Anvisa certifica farmacêutica chinesa que desenvolveu CoronaVac

A Sinovac, fábrica que desenvolveu a vacina CoronaVac contra o novo coronavírus, em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, recebeu a certificação de boas práticas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A resolução foi publicada pela Anvisa nesta segunda-feira (21) no Diário Oficial da União, tem validade de dois anos e diz respeito à linha de produção do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) – matéria-prima para a produção do imunizante e de produtos estéreis usados na formulação.

“A etapa finalizada é um dos pré-requisitos para a continuidade do processo de registro da vacina da Sinovac e de um eventual pedido de autorização”, ressaltou a agência, em nota divulgada na noite de ontem. O pedido de registro, no entanto, depende da divulgação de resultados sobre a eficácia da vacina pelo Butantan, o que deve ocorrer amanhã (23), segundo a agência.

Histórico

A certificação da farmacêutica chinesa foi dada a cerca de 10 dias antes do prazo previsto inicialmente. Antes de conceder o documento, uma equipe de técnicos da agência foi a Pequim, na China, fazer inspeção em uma fábrica da Sinovac para avaliar a qualidade da linha de produção. Após a visita , que ocorreu entre os dias 30 de novembro e 4 de dezembro, foi encaminhado um relatório à Sinovac e ao Instituto Butantan com as conclusões.

“O plano de ação foi enviado pelo Instituto Butantan para a Anvisa na última quarta-feira (16). Já a avaliação técnica da equipe inspetora e a revisão técnica foram realizadas e concluídas no final desta semana. Assim, foram antecipados em cerca de 10 dias da previsão inicial a publicação da decisão sobre a certificação”, informou a Anvisa.

Oxford

Na mesma viagem à China, os técnicos da Anvisa também inspecionaram a fábrica que produzirá a matéria-prima que será enviada ao Brasil para a produção da vacina de Oxford/AstraZeneca, pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Nesse caso, a certificação deve sair até o início de janeiro, segundo a agência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná volta a ter mais de seis mil casos em 24 horas e confirma 294 mortes pela covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quarta-feira (16) mais 6.351casos confirmados e 294 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.156.632 diagnósticos e 28.683 óbitos.

Os casos confirmados divulgados nesta quarta-feira são de janeiro (261), fevereiro (191), março (627), abril (632), maio (563) e junho (3.606) de 2021, e dos seguintes meses de 2020: março (1), abril (10), maio (5), junho (32), julho (70), agosto (105), setembro (27), outubro (23), novembro (63) e dezembro (135).

INTERNADOS – O informe relata que 2.717 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 2.032 em leitos SUS (957 em UTI e 1.075 em enfermaria) e 685 em leitos da rede particular (363 em UTI e 322 em enfermaria).

Há outros 3.092 pacientes internados, 1.163 em leitos UTI e 1.929 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão na rede pública e rede particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 294 pacientes. São 117 mulheres e 177 homens, com idades que variam de 19 a 100 anos. Os óbitos ocorreram de 29 de junho de 2020 a 15 de junho de 2021.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (38), Foz do Iguaçu (33), Telêmaco Borba (12), Londrina (9), Maringá (8), Ponta Grossa (8), Guarapuava (7), Paranaguá (7), Ibaiti (6), Medianeira (6), Arapongas (5), Paranavaí (5), Campina da Lagoa (4), Fazenda Rio Grande (4), Nova Olímpia (4), Santo Antônio da Platina (4), Campo Mourão (3), Cascavel (3), Colombo (3), Faxinal (3), General Carneiro (3), Paraíso do Norte (3), Pato Branco (3), Pinhais (3), Rolândia (3), Santa Helena (3), Almirante Tamandaré (2), Apucarana (2), Araucária (2), Bituruna (2), Cambira (2), Campo Magro (2), Cruzeiro do Oeste (2), Engenheiro Beltrão (2), Francisco Beltrão (2), Imbaú (2), Japurá (2), Mandaguaçu (2), Maripá (2), Palmas (2), Pinhão (2), Piraí do Sul (2), São José dos Pinhais (2), Tibagi (2), Toledo (2), Tomazina (2) e Umuarama (2).

