Polícia Civil faz operação contra responsáveis por tombamento que deixou 19 mortos em Guaratuba

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) está nas ruas, desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (25), para cumprir 15 mandados de busca e apreensão contra organização criminosa envolvida no transporte clandestino de passageiros. Os envolvidos estão relacionados ao tombamento de um ônibus de turismo, ocorrido em janeiro na BR-376, em Guaratuba, Litoral do Estado, onde 19 pessoas morreram.

Os mandados estão sendo cumpridos simultaneamente nas cidades de Belém e Ananindeua, no estado do Pará, e em Florianópolis e São José, em Santa Catarina. A ação contou com o apoio das polícias civis dos dois estados.

O laudo pericial, elaborado pela Polícia Científica do Paraná, apontou que o motorista do veículo estava dirigindo em alta velocidade e que o freio estava funcionando parcialmente no momento do acidente. Além disso, a falta de manutenção adequada do veículo foi uma das causas determinantes para o tombamento.

Conforme apurado, as informações constantes na licença de viagem, feita pela empresa responsável pelo transporte e emitida pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), não correspondem à realidade. Com base nos fatos, a PCPR constatou que não se tratou de uma viagem sob a modalidade de fretamento turístico ou fretamento eventual, e sim de transporte clandestino de passageiros.

Operação da Polícia Civil nesta terça-feira (Foto: Divulgação)

As empresas são responsáveis por se associar e agir de forma reiterada, prestando serviço clandestino aos passageiros.

CRIME

Na ocasião, o veículo, que transportava 54 pessoas, colidiu em uma mureta de contenção, na BR-376, tombou e caiu na ponte do Rio da Santa. Dezenove passageiros morreram e os outros ficaram feridos.

A viagem estava sendo feita entre os estados do Pará e Santa Catarina. A maioria dos passageiros buscava oportunidades de emprego no Sul do país.

Vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

‘O Caso Evandro’: série baseada em fatos reais ocorridos em Guaratuba faz sucesso no Globoplay

No início da década de 90, algumas regiões do Brasil sofreram com o desaparecimento de crianças, o que causou a revolta da população e o sentimento de desespero por parte das famílias que poderiam ser vítimas desses ataques. E essa onda de sequestros atingiu uma família de Guaratuba, no Litoral do Paraná. 

Divulgação GloboPlay

Essa é a história principal da série documental O Caso Evandro, que estreou a pouco tempo no Globoplay. A produção é derivada de uma série de podcasts chamada Projeto Humanos, comandada por Ivan Mizanzuk. O documentário chamou a atenção de todo o Brasil tanto por destrinchar a história de uma época cheia de mistérios, como por revelar novas informações sobre o caso que também ficou conhecido como “As Bruxas de Guaratuba” (sem mais informações para evitar spoiler).

O Caso Evandro

Evandro Ramos Caetano desapareceu no ano de 1992 em Guaratuba, a cerca de duas horas de distância de Curitiba. Diferente de muitas crianças que sumiram na época, Evandro foi encontrado dias depois do seu sumiço, infelizmente, sem vida. O corpo da criança mostrava sinais de um crime de extrema brutalidade, o que horrorizou o Brasil, e a busca por culpados deixou a história ainda mais assustadora. Meses depois do assassinato, sete pessoas confessaram o crime, que teria sido feito por meio de um ritual. Porém, o caso ainda não estava nada resolvido.

Divulgação GloboPlay

A investigação do caso por Ivan Mizanzuk começou em 2015, mas foi em 2018 que ele uniu a grande quantidade de material coletado para criar a nova temporada do podcast Projeto Humanos. Em 2020, o programa apresentou a descoberta de novas fitas e trouxe uma reviravolta para o desfecho do caso, que é conhecido como o julgamento mais longo já registrado no Brasil. “[…] O Caso Evandro é um grande ensinamento sobre como é o nosso sistema criminal”, conta Mizanzuk. 

A ideia de transformar o podcast em uma série para o Globoplay foi de Mayra Lucas, da Gaz, que já acompanhava este formato de programa. Quando foi apresentada ao Projeto Humanos, decidiu que seria uma ótima ideia adaptá-lo para a televisão.

A série documental foi gravada em Guaratuba e conta não só com simulações, como também com entrevistas das principais pessoas envolvidas. O Caso Evandro estreou no dia 13 de maio no Globoplay.

​Polícia Civil apreende adolescente que estaria planejando e orientando ataques a escolas

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) apreendeu um adolescente suspeito de estar planejando e orientando ataques a escolas.  A captura ocorreu na quarta-feira (2), em Palmas, na região Sudoeste do Paraná.  

A PCPR chegou até o jovem após receber um relatório da Homeland Security Investigations, da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, no início da semana, informando que o usuário da internet estaria praticando os atos. 

Durante a ação, os policiais cumpriram buscas na residência do indivíduo, onde foi apreendido computador, celular e equipamentos de armazenamento. O jovem foi apreendido e encaminhado à delegacia da PCPR. 

INVESTIGAÇÕES

A PCPR verificou que o adolescente estaria dando orientações sobre ataques em escolas. Em uma das conversas, ainda foi apurado que o jovem estaria dando instruções a outro adolescente sobre como matar a própria mãe.  

Durante o depoimento à PCPR, o adolescente informou ainda que seria um líder e que as pessoas o procuravam para que ele desse as instruções.  

O menino ainda tinha fotos impressas do autor do massacre de Suzano, em São Paulo, ocorrido em uma escola no dia 13 de março de 2019. Na ocasião, nove pessoas foram mortas.