5 lugares para tomar caipirinhas em Curitiba

Bebida típica do Brasil, a caipirinha foi criada por volta de 1918 no interior de São Paulo, e hoje é conhecida no mundo todo. Tradicionalmente servida com açúcar, gelo, limão e cachaça, a bebida ganhou novas versões e adaptações ao longo do tempo. Separamos cinco estabelecimentos em Curitiba, em que você pode provar desde a versão clássica, até releituras mais elaboradas.

 

Koda Pub & Kitchen

No Koda Pub & Kitchen, que fica na Rua 24 Horas (Rua Visconde de Nacar, S/N), as opções são bem variadas. O grande destaque da casa é a caipirinha mista (R$ 23,90), com limão, morango e maracujá. Além disso, o Kodaoferece a saborosa caipirinha de morango (R$ 19,90) e a clássica de limão (R$ 16,90). Para conquistar o público, o empreendimento, que funciona diariamente, das 10h às 22h, prepara a bebida com cachaça, vodca ou saquê.

Mukeka Cozinha Brasileira 

Mukeka Cozinha Brasileira, restaurante especializado no melhor da gastronomia regional, oferece open bar de caipirinha. Isso mesmo, caipirinha liberada no almoço e no jantar por apenas R$ 24,90. No cardápio, opções clássicas e especiais, como a Tom Jobim, preparada com abacaxi e uva; a Noel Rosa, com limão rosa e mexeria; e a Mukeka, preparada com carambola, lima da Pérsia, limão siciliano e limão rosa. A casa fica na Rua Machado de Assis (nº 417), no bairro Juvevê, e funciona durante o almoço, de segunda a sexta, das 11h30 às 14h30, e aos sábados e domingos, das 12h às 16h; e durante o jantar, de segunda a sábado, das 19h às 23h.

Simples Assim

O menu “Caipirinhas Especiais Simples Assim”, elaborado pelo chef e sommelier da casa, Guilherme De Rosso, conta com quatro sabores exclusivos, além da versão clássica: Saint Patricks, combinação entre uva Itália, maçã verde, suco de limão (Taiti), gengibre e xarope de maça; Frutas vermelhas com Cumaru, que leva na preparação morangos, amora, mirtillo, hortelã e cumaru; a Julieta sem Romeu, que é preparada com goiabada vermelha e limão siciliano; e a Manga Caliente, com manga, gengibre, pimenta dedo de moça e suco de limão. Os quatro sabores, que custam R$ 20,90, podem ser preparados com cachaça, vodca, saquê ou rum. Nas sextas-feiras, o bar conta ainda com um happy hour especial da bebida. Comprando duas caipirinhas, a terceira é por conta da casa. O Simples Assim fica na Rua Ângelo Sampaio (nº 1671), no bairro Batel. A casa funciona de terça a quinta, das 18h às 0h30; e nas sextas e sábados, das 18h às 1h30.

Street 444

O recém-lançado Street 444 é outra casa que aposta em ótimas caipirinhas. O empreendimento, que segue o conceito “all in one”, com várias operações em um mesmo lugar, oferece os sabores limão, kiwi, abacaxi e morango. O Street 444 fica na Alameda Presidente Taunay (nº 444), no bairro Batel, e funciona de terça a sexta, das 17h às 0h; sábados e feriados, das 10h às 2h; e aos domingos, das 15h às 22h.

Hibari

No tradicional restaurante de comida japonesa, o drink brasileiro ganha um toque especial: a bebida nipônica saquê. O preparo é o mesmo, apenas substituindo a vodca ou a cachaça pela bebida de arroz. Os sabores disponíveis são limão e morango, e custam R$ 15. O Hibari fica na Rua 24 Horas (Rua Visconde de Nacar, S/N) e funciona diariamente, das 10h às 22h.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba ilumina pontos turísticos de laranja pela prevenção ao câncer de pele

Nesta terça-feira (7/12), a Praça do Japão e a Torre de Cronometragem do Parque Náutico estarão iluminados de laranja, em alusão à adesão de Curitiba ao Dezembro Laranja, a campanha nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

A iluminação nesses locais foi feita para essa segunda-feira (6/12) e hoje ainda pode ser contemplada pela população. O objetivo é chamar a atenção dos curitibanos sobre a importância do diagnóstico e do tratamento precoce, além de orientar sobre os cuidados que devem ser incorporados à rotina diária.

O câncer de pele é o tipo de neoplasia mais incidente no Brasil, com cerca de 180 mil novos casos ao ano. Em Curitiba, dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam a projeção de 1.820 novos casos por ano. A boa notícia é que a maior parte, 95%, é do tipo não melanoma, menos agressivo. Além disso, quando descoberto no início, tem mais de 90% de chances de cura.

“Por isso é importante que a população fique atenta aos sinais e sintomas, e procure logo um serviço de saúde”, afirma a dermatologista do Centro de Especialidades de Santa Felicidade da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Simone Viola Ampuero Gehlen.

Prevenção

De acordo com a médica, a orientação é para que as pessoas fiquem atentas a lesões na pele que não cicatrizam, principalmente nas áreas que comumente ficam expostas ao sol. Sangramentos e pruridos neste tipo de lesões também são sinais de alerta. Segundo Simone, é importante observar pintas com mudança na cor e bordas irregulares.

Em qualquer um desses casos, a orientação é procurar o mais breve possível, um serviço de saúde, para uma avaliação. No SUS Curitibano, a porta de entrada é a unidade de saúde. Caso seja necessário, a unidade faz o encaminhamento do paciente para um especialista.

Além de observar os sinais de alerta, é importante também se prevenir. Medidas básicas do dia a dia que podem ajudar são o uso de filtro solar nas áreas que ficam expostas (com mínimo de fator de proteção solar de 30); evitar o sol entre as 10h e 16h; além de usar chapéu e roupas que protejam a pele o máximo possível da exposição direta ao sol.  

Câmara de Curitiba aprova suspensão de reajuste e limita correção do IPTU em 2022

O projeto da Prefeitura que adia a revisão da Planta Genérica de Valores e garante que o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) não sofra reajuste em 2022 foi aprovado, por unanimidade, nesta segunda-feira (06/12) em primeiro turno na Câmara Municipal de Curitiba (CMC). A proposta, que recebeu 38 votos favoráveis, será votada em segundo e último turno nesta terça-feira (07/12).

Confirmada a aprovação, a atualização da Planta Genérica de Imóveis fica adiada para outubro de 2022, sendo que o reajuste que será aplicado valerá para 2023.

Dessa forma, os reajustes que estavam em vigor nos últimos anos, de 4% para imóveis residenciais, e de 7% para terrenos (mais a inflação), não serão praticados no IPTU 2022, que terá apenas a correção pela inflação, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

A revisão da Planta Genérica de Valores atualizaria o valor venal dos imóveis da cidade, de acordo com o mercado. Com isso a cobrança do IPTU poderia variar acima da inflação para aqueles imóveis com valor venal defasado.

“A atual pandemia de Covid-19 teve repercussão no campo econômico, diminuindo a renda de muitas famílias e a receita de muitas empresas, que foram obrigadas a paralisar suas atividades. Fazer essa correção, neste momento, traria inúmeros prejuízos para população”, diz a mensagem da Prefeitura no projeto.

A revisão da Planta Genérica é prevista pela legislação. A Lei Complementar nº 40, de 18 de dezembro de 2001 determina, no § 2º do art. 36, que o Poder Executivo deve encaminhar ao Poder Legislativo, até o dia 15 de outubro do primeiro ano do mandato, projeto de lei com proposta de atualização dos valores unitários de metro quadrado de construção e de terrenos, constantes na Planta Genérica de Valores Imobiliários

No entanto, a valorização imobiliária observada nos últimos quatro anos e a entrada em vigor da nova Lei de Zoneamento, em agosto de 2020, provocaram consideráveis alterações na ocupação urbana, com reflexos diretos no valor venal dos imóveis na capital.