Usar água potável para lavar calçadas em Curitiba pode passar a ser proibido por lei

Usar água potável para lavar calçadas em Curitiba pode passar a ser proibido por lei. A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) analisa, nesta terça-feira (18), o projeto de lei para proibir o uso de água potável para lavar calçadas. A capital e a região metropolitana estão, desde maio do ano passado, em situação de emergência hídrica, decretada pelo Governo Estadual devido à estiagem, e os moradores enfrentam uma rotina de rodízios do abastecimento há mais de 1 ano, em plena pandemia da Covid-19.

Segundo dados da Sanepar o nível dos reservatórios que abastecem Curitiba está em 54,78%, neste dia 17 de maio, índice considerado baixo pela empresa, e por isso ainda mantém o rodízio do abastecimento.

O autor da proposta, o vereador Dalton Borba (PDT) alerta sobre a importância da preservação do meio ambiente e dos recursos hídricos, principalmente nesse período que enfrentamos uma das maiores crises hídricas dos últimos 50 anos no Paraná.

“O projeto objetiva coibir o uso indiscriminado da água potável, recurso natural finito que é essencial para a existência tanto do ser humano quanto dos demais seres vivos. A lei tem caráter educativo pedagógico, e o cidadão pode usar água de reuso, da máquina de lavar para fazer a limpeza “ , disse Borba.

A ideia é incluir a proibição no texto da lei municipal 10.785/2003, que dispõe sobre o Programa de Conservação e Uso Racional da Água nas Edificações (PURAE). 

Conforme o projeto de lei, água potável é “aquela apropriada para o consumo humano”. A quem descumprir a regra, inicialmente seria feita a orientação sobre o uso racional da água. Se a infração persistir, é proposta uma advertência por escrito. 

Se mesmo assim a lei for descumprida, caberá aí a aplicação de multa de R$ 250. O valor da multa pode chegar a R$ 500, em caso de reincidência e será reajustado anualmente pelo índice de atualização monetária aplicado pelo município. Se aprovada pelos vereadores e sancionada pelo prefeito Rafael Greca, a lei entrará em vigor 180 dias após a publicação no Diário Oficial do Município.

Informações Banda B

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Foragido da Justiça é preso na fila de vacinação do Pavilhão da Cura do Barigui

Nesta quinta-feira (22/07), um homem foragido da Justiça foi preso na fila de vacinação do Pavilhão da Cura do Parque Barigui.

Guardas municipais viram o rapaz tumultuando a fila e foram até ele, que se mostrou bastante nervoso e dizia querer se vacinar o mais rápido possível.

O homem estava sem documentos, mas depois de os guardas municipais levantarem seus dados, foi constatado que tratava-se de um foragido da Justiça com um mandado de prisão em aberto. O suspeito de 45 anos já tinha passagens por dano qualificado, roubo e injúria racial.

Foragido da Justiça é preso fila de vacinação do Pavilhão da Cura do Parque Barigui. Foto: Divulgação

Como não tinha documentos, o suspeito não recebeu a vacina e foi conduzido para a Divisão de Vigilância e Capturas, no Centro.

Starbucks anuncia novas unidades nos shoppings Palladium e Jockey Plaza

A Starbucks, em parceria com o Grupo Tleca, anunciou mais duas novas unidades em Curitiba, nos shoppings Palladium e Jockey Plaza.

“Estamos entusiasmados com a chegada da Starbucks ao Paraná e para uma cidade tão moderna e charmosa como Curitiba.  Estamos confiantes de que nossas lojas serão um ambiente acolhedor, onde nossos clientes curitibanos poderão se conectar com amigos e familiares, enquanto tomam uma xícara de café”, celebra Claudia Malaguerra, diretora geral da Starbucks no Brasil.

As obras no Shopping Palladium já foram iniciadas. Já no Jockey Plaza, o projeto arquitetônico ainda está em desenvolvimento.