Tite explica presença de Daniel Alves e elogia nova geração ofensiva

Depois de anunciar os 26 convocados da seleção brasileira para a Copa do Mundo do Catar, nesta segunda-feira (7), no auditório da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o técnico Tite foi questionado, em entrevista coletiva, sobre a presença de Daniel Alves na lista. O lateral-direito, de 39 anos, atualmente defende o Pumas (México), mas não disputa uma partida oficial desde 24 de setembro e vem treinando com o time B do Barcelona (Espanha), atrás da melhor forma física. Ele é o jogador mais velho a ser chamado para defender o Brasil em um Mundial.

O veterano, que disputará o quarto Mundial da carreira, era dúvida, após ficar fora dos jogos contra Gana e Tunísia, nos dias 23 e 27 de setembro, os últimos antes da convocação desta segunda. Para começar a responder, Tite pediu ao preparador físico da seleção brasileira, Fábio Mahseredjian, que explicasse a ausência do lateral na ocasião, antes de justificar os papéis técnico e tático do jogador na equipe.

“O Dani não veio na convocação de setembro por causa de problemas físicos diagnosticados pelo nosso fisiologista. Ele estava com baixos níveis de potência e força. Dissemos a ele que precisava melhorar esses índices. E ele respondeu: missão dada é missão a ser cumprida. Ele mostrou grande evolução. Quero agradecer à comissão do Rafa Marquez [técnico do Barcelona B], que nos mostrou números que deram segurança no aspecto físico, mostrando que o Dani Alves, que treina com eles desde 12 de outubro, é o mesmo que esteve conosco em 2022 e na Olimpíada [em Tóquio, no Japão, no ano passado]. No aspecto físico, ele se encontra apto”, esclareceu Mahseredjian.

“As pessoas têm que entender que os laterais na equipe brasileira, na medida que temos pontas, são laterais construtores. A qualidade técnica individual que o Dani Alves empresta nesse sentido é impressionante, sendo um articulador, um organizador. Não temos nele um jogador que vai e volta. Essa é a função dele”, completou Tite.

Na outra ponta, o técnico brasileiro enalteceu a renovação do elenco que vai ao Catar, principalmente no setor ofensivo. Dos 26 convocados, 16 disputarão uma Copa pela primeira vez, sendo sete atacantes (entre os nove chamados): Vinícius Júnior, Rodrygo, Raphinha, Richarlison, Pedro, Antony e Gabriel Martinelli. Os demais estreantes são o goleiro Weverton, os zagueiros Bremer e Éder Militão, os laterais Alex Telles e Alex Sandro, os volantes Fabinho e Bruno Guimarães e os meias Lucas Paquetá e Everton Ribeiro.

“Quero bater na tecla do equilíbrio. Isso é fundamental não só no esporte, mas na vida. Temos uma geração de atletas de alto nível, que estão se convocando. Não sou ‘eu’, eles estão buscando e o fazem na medida que têm versatilidade. Priorizamos atletas importantes no meio para frente, sem fugirmos à ideia de termos uma equipe equilibrada. Para vencermos em alto nível, precisamos de criação e gols. Temos uma parcela maior de atletas convocados nesse sentido, mas a consistência defensiva gera o ponto de equilíbrio para vencermos”, comentou Tite, detalhando, em especial, a presença de Martinelli, o mais jovem da lista, com 21 anos e três meses.

“Martinelli é um externo, um ponta agressivo, que tem sido um dos destaques do Arsenal, líder da Premier League [Campeonato Inglês]. É um jogador de transições em velocidade, esteve conosco em duas convocações e veio mantendo o alto nível. É um atleta que [se encaixa] nas características, no modelo de jogo. Precisamos de jogadores incisivos pelos lados”, concluiu o treinador.

