Ampliação de shopping vai gerar 1,5 mil novos empregos na cidade

Nesta sexta-feira (21/2), o prefeito Rafael Greca recebeu o vice-presidente institucional da empreendedora Multiplan, Vander Giordano, e a superintendente do ParkShopping Barigui, Jacqueline Vieira de Lemos. Eles entregaram o convite para o lançamento da terceira fase de expansão do shopping do Mossunguê, que acontece no dia 10 de março.

Durante a fase de obras serão gerados 500 empregos diretos e, após a conclusão da ampliação, serão 1.000 empregos diretos e indiretos.

“Nós vemos com muito entusiasmo a ampliação do ParkShopping Barigui. A Curitiba de 2020 a 2050 vai se desenvolver muito nessa região, com o surgimento de novos bairros e empreendimentos”, disse Greca.

A Multiplan vai investir R$ 250 milhões na maior expansão já feita no ParkShopping, que ganhará mais de 15 mil² –  8.571 m² para as 75 novas lojas, o Centro Médico com 4.780 m² e o Centro de Eventos com 1.800 m². O ParkShopping terá também duas salas VIP de cinema, uma arena permanente de patinação no gelo e o Park Gourmet, com novos restaurantes e cafés.

“O ParkShopping hoje é um grande hub social, concentra serviços e desafoga a cidade”, disse Giordano.

A previsão é entregar as obras em maio de 2021. O novo andar foi projetado para ser um boulevard suspenso, com amplos corredores e vários pontos de encontro. 

O centro de eventos terá infraestrutura para receber shows, peças de teatro, exposições, festas e convenções. Um dos destaques do projeto é o Centro Médico, que terá 22 especialidades. 

O projeto da expansão inclui ainda a implementação do Parque Viva Barigui, um corredor ecológico ao lado do Rio Barigui.

Participaram da reunião o secretário do Governo Municipal, Luiz Fernando Jamur; a chefe de gabinete do prefeito, Cibele Fernandes Dias; a secretária municipal da Comunicação Social, Mônica Santana; o assessor de comunicação da Multiplan, Sergio Wesley; e o diretor regional da Multiplan, Marco Jardim.

Via: Prefeitura de Curitiba

Deixar animais soltos em ruas e praças pode gerar multa de até R$ 2 mil em Curitiba

Projeto de lei que reforça punição à maus-tratos foi aprovado em 1º turno na Câmara Municipal.

Os vereadores de Curitiba aprovaram nesta quarta-feira (16), por unanimidade e em 1ª discussão, o projeto de lei que, entre outras coisas, estabelece multa de R$ 200 a R$ 2 mil para quem abandonar animais em ruas e espaços públicos. O projeto modifica  modifica lei já existente e amplia as práticas consideradas como crime de maus-tratos a animais.

A proposta da vereadora Katia Dittrich (Solidariedade) lista 24 ações ou omissões como maus-tratos, o dobro do que previa a lei de 2011. Entre os novos comportamentos que caracterizam o crime, o mais significativo é o de abandono.

“Deixar o animal solto em vias e logradouros públicos” como diz o texto do projeto, vai passar a doer no bolso, com multas de até R$ 2 mil no caso de flagrante ou denúncia comprovada. As medidas seguem a linha de projeto semelhante porém ainda mais rigoroso e que prevê responsabilização criminal, aprovado no Senado Federal na semana.

Outros dois pontos polêmicos do projeto são a proibição expressa de ‘passeios’ desacompanhados e abandono de animais idosos ou doentes. No primeiro caso está prevista responsabilização dos tutores com multa, pelo risco do animal sofrer ou causar acidentes, além de permitir uma possível cria indesejada” e no segundo uma característica de agravante ao crime de maus-tratos, pela vulnerabilidade dos bichos.

Para entrar em vigor, o projeto precisa ser aprovado em 2ª discussão para depois ser sancionado ou não pelo prefeito.  Caso seja sancionada, a lei então terá um prazo para regulamentação.

Informações Banda B.

Sérgio Moro recebe carteira da OAB e abre escritório em Curitiba

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência.

O ex-juiz federal que conduziu a Lava Jato e colecionou desafetos entre alguns criminalistas vai atender sua futura clientela em um endereço de Curitiba, base e origem da maior operação já desencadeada no País contra a corrupção.

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência. Levando em consideração a data em que anunciou sua renúncia e acusou o presidente de suposta tentativa de interferência na Polícia Federal, 24 de abril, a quarentena do ex-juiz terminará no fim de outubro.

Informações Banda B.