Policiais flagram 770 aglomerações no Paraná no feriado de Corpus Christi

Com fiscalizações mais intensas, promovidas pelas polícias Militar e Civil, 20 pontos comerciais foram interditados e 714 pessoas encaminhadas por infringir medidas sanitárias de prevenção ao coronavírus no Paraná no feriado de Corpus Christi. O balanço da Secretaria da Segurança Pública registra dados de quinta-feira (03) a domingo (06).

O documento aponta que as operações policiais dispersaram 770 aglomerações em pontos comerciais e locais públicos, além da aplicarem 93 multas a estabelecimentos e outras 490 a pessoas que descumpriram o decreto estadual de enfrentamento à Covid-19. 

Nos quatro dias, a Segurança Pública do Paraná recebeu 468 chamados sobre perigo de contágio, sendo que 144 geraram ocorrências, ou seja, foram constatadas como infrações às medidas sanitárias. Foram 1.952 estabelecimentos vistoriados, uma média de 488 por dia. Os policiais encaminharam 714 adultos e 47 adolescentes.

A gravidade do quadro epidemiológico motivou o reforço nas operações integradas entre as forças de segurança pública com os municípios, cobrindo áreas urbanas, rurais, centros comerciais, vias e rodovias estaduais para inibir condutas que ajudam a proliferação do vírus. O trabalho foi intensificado no feriado em função da maior circulação de pessoas nas estradas e movimentação em pontos comerciais, principalmente com relação à compra e consumo de bebidas alcoólicas.

“Estamos trabalhando intensamente para que a população faça a sua parte e cumpra as medidas sanitárias. Nossas polícias estão monitorando pontos sensíveis, que geram infrações e aglomerações de pessoas, e promovendo abordagens constantemente, o que aumenta a sensação de segurança e inibe maus exemplos”, declarou o secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares.

De acordo com o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Hudson Leoncio Teixeira, as forças estão atuando de maneira coordenada. “Para evitar a proliferação da doença, estamos fazendo mais ações de orientação, usando do bom senso e da conscientização das pessoas para a importância de combater as aglomerações, de usar máscara e respeitar o distanciamento”, afirmou.

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, o resultado se deve, também, à atuação diferenciada da Polícia Civil. “Neste momento da pandemia, ações de fiscalização para evitar e coibir aglomerações são importantíssimas para frear a contaminação. A Polícia Civil atua neste sentido, dando sua contribuição no enfrentamento à Covid-19, sem deixar de lado a atividade-fim, que é a investigação”, disse.

OUTROS DELITOS – A presença maior das polícias ampliou a eficiência das ações ostensivas e repressivas e outros crimes também foram combatidos. No período, houve a apreensão de 63 armas de fogo, 1,6 mil munições e 4,9 toneladas de maconha. Somente em uma ação da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), duas toneladas de maconha e centenas munições de fuzil foram localizadas em São Miguel do Iguaçu. A PM, por sua vez, apreendeu dois fuzis de uso restrito na Capital e apreendeu porções de drogas e itens contrabandeados como cigarros e essências de narguilé durante as operações AIFU.

TRÂNSITO – O impacto das fiscalizações também alcançou o trânsito urbano e rodoviário. As unidades especializadas da PM flagraram 4.283 veículos em excesso de velocidade e fizeram 2.384 testes etilométricos, 45 notificações de embriaguez ao volante e 1.855 autos de infração de trânsito. Também houve a apreensão de 440 veículos, sendo que 48 tinham alerta de furto ou de roubo e foram recuperados nas operações policiais. 

Foram registrados 162 acidentes em todo o Estado, com 178 feridos e 15 óbitos. Nesse sentido, o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) reforçou as orientações aos condutores e demais usuários das rodovias estaduais para terem mais cautela e responsabilidade na direção e, assim, evitar acidentes para livrar o sistema de saúde de sobrecarga no atendimento aos feridos. 

CAPITAL – A Polícia Militar e os órgãos municipais fiscalizaram 97 pontos comerciais e 10 destes acabaram interditados em Curitiba. Houve o encaminhamento de 103 adultos e cinco adolescentes, e a lavratura de 12 multas a estabelecimentos e outras 12 a pessoas físicas. As equipes policiais fizeram 97 ações de dispersão de aglomerações, apreenderam nove armas de fogo, pouco mais de três quilos de drogas, além de 79 veículos.

Ação Integrada de Fiscalização Urbana fecha 14 pontos comerciais em Curitiba no feriado – Curitiba, 07/06/2021 – Foto: SESP/PR

RMC E LITORAL – Policiais militares estiveram em 52 pontos de comércio de RMC e Litoral nos quatro dias de feriado. O trabalho rendeu um ponto comercial interditado, 11 multas aos proprietários dos locais e 369 ações de dispersão de pessoas aglomeradas. Vinte e quatro pessoas foram encaminhadas e pouco mais de 155 gramas de drogas apreendidas.

CAMPOS GERAIS – Ações integradas da PM com outros órgãos estaduais e municipais para fiscalização do decreto estadual ocorreram durante o feriado de Corpus Christi na região dos Campos Gerais. O balanço indica que 285 pontos comerciais foram vistoriados e 18 aglomerações dispersadas pelos profissionais. Durante as ações, foram lavradas 22 multas para comércios e 25 a pessoas que infringiram as medidas sanitárias. Mais de 2,5 quilos de droga foram apreendidos, além do encaminhamento de 13 adultos.

NORTE – Londrina e região também tiveram reforço das ações ostensivas. O trabalho resultou em 301 estabelecimentos comerciais vistoriados e 178 ações de dispersão de aglomerações de pessoas. Dois pontos foram interditados por infringir as medidas sanitárias e as equipes municipais que apoiaram o trabalho da PM aplicaram 14 multas a estabelecimentos e outras 126 a pessoas flagradas em conduta irregular. Pouco mais de cinco quilos de drogas e uma arma de fogo foram apreendidos durante as fiscalizações e 23 adultos e seis adolescentes encaminhados.

NOROESTE – As equipes policiais abordaram 995 pontos de comércio e cinco foram interditados nos municípios da região de Maringá durante as operações para evitar a propagação do coronavírus. As abordagens também resultaram em 128 adultos e 12 adolescentes encaminhados, além da lavratura de 286 multas a pessoas e outras 17 a estabelecimentos. As unidades policiais que atuam na região apreenderam 17 armas de fogo e pouco mais de um quilo de drogas, além de dispersarem 30 aglomerações de pessoas.

OESTE – Equipes policiais de Cascavel e região também se engajaram no trabalho. Os policiais abordaram 22 estabelecimentos comerciais (sendo dois interditados), e dispersaram 78 aglomerações de pessoas. 41 pessoas e 17 pontos comerciais foram notificadas. As operações resultaram em 46 adultos e um adolescente encaminhados, além de uma arma de fogo e 251 gramas de drogas apreendidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ômicron: Paraná monitora 6 passageiros do mesmo voo de homem que veio da África com Covid

A Secretaria de Estado da Saúde (SESA) monitora seis passageiros que desembarcaram no Paraná e estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, podendo estar com a variante ômicron. A informação foi confirmada pela pasta à Banda B.

O Ministério da Saúde está investigando se o homem está contaminado com a variante ômicron, que tem origem no continente africano. O rapaz, de 29 anos, morador de Guarulhos, em São Paulo, está com esquema vacinal completo e apresenta sintomas leves do novo coronavírus.

Segundo a SESA, é feito o monitoramento junto aos municípios dessas pessoas que estavam no voo com o contaminado, além da solicitação de quarentena. Não há motivo para alarde.

Nesta segunda-feira (29), a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que a nova variante ômicron, reportada na semana passada, representa um “risco muito elevado” para o planeta, pois ainda existem incógnitas sobre essa cepa, entre elas se as vacinas existentes são suficientes para barrar a ômicron.

Na África do Sul, 24% dos habitantes estão totalmente vacinados. Enquanto no Brasil, 60% da população já tomaram as duas doses da vacina ou a dose única.

Informações Banda B

Média de ocupação de leitos de UTI Covid é a menor em 19 meses no Paraná

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) registra neste mês de novembro a menor média de taxa de ocupação em leitos de UTI exclusivos para atendimento à Covid-19 desde maio de 2020. Segundo o levantamento da Regulação de Leitos do Paraná, diariamente cerca de 34% das unidades estavam ocupadas na média do dia 1º ao dia 24. Em maio de 2020, a menor taxa até então, a ocupação foi de 35%.

A diminuição também pode ser observada com relação aos leitos clínicos, de enfermaria, dos casos moderados. Neste mês, a média diária de ocupação não ultrapassou 24%. O Paraná não registrava números tão baixos desde junho do ano passado. Esse balanço leva em consideração também a variação na quantidade de leitos e o fechamento de alguns espaços.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, disse que os números são reflexos expressivos da vacinação. “Para nós é motivo de alegria que estes leitos estejam cada vez menos ocupados, porque sabemos da angústia em precisar internar alguém sem saber se poderemos ver aquela pessoa novamente. Precisamos continuar vacinando e avançando, são as vacinas que diminuem a gravidade da doença, salvam vidas e nos dão esperança de que em breve sairemos desta pandemia”, afirmou.

HISTÓRICO – Desde a implantação dos leitos exclusivos, em 26 de março de 2020, mais de 115,6 mil pacientes foram atendidos nestas unidades. A estratégia de criação dessa rede ocorreu 14 dias depois da confirmação dos primeiros seis casos da doença no Estado, e teve por objetivo, separar os pacientes de outras doenças para evitar a disseminação do vírus responsável pela Covid-19, além de reforçar a rede hospitalar já existente com a criação de mais leitos.

Em maio deste ano, o Paraná chegou a ter mais de 4,7 mil leitos para atendimento à doença, sendo mais de 1,9 mil somente de UTI’s. Considerando que nos últimos 30 anos o Estado registrava 1.200 leitos de UTI gerais, com a implantação dos leitos exclusivos Covid, o Governo praticamente criou uma segunda rede hospitalar em menos de um ano. 

Ainda para o enfrentamento à pandemia, o Governo do Estado adiantou a entrega de três hospitais próprios, localizados em Guarapuava, Ivaiporã e Telêmaco Borba, destinando as unidades para atendimento exclusivo da doença. Em Guarapuava foram abertos 40 leitos de UTI e 80 de enfermaria; em Telêmaco Borba, 23 UTI’s e 30 enfermarias; e em Ivaiporã, 20 UTI’s e 40 enfermarias.

“A ordem expressa do governador Ratinho Junior era que não construíssemos hospitais provisórios, de lona, chamados de hospitais de campanha. A orientação era que ampliássemos a Rede própria, otimizando os recursos e investindo de maneira efetiva e permanente, com isso, dobramos o número de leitos disponíveis no Estado e não tenho dúvidas de que centenas de vidas foram poupadas com isso”, afirmou Beto Preto.

RETOMADA – Com o avanço da vacinação (65,41% da população imunizada com D2 ou dose única) e a diminuição nos índices de casos, óbitos e ocupações de leitos, o Governo do Estado, em conjunto com os gestores municipais e hospitalares, optou por desabilitar cerca de 2,5 mil leitos exclusivos para retomada de procedimentos cirúrgicos eletivos, além da disponibilidade de mais leitos para atendimentos de demandas gerais de urgência e emergência.

A desativação programada destas unidades tem acontecido desde 8 de julho e até 1º de dezembro deve incluir pelo menos mais 795 leitos.

“Temos a confirmação de que pelo menos 1,7 mil leitos clínicos já retornaram para a rede, alguns foram transformados em UTI’s, outros destinados para atendimento geral, e aguardamos novas definições, em conjunto com o governo federal, para viabilizarmos a continuidade de custeio e manutenção dos demais leitos no Paraná”, explicou o secretário.

DADOS – Há seis dias de terminar o mês, novembro registrou até agora, 9.847 casos e 294 óbitos em decorrência da Covid-19, segundo a Sesa. Os dados foram analisados até esta quarta-feira (24), e são 65% menores com relação aos casos e 62,2% em mortes, comparados com todo o mês de outubro. Os números baixaram pelo 4º mês consecutivo – foram mais de 5 mil óbitos em junho, por exemplo. Se comparado com o período mais crítico da pandemia (março de 2021), a diferença é de mais de 160 mil casos. 

Além disso, 295 municípios do Paraná (73,9% do Estado) não registraram óbitos por Covid-19 em novembro. Destes, 188 estão há, pelo menos, dois meses sem mortes.

“Quanto mais avançamos na vacinação, mais reduzimos o número de casos e óbitos. Por este motivo precisamos confiar na segurança dos imunizantes e reforçar a necessidade da segunda dose e dose reforço, para que cada vez mais paranaenses sejam poupados desta doença que já vitimou mais de 40 mil paranaenses”, finalizou Beto Preto.

Confira AQUI a evolução de casos e óbitos por mês, desde março de 2020.

Confira AQUI a relação de municípios sem óbitos em novembro.