Os convocados se apresentam à seleção na próxima segunda-feira (14), em Turim (Itália), onde o grupo se concentrará por cinco dias no centro de treinamento da Juventus, antes da viagem para Doha (Catar). A estreia na Copa será no próximo dia 24, às 16h (horário de Brasília), no Estádio Lusail, contra a Sérvia. No dia 28, às 13h, o Brasil terá pela frente a Suíça, no Estádio 974. No dia 2 de dezembro, os comandados de Tite voltam ao Lusail, para encarar Camarões, às 16h, encerrando a participação no Grupo G, pela primeira fase.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Copa: Brasil enfrenta Camarões tentando manter 100% de aproveitamento

A seleção brasileira encerra sua participação na primeira da Copa do Catar, a partir das 16h (horário de Brasília) desta sexta-feira (2) no Estádio de Lusail, em partida contra Camarões. Após vitórias sobre a Sérvia e a Suíça nas rodadas anteriores, a expectativa é de que o Brasil some mais três pontos de forma a encerrar sua participação no Grupo G com 100% de aproveitamento.

Com a classificação para as oitavas de final já assegurada, o técnico Tite decidiu poupar os jogadores considerados titulares, o que também lhe permitirá observar atletas que tiveram poucas oportunidades de mostrar serviço. “Só posso mensurar quantos atletas posso utilizar em sequência com eles produzindo em campo. É uma oportunidade de alto nível de eles competirem. É um risco? Sim, mas uma oportunidade para mostrarem toda sua qualidade”, declarou o treinador em entrevista coletiva na última quinta-feira (1).

Considerando três ausências certas por lesão (Neymar, Danilo e Alex Sandro) e as últimas atividades do Brasil no Catar, a expectativa é de que o Brasil entre em campo com uma equipe completamente nova. Uma possível escalação da seleção para o jogo com Camarões é: Ederson; Daniel Alves, Militão, Bremer e Alex Telles; Fabinho, Fred e Rodrygo; Antony, Gabriel Jesus e Martinelli.

Daniel Alves, inclusive, viverá um momento especial diante de Camarões. Aos 39 anos de idade, o lateral se tornará o jogador mais experiente a vestir a camisa da amarelinha em um Mundial de seleções da Fifa. “Isso é motivo de orgulho, motivo de estar aqui e ainda defender a seleção. São muitos anos de história e agora é hora de encerrar o ciclo dentro da seleção brasileira jogando uma Copa do Mundo. Para mim é uma satisfação muito grande”, declarou.

Se o Brasil chega em uma situação confortável à partida, à seleção africana (que soma apenas um ponto após duas rodadas) uma vitória é fundamental para continuar sonhando com uma vaga nas oitavas.

E o técnico de Camarões, Rigobert Song, afirmou, em entrevista coletiva, que sua equipe não abdicará de uma postura ofensiva que lhe permita buscar a classificação: “Não pensamos em como eles [Brasil] se comportarão, mas pensamos em como nós vamos nos comportar. É certo que eles têm a vantagem da classificação. Não queremos pensar em como eles vão nos atacar, mas em como nós os atacaremos. Não me interessa o que eles farão e nos preparamos para jogar uma partida digna. É uma final”.

Para esta partida uma ausência é certa, do goleiro titular André Onana, suspenso por motivos disciplinares. Assim, Epassy deve ocupar a posição. Outra novidade pode ser a entrada do camisa 10 Aboubakar, que foi decisivo no empate de 3 a 3 com a Sérvia, partida na qual marcou um gol e deu uma assistência.

Com isso, uma possível escalação de Camarões para o jogo com o Brasil é: Epassy; Fai, Castelletto, N’Koulou e Tolo; Hongla, Anguissa e Kunde; Aboubakar, Choupo-Moting e Ekambi.


Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 100 milhões

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.544 da Mega-Sena, cujo prêmio na faixa principal estava estimado em R% 65 milhões. O sorteio foi realizado na noite dessa quarta-feira (30), no Espaço da Sorte, na cidade de São Paulo.

De acordo com a Caixa, o prêmio para o concurso 2.545, que será realizado no próximo sábado (3), deverá pagar R$ 100 milhões. Foram sorteadas as seguintes dezenas: 25 – 38 – 45 – 53 – 55 – 56.

A quina registrou 71 apostas vencedoras, cada uma vai pagar um prêmio de R$ 61.889,52. Já a quadra teve 6.119 ganhadores. Eles vão receber individualmente R$ 1.025,88.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo país ou pela internet. A aposta simples, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4.50.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil