Paraná reforça liderança nacional na produção de peixes de cultivo

O Anuário 2022 da Peixe BR (Associação Brasileira da Piscicultura) aponta, mais uma vez, o Paraná como o maior produtor de peixes produzidos em cativeiro. Segundo o documento, a produção cresceu 9,3%, em 2021, com 188 mil toneladas, 16 mil toneladas a mais do que no ano anterior. O cultivo da tilápia respondeu por 182 mil toneladas, mais que o volume somado dos dois Estados que aparecem na sequência, São Paulo (76 mil toneladas) e Minas Gerais (47 mil toneladas).

O Estado tem um modelo de produção relacionado com as cooperativas agrícolas, com ênfase na região Oeste e, mais recentemente, no Noroeste. O investimento passa por infraestrutura, frigoríficos para abate e capacitação dos produtores. Em todas as áreas, a presença do engenheiro de aquicultura vem ganhando importância. A modalidade da Engenharia, que é celebrada no dia 14 de julho, tem contribuído para elevar a produtividade e gerar novas fontes de renda nas propriedades rurais.

Atualmente, há 15 engenheiros de aquicultura com registro ativo no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR). Maria Alice Nunes está entre eles. Contratada pela cooperativa agroindustrial Cocari, com sede em Mandaguari, no noroeste do Estado, atua em projeto de fomento à piscicultura na região, iniciado há dois anos, nos moldes da integração da produção de frangos – não por acaso, a tilápia é apelidada de “frango d’água”.

Entre as atribuições, a engenheira de aquicultura avalia as propriedades interessadas em aderir à piscicultura, elabora planos de ação específicos, levando em conta a produtividade, questões ambientais, as demandas do projeto e a projeção de lucros. Posteriormente, realiza as vistorias e as perícias. 

“Também trabalho com as equipes que formulam dietas e acompanham o desenvolvimento zootécnico dos peixes. O manejo das tilápias depende muito de questões técnicas, que envolvem a quantidade de ração e água, horários, temperatura da água. Todo o processo visa obter pescados saudáveis e com carne saborosa”, relata Maria Alice.

Em dois anos de projeto, foram cadastrados 271 produtores do noroeste do Paraná – 216 receberam visitas técnicas e 21 fazem parte do processo de integração à piscicultura. O número deve aumentar assim que um abatedouro da cooperativa inicie as atividades, em Alvorada do Sul. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Tecnologia paranaense busca documentos em 30 mil cartórios pelo Brasil e auxilia na hora de adquirir imóveis

Para que o sonho do imóvel próprio não se torne um pesadelo, há uma série de etapas burocráticas, as quais todas as pessoas têm que passar, garantindo, assim, a segurança e a integridade dos envolvidos no processo: comprador, vendedor e empresas que realizam a comercialização dos imóveis. Entre essas fases, é obrigação de quem vende comprovar que não possui dívidas tributárias ou trabalhistas, não está sendo processado e que não está passando por nenhuma interdição judicial, informações que só são adquiridas por meio das certidões.

Neste sentido, destaque para um dos documentos mais importantes nas transações imobiliárias: a certidão do imóvel. Por conter todo o histórico do imóvel e dos ex-proprietários, este é o comprovativo do registro do imóvel, e que comprova que o ato foi efetuado. Elaborada em cartório, ela declara de fato quem é o verdadeiro proprietário, se há indício ou evidências de uma rede de relacionamento [como a confirmação de um matrimônio, por exemplo], bem como se a propriedade foi ou está sendo transmitida de uma pessoa para outra. Através da certidão de ônus reais, com a matrícula do imóvel, é possível saber ainda a real situação do patrimônio e se há dívidas que podem vir a cair sobre o comprador.

Portanto, advogados, consultores e entidades de defesa do consumidor alertam: existem diversos fatores de risco na compra de qualquer imóvel, mas se esse estiver na planta os cuidados têm que ser redobrados. “Antes da aquisição, é recomendável se prevenir contra imprevistos e práticas abusivas para proteger ao máximo o patrimônio financeiro, contando com a ajuda de especialistas no assunto, de preferência”, comenta Marlon Godoy, diretor comercial e de marketing da Leme Inteligência Forense, lembrando o caso da PDG, uma das maiores construtoras e incorporadoras do País, que deixou, em 2017, muitos compradores de imóveis em apuros. “Comprar uma casa ou apartamento na planta, em geral, é mais barato do que adquirir uma unidade pronta, entretanto, o tiro pode sair pela culatra se a pessoa não se cercar de todos os pormenores”, garante Marlon.

Marlon Godoy, diretor da Leme Inteligência Forense (Foto: Bryan Poncio)

Empreendimento traz novidades estruturais para criar ambientes amplos e fluidos

A Região Sul de Londrina, nos arredores do bairro Terra Bonita, recebe mais moradores a cada nova entrega de um empreendimento. Em meio ao verde das diversas áreas de preservação ambiental, os skylines estão dividindo a vista, que já reúne uma ampla rede de serviços. Um deles é o Enjoy, localizado ao lado do Catuaí Shopping, a ser entregue em poucos dias pela Yticon, construtora do Grupo A.Yoshii. Três dias antes da entrega, o prédio estará iluminado com LED e a luz do moving head que poderá ser vista por toda a região.

O Enjoy é baseado no “conceito aberto” de arquitetura e construção civil, que vem marcando forte presença nas construções residenciais ao criar amplitude no ambiente, com a máxima integração possível dos cômodos e, de quebra, garantir uma identidade moderna ao projeto, independentemente do design adotado na decoração. “Esse tem sido o foco da construtora: oferecer soluções de moradia com conforto e modernidade”, pontua o gerente da Yticon unidade Londrina, Bruno Catarino.

Os apartamentos do Enjoy possuem dois ou três dormitórios, com 54 ou 70 metros quadrados de área privativa, e trazem como novidade estrutural as lajes planas protendidas, um  processo que praticamente elimina o uso de vigas na construção, proporcionando vãos maiores e fluidez aos ambientes, segundo a engenheira responsável pela obra, Luciana Kaiser. “Com isso, ao entrar no apartamento, o morador tem a sensação de amplitude do espaço, inclusive nas unidades mais compactas.”

Com a utilização das lajes, conforme ela, houve também a redução pela metade do número de pilares na obra, que, associadas às paredes em drywall, possibilitam maior flexibilidade ao morador, caso ele queira reformar os ambientes. “Se o morador desejar retirar uma parede, por exemplo, ele consegue realizar o serviço sem o acúmulo de entulho, porque a parede é de gesso acartonado e não está acoplada a nenhuma viga”, explica.

Outra novidade na construção desse empreendimento foi a impermeabilização e pintura da quadra e garagem com tinta PU, à base de resinas de poliuretano. Esta tinta possui ótima resistência a intempéries, boa consistência e flexibilidade, e é muito utilizada em alvenaria, cimentados, tanques, tubulações e estruturas metálicas. “A tinta PU tem qualidade superior às tintas convencionais e proporciona a criação de ambientes mais modernos e charmosos”, diz a engenheira.

Nos quartos, o empreendimento apresenta o uso inédito de venezianas integradas, que garantem ambientes muito iluminados ou totalmente escuros, conforme a necessidade do morador. Esta é, também, a primeira obra da Yticon a ter piso porcelanato na cozinha e nos banheiros, além de torneira monocomando na cozinha. O imóvel será entregue com área gourmet com churrasqueira e decorado.

Infraestrutura para toda a família

O empreendimento tem bicicletário, brinquedoteca equipada com brinquedos educativos e piso vinílico, PetCare, lavanderia e lavanderia profissional. A área de lazer é completa, com quadra esportiva, área fitness, churrasqueira, piscinas adulto e infantil (cercadas com guarda-corpo para maior segurança das crianças) e Game Space, local com vídeo game interativo e playground com brinquedos certificados pelo Inmetro. Para quem precisa de um local para trabalhar em casa, há também um espaço de coworking.