Vacina canadense contra covid19 está sendo testada em Curitiba; saiba como participar

Uma nova vacina contra a covid-19, desenvolvida pela farmacêutica canadense Medicago, em parceria com a britânica GlaxoSmithKline, está em fase 3 de testes no Brasil. Na região de Curitiba, o Hospital do Rocio, em Campo Largo, selecionará 400 voluntários para testar o imunizante, que já teve o ensaio clínico aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Estudos também estão sendo realizados em São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Os interessados em participar do estudo devem morar em Curitiba ou na Região Metropolitana. Os voluntários devem ter 18 anos ou mais e atender a todos os requisitos (veja abaixo como se candidatar).

É preciso ter disponibilidade para comparecer às consultas agendadas, preencher diários sobre sintomas no seu celular — será necessário baixar um aplicativo —, coletar amostras de sangue e atender às ligações e mensagens que serão enviadas pela equipe. No mundo, serão recrutados 30 mil participantes na Europa, na América Latina, além de Estados Unidos e Canadá.

A vacina em teste é desenvolvida com partículas que são semelhantes ao vírus Sars-CoV-2, chamadas de VLPs (do inglês, viral-like particles). Porém, elas não são infecciosas, pois não contêm material genético viral. Essas VLPs foram inseridas na planta Nicotiana benthamiana — usada para produzir a vacina. O estudo vai avaliar se essa semelhança é suficiente para fazer o organismo produzir anticorpos capazes de prevenir a covid-19.

O cadastramento dos interessados não garante a inclusão no estudo, que só será efetivada no dia da primeira consulta, quando todos os critérios de elegibilidade estiverem revisados pela equipe de pesquisa. Os voluntários serão sorteados por um sistema informatizado para tomar a vacina ou placebo (sem o princípio ativo) e, se constatada a eficácia, todos receberão a vacina.

Como participar

Inscrições, informações detalhadas sobre o estudo e critérios: acesse o site svriglobal.com 

 Quem pode participar 

  • Ter 18 anos ou mais
  • Não ter recebido vacina para covid-19
  • Não ter diagnóstico prévio de covid-19
  • Podem ter condições clínicas que aumentam risco de covid-19 mas que não foram cobertas pelo Programa de Vacinação do SUS, como, por exemplo, tabagismo, obesidade leve, alcoolismo e doença psiquiátrica
  • Mulheres em idade fértil devem estar utilizando método anticoncepcional por até um mês após a segunda dose da vacina (duas doses, zero e 21 dias)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gaeco e PM prendem 16 pessoas suspeitas de tráfico de drogas em esquema no Centro de Curitiba

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MPPR), e o 12º Batalhão de Polícia Militar do Paraná cumprem nesta terça-feira (19) 16 mandados de prisão preventiva e dez mandados de busca e apreensão em Curitiba e também em Piraquara e Pinhais, na Região Metropolitana. A ação faz parte da operação denominada Marco Zero, que investiga possíveis crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas no centro da capital.

As ordens judiciais foram expedidas pelo Juízo da 5ª Vara Criminal de Curitiba e são cumpridas em diversas residências, uma pousada e um estacionamento. O coordenador estadual do Gaeco do MPPR, Leonir Batisti, afirma que entre os alvos dos mandados de prisão, sete já têm sentença condenatória e quatro foram recentemente denunciados pelo MPPR.

“Desses 16, pelo menos 11 pessoas estão continuamente traficando e portanto são criminosos habituais infelizmente. Isso que levou à necessidade de uma ação mais organizada com a finalidade de fazer cessar, pelo menos momentaneamente, essa situação de tráfico no centro de Curitiba”, explicou Batisti.

Ainda segundo o coordenador estadual do Gaeco, acredita-se que alguns dos alvos da operação escondiam as drogas em casa, outros em carros dentro de estacionamentos ou em quartos de hotel.

“Essa estrutura ela se compunha de uma pessoa que era a atacadista, por assim dizer, e demais seis pessoas que gerenciavam e vendiam as drogas. Depois havia mais oito pessoas que vendiam drogas no varejo, como se diz, e tinha uma espécie de supervisor que supõem-se seja ligado à facção criminosa também”, concluiu Batisti.

Profissionais de hospital de Curitiba comemoram primeiro dia sem casos na UTI de Covid-19

O dia 18 de outubro de 2021, segunda-feira, já entrou para a história de um hospital de Curitiba: desde março de 2020, quando iniciou a pandemia, este foi o primeiro dia sem casos de Covid-19 ativos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Marcelino Champagnat.

“Foi um ano e meio muito intenso, de muitas provações para mim e todos os meus colegas, mas a gente conseguiu vencer graças à ajuda da população também”, comemorou a médica intensivista do hospital, Silvia Maria Nascimento Ferreira.

No auge da pandemia, o hospital registrou lotação máxima de 52 pacientes, com ‘fila de espera’ para internamento.

“Tivemos essa grande notícia exatamente no dia do médico, então foi um presente que trouxe uma sensação de alívio e dever cumprido”, explicou Jarbas da Silva Motta Junior, também médico do hospital.

Covid-19

A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba registrou, nesta segunda-feira (18), 96 novos casos de covid-19 e cinco óbitos de moradores da cidade infectados pelo coronavírus. Dois destes óbitos ocorreram nas últimas 48 horas.

As vítimas são dois homens e três mulheres, com idades entre 43 e 82 anos. Duas pessoas tinham menos de 60 anos.

Até o momento, foram contabilizadas 7.685 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia.

Novos casos

Com os novos casos confirmados, 295.372 moradores de Curitiba testaram positivo para a covid-19 desde o início da pandemia, dos quais 285.398 estão liberados do isolamento e sem sintomas da doença.

São 2.289 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

Leitos do SUS

Nesta segunda-feira (18/10), a taxa de ocupação dos 235 leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19 está em 42%. Restam 136 leitos livres.

A taxa de ocupação dos 209 leitos de enfermarias SUS covid-19 está em 50%. Há 105 leitos vagos.

A SMS esclarece que os dados da ocupação de leitos em Curitiba são dinâmicos, com alterações ao longo do dia.

Informações Banda B