A teoria do 7 nos animes

1 – As 7 Esferas do Dragão – Dragon Ball

As Esferas do Dragão são esferas mágicas que estão espalhadas pelo mundo. Quando todas são reunidas, se o portador souber as palavras mágicas, são usadas para invocar o dragão Shen Long que realiza um desejo (com alguns limites). Depois do desejo ser concedido, as esferas transformam-se em pedra e espalham-se pelo planeta, ficando impossíveis de serem usadas e detectadas durante um ano.

a teoria dos 7 nos animes
Dragon Ball

2 – Shichibukai – One Piece

Sucesso de audiência, One Piece é uma série da JUMP que mostra as aventuras de um grupo de piratas, cujo capitão quer se tornar o Rei dos Piratas, encontrando o One Piece. Dentro da série, a força do mundo é dividida em 3 poderes: a Marinha, os Shichibukais e os Yokos. Os Shichibukai são 7 poderosos piratas que trabalham para o governo mundial, em troca do encerramento da perseguição e recompensa. São usados para dar equilíbrio na disputa de poder entre a Marinha e os Youkos. O nome faz alusão ao filme de Akira Kurosawa, “Os 7 Samurais”, e cada membro foi associado a um animal:
Juraquille Mihawk – Falcão, Donquixote Doflamingo – Flamingo, Bartholomeu Kuma – Urso, Boa Hancock – Cobra, Jimbei – Tubarão Baleia, Gecko Moria – Lagarto, e Sir Crocodile – Crocodilo.

a teoria dos 7 nos animes
Shichibukai – One Piece

3 – Homunculus – Full Metal Alchemist

Depois de uma transmutação humana mal sucedida, os irmãos Elric se aventuram pelo munda atrás de uma solução a fim de recuperar seus corpos. Dentro desta jornada os irmãos encontram um grupo de vilões conhecidos como homunculous, que ganharam vida graças aos poderes da pedra filosofal (um dos grandes objetivos dos irmãos). Cada um dos homunculus é representado por um dos 7 pecados capitais. Cada um possui sua própria personalidade associada a um pecado:
Pride (Orgulho), Lust (Luxúria), Gluttomy (Gula), Wrath (Ira), Sloth (Preguiça), Envy (Inveja) e Gride (Ganância).

a teoria dos 7 nos animes
Homunculus – Full Metal Alchemist

4 – Generais de Poseidon – Cavaleiros do Zodíaco

Sucesso mundial, a série Os Cavaleiros do Zodíaco conta a aventura dos cavaleiros de Bronze que lutam pela paz na Terra em nome da Deusa Athena. Entre as várias sagas da série, temos a saga do Deus Poseidon, que possui 7 Generais ao seu comando. Cada um deles representa um dos 7 mares e protege um pilar. São eles:
Kanon de Dragão Marinho (Atlântico Norte), Sorento de Sirene (Atlântico Sul), Baian de Cavalo Marinho (Pacífico Norte), Io de Scylla (Pacífico Sul), Krishna de Chrysaor (Índico), Isaac de Kraken (Ártico) e Kaza de Lyumnades (Antártico).

a teoria dos 7 nos animes
Generais de Poseidon – Cavaleiros do Zodíaco

5 – Saga do Capítulo Negro – Yu Yu Hakusho

Yusuke Urameshi é um detetive espiritual que na saga do Capítulo Negro tem que enfrentar o Shinobu Sensui, um ex-detetive espiritual que enlouquece ao observar a maldade da humanidade e tenta destruir a mesma. Para cumprir seu plano ele recruta 7 pessoas com poderes sobrenaturais. Cada membro possui um apelido e um poder diferente:
Shinobu Sensui (Dark Angel), Itsuki (Gate Keeper), Minoru Kamiya (Doctor), Kiyoshi Mitarai (Seaman), Sadao Makihara (Gourmet), Kaname Hagiri (Sniper) e Tsukihito Amanuma (Game Master).

a teoria dos 7 nos animes
Saga do Capítulo Negro – Yu Yu Hakusho

6 – Grimoire Heart – Fairy Tail

Nas aventuras do grupo Fairy Tail, eles tem que enfrentar o grupo de Grimoire Heart que é considerado o grupo maligno mais forte. O grupo possui vários membros, e entre eles se destacam os 7 membros mais fortes: os Sete Parentes Do Purgatório. Cada um possui uma habilidade única de uma Magia Perdida. São eles:
Rustyrose, Ultear, Zancrow, Kain Hikaru, Caprico, Meredy e Azuma.

a teoria dos 7 nos animes
Grimoire Heart – Fairy Tail

7 – A série que mais tem 7 – Katekyo Hitman Reborn

Katekyo Hitman Reborn é uma série da Shonen Jump que apresenta as aventuras de uma família da Máfia. Essa é a série que mais tem a referência ao número 7. Praticamente tudo traz algo com o número 7:

7 membros da família Vongola, 7 anéis Vongola, 7 membros da familia Marea, 7 anéis Marea, 7 membros da familia Shimon, 7 membros da Varia, 7 Arcobalenos, 7 chupetas dos Arcobalenos, 7 atributos do céu (céu, sol, chuva, névoa, nuvem, tempestade, trovão), 7 cores representando cada atributo do céu (vermelho/tempestade, laranja/céu, amarelo/sol, verde/trovão, azul/chuva, azul anil/névoa, violeta/nuvem) e 7 atributos da terra.

a teoria dos 7 nos animes
A série que mais tem 7 – Katekyo Hitman Reborn

Post do incrível Rogerio Ramos! Salve, Shinobi Spirit!

