Teatro Novelas Curitibanas – Claudete Pereira Jorge recebe espetáculos, pocket shows, instalações e performances durante todo o mês de outubro

Durante todo o mês de outubro, o Teatro Novelas Curitibanas – Claudete Pereira Jorge recebe 20 atrações gratuitas, com programação gratuita para toda a família. Isso porque a 2ª edição da Mostra Claudete Pereira Jorge, que acontece entre os dias 08 e 28 de outubro, promove uma verdadeira ocupação do Teatro, com espetáculos adultos e infantis, pocket shows, instalações e performances. A Mostra ainda oferece oficinas, realizadas em outros espaços culturais da cidade.

Ao todo, quatro pocket shows vão ocupar o palco do Teatro — batizado em homenagem à atriz Claudete Pereira Jorge, que também dá nome à Mostra —, sempre antecedendo uma apresentação de teatro. No dia 14, a artista Klüber apresenta as canções do recém-lançado disco “Pra Duvidar”. Já no dia 20, é a vez de Daniel Montelles, músico maranhense radicado em Curitiba, subir ao palco com as canções de “Matriz”, seu novo trabalho. No dia 21, o casal de músicos Yoná Masullo e Claudemir Franco entretem a plateia com músicas autorais e instrumentos de corda. A agenda de pocket shows se encerra no dia 22 de outubro, quando Chico Paes se apresenta com voz e violão.

Além do palco, o hall do Teatro também é ocupado com exposição, manifesto, aberturas de processos e performances. Durante todo o período da Mostra, o público pode visitar a exposição “CLAU”, do artista Samuel Gallo, que utiliza de formas com tinta acrílica, carvão, caneta,  texturas e diversos corantes naturais, como o café, chás e vinho para  homenagear e celebrar a trajetória de Claudete Pereira Jorge. No dia 09 de outubro, Marcel Malê faz a leitura de trechos do manifesto autoral “Até Quando?”. No feriado do dia 12, a atriz Helena de Jorge Portela realiza a abertura de processo da obra “O Barco”, nova montagem da Cia. Fluctissonante que leva a audiodescrição para dentro da cena. No dia 16, acontece a intervenção/performance “Dentro do Peito uma Bomba”, da atriz Patrícia Cipriano. Outra abertura de processo acontece no dia 19, dessa vez com “Dito”, da Súbita Companhia de Teatro. No dia 23, a “rádiO atalalaiA – O Amor Está no Ar” chega com a proposta de promover uma transmissão “corpa a corpa”. Para fechar a programação de ações paralelas, a artista Stéfano Belo se apresenta com a performance “Acarajé Dada Pocket Show”.

A programação também oferece quatro oficinas gratuitas para artistas e público interessado: “Introdução ao teatro para surdas e surdos”, com Catharine Moreira e Helena de Jorge Portela, no Sesi Paula Gomes. Já a Biblioteca Pública do Paraná recebe as oficinas “Criação autoral”, com Maíra Lour, “O corpo e a voz”, com Katia Drumond e “Cabaré jogo ferida obra aberta”, com Ricardo Nolasco. O artista Chico Paes realizará, em escolas da rede pública de ensino, a oficina direcionada “Meu Primeiro Samba”, em que alunos do ensino médio da rede pública poderão compor suas primeiras letras.

Já a programação teatral, que é o foco principal da Mostra, fica por conta de “A memória é uma ilha de edição”, com Arthur Augustus e Igor Kierke, e “Karingana Ua Karingana! – Histórias de Áfricas”, do Grupo Baquetá, nos dias 08 e 09; “Alexandria 8836BR”, com o Grupo P.U.T.O, nos dias 13 e 14; “Os Reis do Ringue” e “Caça às Bruxas”, dos coletivos drags Kings Of The Night e PsicoDrags, nos dias 15 e 16; “Tropeço”, da Tato Criação Cênica, nos dias 20 e 21 de outubro; “Carmela, Caramelo e Remela”, da Arto Companhia de Teatro, e “O Arquipélago”, da Súbita Companhia de Teatro, no final de semana dos dias 22 e 23; “Trava Bruta”, com a atriz Leonarda Glück, nos dias 26 e 27 e; “Cabaret Tarot” + “Um bailinho perdido”, ambos da Selvática Ações Artísticas, no dia 28, para fechar a Mostra.

