7 lugares para comer sanduíches “diferentões” em Curitiba

Sanduíches são sempre uma boa pedida a qualquer hora do dia. Prático e versátil, é ideal para matar aquela fome de forma rápida, sem deixar de lado, claro, o sabor. Em Curitiba, cidade conhecida nacionalmente por sua qualidade e versatilidade gastronômica, não faltam opções de endereço para quem busca um lanche rápido sem deixar de lado a excelência no preparo e os sabores irresistíveis.

Ficou com vontade de um bom sanduíche? Preparamos uma lista especial com 7 empreendimentos gastronômicos que apostam em lanches “diferentões” para quem ama o preparo.

 

James Hill: no empreendimento inaugurado recentemente em Curitiba, é possível encontrar cinco opções de sanduíches inspirados em clássicos internacionais. O grande destaque do cardápio é o “Toronto Bacon Ribs”, feito com pão de parmesão, costelinha suína, bacon, queijo, alface e maionese temperada. Mas não deixem de experimentas os incríveis “Memphis Cheese Steak”, “Mexican City Chipotle & Avocado”, “New York Chilli Dog” e “Roma Veggie Style”, preparado para os vegetarianos. O James Hill fica na Rua 24 Horas (Rua Visconde de Nácar – sem número). Os sandubas são vendidos com preços a partir de R$ 11,90.

 

Cookie Stories: Famosa por ser o primeiro empreendimento especializado em cookies do Brasil, a Cookie Stories (Rua Moysés Marcondes, 429 – Juvevê) também conta com cardápio de salgados. O Grilled Chesse é um sanduíche preparado com pão de leite servido com queijo gouda, cheddar e mozarela (R$ 14). Já a novidade do cardápio, o Croque Monsieur, também é feito com pão de leite e leva molho bechamel, presunto e queijo gruyere (R$ 18).

 

Café Zurich: um dos cafés mais tradicionais da cidade, o Café Zurich (Alameda Dom Pedro II, 255) também oferece diversas opções de sanduíches, entre eles o de linguiça Blumenau com queijo, tomate cereja confitado e manjericão (R$ 26,60) e a baguete com o tradicional fricassé de frango francês com aspargos ao molho branco e queijo (R$ 23).

 

New York Cafe: um ambiente descolado e aconchegante, onde o público tem a oportunidade de vivenciar o melhor da cozinha e da cultura nova-iorquina, noscafés especiais e no cardápio de sanduíches, que são preparados seguindo a tradição dos preparos norte-americanos. Experimente os sanduíches de pastrami e salmão, preparados com bagel da casa. O New York Cafe fica na Rua Gonçalves Dias (nº 151), no bairro Batel, um dos endereços mais tradicionais de Curitiba.

 

Bar Quermesse: mega tradicional na capital paranaense, o Bar Quermesse sempre apostou em preparos saborosos e fortemente identificados com a boemia, e é lógico que no empreendimento não faltam bons sanduíches. Destaque para o clássico pão com bolinho e para o Pão de Bêbado, preparado com miolo de alcatra ou frango, puxado na chapa com conhaque, servido no pão francês. O Quermesse fica na Rua Carlos Pioli (nº 479), no bairro Bom Retiro.

 

Hauer Shopping: point jovem de Curitiba, o Hauer reúne diversas operações gastronômicas, várias delas tendo sanduíches bem diferentes como estrela, entre elas os tradicionais CHō Street Food, Templo da Cerveja, South Bronx Bagel e Dom Kebab. No local, o público pode saborear vários preparos exclusivos com preços para todos os bolsos e receitas para todos os gostos, que seguem influências internacionais. O Hauer Shopping fica na esquina da Coronel Dulcídio com a Avenida do Batel, no Bairro Batel.