A Secretaria da Saúde registra, ainda, a morte de uma pessoa em cada um dos seguintes municípios: Altamira do Paraná, Alto Paraná, Bandeirantes, Barracão, Bom Sucesso, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Cianorte, Cidade Gaúcha, Conselheiro Mairinck, Cornélio Procópio, Coronel Vivida, Cândido de Abreu, Dois Vizinhos, Florestópolis, Guairaçá, Guaraqueçaba, Guaratuba, Honório Serpa, Imbituva, Irati, Itapejara D’Oeste, Ivaiporã, Jaguariaíva, Jardim Alegre, Joaquim Távora, Laranjeiras do Sul, Mandaguari, Marilena, Marilândia do Sul, Matelândia, Moreira Sales, Nova Esperança, Nova Londrina, Nova Prata do Iguaçu, Paiçandu, Palmital, Paula Freitas, Pinhalão, Piraquara, Planaltina do Paraná, Pontal do Paraná, Pérola, Quatiguá, Quinta do Sol, Rebouças, Reserva, Rio Branco do Ivaí, Rondon, Sabáudia, Santa Fé, Serranópolis do Iguaçu, Siqueira Campos, São José da Boa Vista, São João, São João do Caiuá, São Mateus do Sul, Tamarana, Tapejara, Ubiratã, União da Vitória e Uraí.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento registra 6.334 casos de residentes de fora do Estado, sendo que 164 pessoas foram a óbito.

Confira o informe completo.

Governo divulga calendário de vacinação contra a Covid-19 para população em geral

O Governo do Estado divulgou nesta quarta-feira (16) o calendário de vacinação contra a Covid-19 para população geral acima de 18 anos. Segundo o levantamento da Secretaria de Estado da Saúde, 3.804.025 paranaenses deste grupo devem tomar pelo menos a primeira dose do imunizante até 30 de setembro.

“Vamos vacinar toda a população do Paraná com pelo menos uma dose até o final de setembro, criando uma imunização importante para proteger as famílias paranaenses. O compromisso do Estado com o apoio dos municípios é acelerar a vacinação e fazer com que a vacina chegue até o maior número de pessoas, no menor tempo possível”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior. 

anúncio formal foi feito pelo governador na segunda-feira (14). A expectativa leva em consideração a manutenção do cronograma do governo federal. Ao todo, 8.736.014 paranaenses devem ser imunizados.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, o calendário foi definido a partir da média de envio de ao menos um lote de vacinas por semana ao Estado, por parte do Ministério da Saúde, além da oferta de mais um imunizante, com o envio da vacina da Janssen ao Paraná. A programação do governo federal foi publicada na semana passada.

DATAS – Segundo o calendário do Paraná, a vacinação deve acontecer em ordem decrescente, sucessiva e concomitante com a imunização dos grupos prioritários (conjunto estimado em 4.931.989 pessoas). O Paraná iniciou a imunização da população geral no dia 4 de junho, começando com as idades de 58 a 59 anos.

Na última segunda-feira o Estado abriu a imunização para pessoas acima de 40 anos, visto que alguns municípios já registram aplicações de doses em faixas etárias menores, devido ao número de doses disponíveis em cada cidade e a procura pelo imunizante.

As datas serão as seguintes:

4 de junho a 18 de julho – 59 a 40 anos (fase já iniciada);

19 de julho a 22 de agosto – 39 a 30 anos;

23 de agosto a 19 de setembro – 29 a 20 anos;

20 a 30 de setembro – 19 e 18 anos.

ORIENTAÇÃO – A Secretaria orienta que os municípios devem definir estratégias próprias para cobertura vacinal, podendo expandir a imunização para outras idades, de acordo com a disponibilidade de doses. “Cada cidade deve atuar de acordo com a sua realidade. Se o município tem dose disponível e já finalizou os grupos prioritários em andamento, ele pode pactuar essa diminuição de faixa etária e expandir a imunização para mais pessoas. O pedido do governador Ratinho Junior é acelerar a vacinação”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.