10º Festival de Cinema da Lapa

Entre os dias 22 e 26 de novembro, acontece a 10ª edição do tradicional Festival de Cinema da Lapa, na histórica cidade da Lapa (PR), localizada na região metropolitana de Curitiba. Promovido pelo Instituto Histórico e de Cultura da Lapa, em parceria com o Instituto Borges da Silveira, o evento é considerado uma das principais celebrações do cinema nacional.

Durante a programação oficial, serão exibidos gratuitamente 34 filmes ao longo dos cinco dias de evento, além da realização de oficinas e bate-papos, em dois espaços selecionados especialmente para o festival: uma enorme tenda instalada na Alameda David Carneiro e o histórico Theatro São João. Um dos grandes destaques da programação ficará por conta da mostra competitiva, que contará com a exibição dos filmes “João O Maestro”, “A Menina Índigo”, Filme da Minha Vida” e “Bye Bye Jaqueline”. A primeira exibição da mostra competitiva será o filme “João O Maestro”, que será apresentado na quinta-feira (23), a partir das 20h. O filme é uma produção da LC Barreto e Filmes Equador, em parceria com a Globo Filmes. Protagonizado pelo ator paranaense Alexandre Nero, a obra conta a história de João Carlos Martins, um dos grandes nomes da música brasileira.

Na sexta-feira (24), também a partir das 20h, será exibido o filme “A Menina Índigo”, de Wagner Assis. A produção da Cinética Filmes e Produções conta a história de Sofia, uma criança especial que desenvolve o dom de curar enfermidades. Quando um jornalista sensacionalista descobre sobre a menina, obriga seus pais separados a se unirem para auxiliá-la. Já no sábado (25), a partir das 20h, é a vez do “Filme da Minha Vida”, uma produção Bananeira Filmes em parceria com a Globo Filmes, com direção e participação de Selton Mello. A obra conta a história do jovem Tony, que decide voltar a sua cidade natal e ao chegar descobre que Nicolas, seu pai, também está na cidade. O filme traz uma abordagem sobre conflitos e inexperiências juvenis.

Para completar, no domingo (26), a partir das 16h, será a vez do filme “Bye Bye Jaqueline”, de Anderson Simão. A obra conta a história de Jaqueline, uma jovem humilde de 16 anos, bolsista em um colégio particular, que passa seus dias dividida entre os estudos e os pensamentos em Fernando, o garoto mais bonito da escola e por quem ela está perdidamente apaixonada. O que ela não imagina é que sua melhor amiga, Amanda, já namorou o rapaz e que ele próprio tem um segredo capaz de impedir qualquer chance de namoro entre os dois.

Além da mostra competitiva, a programação oficial trará dezenas de exibições diárias, longas, curtas e médias metragens para todos os gostos e públicos. Entre eles estão uma série de filmes produzidos por jovens cineastas na cidade da Lapa: “Filme da Oficina Mariental”, projeto do Cinema na Lapa; “Lapeanas de Verdade”, de Bruno Oliveira Santos; “OverAlive – Lucid Reverie”, de Nyck Maftum; “A Casa Morta de Meus Avós”, de Leandro Cordeiro; e “Tropeirismo”, de Daiana Lopes. Para quem gosta de filmes infantis, um dos destaques será “A Banda dos Bichos Supermaluquinhos”, de Almir Correia.

Outros destaques do 10º Festival de Cinema da Lapa ficam por conta dos filmes “Entre Nós O Estranho”, “Teatro de Sombras”, “Quem tem medo do Popoyosky?”, “Contadores de Carros”, “Bola pra Frente” e “A Menina de Tranças”, dirigidos por Guto Pasko; e das obras “Nerds Inglórios” e “Amor é Uma Coisa Estranha”, da Turma Polvo, e “Virtualville”, da Turma dos Contrastes. Completam a programação “As Verdades de Ale em Nós”, de Juslaine Abreu Nogueira; “Órion” de Rodriane DL; “O Homem Sem Fim”, de Rodrigo Almeida Leite; “A Pesquisa”, de Oda Rodrigues e Manoelle Fuzaro; “Lulu A Louca”, de Estevan Silvera; “Depressão”, de Guilherme Souza; “Luto”, de Edu Camargo; “Quando Desaba”, de Tiago Campetti; e “Bye Bye Jaqueline”, de Anderson Simão.

 

Sessão da Meia Noite

 

Na madrugada de sexta (24) para sábado (25), a partir das 00h, o Festival de Cinema da Lapa vai promover a clássica Sessão da Meia Noite, com a exibição de quatro filmes de terror: “Pessoas mortas não precisam de bateria”, de Almir Correia; “End of the road”, de João Vitor Ferian; “Cercados Pela Morte”, de João Vitor Ferian; e “Paula Paranormal”, de Almir Correia.

