Pouca chuva em novembro tem reflexo no nível dos reservatórios da RMC

As chuvas em novembro na Região Metropolitana de Curitiba apresentaram o pior desempenho dos últimos três anos, conforme dados do Simepar – Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná. Em Curitiba, choveu 33 milímetros, o que significa 27% da média de 122 mm para o mês.

As baixas precipitações causam impacto no nível dos reservatórios do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região Metropolitana (Saic). Nesta segunda-feira (6), o nível médio do Saic está em 67,34%.

Em 15 de novembro, quando teve início o modelo de rodízio de 60 horas com abastecimento e até 36 horas de suspensão no fornecimento de água, o nível havia chegado a 68,75%. Entre 19 e 23 de novembro, ficou acima de 69%, ainda com reflexo das chuvas de outubro. Desde 24 de novembro, os reservatórios vêm apresentando quedas lentas, mas consecutivas.

O sumário climático do Simepar para o mês de dezembro aponta também chuvas abaixo da média em todo o território paranaense. Essa situação, segundo o instituto, está bastante alinhada com a tendência climática global da La Niña no Oceano Pacífico, com impacto de baixas precipitações no Sul do Brasil.

Mesmo com todas as obras e medidas adotadas pela Sanepar para mitigar os efeitos da crise hídrica, a recuperação dos níveis das barragens e de normalidade no abastecimento depende primordialmente da normalização das precipitações.

campanha Meta20, que visa a redução de 20% do consumo de água na RMC durante a crise hídrica, tem mantido média de 17% desde o lançamento da campanha em maio deste ano.

“Em setembro e outubro, chegamos aos 20%. É preciso lembrar a população de que a água potável deve ser consumida prioritariamente para alimentação e higiene pessoal e que é importante reaproveitarmos a água utilizada na máquina de lavar para a limpeza da casa, da área externa e calçadas”, afirma o diretor-presidente da Companhia, Claudio Stabile.

CENÁRIO – O cenário se repete no Estado – as chuvas de novembro também ficaram abaixo da média prevista. A expectativa era de 1.733,9 milímetros (mm), mas foram registrados apenas 1.1019,6 mm. Os dados são do levantamento do Simepar.

O desvio negativo foi bem expressivo, principalmente em Maringá, na região Noroeste. O município registrou o menor índice de precipitação do Estado: 33 mm, 72,9% abaixo do esperado para o período.

O monitoramento foi feito também em Antonina, Campo Mourão, Cascavel, Francisco Beltrão, Pato Branco, Guarapuava, Guaratuba, Londrina e Foz do Iguaçu.

Confira os números:

Como efeitos significativos do clima no mês passado, o meteorologista Reinaldo Kneib cita as tempestades ocorridas nas regiões Oeste e Sudoeste e a baixa umidade no solo, o que pode afetar o desenvolvimento da safra de verão.

Apesar de as chuvas de outubro terem superado em 59% a expectativa para o mês, com um acumulado de 3.006,8 mm, o ano de 2021 deve fechar com mais registros abaixo da média prevista para o Estado.

“Dezembro é conhecido como um mês quente e chuvoso, mas fora o Litoral, não teremos tantos dias chuvosos como costuma ser a média para o mês. Ou seja, dezembro será mais chuvoso que novembro, porém menos que outubro”, destaca o meteorologista do Simepar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Oficina de pedrarias e Papo de Artesão estão na agenda da semana

Oficinas e Papo de Artesão na agenda da semana.

O Liceu de Ofícios Criativos oferece duas oficinas presenciais gratuitas e um bate-papo on-line com artesãs na próxima semana. As inscrições podem ser feitas clicando aqui.

Como a sede do Liceu de Ofícios Criativos, no São Francisco, está em reforma, as aulas presenciais são feitas no Liceu de Ofícios Curitiba (Rua Monsenhor Celso, 35, Centro), até a conclusão dos reparos.

Instagram que vende

Na terça-feira (9/8), a social media Emilie Nascimento (@emilie.nascimento) mostra como vender mais usando o Instagram em uma oficina presencial. Entre os temas abordados estarão: Por que escolher o Instagram?; Para quem você fala?; Raio-x de um perfil que vende (foto de perfil, nome de usuário, biografia, link, destaques, identidade visual, conteúdo); e Ferramentas que vão te ajudar.

Papo de Artesão

Na quarta-feira (10/8), o encontro virtual é com as artesãs Adriana Metzger, Mônica Mota e Pricila Almeida, no Papo de Artesão (@papodeartesao). Elas mostram que é possível superar medos e perder a timidez com o tema: Superação Digital.