Uma apresentação de cada espetáculo contará com interpretação simultânea em Libras, sendo “A memória é uma ilha de edição” no dia 08, “Karingana Ua Karingana! – Histórias de Áfricas” no dia 09, “Alexandria 8836BR” no dia 14, “Caça às Bruxas” no dia 16, “O Arquipélago” no dia 23, “Trava Bruta” no dia 27 e “Cabaret Tarot” + “Um bailinho perdido” no dia 28.

O diretor de produção da Mostra, Igor Augustho, comenta sobre a pluralidade da programação. “A ideia é que o público possa, também, ocupar o teatro de outros modos. Em uma mesma noite é possível assistir a um pocket show e uma peça de teatro, ampliando a experiência de quem vier ao Novelas e possibilitando outros olhares para o panorama das artes de Curitiba. Às vezes, o público que viria assistir a uma peça específica, acaba tendo contato com um músico que não assistira normalmente”, diz ele.

O evento, realizado pela Cia. Fluctissonante, NBP Produções e Pomeiro Gestão Cultural, reúne uma intensa programação gratuita, com produções consagradas ou que estão em destaque na cena curitibana, de modo a democratizar o acesso à cultura da população. A primeira edição aconteceu nos meses de junho e julho de 2019 e apresentou um breve recorte da produção artística em voga na época. 

PROJETO REALIZADO COM RECURSOS DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA.

Sobre Claudete Pereira Jorge
Claudete Pereira Jorge nasceu em Ponta Grossa em 1954. Com 20 anos, recém chegada de Cascavel, foi convidada para substituir uma atriz que havia faltado um ensaio. Pronto! Foi o que bastou para que, daquele dia em diante, além de substituir a faltosa em definitivo, demonstrasse o talento nato para o teatro. Desde o início da carreira integrou a NBP Produções, dirigindo e atuando em diversas montagens. Paralelamente, esteve em dezenas de espetáculos curitibanos. Com a direção de Manoel Carlos Karam em “O Cavalo Branco De Napoleão”; Antônio Carlos Kraide em “Curitiba Velha de Guerra” e “A Dama de Copas e o Rei de Cuba”; Oraci Gemba em “Zumbi”, “Via Cruscis” e “O Cerco da Lapa”; Felipe Hirsch em “Por um Novo Incêndio Romântico” e Marcelo Marchioro em “Pequenos Assassinatos”, “Lulu”, “Medeia”, “À Grega” e “Pico na Veia”, sendo que por estes dois últimos ganhou o Troféu Gralha Azul de Melhor Atriz. Claudete se tornou grande amiga do diretor Ademar Guerra e, sob a sua direção, atuou em “Noite na Taverna”, “Colônia Cecilia”, entre outras peças. Sob a direção de Octavio Camargo, atuou em “Leminski – A justa razão aqui delira” e “Catatau”. Além de Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, e a convite da primeira Bienal de Arte Contemporânea de Tessalônik na Grécia, apresentou em Atenas, Berlim, Skopje e Amsterdam o Canto I da Ilíada de Homero na língua portuguesa. Em Curitiba, esteve junto a grupos como Cia. Fluctissonante, Selvática Ações Artísticas, Minha Nossa, Tamanduá Produções, TCP, CiaIliadaHomero, entre outros. Claudete Pereira Jorge, atuou em muitos outros trabalhos, com outros tantos diretores e diretoras e com diversos atores e atrizes de Curitiba em teatro e cinema. Nos deixou, desde 2016, um legado incalculável, que merece ser respeitado, lembrado e aplaudido pelas futuras gerações das artes brasileiras.

SERVIÇO
2ª Mostra Claudete Pereira Jorge
De 08 a 28 de outubro
No Teatro Novelas Curitibanas – Claudete Pereira Jorge
Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1.222 – São Francisco, Curitiba
Entrada gratuita – distribuição de ingressos uma hora antes de cada apresentação.

Mais informações no Instagram da Mostra: https://www.instagram.com/mostraclaudete/ 

A MEMÓRIA É UMA ILHA DE EDIÇÃO
8 e 9/out I 20h00 I Arthur Augustus + Igor Kierke I 16 anosSINOPSE: O espetáculo tem em seu DNA a marginalidade e a transcendência: surge sobre a divindade muito humana, como uma flor no lixão. Livremente inspirada nos textos do poeta Wally Salomão – muitos deles escritos no presídio – e em pilares como Augusto Boal e Glauber Rocha, a peça une o teatro e a performance. “A memória é uma ilha de edição […] O indesejado das gentes entrou enfim na cidade. […] A cidade é uma nebulosa de sonho. […] Viajar, para que e para onde, se a gente se torna mais infeliz quando retorna? […] Onirismo miserável. […] Experimentar o experimental. […]”

KARINGANA UA KARINGANA! – Histórias de Áfricas
8 e 9/out I 15h00 I Grupo Baquetá I LivreSINOPSE: Contar uma história é encontrar as sementes e puxar da raiz a nossa própria história. Essas são chamadas de karinganas em Moçambique, um dos 55 países do Continente Africano, e divertem e ensinam adultos e crianças. Para que a história comece, o contador grita: “Karingana ua Karingana?” E quem ouve, responde: “Karingana!”. As karinganas, contadas em roda, são ricas em ritmos, danças, cores e ancestralidade. De onde vem nossas raízes? Composto por contos de origem africana e afro-brasileira,o espetáculo traça uma rota de identificação com nossas raízes negras, a contribuição para a construção do país e herança cultural. 

MANIFESTO ATÉ QUANDO?
Dia 09/out I 19h20 I Marcel Malê I Livre SINOPSE:  Leitura de trechos do “manifesto até quando?” que propõe reflexões sobre inclusão e tokenismo, elaborado pelo ator Marcel Malê. 

O BARCO – Abertura de Processo
12/out I 20h00 I Cia. Fluctissonante I 16 AnosSINOPSE: Em seu mais recente espetáculo, a Cia. Fluctissonante propõe-se, pela primeira vez, criar um espetáculo que leva a audiodescrição para dentro da cena. Continuando a pesquisa iniciada em “Foi Assim Que O Oceano Invadiu a Minha Casa”, Helena de Jorge Portela revisita suas memórias familiares, desta vez homenageando seu pai, Nautilio Bronholo Portela, que em 2022 comemora 50 anos de trajetória no teatro. Nesta abertura do processo que teve início em 2022, através de residência artística no festival Acessa BH, Helena realizará a leitura do texto de sua autoria, em que, frente ao teatro vazio, rememora sua trajetória no teatro. 

ALEXANDRIA 8836BR
13 e 14/out I 20h00 I Grupo P.U.T.O I 16 anosSINOPSE: Quais as chances de se evitar uma tragédia anunciada?  O que se espera do futuro que se constrói nesse presente caótico? De que serve um artista no meio de tudo isso? Essas (e algumas outras) questões conduziram o processo de criação que metaforiza o Brasil pandêmico e pandemônico para ALEXANDRIA 8836BR: Uma nave. Uma arca. Uma biblioteca. Um bunker. Uma cápsula do tempo. Uma tentativa de salvar a humanidade, de antemão frustrada, por não conseguir precisar o que “humanidade” significa.

PRA  DUVIDAR 
14/out I 19h20 I Joã Klüber I LivreSINOPSE: Klüber apresenta em seu show canções do disco Pra Duvidar, recém-lançado em 23 de setembro. Trans não-binária, a artista se apresenta ao piano numa concepção intimista, ácida, pragmática e terna.

O REI DO RINGUE + CAÇA ÀS BRUXAS
15 e 16/out I 20h00 I Kings Of The Night + PsicoDrags I 18 anosSINOPSE: Essa minimostra reúne os trabalhos ‘Caça às bruxas’, das Psicodrags, e ‘O rei do ringue’, dos Kings of the night, coletivos com base em Curitiba que partem do transformismo e do burlesco, com humor, crítica, acidez e com uma relação direta e dinâmica com o público, típica do formato cabaré. “Caça às bruxas” (2019) reúne números e performances musicais, teatrais, burlescas e de dublagem, tendo como foco as bruxas, não só as bruxas do imaginário europeu, mas a bruxa como a figura que tem o potencial de ser perseguida e de segurar o tranco. Já “O rei do ringue”, traz paródias da masculinidade, recriando em um espaço cultural um dos lugares considerados mais masculinos na nossa sociedade: um ringue de luta. Nesse ringue surgem as personalidades totalmente diversas de cada king, debochadas, irônicas, filosóficas, absurdas.
*O Rei do Ringue será apresentado no dia 15 e Caça às Bruxas será apresentado no dia 16.