O 10º Festival de Cinema da Lapa acontece entre os dias 22 e 26 de novembro, na tenda instalada na Alameda David Carneiro e no histórico Theatro São João, ambos no centro da cidade. Toda a programação é gratuita. Mais informações e a programação completa do evento estão disponíveis no ewww.ihclapa.com.br ou na página oficial do festival no Facebook (www.facebook.com/festivaldalapa).

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cine Passeio comemora dois anos com estreia na programação virtual

Podem ir preparando a pipoca. Considerado um dos 20 cinemas mais legais do mundo pela revista segmentada Exibidor, o Cine Passeio completa dois anos de inauguração com atrações imperdíveis nas salas de exibição virtual Cine Vitória e também no Cine Plaza. Serão seis filmes em cada ambiente a partir desta quinta-feira (25). Cada título poderá ser visto a partir desta quinta (25) até dia 31 no site www.cinepasseio.org, onde também estão os preços.

Cine Passeio comemora dois anos com estreia na programação especial. Foto: Daniel Castellano/SMCS

A sala virtual Cine Vitória terá quatro documentários. Volta à grade de programação o recordista de inscrições e visualizações Marumbi, a montanha por dentro (do brasileiro Matias Dala Stella). Com ele, também serão exibidos Me chamo Samuel (do queniano Pete Murimi); Vida de Artista (do brasileiro João Batista de Andrade) e Conversas do Maranhão (de Andrea Tonacci). A sala virtual traz ainda os argentinos Cuando ella saltó, drama dirigido por Sabrina Farji, e Caño dorado, suspense de Eduardo Pinto.

No Cine Plaza, o público poderá ver uma estreia virtual. É o inglês Prisioneiro espacial, suspense de ficção de Luke Armstrong. Outras opções são os franceses A poucos passos de Paris (comédia de Virginie Verrier) e Um amor proibido: escute o som do seu coração (de Arnold de Parscau), Nona: se me molham eu os queimo (drama chileno de Camila José Donoso), Mambo man (drama anglo-cubano de Edesio Alejandro e Mo Fini ) e o norte-americano O muro (drama de Genevieve Anderson).

Debates de sábado

A trajetória e as perspectivas para o Cine Passeio serão o assunto da mesa-redonda que acontecerá neste sábado (27), a partir das 10h30. Para debater o tema, foram convidados três frequentadores assíduos da programação do Cine Passeio: a produtora e diretora Téia Werner, o desenhista industrial Francisco Nascimento e a produtora cultural e colunista de gastronomia Bárbara Magalhães Browne. A atividade vai até as 12h30.

À tarde haverá outro debate. Em meio às novas tecnologias de acesso aos filmes e à crise sanitária que agora afasta o público das salas físicas dos cinemas, qual será o seu futuro? Para responder à pergunta, Marcos Jorge e Marden Machado convidaram o gerente de produções local dos estúdios Disney, Bruno Bluwol; o fundador da Expocine e editor da revista Exibidor, Marcelo Lima; e a diretora e produtora Cláudia da Natividade. A conversa será neste sábado (27), das 17h30 às 19h30.

Na segunda, a volta dos podcasts

Idealizado para o formato virtual de programação inaugurado na pandemia, os podcasts voltam ao cartaz nesta segunda-feira (29). O convidado para abrir a segunda temporada da atração é Alessandro Larocca – o homem por trás do som de alguns dos mais importantes filmes brasileiros. Ele é supervisor de edição de som sound designer, mixador e responsável pela direção técnica e artística da 1927 Áudio, de Curitiba.

Os interessados em ouvir o bate-papo de Larocca com os curadores do Cine Passeio, Marcos Jorge e Marden Machado, poderão fazê-lo pelo Spotify e pelo Deezer do espaço (www.cinepasseio.org/podcasts).

Sucesso mesmo na pandemia

Desde que o Cine Passeio abriu as portas, em 27 de março de 2019, 99.031 pessoas assistiram a 507 filmes exibidos em 3.127 sessões de filmes de diferentes gêneros e países e destinados a públicos diversos. Os números se referem às charmosas salas físicas Cine Luz e Cine Ritz e também aos contabilizados na segurança do sofá da casa dos espectadores.

“No momento em que as novas tecnologias alteraram o modo de consumo de conteúdos audiovisuais, o Cine Passeio vem mostrando que é possível integrar velhos e novos hábitos de apreciar cinema, com muito sucesso. Esse espaço cultural representa o esforço da Prefeitura e supera as expectativas do público, inovando e respeitando as tradições”, avalia a coordenadora de Audiovisual da Fundação Cultural de Curitiba, Valéria Marques Teixeira.