“Um dia vamos olhar para trás e ver o quanto evoluímos e quanto tivemos que nos superar para chegar onde estamos. Durante a pandemia muitas crenças limitantes tiveram que ser removidas e isso é apenas o começo”, declara Adriana.

O encontro acontece a partir das 15 horas no canal do Liceu de Ofícios Criativos pelo Youtube.

Decoração em pedraria

Na quinta-feira (11/8), a artesã Ana Nilcen (@brilho_daestrela) ensina a técnica de nós em fio de nylon e tramado de pedras que pode ser usada em vários itens de decoração.

Para participar não é necessário levar nenhum material. A artesã vai explicar como usar a técnica em enfeite de guardanapo, pingente de cortina e móbile.

Para receber por WhatsApp os informativos sobre cursos, novidades e outros conteúdos relacionados, salve o número (41) 3250-7710 no celular e envie a mensagem “EUQUERO”.

Novo endereço

Os cursos acontecem no Liceu de Ofícios Curitiba (Rua Monsenhor Celso, 35, Centro). O espaço oferece convênio com o Estacionamento da Ordem (Rua Treze de Maio, 635), para o período de quatro horas por R$ 10.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Projeto Bússola retoma as aulas para meninas do Tatuquara

Projeto Bússola retoma as aulas para meninas do Tatuquara

Meninas do Tatuquara terão a oportunidade de aprender conteúdos de português e matemática brincando. Neste sábado (6/8), serão retomadas as atividades do Projeto Bússola, uma iniciativa da ONG Asec (Associação de Promoção Social Educação e Cultura), que desenvolve atividades de promoção social em trabalhos voluntários para comunidades carentes.

As aulas são desenvolvidas e ministradas por 20 universitárias voluntárias, cursando ou formadas em pedagogia, letras e matemática.

Só para meninas

A atividade é exclusivamente para meninas na faixa etária de 6 a 12 anos e acontecem no Clube da Gente Tatuquara, sempre aos sábados, das 9h às 11h. Há vagas para o segundo semestre. Interessados podem obter informações pelo WhatsApp (41) 99660-5868.

Durante as aulas, são aplicados jogos didáticos, oficinas pedagógicas e artísticas, teatro, música, dança, desenho. O objetivo é ampliar o universo cultural das meninas.

São duas oficinas de 50 minutos, simultâneas, onde as meninas são divididas em dois grupos conforme as idades. Até agora, já passaram pelo Projeto Bússola 60 crianças e atualmente estão inscritas 33 meninas.

Sequelas da pandemia

De acordo com a coordenadora do projeto, Ana Júlia Pereira Kloster, 20 anos, a ideia surgiu durante a pandemia, quando o isolamento aumentou de forma substancial o descompasso entre ensino público e privado.

“O projeto foi pensado com intuito de suprir essa necessidade. Nós já tínhamos feito uma ação no Tatuquara e temos conhecimento que outra ONG tem um trabalho parecido com meninos, então resolvemos fazer este trabalho com as meninas”, explicou Ana Júlia.

Durante o intervalo de 20 minutos entre as oficinas é oferecido um lanche. Durante esse período ocorrem as tutorias, em que as voluntárias ajudam as meninas a estabelecerem metas pessoais e acadêmicas.

Interesse pelos estudos

“Nós percebemos muitos problemas de autoestima, crianças dispersas e como consequência elas enfrentam dificuldades no aprendizado. Procuramos suprir essas lacunas com aulas estimulantes para cativar a atenção e desenvolver o aprendizado”, disse Ana Júlia.

“Mesmo nesse curto período que passamos juntas vemos como faz diferença na vida dessas crianças. A gente recebe relatos de mães que observam o aumento de interesse das crianças pelos estudos. Isso é muito gratificante”, disse.

Transformação das voluntárias

Ana Júlia explicou também que além de ajudar as crianças, a atividade também causa impactos positivos nas voluntárias, porque muitas começam a atividade, mas poucas persistem, por causa da distância, do lanche que tem que ser providenciado, além do preparo do material que demanda tempo.

“Quem persiste acaba tendo uma transformação interior porque está se dedicando aos outros e para isso precisa sair da sua ‘bolha’ e doar um pouco do seu tempo no final de semana”, comentou.

Serviço: Projeto Bússola

Local: Clube da Gente Tatuquara (Rua Evelázio Augusto Bley, 151 – Tatuquara)

Data e hora: aos sábados, das 9h às 11h

Informações: WhatsApp (41) 99660-5868

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba