domingo, setembro 24, 2023
spot_img
InícioCuritibaAinda dá tempo de levar cães e gatos para mutirão de castração...

Ainda dá tempo de levar cães e gatos para mutirão de castração gratuita


Quem mora nas regionais Portão, Matriz e CIC ainda pode aproveitar os mutirões que a Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba está realizando nessas regiões. Foram disponibilizadas 5 mil vagas gratuitas nesta etapa.

Para ter acesso ao benefício, os tutores podem realizar a inscrição NESTE SITE da Rede de Proteção Animal, da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA). Podem participar do mutirão, cães e gatos de ONGs, protetores independentes e tutores dos bairros elegíveis, com animais de 5 meses a 8 anos.

 

Mutirões vão até dia 8 de setembro

As castrações são realizadas na unidade móvel, começaram no dia 28 de agosto e vão até o dia 8 de setembro, das 8h às 17h.
Na CIC, as cirurgias são feitas no Parque dos Tropeiros. O endereço é Rua Maria Lúcia Locher de Athayde, 8.444, esquina com a Rua Thereza Slongo Furlan, bairro São Miguel.

Nas regionais Matriz e Portão, as cirurgias são realizadas no pátio da Primeira Igreja Batista de Curitiba, campus Parolin (Rua Professor Plácido e Silva, 860, Parolin). O bairro foi escolhido pela SMMA para atender a comunidade que vive no Parolin, o principal foco da ação.

Ajuda para fazer a inscrição

De acordo com a veterinária Ana Júlia Santos, que supervisiona o mutirão no bairro Parolin, até agora já passaram por cirurgia cerca de 350 animais.

Para incentivar que mais tutores garantam a castração dos seus pets, a equipe está ajudando quem não tem acesso a computador ou internet a realizar a inscrição.

“Basta que a pessoa venha até nós e forneça o número do CPF e telefone. Deixando bem claro que não fazemos a cirurgia no mesmo dia da inscrição, até porque existem os cuidados pré-operatórios que precisam ser respeitados”, explicou Ana Júlia.

 

Apoio da igreja

No Parolin, além da assistência da equipe da SMMA, os tutores também recebiam atenção dos integrantes da Primeira Igreja Batista.

“Nós disponibilizamos o nosso espaço porque isso faz parte do nosso objetivo como igreja de cuidar das pessoas integralmente. A comunidade do Parolin gosta muito de animais e é importante dedicar este cuidado a eles, já que os pets também são parte da família”, disse Célia Sayama, obreira de projetos sociais da igreja.

Tutores conscientes

Podem participar do mutirão, cães e gatos de ONGs, protetores independentes e tutores dos bairros elegíveis, com animais de 5 meses a 8 anos. Os interessados devem estar com os cadastros em dia junto à Rede de Proteção Animal e atender aos requisitos de participação.

Ana Cristina Furtado dos Santos, moradora do bairro Fanny, levou o cachorro Kiko para ser castrado. “Eu espero que exista uma mudança no comportamento porque ele é muito agitado. O objetivo também é evitar que ele tenha filhos”, disse.

Para Isadora Marques, tutora do Ozzy, um ativo terrier de 4 anos, o importante é garantir a boa saúde do pet. “Resolvi fazer a castração para prevenir doenças e assim dar mais qualidade de vida para ele”, disse.

A família de Guilherme Henrique Jeremias, morador no Parolin, gosta muito de animais. Na casa dele são três: as cadelas Amora, Lila e o macho Popotinho, todos sem raça definida. Mas agora que a família está completa, eles não querem mais filhotes.

“Trouxe a Amora para a castração porque ela já teve duas crias e não temos condições de cuidar de mais animais”, disse o tutor.

Prevenção de doenças

Além de prevenir gestações indesejadas, a castração também previne doenças como o câncer nos pets. A castração também é um agente importante para preservar a saúde dos tutores e das pessoas em geral que têm contato com animais.

Gatos não castrados, por exemplo, podem contrair doenças devido a brigas com rivais ou por disputa de território. Com este comportamento eles podem contrair doenças, como a esporotricose, um fungo que é transmitido do gato infectado para outros gatos e até para as pessoas, principalmente por arranhões e mordidas.

Procuração eletrônica

Para atender à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e resoluções do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o site da Rede de Proteção Animal permite indicar quem será o acompanhante do animal no dia da cirurgia, se o responsável não puder comparecer.

Além da legislação, todos os animais atendidos pelo programa recebem microchip eletrônico de identificação, com código exclusivo vinculado aos dados do cidadão responsável pelo animal.

Animais sob os cuidados de protetores ficam com seus dados vinculados ao que levam para castração até que sejam devidamente transferidos ao novo responsável quando adotados. 

Programa municipal

Desde 2017, a Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba promove, entre outras atividades, as ações de castração de animais como política pública para promoção da saúde única e evitar o abandono de crias indesejadas. Desde então, mais de 102,5 mil cães e gatos foram beneficiados pelo Programa Municipal de Castração Gratuita.

Orientações para castração
– Deixe seu animal em jejum pelo tempo adequado (8 horas sem comer e 6 horas sem beber água) antes da cirurgia, caso não esteja em jejum ele não poderá ser castrado. Certifique-se de que o animal não saia para buscar alimento na rua.
– Os cães devem ser levados na coleira e guia para evitar brigas com outros animais. Animais de porte médio e grande devem estar com focinheira.
– Os gatos deverão estar contidos, preferencialmente acomodados em caixas de transporte. 
– O animal será avaliado no dia e, caso apresente alguma alteração, não passará pela cirurgia.
Pós-operatório:
– Siga rigorosamente as orientações passadas pela equipe no dia da castração.
– Após a cirurgia o animal deverá ficar preso no quintal/casa, de preferência com supervisão e esse local deve ser limpo e com abrigo, com água e comida disponíveis.
– Cuidado com os pontos da cirurgia para que não haja infecção (não permitir que o animal lamba) ou ruptura (manter em local que ajude a evitar esforços e pulos)
– Trazer cobertor para a retirada do animal e mantê-lo em monitoramento com temperatura adequada no pós-operatório imediato.
 



Leia a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

MATÉRIAS RELACIONADAS
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img
- Publi -spot_img

As últimas do Busão