Até o início das restrições resultantes da pandemia do novo coronavírus, o espaço cultural exibiu 260 filmes em 2.699 sessões presenciais que atraíram 89.964 pessoas de todas as idades. Com as portas fechadas pouco antes de completar seu primeiro ano de funcionamento, o Cine Passeio concebeu um variado cardápio de atrações virtuais que reuniram 9.067 pessoas em torno de 428 sessões de 247 filmes, entre atrações grátis e pagas.

Programação diversificada

Fizeram parte da programação 27 lançamentos, mostras e festivais presenciais que atraíram 7.335 pessoas, além de 17 virtuais. Destes, 15 (cerca de 90%) foram realizados por meio de plataformas externas, o que não permite a aferição de público.

Entre os destaques exibidos nas salas do Cine Passeio estiveram os festivais Glauber Rocha 80 anos e Ingmar Bergman 100 anos, além do pré-lançamento nacional de Cemitério Maldito. Como atrações virtuais, destacaram-se as mostras Varilux, Babenco e o 13º Festival de Cinema da Lapa.

Workshops, palestras, bate-papos e podcasts que fazem parte da programação do mais novo cinema de rua de Curitiba também caíram no gosto do público que cultua a chamada sétima arte. Em quase 1 anos de atividades presenciais, foram 20 eventos com 860 participantes.

Já em sua configuração virtual, com o público em casa, o Cine Passeio ofereceu 47 atividades e atraiu 2.877 participantes. A novidade ficou por conta dos podcasts. Em 16 edições, foram registradas 1.101 participações.

Todos esses projetos terão continuidade durante o 1º semestre de 2021. Dessa forma – independente do formato, presencial ou virtual – o Cine Passeio segue as diretrizes estabelecidas pela Fundação Cultural de Curitiba com a missão de apresentar o melhor do cinema para um público apaixonado por audiovisual.

Serviço: dois anos de Cine Passeio

Programação especial de 25 a 31 de março. Filmes, debates, podcasts
Confira em www.cinepasseio.org e www.cinepasseio.org/podcasts

Hospital da RMC instala reservatório de oxigênio

O Hospital Regional São Sebastião da Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba, passa a contar com um reservatório de oxigênio líquido com capacidade de 4.300 metros cúbicos. A instalação do equipamento faz parte da estruturação que a Secretaria de Estado da Saúde vem fazendo desde o final de 2020 na instituição. Hoje a unidade conta com 40 leitos de enfermaria exclusivos para Covid-19.

“Concretizamos mais uma etapa da reestruturação deste importante e tradicional hospital que integra a rede de unidades próprias do Estado”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. “É mais uma medida do Governo do Estado para garantir o funcionamento de unidade de atendimento, principalmente neste momento crítico da pandemia da Covid-19”.

O tanque, instalado na área externa do hospital, vai atender os seis novos leitos de UTI para Covid-19 que a Sesa abrirá nos próximos dias. “Esses novos leitos que serão ativados contam com toda infraestrutura de equipamentos, como ventiladores e monitores e, agora com uma rede de gases estabilizada. Isso representa uma grande segurança para os pacientes”, explicou o diretor-superintendente do Complexo Hospitalar do Trabalhador (CHT), Geci Labres de Souza.

PROCESSO – O processo administrativo e estrutural pelo qual passa o Hospital da Lapa teve início em dezembro de 2020, quando a instituição passou a contar com a retaguarda do CHT.

“Inicialmente, como o perfil do hospital era de média complexidade, foram acionados leitos clínicos exclusivos. Simultaneamente, realizamos o treinamento de servidores, adquirimos equipamentos e, em breve, unidade hospitalar abrirá ala de leitos de Unidade de Terapia Intensiva para pacientes Covid-19”, ressaltou o diretor.

O primeiro equipamento que chegou ao Hospital São Sebastião, em fevereiro, foi o aparelho de raio-x digital que permite maior rapidez para a realização do exame de imagem. Neste momento, o aparelho é exclusivo para uso de pacientes Covid-19.

CHT – O Complexo do Hospital do Trabalhador é formado pelo Hospital do Trabalhador, o Hospital da Lapa São Sebastião e o Hospital de Reabilitação Ana Carolina Moura Xavier. Além destas unidades hospitalares, fazem parte também o Hospital de Infectologia e Retaguarda Clínica Oswaldo Cruz e o Centro de Atendimento Integral ao Fissurado Labiopalatal (Caif).

Informações AEN PR