DENTRO DO PEITO UMA BOMBA
16/out I 19h20 I Patricia Cipriano I Livre  SINOPSE: Pela cidade um corpo campo minado em trânsito. Um corpo que rejeita a mulheridade e invoca a fúria retirada a força em detrimento da doçura enfiada goela abaixo! “dentro do peito uma bomba” é uma intervenção e performance criada por Patricia Cipriano em parceria com Amira Massabki, as matérias primas deste acontecimento são o mito da medusa e a pedra. Aqui o olhar que cruza não petrifica e sim convoca. Já não há mais heróis, eles viraram escombros e o marco zero é aqui agora.  Este trabalho também é um convite para erguer novos monumentos e contar outras histórias a partir da pergunta: o que podem os corpos que portam bombas dentro do peito? 

DITO – Abertura de Processo
19/out I 20h00 I Súbita Companhia I 16 AnosSINOPSE: Dito é um  processo de criação no qual o ator Pablito Kucarz coloca em perspectiva sua construção de imagem de pai e de filho. Expõe universos distintos que coabitam para abrir possibilidades de fala entre eles, a partir de uma história familiar erguida através do silêncio sobre assuntos sensíveis. Esta proposta aprofunda a pesquisa da Companhia em teatro documental e auto ficcional iniciadas no projeto Habitat, composto por 6 solos autorais que estrearam em 2019. 

TROPEÇO
20 e 21/out I 20h00 I Tato Criação Cênica I 14 anosSINOPSE: Tropeço trata das relações humanas ao mesmo tempo em que fala da solidão. O espetáculo traz à cena a relação de duas personagens em seu cotidiano de vida em comum. A partir da linguagem da animação corporal, cria-se um mundo onde dois atores manipuladores e suas mãos dão vida a duas velhas que moram juntas. Partindo da costumeira visão que temos da velhice mostra-se sua solidão e as pequenas ações rotineiras num universo de sutileza e extravagância, poesia e comicidade em mãos que andam, dançam, bebem, respiram, riem e choram.

MATRIZ 
20/out I 19h20 I Daniel Montelles I LivreSINOPSE: Após o lançamento de seu primeiro EP “Imensidão” o músico maranhense, radicado em Curitiba, Daniel Montelles, apresenta seu novo trabalho. Matriz nasce do desejo apaixonante do artista em trazer aos palcos as vozes das Marias de sua família, mulheres anônimas, mães, filhas, esposas, mães de santo, seus amores e os ventres de mulheres que lutaram e resistiram apesar da estrutura social e financeira. Daniel cresceu no seio matriarcal de sua família paterna. Aprendeu a ler e escrever com sua avó Maria Dulcey e teve em sua mãe, Lucia, cabeleireira e manicure sua fonte de inspiração.

DUETO EM CY – SOM DE BOLSO
21/out I 19h20 I Yoná Masullo e Claudemir Franco I LivreSINOPSE: O Dueto em CY surgiu em 2017 e é formado pela professora e musicista Yoná Masullo no Violino, além de seu esposo, o músico e compositor curitibano Claudemir Franco no violão. Para a II Mostra Claudete Pereira Jorge, o Dueto em CY apresentará o Som de Bolso. Um pocket show de trinta minutos que conta com músicas autorais de Claudemir Franco.

O ARQUIPÉLAGO
22 e 23/out I 20h00 I Súbita Companhia de Teatro I 14 AnosSINOPSE: O solo do ator Pablito Kucarz, leva a cena a história de sua mãe. Uma mulher comum, como diversas outras mães que abandonaram sua casa muito jovens para trabalhar na cidade grande. Também se permite questionar esta história quando, em busca de sua própria identidade, se confronta com temas como preconceito, bullying, machismo e violência. Com tom suave, a narrativa tem ares de fábula pessoal ao lançar mãos de metáforas poderosas: a família que é um arquipélago, juntos porém separados pela água salgada; o garoto mariposa, agredido por ser diferente dos outros garotos; a pedra lançada como um projétil que, ao invés de ferir, prefere dançar.

