5 motivos para ser boteco: as razões que tornam um bar clássico

Uma instituição nacional, tão representativa quanto o samba e o futebol. É difícil alguém que, adulto, não tenha pisado em pelo menos um na vida. No gênero clássico está a graça: música, amigos e cerveja gelada. É claro, estamos falando do boteco, um conjunto de elementos que na sua essência é simples e prazeroso, assim como a vida deve ser.

Despojado de qualquer formalidade, quem visita o Quermesse, em Curitiba, sabe que se trata de uma espécie em extinção: o boteco clássico, que traz consigo uma receita de anos no cardápio, que você só encontra ali; o garçom de anos, que sequer anota o pedido pois o memoriza; a música alta na medida certa pra manter a conversa. Mas será que é só isso que representa? Na avaliação de José Araújo Neto, que toca o espaço desde 2009, existe qualquer coisa de especial em um espaço que nunca adere aos modismos, mas nunca sai de moda.

Se sentir bem-vindo

Um ambiente de boteco clássico nunca deve soar pretensioso, apenas transmitir o que é. “O ambiente foi criado de maneira a remeter nossos clientes às festas de quermesse do interior e de antigamente, lembranças coloridas e alegres assim como o local”, detalha Neto. “Certa vez, fizemos uma adaptação livre de um famoso poema de Carlos Drummond de Andrade, ‘Casa Arrumada’, para divulgar o que acreditamos ser a essência de um boteco como o Quermesse: ‘boteco tem que ser boteco e não centro cirúrgico, cenário de novela. Eu prefiro ir a um onde eu bato o olho e percebo logo: Aqui tem vida!’”

Cardápio com história pra contar

Não importa a inspiração, seja ela da vivência ou com influências diversas, o cardápio de um boteco tem que sintetizar uma história. Ao contrário de ser descritivo, o nome de um prato ou petisco deve transmitir uma sensação, do contrário se torna vazio. “No Quermesse, apostamos na curadoria da minha mãe, Karla Manfredini, que com a experiência de 18 anos como chef agregou muito a essa proposta. Junto à cozinheira Tia Anísia, ela compôs um cardápio abrangente e com influência forte regional, justamente para reforçar a marca nos pratos”.

Cerveja de garrafa

Não há discussão: a cerveja é a alma do boteco. Ao redor de uma mesa cheia de garrafas, há a certeza de uma conversa longa, divertida e cheia de história pra contar. “A cerveja de garrafa, não importa o sabor, representa a aproximação de pessoas e descontração”, define Neto. “Temos uma premissa de sempre oferecer, inclusive, um balde de cerveja com bastante gelo. Isso facilita o consumo das pessoas e permite maior agilidade para os garçons atenderem”.

Petiscos coletivos de qualidade

De que vale beber bem e na hora da fome não ter uma comida de qualidade? Pensando nisso, um boteco clássico tem aquela receita com ingrediente secreto, cujo sabor é especial de lá. A mãe de Neto, Karla Manfredini, fez isso no Quermesse: com a ajuda de Tia Anísia, petiscos como a Carne de Onça, Iscas de Mignon, Frango Mafioso e o Bife Sujo de Alcatra se tornaram marca registrada do espaço. “A ideia do petisco, diferente do prato, é permitir a você comer algo gostoso em um ambiente mais social: levantar da mesa, beliscar o prato e continuar conversando e curtindo um som ambiente”, destaca Neto.

Política no “fio do bigode”

Antigamente, os negócios eram feitos “no fio do bigode”. Essa expressão, segundo historiadores, surgiu em uma época que dar a garantia da sua palavra representava tirar um fio da própria barba, como prova de confiança: o bigode, naquela época, era uma representação de masculinidade. “Hoje, essa expressão se aplica à forma que lidamos com nossos clientes”, reflete Neto. “Não há nada pior que se sentir observado ou que estão desconfiando, em um espaço. Aqui no Quermesse, a proposta é deixar você livre para pagar no momento que quiser, se deslocar livremente e curtir sem preocupações um espaço agradável”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ruínas de São Francisco recebem O Grande Circo Místico na próxima semana

Cenário e palco do balé O Quebra-Nozes até o próximo domingo (12/12), as Ruínas de São Francisco recebem na próxima semana mais uma atração do Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2021. O  espetáculo O Grande Circo Místico, com letras e músicas de Chico Buarque e Edu Lobo, terá apresentações ao ar livre no espaço da Prefeitura de segunda a quarta-feira (13 a 15/12), às 20h. 