 

Sirène Fish & Chips: além do tradicional fish n´chips, o empreendimento oferece o delicioso Sandufish, um sanduíche exclusivo da casa preparado com peixe empanado, pão baguete, cebola caramelizada, molho tártaro e rúcula. O Sirène conta com quatro unidades na capital paranaense: Trajano Reis (nº 150), Vicente Machado (nº 632), Mercado Sal – Rua Itacolomi (n° 1515) e Pagu – Rua Conselheiro Carrão (nº 222).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba ilumina pontos turísticos de laranja pela prevenção ao câncer de pele

Nesta terça-feira (7/12), a Praça do Japão e a Torre de Cronometragem do Parque Náutico estarão iluminados de laranja, em alusão à adesão de Curitiba ao Dezembro Laranja, a campanha nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

A iluminação nesses locais foi feita para essa segunda-feira (6/12) e hoje ainda pode ser contemplada pela população. O objetivo é chamar a atenção dos curitibanos sobre a importância do diagnóstico e do tratamento precoce, além de orientar sobre os cuidados que devem ser incorporados à rotina diária.

O câncer de pele é o tipo de neoplasia mais incidente no Brasil, com cerca de 180 mil novos casos ao ano. Em Curitiba, dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam a projeção de 1.820 novos casos por ano. A boa notícia é que a maior parte, 95%, é do tipo não melanoma, menos agressivo. Além disso, quando descoberto no início, tem mais de 90% de chances de cura.

“Por isso é importante que a população fique atenta aos sinais e sintomas, e procure logo um serviço de saúde”, afirma a dermatologista do Centro de Especialidades de Santa Felicidade da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Simone Viola Ampuero Gehlen.

Prevenção

De acordo com a médica, a orientação é para que as pessoas fiquem atentas a lesões na pele que não cicatrizam, principalmente nas áreas que comumente ficam expostas ao sol. Sangramentos e pruridos neste tipo de lesões também são sinais de alerta. Segundo Simone, é importante observar pintas com mudança na cor e bordas irregulares.

Em qualquer um desses casos, a orientação é procurar o mais breve possível, um serviço de saúde, para uma avaliação. No SUS Curitibano, a porta de entrada é a unidade de saúde. Caso seja necessário, a unidade faz o encaminhamento do paciente para um especialista.

Além de observar os sinais de alerta, é importante também se prevenir. Medidas básicas do dia a dia que podem ajudar são o uso de filtro solar nas áreas que ficam expostas (com mínimo de fator de proteção solar de 30); evitar o sol entre as 10h e 16h; além de usar chapéu e roupas que protejam a pele o máximo possível da exposição direta ao sol.  

Câmara de Curitiba aprova suspensão de reajuste e limita correção do IPTU em 2022

O projeto da Prefeitura que adia a revisão da Planta Genérica de Valores e garante que o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) não sofra reajuste em 2022 foi aprovado, por unanimidade, nesta segunda-feira (06/12) em primeiro turno na Câmara Municipal de Curitiba (CMC). A proposta, que recebeu 38 votos favoráveis, será votada em segundo e último turno nesta terça-feira (07/12).

Confirmada a aprovação, a atualização da Planta Genérica de Imóveis fica adiada para outubro de 2022, sendo que o reajuste que será aplicado valerá para 2023.

Dessa forma, os reajustes que estavam em vigor nos últimos anos, de 4% para imóveis residenciais, e de 7% para terrenos (mais a inflação), não serão praticados no IPTU 2022, que terá apenas a correção pela inflação, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

A revisão da Planta Genérica de Valores atualizaria o valor venal dos imóveis da cidade, de acordo com o mercado. Com isso a cobrança do IPTU poderia variar acima da inflação para aqueles imóveis com valor venal defasado.

“A atual pandemia de Covid-19 teve repercussão no campo econômico, diminuindo a renda de muitas famílias e a receita de muitas empresas, que foram obrigadas a paralisar suas atividades. Fazer essa correção, neste momento, traria inúmeros prejuízos para população”, diz a mensagem da Prefeitura no projeto.

A revisão da Planta Genérica é prevista pela legislação. A Lei Complementar nº 40, de 18 de dezembro de 2001 determina, no § 2º do art. 36, que o Poder Executivo deve encaminhar ao Poder Legislativo, até o dia 15 de outubro do primeiro ano do mandato, projeto de lei com proposta de atualização dos valores unitários de metro quadrado de construção e de terrenos, constantes na Planta Genérica de Valores Imobiliários

No entanto, a valorização imobiliária observada nos últimos quatro anos e a entrada em vigor da nova Lei de Zoneamento, em agosto de 2020, provocaram consideráveis alterações na ocupação urbana, com reflexos diretos no valor venal dos imóveis na capital.