CARMELA, CARAMELO E REMELA
22 e 23/out I 15h00 I Arto Companhia de Teatro I LivreSINOPSE: Não existe melhor investigador no mundo que uma criança, seja de verdade ou de brincadeira. Nesse espírito de descobertas – Feijó, Cadu, Teteia e Babu – mergulham numa deliciosa aventura para decifrar um enigma de uma carta misteriosa. E que enigma! As crianças desvendam mais que apenas uma charada: caminham pela descoberta das próprias emoções, lembranças e reconhecem um talento precioso e essencial escondido no interior de cada uma delas. Inspirada no livro da poetisa Adélia Prado – Quando eu era Pequena, essa é uma jornada sobre as gostosuras da infância e a nossa essência mais rica: a habilidade de sermos poetas. 

CHICO PAES – VOZ E VIOLÃO
22/out I 19h20 I Chico Paes I 12 anosSINOPSE: Chico Paes nos apresenta seu show voz e violão em um clima intimista, uma experiência singular entre o artista e o espectador por meio da canção em sua forma mais pura. Suas músicas permeiam a vida cotidiana, as dores e amores, experimentando as possibilidades criativas entre os gêneros brasileiros regionais e sonoridades contemporâneas dos grandes centros urbanos globais. Uma voz marcante e um violão certeiro nos levam por caminhos entre o tradicional e o desconhecido.

rádiO atalalaiA – O Amor Está no Ar
23/out I 19h20 I Filhas da Fruta I 14 anos SINOPSE: A radiO atalalaiA sintoniza com você o quadro “O Amor está no Ar”. Quer enviar um bilhetinho amassado, uma indireta certeira, um recado musical, uma notícia inventada, um correio galante para alguém especial ou pessoa desconhecida?  Esse é o momento!  rádiO atalalaiA uma rádio de transmissão corpa a corpa “a única rádio que toca em você”.

TRAVA BRUTA
26 e 27/out I 20h00 I Leonarda Glück + Pomeiro Gestão Cultural I 18 AnosSINOPSE: Partindo de sua experiência transexual, Leonarda Glück apresenta um manifesto cênico que propõe uma ponte e também um contraponto entre o contexto artístico e a atual conjuntura política e social do Brasil no campo da sexualidade. Sozinha em cena, a atriz e dramaturga discute a relação da cultura com a transexualidade, discorre sobre como é ser uma artista trans no país de hoje e de que forma a sociedade reage a um corpo que provoca, a um só tempo, repulsa e desejo. Para tanto, o espetáculo busca tensões entre a ficção e a realidade, costurando diversas camadas de artificialidade, como videoprojeções, efeitos sonoros, filtros de redes sociais (que modificam a aparência da atriz) e artifícios de figurino, que ora revelam, ora ocultam. São recursos que vão sendo destruídos e desconstruídos ao longo da narrativa, num constante questionamento sobre quais ficções são permitidas e quais diversidades são aceitas.

CABARET TAROT + UM BAILINHO PERDIDO
28/out I 20h00 I Selvática Ações Artísticas I 18 anosSINOPSE: Pés marcados no cimento quase duro de uma política mercado imobiliário de revitalização. No corpo do performer entrelaçam-se mitologias, memórias, percursos, vidas, acontecimentos.
É um recipiente alquímico- encruzilhada- lápide sacrificial.
Carta manifesto esquizo bruxaria rito jocoso carregada de sarcasmo e ironia.
Espetáculo bufo.
Tragédia pós e pré dramática.
Opereta work in progress xamã.
Ditirambo.
Vida vagabunda, destino vadio, carne de carnaval.
GILDA É PURO JAZZ!
Entre cartas, canções, memórias, fragmentos e cenas entramos juntes em um cabaret imaginário de evocação a Gilda: exercício radical de ficção e reconstrução da realidade. Cabaret tarot é um estudo do tarot através da prática do cabaré. O tarot é um cabaret de mesa.

ACARAJÉ DADA
28/out I 19h20 I Stéfano Belo I Livre  SINOPSE: Um acarajé pout-pourri batido com pimenta e tempero para Claudete Pereira Jorge

CLAU por Samuel Gallo
Visitação permanente I Samuel Gallo I LivreSINOPSE: Samuel Gallo, homenageia e celebra a trajetória de Claudete Pereira Jorge, expondo o que chama de “retratos experimentais” da atriz. Buscando a representação da realidade e do sonho, ele reúne estes dois universos, criando formas com tinta acrílica, carvão, caneta,  texturas e diversos corantes naturais, como o café, chás e vinho.

