

A quinta edição do Boqueirão Cultural será realizada na Praça Menonitas (Rua Paulo Setúbal, nº 2386 – Boqueirão), a partir das 13h. O evento é gratuito e aberto ao público. Mais informações na página oficial do evento no Facebook (https://www.facebook.com/Boqueirao.cultural/) e no perfil no Instagram (@boqueiraocultural).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

No mês da Consciência Negra, Sesi Cultura apresenta espetáculo infantil sobre a História das Áfricas

Há muito o que aprender com nossas raízes. No Brasil, de norte a sul, elas passam pela África. E não poderia haver melhor época para tratar de questões étnico-raciais sob novas perspectivas com as crianças e adultos que novembro, quando é celebrado o dia da consciência negra. O espetáculo “Karingana Ua Karingana! Histórias de Áfricas” é uma concepção do Grupo Baquetá e aproxima temas que fazem parte da história e cultura brasileira e que, muitas vezes, são vistos de forma afastada ou exótica.

De acordo com o último Censo Demográfico, a maioria da população brasileira é afrodescendente e, muitas vezes, os jovens e as crianças não se veem representados na mídia ou nos livros, especialmente no sul do país. Nesse sentido, “Karingana Ua Karingana” foi pensado para ser um espaço de representatividade, pois os três atores/músicos são afrodescendentes e apresentam a riqueza de elementos africanos e afro-brasileiros por meio dos figurinos, adereços, turbantes e penteados.

Composto por contos de origem africana e afro-brasileira, o espetáculo traça uma rota de identificação com nossas raízes negras, a contribuição para a construção do país e herança cultural. Temas como diáspora, autoestima, ancestralidade, circularidade, meio ambiente, espiritualidade, escravização da população negra, linguagem e diversidade são abordados por meio de técnicas de contação de histórias, danças de matrizes africanas, cantos e brincadeiras.

Uma das preocupações do grupo Baquetá é aplicar as leis 10.639/03 e 11.645/08 que tratam da obrigatoriedade do ensino das histórias e culturas africanas, afro-brasileiras e dos povos indígenas para todos os âmbitos da educação. Dessa forma, a proposta é ajudar a desmistificar a idealização de África como um lugar longe, antigo, arcaico e pequeno e apresentar a potência de um vasto continente, berço da civilização, mãe de grandes saberes científicos e tecnológicos.

O Grupo Baquetá nasceu na cidade de Curitiba, em 2009. Pesquisa e desenvolve projetos para adultos e crianças com base nos saberes da diáspora africana e dos povos originários do Brasil. O grupo que circula participando de eventos, mostras e festivais pela região sul, estado de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, lançou seu primeiro disco no ano de 2021, disponível gratuitamente nas plataformas online de música.

SERVIÇO:

Sesi Cultura Paraná apresenta “Karingana Ua Karingana! Histórias de Áfricas”

Data: 26 de novembro, sábado

Horário: 15h

Local: Centro Cultural Sesi – Unidade Dr. Celso Charuri – Rua Paula Gomes, 270 São Francisco – Curitiba

Entrada franca

Festival ​Baticum segue com mais shows

Grupo Fato, Baticum Session e uma celebração da cultura afro com o Gumboot Dance encerrando em grande estilo a primeira edição do Baticum – Festival de Música Corporal de Curitiba, que segue até o próximo domingo (27). 

Quem abre a semana é o paranaense Grupo Fato, na quinta-feira (24) às 20h no Cleon Jacques. Também no Cleon, o revitalizado teatro do Parque São Lourenço, acontece o Show dos Professores, com a participação da turma que está ministrando as oficinas, todos eles referência em música corporal. Na noite de sábado (26), o Canal da Música (Júlio Perneta, 695) recebe o belo show doGumboot Dance Brasil, festejando toda a riqueza e alegria contagiante da cultura afro.

No dia 27, às 11h, a Casa Hoffmann recebe a Baticum Session, uma vivência coletiva pelo universo da música corporal, com entrada franca.

Para saber de tudo, basta acompanhar a programação no perfil do evento no instagram. Para os shows pagos, os ingressos, a preços populares de R$15 e 7,50, estão disponíveis pelo Sympla.

Baticum é um projeto realizado com recursos do programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura de Curitiba, com o incentivo do Colégio Positivo

Serviço:

O que: Baticum – Festival de música Corporal

24/11 (quinta): 20h     Show Fato, no            Teatro Cleon Jacques. R$15 e R$7,50

25/11 (sexta)  20h, Show Professores, no   Teatro Cleon Jacques. R$15 e R$7,50

26/11 (sábado), 20h,  Show Gumboot Dance, no    Canal da Música.  R$15 e R$7,50

27/11 (domingo),11h, Baticum Session, na  Casa Hoffman. Gratuito (retirar convite uma hora antes da apresentação)

Informações e ingressos: linktr.ee/festivalbaticum

https://www.instagram.com/festivalbaticum/