As apresentaçãos de O Grande Circo Místico serão gratuitas e não será necessário fazer agendamento. 

Com arranjos vocais e instrumentais criados especialmente para a montagem, O Grande Circo Místico irá reunir um elenco de atores, cantores, bailarinos e instrumentistas. O espetáculo conta a história do grande amor entre um aristocrata e uma acrobata do Grande Circo Knieps, que vagava pelo mundo nas primeiras décadas do século 20. 

“O Circo Místico tem a beleza das músicas de Chico e Edu, misturadas com a magia do circo. Este espetáculo leva ao público a potência da música brasileira e encanta as pessoas pela arte”, convida o diretor e produtor Rodrigo Fornos. 

O cenário de O Grande Circo Místico nas Ruínas será composto ainda pela árvore de Natal de luz ao lado do palco e a iluminação do Belvedere da Praça João Cândido, ao fundo.

A obra original foi criada para o Balé Teatro Guaíra, com roteiro de Naum Alves de Souza, a partir do poema homônimo de Jorge de Lima. 

O espetáculo que será encenado nas Ruínas é produzido pela Na Carreira e Projeto Broadway.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA NO SITE https://natal.curitiba.pr.gov.br/. A programação está sujeita a alterações.

A Prefeitura promove o Natal de Curitiba – Luz dos Pinhais 2021 com o patrocínio das empresas O Boticário, Ademicon, Volvo, Muffato, Electrolux, Condor, Festval,  Consórcio Servopa, Loterias Caixa/Governo Federal, Copel Telecom e ParkShoppingBarigüi. A programação começa no dia 18 de novembro e a decoração poderá ser vista até 9 de janeiro.

Park Shopping Boulevard abre as portas no Xaxim

Empreendimento é inaugurado com cerca de 100 lojas em funcionamento
e expectativa de atrair um grande público às vésperas do Natal

O Park Shopping Boulevard abriu as portas para o público na manhã desta quinta-feira (9) com uma cerimônia de agradecimento aos lojistas, realizada na praça de alimentação. Antes, na praça de eventos, onde foi montada uma grande árvore de natal, um padre rezou uma missa para abençoar o empreendimento recém-inaugurado.

Divulgação
Divulgação

O gestor do Park Shopping Boulevard, Antônio Mascarenhas, fez um agradecimento especial aos lojistas, por acreditarem na realização da obra, mesmo em tempos de incerteza vividos pela economia nos últimos dois anos. “Enfrentamos uma pandemia muito dura, mas estamos aqui, comemorando nossa abertura para o público, com estes lojistas que nunca deixaram de acreditar no sucesso do Boulevard”, afirmou em discurso.

O vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel, o vereador Pier Petruzziello, líder do governo na Câmara Municipal e o diretor-presidente da Invest. Paraná, agência de fomento do Estado, Eduardo Bekin, foram as autoridades presentes à inauguração.

Pimentel parabenizou os sócios e disse que “o empreendimento é um forte gerador de empregos neste momento em que as pessoas precisam trabalhar para se recuperar dos impactos que a pandemia causou para o comércio”, enquanto o vereador ressaltou a importância do shopping para a retomada econômica da cidade. “Uma obra deste porte valoriza a região do Xaxim, trazendo uma nova opção de lazer para as famílias que moram no local”, afirmou.

Serviço:
Park Shopping Boulevard
Abertura: 09 de dezembro
Horário de funcionamento: Segunda a sábado: 10h às 22h / Domingo: 14h às 20h
Praça de Alimentação (domingo): 12h às 22h
Telefone de contato: (41) 3521-0103