FICHA TÉCNICA
Direção Artística:
Nautilio Portela
Curadoria: Helena de Jorge Portela e Igor Augustho
Mediação Bate Papos: Luciana Romagnolli
Tradução Libras: Taepé – Libras e Cultura
Identidade Visual 2022: Pablito Kucarz
Ilustração Identidade Visual: Conde Baltazar
Assessoria de Imprensa e Marketing Digital: Platea Comunicação e Arte
Assessoria em Mídias Sociais (Orgânicas): Bruna Bazzo
Direção de Produção: Igor Augustho 
Produção Executiva: Gabriela Berbert
Assistentes de Produção: Bruna Bazzo e Rebeca Forbeck 
Estagiáries de Produção: Alyssa Riccieri, Babi Ferreira, Gabriel Spanemberg, Mariana Pinheiro
Direção Técnica: Luigi Castel
Coordenação Técnica: Effex Tecnologia
Técnica de Som: Vini Ruiz
Técnico de Luz: Lucio Nogueira
Técnico de Teatro: Rafael Solla
Assistência de Técnica de Som: Felipe Novashinsky (Felino)
Assistência de Técnica de Luz: Juan Lis
Registro Audiovisual e Fotográfico: Chico Paes
Captação de Recursos: Meire Abe
Realização e Idealização: Cia. Fluctissonante e NBP Produções
Realização e Produção: Pomeiro Gestão Cultural

PROJETO REALIZADO COM RECURSOS DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Espetáculo gratuito, Circo dos Sonhos, acontece nesta sexta (25), no Shopping Estação

A magia do Natal e a arte do Circo se unem em um espetáculo emocionante, promovido gratuitamente pelo Shopping Estação. A família toda vai se encantar com o Circo dos Sonhos, um show realizado na decoração de Natal e aberto ao público, nesta sexta-feira, 25 de novembro, às 19h30. 

A apresentação faz parte da comemoração de 25 anos do Shopping Estação e conta a história de uma jovem e curiosa bailarina que ficou presa dentro de um globo de neve. A trama envolve os principais personagens do circo, que a ajudam a revelar esse mistério. “Flora” sonha em conhecer os misteriosos floquinhos que caem do céu, mas por morar dentro do circo jamais teria como chegar até lá. Um certo dia, recebe um presente mágico de seu avô e acaba ficando presa dentro dele. O espetáculo lúdico conta com os principais protagonistas circenses como trapezista, malabarista, mágico, contorcionista e uma das personagens mais esperadas é a mascote do Shopping Estação, a Capinista (Capivara Maquinista), criada exclusivamente com base em uma simpática capivara, um dos símbolos da cidade de Curitiba, vestida com elementos que remetem à profissão de maquinistas de trem.
 
O evento dura aproximadamente 45 minutos e a classificação é livre, para toda a família. As apresentações acontecem nesta sexta (25) e também nos dias 02, 09 e 16 de dezembro, sempre às 19h30. É possível assistir ao espetáculo em pé, na área do show, todos são bem-vindos. 
 
Campanha de Natal
Até o dia 31 de dezembro, a cada R$250 em compras, os clientes ganham um cupom para concorrer a um Toyota Yaris 0 km. E quem fizer R$500 em compras ganha uma caixa exclusiva de Chocrock dos Chocolates Grazi & Grazi. O Compre e Ganhe é válido até o dia 24 de dezembro ou enquanto durarem os estoques (limitado a um brinde por CPF).

A tradicional marca curitibana de chocolates e “queridinha” de famosos como Ivete Sangalo, Giovanna Antonelli e Preta Gil, a Grazi & Grazi, está com um quiosque montado em meio a decoração de Natal do Shopping Estação. 

Neste ano, as trocas das notas fiscais serão feitas exclusivamente pelo aplicativo do shopping, que está disponível para download em Android e iOS ou diretamente neste link.  

Presentes entregues pelo Papai Noel
Quem comprar os presentes via Assistente de Compras do Shopping Estação, poderá agendar para as crianças fazerem a retirada dos pacotes diretamente com o Papai Noel. Incrível, grátis e muito fácil, basta fazer as compras pelo WhatsApp 41 98869 3105 e agendar a retirada até o dia 20 de dezembro. 

