PF prende hacker suspeito do maior vazamento de dados no Brasil

O homem suspeito de ser o responsável pelo maior vazamento de dados do Brasil foi preso nesta sexta-feira (19), em Uberlândia, em Minas Gerais, durante a Operação Deepwater, da Polícia Federal (PF). A ação investiga a obtenção, divulgação e comercialização de dados de brasileiros, inclusive de diversas autoridades.

As investigações apuraram que, em janeiro último, por meio da internet, inúmeros dados sigilosos de pessoas físicas e jurídicas – tais como Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e Cadastro de Pessoas Jurídicas  (CNPJ), nome completo e endereço – foram ilicitamente disponibilizados.  

As informações poderiam ser adquiridas por meio do pagamento em criptomoedas. O megavazamento de dados foi revelado pelo Dfndr Lab, laboratório especializado em segurança digital da startup PSafe.

Foram colocados à venda, em fóruns na internet, mais de 223 milhões de CPFs, além de informações detalhadas como nomes, endereços, renda, imposto de renda, fotos, beneficiários do Bolsa Família e scores de crédito.

“Após diversas diligências, a Polícia Federal identificou o suspeito pela prática dos delitos de obtenção, divulgação e comercialização dos dados, bem como um segundo hacker, que estaria vendendo os dados por meio suas redes sociais”, disse a Polícia Federal, em nota. A identidade do preso ainda não foi revelada.

No total, os policiais cumpriram cinco mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva nos municípios de Petrolina (PE). As ordens judiciais foram expedidas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Yahoo Respostas chega ao fim depois de 16 anos

O Yahoo Respostas, que se tornou um repositório de memes nos últimos anos, será encerrado em 4 de maio, após 16 anos no ar.

Criado quando o Yahoo ainda tinha um papel relevante no mercado de busca, antes da dominação do Google, o serviço de perguntas e respostas servia para que usuários de internet interagissem sobre dúvidas de todo tipo de categoria.

Matéria do jornal Folha de S.Paulo de 2009 diz que o site chegou a ser o segundo mais acessado desse tipo no mundo em 2009, apenas depois da Wikipedia. À medida que serviços como Quora e Reddit ganharam espaço para discussões e as redes sociais emergiram, o Yahoo Respostas ficou obsoleto e quase um espaço para comédia.

Em uma rápida sobrevoada sobre o Yahoo Respostas é possível encontrar comentários sobre animais, decoração, problemas do coração e dúvidas estritamente pessoais feitas a anônimos, como “essa pose da foto está exagerada?” (resposta: “arruma seu quarto que fica bom o cenário”).

A partir de 20 de abril, o Yahoo não permitirá a publicação de novas perguntas ou respostas. Em 4 de maio, vai indisponibilizar o site. Para tirar dúvidas a partir de agora, o Yahoo sugere que as pessoas utilizem o serviço de busca.

Quem foi usuário ativo do Yahoo Respostas poderá solicitar o download de seu conteúdo antes de 30 de junho de 2021. Para isso, precisa ir a uma página específica para baixar os dados. Segundo o Yahoo, o processo de recebimento do histórico pode demorar até 30 dias.

O site de tecnologia americano The Verge pontua que o desligamento talvez seja a melhor opção, “considerando que o site parece ter sido tomado por lixo conspiratório de extrema direita”.

Em comunicado, o Yahoo disse que o serviço foi lançado e “construiu o melhor lugar na web para fazer e responder perguntas sobre uma variedade de tópicos, criando uma comunidade de compartilhamento de conhecimento global”.

“Embora não pudéssemos estar mais orgulhosos do que conquistamos juntos, estamos entrando em contato hoje para informar que decidimos encerrar o Yahoo Respostas em 4 de maio de 2021”, disse a empresa, que hoje pertence à Verizon.

Informações Banda B

Polícia Federal deflagra operação de combate a fraudes no auxílio emergencial no PR

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (6) a Operação Checker, com o objetivo de desmantelar um esquema de fraudes no recebimento do auxílio emergencial do Governo Federal e identificar possível envolvimento de organização criminosa com a defraudação.

Cerca de 12 policiais federais cumprem 2 mandados de prisão preventiva e 2 mandados de busca e apreensão em Umuarama, noroeste do Paraná.

Thank you for watching

Para as fraudes, os investigados faziam uso de programas de computador geradores de CPFs e softwares chamados “checkers” que indicavam os titulares aptos a receber o Auxílio Emergencial.

Os saques eram realizados diretamente no caixa eletrônico, na agência bancária, ou então, quando em valores maiores, por meio de transferência através do sistema PIX.

Estima-se que o prejuízo causado às vítimas das referidas fraudes, bem como aos cofres públicos, apenas pelos levantamentos iniciais, seja próximo a R$ 1 milhão, sem considerar outros potenciais envolvidos, o que será possível investigar a partir da análise dos materiais apreendidos.

Com a atuação dos investigados, além do enorme prejuízo aos cofres públicos, centenas de pessoas deixaram de receber o benefício, justamente no momento mais agudo da pandemia.

O líder do esquema já foi investigado por outros crimes similares, coordenando golpes anteriores na região de Umuarama envolvendo falsificação de documentos e atuava no saque fraudulento do Auxílio Emergencial, com a utilização de softwares desenvolvidos por hackers, desde o início do programa.

Nome da operação

A operação foi batizada de “Checker” em referência ao programa utilizado pelos investigados para obter acesso aos CPFs com potencial saldo em conta vinculada ao Auxílio Emergencial.

A Polícia Federal ressalta que, em razão da situação de pandemia causada pelo coronavírus, foi adotada logística especial de preservação do contágio com distribuição de EPI’s a todos os envolvidos na missão, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas e investigados.

Imagens da operação da PF – Divulgação

Informações Banda B