Talões de papel do EstaR deixam de ser aceitos a partir de segunda-feira

Os bloquinhos de papel do estacionamento regulamentado (EstaR) na capital deixam de ser aceitos a partir da próxima segunda-feira (11/5), quando passa a valer apenas o modelo digital.

O EstaR Eletrônico, que automatiza a utilização de vagas regulamentadas na cidade, entrou em vigor em 16 de março, mas conviveu, até agora, com o modelo de papel. 

“A partir da próxima semana, só será aceito o EstaR eletrônico, que traz agilidade, segurança e moderniza o sistema. As operações, que passam a ser realizadas por aplicativos, serão mais práticas para o usuário, que poderá fazer todo processo com poucos toques no celular e também renovar o período de permanência pelo próprio aplicativo”, diz o presidente da Urbanização de Curitiba S.A (Urbs), Ogeny Pedro Maia Neto.

Para quem ainda tem bloquinhos, é possível trocá-los por créditos até 10 de junho na sede da Urbanização de Curitiba (Urbs) na Rodoviária ou nas unidades da Urbs nas ruas da Cidadania do Carmo, Pinheirinho, Cajuru, Boa Vista, Fazendinha, Santa Felicidade,Tatuquara, Bairro Novo e Matriz.

Para evitar a aglomeração de pessoas e a contaminação pelo coronavírus, é preciso agendar o atendimento pelo site da Urbs. O atendimento presencial é feito na sequência, das 11h às 17h. A troca é gratuita.

Troca

Quando os talões ou folhas são entregues, o atendente insere os créditos no aplicativo que usuário já deverá ter baixado para recebê-los em até 48 horas. Os créditos ficam disponíveis no aplicativo.

O EstaR eletrônico conta com nove aplicativos homologados, dos quais sete estão ativos: Meu EstaR, Faz Digital Curitiba, El Parking, Zul EstaR Digital, EstaR Digital Zazul, Transitabile e Estacionamento Digital. Eles podem ser baixados nas plataformas Android e iOS.

Além das pesquisas nas plataformas Apple e Android, é possível consultar as placas de sinalização do EstaR eletrônico nas ruas. Nelas há um QR Code que pode ser lido pelo celular e que mostra quais são os aplicativos credenciados.

O usuário pode escolher e fazer o download de um ou mais aplicativos, de acordo com sua preferência. Além disso, são 160 pontos comerciais e de serviços que estão habilitados também a vender créditos para quem não tem o celular disponível. São restaurantes, papelarias, farmácias, padarias e cafeterias, dentre outros. A lista pode ser conferida no site www.urbs.curitiba.pr.gov.br. Este número deve crescer quando o comércio voltar a funcionar normalmente, após o fim do isolamento social.

Nas ruas onde não há pontos comerciais, está prevista a instalação de totens para a venda de créditos. Curitiba conta com 12.088 vagas tarifadas de estacionamento.

Funcionamento

Para usar o EstaR Eletrônico, o motorista terá que comprar o crédito – por aplicativo de celular ou em pontos de venda físicos. O usuário se inscreve no aplicativo escolhido, coloca o número da placa, sua localização e o tempo de permanência e faz o pagamento.

O limite de permanência varia de uma a duas horas, como já funciona. Em todo o perímetro da área calma, a permanência máxima será de 1 hora.

Os créditos serão fracionados de 15 em 15 minutos, o que é uma diferença grande do sistema em papel.

A fração de 15 minutos de estacionamento custará R$ 0,75 e a hora cheia R$ 3. Caso tenha que mudar o carro de área, uma nova compra terá que ser feita. O aplicativo emitirá um aviso ao usuário quando o prazo estiver próximo de vencer.

“Ultrapassando o limite de tempo ou em caso de prática do estacionamento sem a devida regularização, a pessoa será multada seguindo as previsões legais do Código de Trânsito Brasileiro (CTB)”, diz Maia Neto. Os veículos são fiscalizados pelas agentes da Superintendência de Trânsito  (Setran) pelo número da placa.

Conforme o artigo 181 do CTB, a multa por estacionamento irregular é considerada de natureza grave e custa R$ 195,23 e mais cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do infrator.

Estacionamento irregular

Outra mudança merece atenção. Até agora, quando o motorista estacionava sem cartão em áreas onde é exigido o EstaR, ele era apenas avisado de que estava cometendo uma infração e tinha até cinco dias úteis para regularizar a situação, comprando um bloco de cartões.

Com o EstaR digital, a regularização da infração por estacionamento irregular terá os mesmos cinco dias úteis para ser feita, mas mediante o pagamento de R$ 30, por meio de emissão de boleto no site da Urbs, e não se transformará em crédito. O prazo de regularização de cinco dias, no entanto, vai valer só até o fim do ano.

Deixar animais soltos em ruas e praças pode gerar multa de até R$ 2 mil em Curitiba

Projeto de lei que reforça punição à maus-tratos foi aprovado em 1º turno na Câmara Municipal.

Os vereadores de Curitiba aprovaram nesta quarta-feira (16), por unanimidade e em 1ª discussão, o projeto de lei que, entre outras coisas, estabelece multa de R$ 200 a R$ 2 mil para quem abandonar animais em ruas e espaços públicos. O projeto modifica  modifica lei já existente e amplia as práticas consideradas como crime de maus-tratos a animais.

A proposta da vereadora Katia Dittrich (Solidariedade) lista 24 ações ou omissões como maus-tratos, o dobro do que previa a lei de 2011. Entre os novos comportamentos que caracterizam o crime, o mais significativo é o de abandono.

“Deixar o animal solto em vias e logradouros públicos” como diz o texto do projeto, vai passar a doer no bolso, com multas de até R$ 2 mil no caso de flagrante ou denúncia comprovada. As medidas seguem a linha de projeto semelhante porém ainda mais rigoroso e que prevê responsabilização criminal, aprovado no Senado Federal na semana.

Outros dois pontos polêmicos do projeto são a proibição expressa de ‘passeios’ desacompanhados e abandono de animais idosos ou doentes. No primeiro caso está prevista responsabilização dos tutores com multa, pelo risco do animal sofrer ou causar acidentes, além de permitir uma possível cria indesejada” e no segundo uma característica de agravante ao crime de maus-tratos, pela vulnerabilidade dos bichos.

Para entrar em vigor, o projeto precisa ser aprovado em 2ª discussão para depois ser sancionado ou não pelo prefeito.  Caso seja sancionada, a lei então terá um prazo para regulamentação.

Informações Banda B.

Sérgio Moro recebe carteira da OAB e abre escritório em Curitiba

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência.

O ex-juiz federal que conduziu a Lava Jato e colecionou desafetos entre alguns criminalistas vai atender sua futura clientela em um endereço de Curitiba, base e origem da maior operação já desencadeada no País contra a corrupção.

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência. Levando em consideração a data em que anunciou sua renúncia e acusou o presidente de suposta tentativa de interferência na Polícia Federal, 24 de abril, a quarentena do ex-juiz terminará no fim de outubro.

Informações Banda B.