Saldo de empregos de janeiro a setembro é o maior do Paraná desde 2004

A geração de empregos no Paraná em 2021 é a melhor desde 2004. Com um saldo de 168,5 mil novas vagas com carteira assinada no acumulado de janeiro a setembro, o resultado supera toda a série histórica registrada em 18 anos. O levantamento é da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta terça-feira (26) pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

“Esse é o maior recorde desde 2004. Só em setembro, foram mais de 15 mil empregos com carteira assinada. O resultado é fruto da união dos paranaenses e da força do nosso comércio, indústria, agronegócio e construção civil, que vêm crescendo a cada dia. É dessa forma que fazemos um Paraná cada vez mais moderno e inovador: gerando emprego e renda para a população”, comemorou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

 

Em 2020, o saldo até setembro era de 1.092 vagas, resultado decorrente da crise econômica gerada pela pandemia. Comparado ao ano passado, o aumento em 2021 foi de drásticos 15.339%. Já comparado a 2019, que registrou 56.945 vagas, o crescimento foi de 196%.

O índice de 2021 também é 8,84% superior ao segundo melhor ano do recorte histórico: em 2008, o saldo foi de 154.896 vagas para o acumulado até setembro. O terceiro melhor registro é de 2010, com 149.146 vagas, superado em 13% pelo resultado de 2021.

O saldo apresentado pelo Caged é do balanço entre admissões e desligamentos realizados em cada estado, mês a mês. No Paraná, foram 1.148.853 vagas criadas e 980.256 fechadas de janeiro a setembro, dando um resultado positivo de 168.597 vagas.

 

Foto: SEJUF

CIDADES – Todos os 399 municípios paranaenses apresentaram resultado positivo no acumulado de janeiro a setembro. O melhor foi em Curitiba, com saldo de 286.901 vagas. É seguida por Londrina (54.945 vagas), Maringá (54.927), Cascavel (43.943), Ponta Grossa (32.620), São José dos Pinhais (30.510), Foz do Iguaçu (19.193), Toledo (18.608), Araucária (15.045) e Pinhais (14.396).

MÊS A MÊS – O ano de 2021 também apresenta o quarto melhor setembro da série histórica iniciada em 2004. Considerando apenas as vagas geradas no nono mês do ano, foram 15.059 empregos criados. O resultado só é menor que em 2020 (que registrou uma recuperação em setembro) com 19.732 empregos, em 2008 (17.404) e em 2013 (15.925).

O resultado de setembro é liderado pela alta no setor de serviços, que representa 47% das novas vagas, com 7.102 postos de trabalho. Na sequência, estão os setores de comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (4.633), indústria (3.336) e construção (434).

No Paraná, o saldo de empregos se mantém positivo durante todos os meses de 2021. Já com os ajustes mensais calculados pelo Caged, foram 25.154 vagas abertas em janeiro, 41.388 em fevereiro, 10.549 em março, 9.697 em abril, 15.521 em maio, 15.478 em junho, 13.925 em julho, 21.826 em agosto e as 15.059 de setembro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Antonina segue Paranaguá e anuncia não realização do Carnaval 2022

A prefeitura de Antonina – no litoral do Paraná – seguiu Paranaguá e também anunciou a não realização do Carnaval 2022. No município, eram esperadas cerca de 60 mil pessoas para participar do evento, mas, por conta da pandemia de Covid-19, foi anunciado o cancelamento. A postagem foi feita por meio das redes sociais.

Mais cedo, Marcelo Roque, prefeito de Paranaguá, anunciou por meio das redes sociais nesta segunda-feira (29) a não realização do Carnaval em 2022. No Facebook, o prefeito disse que o retorno precisa ser gradual e é o “momento de reflexão e cuidado”.

Com a decisão da prefeitura, Paranaguá se tornou o primeiro município do litoral do estado a anunciar que não realizará o evento no ano que vem por conta da pandemia.


As prefeituras de Matinhos e Guaratuba, também no litoral do Paraná, ainda não se manifestaram no sentido de cancelar o carnaval de 2022.


Cancelamentos em São Paulo


Ao menos, 70 cidades do interior de São Paulo já cancelaram os eventos de Carnaval com medo de uma quarta onde de Covid-19.


Ômicron


Uma nova variante vem preocupando cientistas do mundo inteiro, a ômicron. Ela foi descoberta na África do Sul e apareceu já em alguns países.

Paranaguá cancela Carnaval em 2022; “momento é de reflexão e cuidado”, diz prefeito

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, anunciou por meio das redes sociais nesta segunda-feira (29) a não realização do Carnaval em 2022. No Facebook, o prefeito disse que o retorno precisa ser gradual e é o “momento de reflexão e cuidado”.

Com a decisão da prefeitura, Paranaguá se tornou o primeiro município do litoral do estado a anunciar que não realizará o evento no ano que vem por conta da pandemia.

Durante a pandemia, o município portuário teve 23945 casos confirmado, 565 óbitos até a publicação desta matéria.

As prefeituras de Matinhos e Guaratuba, também no litoral do Paraná, ainda não se manifestaram no sentido de cancelar o carnaval de 2022.

Cancelamentos em São Paulo

Ao menos, 70 cidades do interior de São Paulo já cancelaram os eventos de Carnaval com medo de uma quarta onde de Covid-19.

Ômicron

Uma nova variante vem preocupando cientistas do mundo inteiro, a ômicron. Ela foi descoberta na África do Sul e apareceu já em alguns países.

Paranaguá cancela Carnaval