1º Festival do Strogonoff de Curitiba

O strogonoff é um prato da culinária russa feito de cubos de carne bovina num delicioso molho de creme de leite. Criado em meados do século XIX, popularizou-se rapidamentee se espalhou pelo mundo. A receita é simples, dourar e flambar a carne, adicionar mostarda e finalizar com creme de leite. Mas, a criatividade dos chefs possibilita versões diferentes do clássico,oferecendo novos sabores e experiências. Após conquistar a mesa dos brasileiros, o strogonoff ganha agora o seu primeiro festival na capital paranaense. Nos dias 24, 25 e 26 de agosto, a Rua 24 Horasvai sediar o 1º Festival do Strogonoff de Curitiba.

 

Durante os três dias do festival, os restaurantes BávaroJames Hill,Pezzo Italian Food e Prinzen vão servir várias releituras de strogonoff. Serão mais de 10 opções comercializadas pelo preçoúnico de R$ 15. Entre os destaques do evento estão os deliciosos bolinhos de strogonoff e o suculento Strogonoff Burger do Bávaro; o penne gratinado ao molho de strogonoff de picanha do Prizen; e osanduíche Blue Cheese & Bacon Strogonoff do James Hill. Para os vegetarianos, o festival também terá ótimas opções, entre elas ostrogonoff de palmito da Prinzen ou strogonoff veggie de lentilha, pinhão e legumes do Pezzo.

Para finalizar a refeição, nada melhor que um docinho não é mesmo? Que tal mini-churros com recheio de strogonoff de nozes do James Hill? Ou quem sabe uma torta bem gostosa de strogonoff de nozes do Bávaro, na dúvida, pega um de cada, mas não deixe de curtir o 1º Festival do Strogonoff de Curitiba.

 

Chef Helena Menezes

Durante o festival, a chef Helena de Menezes, especializada em comida típica do Paraná, assumirá a cozinha do Pezzo para oferecer um bufê por quilo especial, que terá strogonoff como destaque. A chef fundou e coordenou os restaurante Manjhericão e Estrela da Terra, atualmente é pesquisadora do grupo de História da Alimentação e professora de culinária do projeto Rotas do Pinhão, da UFPR. Helena tem um carreira brilhante na gastronomia, sendo a única chef do Brasil especializada em comidas com Pinhão.

Confira o cardápio completo de cada operação:

Bávaro Chopperia e HamburgueriaStrogonoff Burguer – pão macio, hambúrguer de 140g, cogumelos flambados, creme de strogonoff na versão gorgonzola e batata palha; bolinho de Strogonoff servido com molho rose; Batata Rosti (batata suíça) recheada com strogonoff de alcatra, strogonoff de palmito (veggie) ou strogonoff de frango; torta de Strogonoff de nozes + sorvete e brownie com Sorvete e calda de strogonoff de doce de leite.

James Hill Sandwich CompanyDuas receitas exclusivas criadas pelos chef Danielo Garramone, atual coordenador do curso de Gastronomia da Unicesumar. Blue Cheese & Bacon Strogonoff – Baguete de 22 centímetros, strogonoff com molho cremoso de gorgonzola, bacon crocante e cogumelo opcional e mini churros com recheio de strogonoff de nozes.

PrinzenPenne gratinado ao molho de strogonoff de picanha; eStrogonoff de alcatra, palmito, costela ou lombinho com batata gratinada e queijo parmesão, purê de batata e arroz branco.

Pezzo Italian FoodBufê de saladas; bufê de batatas recheada nos sabores strogonoff, pesto, molho vermelho e queijo; Strogonoff de mignon flambado no conhaque com pinhão molho madeira e mostarda Dijon; Strogonoff de ossobuco com pinhão, cogumelo e zafferano; strogonoff veggie de lentilha, pinhão e legumes; arroz branco com pinhão, mandioquinha e nozes, legumes assados no azeite de oliva; e batatas rústicas na manteiga assadas com alegrim e rosti de aipim com mateiga.

O Festival do Strogonoff de Curitiba será realizado na sexta-feira (24), a partir das 17h, e no sábado (25) e domingo (26), das 10h às 23h. A Rua 24 Horas fica na Rua Visconde de Nácar – sem número, no Centro de Curitiba. Mais informações pelo telefone (41) 3078-9777.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Câmara de Curitiba aprova suspensão de reajuste e limita correção do IPTU em 2022

O projeto da Prefeitura que adia a revisão da Planta Genérica de Valores e garante que o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) não sofra reajuste em 2022 foi aprovado, por unanimidade, nesta segunda-feira (06/12) em primeiro turno na Câmara Municipal de Curitiba (CMC). A proposta, que recebeu 38 votos favoráveis, será votada em segundo e último turno nesta terça-feira (07/12).

Confirmada a aprovação, a atualização da Planta Genérica de Imóveis fica adiada para outubro de 2022, sendo que o reajuste que será aplicado valerá para 2023.

Dessa forma, os reajustes que estavam em vigor nos últimos anos, de 4% para imóveis residenciais, e de 7% para terrenos (mais a inflação), não serão praticados no IPTU 2022, que terá apenas a correção pela inflação, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

A revisão da Planta Genérica de Valores atualizaria o valor venal dos imóveis da cidade, de acordo com o mercado. Com isso a cobrança do IPTU poderia variar acima da inflação para aqueles imóveis com valor venal defasado.

“A atual pandemia de Covid-19 teve repercussão no campo econômico, diminuindo a renda de muitas famílias e a receita de muitas empresas, que foram obrigadas a paralisar suas atividades. Fazer essa correção, neste momento, traria inúmeros prejuízos para população”, diz a mensagem da Prefeitura no projeto.

A revisão da Planta Genérica é prevista pela legislação. A Lei Complementar nº 40, de 18 de dezembro de 2001 determina, no § 2º do art. 36, que o Poder Executivo deve encaminhar ao Poder Legislativo, até o dia 15 de outubro do primeiro ano do mandato, projeto de lei com proposta de atualização dos valores unitários de metro quadrado de construção e de terrenos, constantes na Planta Genérica de Valores Imobiliários

No entanto, a valorização imobiliária observada nos últimos quatro anos e a entrada em vigor da nova Lei de Zoneamento, em agosto de 2020, provocaram consideráveis alterações na ocupação urbana, com reflexos diretos no valor venal dos imóveis na capital.

Vai soltar fogos de artifício em Curitiba? Saiba o que é permitido na cidade

Apenas efeitos visuais, sem estampido. Esse deve ser o cenário das festas de fim de ano em Curitiba, pelo segundo ano consecutivo de vigência da lei que proíbe o uso de fogos de artifício com efeitos sonoros na cidade. O consumidor que estiver pensando em adquirir o material para as comemorações, deve estar atento. 

Podem ser usados na capital paranaense fogos de artifício com efeitos de cores, os ditos luminosos, que produzem efeitos visuais sem tiro (fogos de vista, sem estampido). 

“É importante lembrar que a comercialização de fogos com efeito de tiro não é proibida. As lojas fazem a sua parte orientando o consumidor, que deve estar consciente na hora da compra”, explica o superintendente de Controle Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Marcos Traad. 

A orientação por parte do comércio é uma exigência do mais recente decreto que regulamenta a norma. Ações de fiscalização do município vem acontecendo neste caráter informativo, informa a diretora de Pesquisa e Monitoramento da Secretaria do Meio Ambiente, Erica Mielke. 

“As lojas receberam cartazes com as informações para que o consumidor não fique em dúvida”, reforça. Também é necessário que o estabelecimento mantenha o cadastro dos compradores, informando o tipo de produto adquirido, data, local e horário previsto da soltura. 

Esforço conjunto

Além de distribuir os folhetos informativos, manter a legislação visível e orientar o consumidor, a Associação Industrial e Comercial de Fogos de Artifício do Paraná (Aincofapar) criou selos que diferenciam os dois tipos de fogos para facilitar a identificação na prateleira. O verde está presente nos produtos com uso liberado em Curitiba e o vermelho, nos que não podem ser soltos na cidade.

O presidente da entidade, Rodolpho Aymoré Junior, conta que o projeto é piloto e que os selos estão disponíveis aos associados. Ainda de acordo com ele, a Aincofapar tem uma lista para orientar a identificação, conforme a legislação municipal. “É uma espécie de homologação dos ‘fogos ecológicos’ que possuem uma frequência sonora menor e atendem aos requisitos da legislação”, comenta.

Para o consumidor que está na dúvida, Aymoré explica que os fogos sem estampido mantêm a beleza e a plasticidade, sem prejuízo nenhum ao evento. “Com a vantagem de poderem ser utilizados em qualquer cidade do Brasil”, acrescenta e alerta, ainda, para que a compra seja feita, sempre, por maiores de 18 anos, em lojas devidamente autorizadas.

O que diz a lei

As multas para o cidadão que fizer a soltura ou manuseio dos fogos proibidos variam de R$ 400 a R$ 100 mil, conforme a gravidade da infração. O comércio que não cumprir as normas de orientação e cadastro pode ter o alvará cassado.

Selos desenvolvidos para os produtos para facilitar a venda e orientar os consumidores sobre a legislação municipal. Curitiba, 06/12/2021. Foto: Levy Ferreira/SMCS.

A demanda é, principalmente, da proteção animal, mas também beneficia crianças, especialmente aquelas com Transtorno do Espectro Autista, e os idosos, que também sofrem com os barulhos dos fogos.

A lei foi uma proposta da Câmara Municipal, ainda em 2019, com a motivação, em especial, de proteger animais domésticos, a fauna silvestre, bebês e pessoas portadoras de transtornos do espectro autista. Quem flagrar a soltura de fogos com barulho na cidade, deve fazer a denúncia pela Central 156.