domingo, março 3, 2024
spot_img
InícioSem categoriaAlergias, vacinas e gravidez: quais situações impedem a realização de procedimentos estéticos...

Alergias, vacinas e gravidez: quais situações impedem a realização de procedimentos estéticos faciais?

A saúde do paciente é o primeiro quesito a ser levado em consideração quando se fala em procedimentos estéticos faciais. Antes da realização de qualquer intervenção, é de suma importância que o profissional realize uma anamnese detalhada. Essa etapa envolve a coleta de informações sobre a saúde, histórico médico e desejos estéticos do paciente antes do início do planejamento do que será feito.

“É a anamnese que vai decidir se o paciente está apto ou não a realizar o procedimento”, explica Luise Albuquerque, dentista especialista em harmonização orofacial. Por meio dela, é possível descobrir se o paciente possui alguma alergia ou outros contra indicativos à execução dos procedimentos. “Doenças autoimunes, dificuldades na cicatrização, uso de medicamentos controlados. Todos esses fatores são levantados através da anamnese, e determinam a conduta pré e pós-intervenção”, destaca Luise.

Existem ainda algumas situações que impedem a realização de qualquer procedimento facial, como a gravidez. “Durante o período da gestação, em função da segurança da mãe e do bebê, todo tratamento deve ser suspenso”, pontua a profissional. A aplicação de vacinas recentes também é outro fator determinante que pode causar a suspenção temporária de intervenções estéticas, já que a baixa da imunidade causada pela vacina pode trazer complicações. “Além de alterar a imunidade, vacinas como a antitetânica confrontam o componente de ação da toxina botulínica, anulando seu resultado. Nestes casos, o ideal é aguardar 6 meses após a vacina antes da aplicação da toxina”, esclarece Luise.

Alergias a anestésicos e medicamentos também são identificados através da anamnese, facilitando a substituição por outros ativos que não causem reações no paciente. “Existem ainda alguns casos específicos, como alergias à picada de abelha, que devem ser levadas em consideração caso algum dia seja realizada a remoção de preenchedores faciais. Alergias à albumina, proteína presente no ovo, irão determinar o típico de toxina botulínica aplicada”, acrescenta a profissional.

A especialista completa salientando que por esses e outros motivos a comunicação paciente-profissional é tão imprescindível. “É importante sempre buscar profissionais que se preocupem com um levantamento detalhado de todas as informações do paciente antes do início de qualquer tratamento. Mais do que buscar beleza, o profissional deve priorizar a saúde”, finaliza.

Para conhecer mais sobre o trabalho da especialista, acesse o perfil oficial da profissional no Instagram: @dra.luisealbuquerque.

MATÉRIAS RELACIONADAS
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img

As últimas do Busão