domingo, dezembro 3, 2023
spot_img
InícioNotíciasPolíticaAssembleia Legislativa promove e reconhece valores do jiu-jítsu no Paraná - De...

Assembleia Legislativa promove e reconhece valores do jiu-jítsu no Paraná – De olho nos deputados


Com o propósito de reconhecer, valorizar, fomentar e divulgar o jiu-jítsu, além de promover as potencialidades desse esporte no enfrentamento das questões de exclusão e vulnerabilidade social, a Assembleia Legislativa do Paraná reuniu atletas, professores, mestres e entusiastas da modalidade para uma homenagem.

A Sessão Solene para comemorar o Dia do Jiu-Jítsu foi proposta pelo líder do Governo no Legislativo, deputado Hussein Bakri (PSD). Ele é o autor da Lei Estadual nº 20. 646/2021, que inseriu o dia 30 de agosto no Calendário Oficial do Estado, em alusão à modalidade.

“O esporte sempre tem de ser valorizado nas suas diversas modalidades. E o jiu-jítsu é uma das que mais cresce no Brasil, atraindo muitos praticantes. Então, o objetivo é dar luz a essa prática e ao mesmo tempo incentivar, fortalecer os praticantes, as escolas, os projetos sociais que tratam do jiu-jítsu, para que se sintam prestigiados aqui na Casa de Leis, com capilaridade para o Estado inteiro. O reconhecimento faz bem para a alma”, afirmou o parlamentar.

“E, além disso, também colocar a Assembleia à disposição deles para eventuais leis que possam melhorar o dia a dia do esporte, para ações em parceria com o Governo do Paraná, onde é possível captar recursos junto à Copel, Sanepar, à Fomento Paraná, por exemplo. Oportunidades que muitas vezes passam desapercebidas aos olhos de quem trabalha com o esporte”, acrescentou Hussein Bakri. Ele relembrou que começou sua trajetória como atleta de futsal, que ajudou a moldar sua vida e caráter.

“É um dia muito especial, de homenagem ao jiu-jítsu, uma modalidade tão importante nos esportes de combate por todo o seu histórico. Parabenizar a Assembleia por valorizar as questões do esporte. O jiu-jítsu é prestigiado em todos os eventos aqui no estado do Paraná, como agora no torneio internacional de Jiu-Jítsu, neste fim de semana, no ginásio do Tarumã. O Tarumã que sempre está de portas abertas e é o maior palco do esporte paranaense. Além disso, a gente está proporcionando aulas gratuitas em um projeto embrionário do Estado”, explicou o diretor de fomento da Secretaria de Esportes do Paraná, Clésio Prado.

“Parabéns aos técnicos, professores, atletas e pais, que também devem ser sentir homenageados por incentivarem seus filhos nesta prática que desenvolve o físico e a mente. É uma das artes marciais mais bonitas, pois agrega valores às crianças”, discursou o secretário municipal de Esporte Lazer e Juventude, Carlos Eduardo Pijak Jr.

“Não somos academias de lutas, mas escolas de jiu-jítsu que formam crianças, jovens e cidadãos. No próximo ano, vamos trazer seis eventos internacionais, transformando Curitiba na capital do jiu-jítsu no Brasil. Isso é muito bom para a cidade, o estado e a modalidade”, avaliou o presidente da Federação de Jiu-Jítsu do Paraná, Sebastian Augusto Lalli.

“O esporte, como o jiu-jítsu, ajuda que os jovens não sigam um caminho errado, da criminalidade e das drogas. Sou praticante de jiu-jítsu, modalidade que incentiva a hierarquia, disciplina e equilíbrio”, disse o delegado Leonardo Carneiro, no evento representando o Secretário de Estado da Segurança Pública, Hudson Teixeira.

“Fica aqui os parabéns aos entusiastas, atletas e também aos profissionais de educação física que trabalham com essa modalidade, que promove ética, respeito e integridade”, acrescentou o Marcelo Hagebock, representando o Conselho Regional de Educação Física.

“Comecei aos 11 anos e hoje, com 17, acho que esta homenagem é mais um degrau que estou alcançando na vida, para continuar firme e com mais foco para que um dia possa ser campeã mundial”, espera a estudante Kauane Lima, uma das homenageadas

Histórico

Segundo a justificativa da Lei, o jiu-jítsu, ou arte suave, nasceu na Índia e era praticado por monges budistas. Preocupados com a autodefesa, eles desenvolveram uma técnica baseada nos princípios do equilíbrio, do sistema de articulação do corpo e das alavancas, evitando o uso da força e de armas.

Com a expansão do budismo, o jiu-jítsu percorreu o Sudeste asiático, China e finalmente, chegou ao Japão, onde se desenvolveu e popularizou. A partir do final do século XX, alguns mestres do jiu-jítsu migraram do Japão para outros continentes, vivendo do ensino da arte marcial e das lutas que realizavam.

Entre eles, Mitsuyo Maeda. Seu nome é importante na história do jiu-jítsu brasileiro, pois foi quem introduziu a arte marcial, tendo sido o professor de Carlos Gracie. Gracie, anos mais tarde, criaria o jiu-jítsu brasileiro. O estilo nacional se popularizou por todo o mundo, inclusive no Japão, sendo considerado um esporte de combate de luta e autodefesa.

Segundo o IBGE, hoje há no Brasil 2,8 milhões de praticantes. No Paraná, a Federação Paranaense do Jiu-Jitsu Brasileiro nasceu em 2011, como forma de organizar o esporte no estado.

O texto também cita que a Federação Paranaense conta com aproximadamente 200 agremiações filiadas e um número superior a sete mil atletas federados. A estimativa é que, incluindo os atletas não filiados, o estado conte com 25 mil praticantes, tornando uma referência no esporte.



Leia mais informações no site da Alep

MATÉRIAS RELACIONADAS
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img

As últimas do Busão