Câmara de Curitiba aprova suspensão de reajuste e limita correção do IPTU em 2022

O projeto da Prefeitura que adia a revisão da Planta Genérica de Valores e garante que o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) não sofra reajuste em 2022 foi aprovado, por unanimidade, nesta segunda-feira (06/12) em primeiro turno na Câmara Municipal de Curitiba (CMC). A proposta, que recebeu 38 votos favoráveis, será votada em segundo e último turno nesta terça-feira (07/12).

Confirmada a aprovação, a atualização da Planta Genérica de Imóveis fica adiada para outubro de 2022, sendo que o reajuste que será aplicado valerá para 2023.

Dessa forma, os reajustes que estavam em vigor nos últimos anos, de 4% para imóveis residenciais, e de 7% para terrenos (mais a inflação), não serão praticados no IPTU 2022, que terá apenas a correção pela inflação, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

A revisão da Planta Genérica de Valores atualizaria o valor venal dos imóveis da cidade, de acordo com o mercado. Com isso a cobrança do IPTU poderia variar acima da inflação para aqueles imóveis com valor venal defasado.

“A atual pandemia de Covid-19 teve repercussão no campo econômico, diminuindo a renda de muitas famílias e a receita de muitas empresas, que foram obrigadas a paralisar suas atividades. Fazer essa correção, neste momento, traria inúmeros prejuízos para população”, diz a mensagem da Prefeitura no projeto.

A revisão da Planta Genérica é prevista pela legislação. A Lei Complementar nº 40, de 18 de dezembro de 2001 determina, no § 2º do art. 36, que o Poder Executivo deve encaminhar ao Poder Legislativo, até o dia 15 de outubro do primeiro ano do mandato, projeto de lei com proposta de atualização dos valores unitários de metro quadrado de construção e de terrenos, constantes na Planta Genérica de Valores Imobiliários

No entanto, a valorização imobiliária observada nos últimos quatro anos e a entrada em vigor da nova Lei de Zoneamento, em agosto de 2020, provocaram consideráveis alterações na ocupação urbana, com reflexos diretos no valor venal dos imóveis na capital.

Vai soltar fogos de artifício em Curitiba? Saiba o que é permitido na cidade

Apenas efeitos visuais, sem estampido. Esse deve ser o cenário das festas de fim de ano em Curitiba, pelo segundo ano consecutivo de vigência da lei que proíbe o uso de fogos de artifício com efeitos sonoros na cidade. O consumidor que estiver pensando em adquirir o material para as comemorações, deve estar atento. 

Podem ser usados na capital paranaense fogos de artifício com efeitos de cores, os ditos luminosos, que produzem efeitos visuais sem tiro (fogos de vista, sem estampido). 

“É importante lembrar que a comercialização de fogos com efeito de tiro não é proibida. As lojas fazem a sua parte orientando o consumidor, que deve estar consciente na hora da compra”, explica o superintendente de Controle Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Marcos Traad. 

A orientação por parte do comércio é uma exigência do mais recente decreto que regulamenta a norma. Ações de fiscalização do município vem acontecendo neste caráter informativo, informa a diretora de Pesquisa e Monitoramento da Secretaria do Meio Ambiente, Erica Mielke. 

“As lojas receberam cartazes com as informações para que o consumidor não fique em dúvida”, reforça. Também é necessário que o estabelecimento mantenha o cadastro dos compradores, informando o tipo de produto adquirido, data, local e horário previsto da soltura. 

Esforço conjunto

Além de distribuir os folhetos informativos, manter a legislação visível e orientar o consumidor, a Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifício do Paraná (Aincofapar) criou selos que diferenciam os dois tipos de fogos para facilitar a identificação na prateleira. O verde está presente nos produtos com uso liberado em Curitiba e o vermelho, nos que não podem ser soltos na cidade.

O presidente da entidade, Rodolpho Aymoré Junior, conta que o projeto é piloto e que os selos estão disponíveis aos associados. Ainda de acordo com ele, a Aincofapar tem uma lista para orientar a identificação, conforme a legislação municipal. “É uma espécie de homologação dos ‘fogos ecológicos’ que possuem uma frequência sonora menor e atendem aos requisitos da legislação”, comenta.

Para o consumidor que está na dúvida, Aymoré explica que os fogos sem estampido mantêm a beleza e a plasticidade, sem prejuízo nenhum ao evento. “Com a vantagem de poderem ser utilizados em qualquer cidade do Brasil”, acrescenta e alerta, ainda, para que a compra seja feita, sempre, por maiores de 18 anos, em lojas devidamente autorizadas.

O que diz a lei

As multas para o cidadão que fizer a soltura ou manuseio dos fogos proibidos variam de R$ 400 a R$ 100 mil, conforme a gravidade da infração. O comércio que não cumprir as normas de orientação e cadastro pode ter o alvará cassado.

Selos desenvolvidos para os produtos para facilitar a venda e orientar os consumidores sobre a legislação municipal. Curitiba, 06/12/2021. Foto: Levy Ferreira/SMCS.

A demanda é, principalmente, da proteção animal, mas também beneficia crianças, especialmente aquelas com Transtorno do Espectro Autista, e os idosos, que também sofrem com os barulhos dos fogos.

A lei foi uma proposta da Câmara Municipal, ainda em 2019, com a motivação, em especial, de proteger animais domésticos, a fauna silvestre, bebês e pessoas portadoras de transtornos do espectro autista. Quem flagrar a soltura de fogos com barulho na cidade, deve fazer a denúncia pela Central 156.