Sobre o Shopping Estação
O Shopping Estação é ponto de encontro e referência em entretenimento e gastronomia na cidade, com um mix de lojas e serviços completo, além de reunir parte da história de Curitiba no Museu Ferroviário, único museu dentro de um shopping no Brasil. Inaugurado em 14 de novembro de 1997, há 25 anos o Shopping Estação tem participação ativa na vida dos curitibanos e de milhares de turistas que passam pela capital paranaense. Em 2007 foi adquirido pelo grupo BRMALLS, maior empresa de shopping centers do país, passando por um processo constante de qualificação.

Serviço
O que: Circo dos Sonhos
Quando: nesta sexta (25/11) e também nos dias 02, 09 e 16 de dezembro, sempre às 19h30. 
Quanto: gratuito.
Campanha Natal – Aplicativo https://linktr.ee/nataldoestacao

Shopping Estação
Av. Sete de Setembro, 2.775, Rebouças
Curitiba (PR)
(41) 3094-5300
https://www.instagram.com/shopping_estacao/
 www.shoppingestacao.com.br

Espetáculo de Ariano Suassuna abre a maior mostra de teatro acadêmico do Paraná na Cena Hum

Começa no próximo dia 25 de novembro (sexta-feira), a 54ª. edição da Mostra Multiartes Cena Hum, promovida pela Cena Hum Academia Multiartes e considerada a maior mostra de teatro acadêmico do Paraná. Até 11 de dezembro, no Teatro Cena Hum (Rua Senador Xavier da Silva, 166, São Francisco), em Curitiba, serão apresentados onze espetáculos, de diversos gêneros e diferentes autores. Além disso, nos dias 26 e 27, às 17 horas, acontece a apresentação do espetáculo de dança “Arcenda”, dos bailarinos André Morais e Kapy Costa.

A estreia acontece com a comédia “O Santo e a Porca”, escrita pelo conceituado autor nordestino Ariano Suassuna. Com apresentações nos dias 25, 26 e 27, sempre às 21 horas, o espetáculo será dirigido por Júlia Dassi. A história gira em torno do avarento Euricão Arábe, que recebe uma carta de Eudoro Vicente prometendo-lhe confiscar seu “bem mais precioso”.O comerciante acredita se tratar de suas riquezas e recorre ao santo de que é devoto, Santo Antônio, para protegê-lo. A verdade é que as intenções de Eudoro são outras, fazendo com que a esperta empregada Caroba cuide de tirar o máximo de proveito da situação apresentada. 

No mesmo final de semana, nos dias 26 e 27 (sábado e domingo), às 15 e às 19 horas, acontecem, respectivamente, apresentações dos espetáculos “Os Setes Sapatos da Princesa”, com direção de Fran Gomes, e “Brasil (com S e não com Z)”, encenado por integrantes do Grupo Dignidade, organização não governamental dedicada a promover a cidadania de pessoas que fazem parte da comunidade LGBTQIA+.

A primeira peça é baseada em um conto de fadas brasileiro, que conta a história de uma princesa de um reino distante que gastava um par de sapato por noite dançando misteriosamente em seu quarto. Sua mãe, a rainha, considerava um absurdo tal gasto e se vê decidida a desvendar o mistério, contando com a ajuda de uma fada e de um soldado.

Já “Brasil (com S e não com Z)” retrata de forma divertida, e muitas vezes dramática, momentos históricos político-sociais do nosso país. Tudo se inicia quando três crianças, a partir da leitura de um livro, se veem rodeadas por personagens que contarão várias passagens importantes da nossa sociedade, não apenas com o intuito de informar, mas também de oferecer ao espectador a oportunidade de refletir sobre como a nossa história foi construída ao longo do tempo.

Os ingressos para os espetáculos custam R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). Para conferir a programação completa da Mostra Multiartes Cena Hum, acesse www.cenahum.com.br.

Serviço:

54ª. edição da Mostra Multiartes Cena Hum

Quando: 25 de novembro a 11 de dezembro e 2022.

Onde: Teatro Cena Hum (Rua Senador Xavier da Silva, 166, São Francisco)

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)

Mais informações: (41)99943-9396.