Youtubers Curitibanos #01

Reunindo os vídeos da semana de Youtubers curitibanos! Sugestões de canais que podem estar aqui na semana que vem? Envie para contato@busaocuritiba.com.br

CANAL DO PUROSSO


CANAL DO CARMO

DREZZY

CANAL VOCÊ NÃO SABIA

CURITIBA COMEDY CLUB

HD LANCES

LUCAS600500

MAKA47

Cachorro Cajú é encontrado

O anúncio foi feito hoje pelo Instagram criado para divulgar o desaparecimento do cão @cade.caju. Este desaparecimento tomou grande repercussão nas mídias sociais.
Ele foi encontrado na porta de uma mulher chamada Luisa, que avistou o Cajú e ligou para Pedro e Lurryan.

Ver essa foto no Instagram

MINHA FAMÍLIA ESTÁ COMPLETA NOVAMENTE! Obrigado! ♥️✨🙏

Uma publicação compartilhada por Cajú (@cade.caju) em

HISTÓRIA – Após um acidente de carro na BR-116, km 78, contorno leste – o cachorro, que estava com seus donos Pedro Arrais e Lurryan dentro do carro, acabou se perdendo depois da colisão. Eles iam para São Paulo a trabalho, mas devido ao desaparecimento de Cajú ambos ficaram na cidade para encontrá-lo.

REPERCUSSÃO – Após divulgarem massivamente nas redes sociais e também em diversos veículos de comunicação de Curitiba, o caso ganhou grande notoriedade. A comoção foi tanta que pessoas não paravam de mandar fotos de cães que encontravam para os donos do Cajú, na esperança que fossem ele. A campanha foi endossada por celebridades como Luisa Mell, Anitta e Xuxa.

Curitiba faz homenagem às vítimas da explosão no Líbano

A Prefeitura de Curitiba promoveu na manhã deste sábado (8/8), às 11h, uma cerimônia em homenagem às vítimas da explosão que ocorreu na região portuária de Beirute, no Líbano, na última terça-feira (4/8). A solenidade reuniu autoridades diplomáticas e religiosas no Memorial Árabe, localizado na Praça Gibran Khalil Gibran, que fica na Avenida João Gualberto, 141, no Centro Cívico.

Na ocasião, foi entregue ao cônsul do Líbano no Paraná, Nizar Hachem, uma carta endereçada ao prefeito de Beirute, Jamal Itani, que será enviada pela embaixada libanesa do Brasil na próxima semana. A carta destaca a amizade e apreço que une brasileiros e libaneses, além de reverenciar os mortos e expressar solidariedade aos enlutados e desabrigados pela explosão que abateu a capital libanesa.

O ato ecumênico e cívico, contou com a presença do reverendo sheik Mahdi Elahi, da Mesquita Imam Ali ibn Abi Talib, que agradeceu a homenagem, além de citar versos do livro sagrado do Islã, o Alcorão. Já o padre Samaan Nasri, da Igreja Católica Ortodoxa Antioquina de São Jorge, declamou a oração do Pai Nosso pelas vítimas da tragédia e da covid-19 em todo o mundo.

“Que Deus conceda aos enfermos a honra de participar dos méritos sua paixão. Cure as suas enfermidades, consolando-os com sua constante presença”, disse o padre Nasri.

De acordo com Rodolpho Zannin Feijó, assessor de Relações Internacionais da Prefeitura, a homenagem renova os laços históricos de amizade entre Curitiba e a nação libanesa. “Seguiremos fortalecendo nossas relações com o Líbano, em especial neste momento de dificuldade”, destacou Feijó.

As autoridades fizeram 1 minuto de silêncio, além das orações, num ato simbólico em honra às vítimas. Até a manhã deste sábado (8/8), foram registrados 157 mortos, mais de 5 mil feridos e cerca de 300 mil desabrigados pela explosão. 

Também estiveram presentes na solenidade, o cônsul da Síria no Paraná, Gourg Abdullah; o superintendente da Guarda Municipal, Carlos Celso dos Santos Junior; o vice-presidente da Sociedade Beneficente Muçulmana do Paraná, Ibrahim Mohamed Charchich, e o diretor religioso da entidade Gamal Oumairi; além de outros representantes da comunidade árabe na cidade.

Carta endereçada ao prefeito de Beirute, Jamal Itani:  

Ao cumprimentar vossas excelências, profundamente consternado, informo que nossa cidade de Curitiba reverencia os mortos e se solidariza com enlutados e desabrigados pela explosão que abateu a mundialmente querida cidade de Beirute.

Isto o fazemos pela grande amizade e apreço que une brasileiros e libaneses e também em respeito a história desta belíssima capital, referência mundial em urbanismo, que remonta a uma antiga cidade fenícia, mencionada em hieróglifos egípcios já no século 15 antes de Cristo.

Os antigos gregos cantaram sua beleza. Os conquistadores romanos a reverenciaram chamando-a de “Júlia Augusta”. Os civilizados bizantinos nela conservaram uma prestigiosa Escola de Direito.

Capital da República do Líbano desde 1946. A “Paris do Oriente”, é sede de três Universidades e de um importante Museu Arqueológico guardião das descobertas no sítio várias vezes milenar de Biblos.

Minha mulher, Margarita Elizabeth Pericás Sansone, guarda esplêndidas memórias de seus dias de juventude ali passados com seus saudosos pais, em inesquecível viagem cultural. Lembro do nosso entusiasmo ao ver a reconstrução de Beirute depois das chagas que lhe imprimiu a dolorosa guerra civil.

Agora, no último dia 4 de agosto de 2020, a cidade de Beirute foi sacudida por danosa explosão de armazéns a beira da Baía de São Jorge, provocando luto libanês e consternação mundial.

Para reverenciá-la e, em consideração à contribuição dos imigrantes Libaneses na construção da nossa Curitiba e do Brasil moderno, vamos promover no sábado, 7 de agosto, na praça Gibran Khalil Gibran, junto ao Memorial Árabe, um tributo a Beirute, com preces pela sua consolação e pronta recuperação.

O ato ecumênico e cívico, além da minha presença, dos nossos secretários e do senhor Cônsul do Líbano em Curitiba, será honrosamente oficiado pelo reverendo Sheik Mahdi Elahi, da Mesquita Imam Ali ibn Abi Talib, e pelo reverendo Padre Samaan Nasri, da Igreja Católica Ortodoxa Antioquina de São Jorge.

Pedimos a Deus clemente e misericordioso; Alto e Glorioso Deus Único de todas as três religiões Monoteístas, que se digne a consolar o povo libanês e a duplicar o seu ânimo em mais um difícil momento histórico a ser superado por proverbial resiliência.

Tal o fazemos também ouvindo o imortal poeta libanês Gibran Kalhil Gibran que empresta seu glorioso nome à praça do Memorial: “Oceano de perdão e mar de ternura música fraterna que nos une/ em tuas profundezas depositamos nossos corações e almas. / Tu nos ensinaste a ver com os ouvidos /e a ouvir com os corações…”