Paraná lidera ranking de saneamento entre os estados do Sul

O Paraná lidera o ranking da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES) entre os estados do Sul. O mais importante levantamento técnico do setor de saneamento aponta 176 municipios atendidos pela Saneparcom boa performance em quatro categorias do estudo.

Nos três estados da região foram listados 301 municípios. A lista da Companhia de Saneamento do Paraná sobe para 177 com a inclusão de Porto União, em Santa Catarina, que também é atendido pela Sanepar e aparece no ranking entre as cidades de pequeno e médio porte com destaque para o empenho na universalização dos serviços.

Os municípios foram classificados em quatro categorias e de acordo com a pontuação total obtida pela soma do desempenho de cada indicador. As categorias são Rumo à Universalização, Compromisso com a Universalização, Empenho para a Universalização e Primeiros passos para a Universalização.

Os indicadores consideram o índice de atendimento da população total com rede de água, o índice de atendimento da população total com rede de esgoto e o índice de esgoto tratado referido à água consumida, além dos serviços de coleta de resíduos e destinação adequada de resíduos sólidos que são atribuições das administrações municipais.

“A Sanepar já aparece com vários municípios que superam as metas do novo marco regulatório do setor, previstas para 2030. Este desempenho é resultado da política de investimentos da Companhia”, disse o presidente da Sanepar, Cláudio Stabile.

Em 2020, foram investidos R$ 969 milhões para a melhoria dos sistemas em todo o Estado. Foram R$ 420 milhões investidos em tratamento e distribuição de água, R$ 473 milhões em esgoto e cerca de R$ 77 milhões em obras administrativas e outras finalidades. No período de 2021 a 2025 os investimentos somarão R$ 7,86 bilhões.

Confira o ranking dos municípios atendidos pela Sanepar.

Confira o ranking das capitais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Litro da gasolina sobe 1,96% em 15 dias no Brasil e fica em R$ 6,433, aponta levantamento

O preço do litro da gasolina no País subiu 1,96% na primeira quinzena de outubro na comparação com setembro, chegando a um valor médio no País de R$ 6,433. As informações constam em levantamento feito pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas

Obtidos por meio do registro das transações realizadas entre os dias 1º e 15 de outubro com o cartão de abastecimento da ValeCard em cerca de 25 mil estabelecimentos credenciados, os dados mostram que Piauí (2,88%) e Ceará (2,77%) registraram as maiores altas no período. As menores altas no valor do combustível ocorreram em Tocantins (1,14%) e Acre (1,23%).

Entre as capitais, o valor médio do combustível foi de R$ 6,377. Teresina (R$ 6,843) e Rio de Janeiro (R$ 6,783) foram as que apresentaram maiores preços na primeira quinzena de outubro. Já os menores valores médios foram encontrados em Macapá (R$ 5,811) e São Paulo (R$ 5,987).

Etanol é vantajoso em todos os Estados

O preço médio do etanol no País no mês de agosto foi de R$ 4,815 Apesar da sequência de altas da gasolina, o combustível fóssil ainda segue sendo o mais vantajoso para se abastecer o veículo em todo o País. O método utilizado nesta análise, descontando fatores como autonomias individuais de cada veículo, é de que, para compensar completar o tanque com etanol, o valor do litro deve ser inferior a 70% do preço da gasolina.

ANA define plano de recuperação dos reservatórios de água do Brasil

A diretoria da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) aprovou ontem (18) um plano de contingência para recuperação dos principais reservatórios de água do país. A medida foi tomada para aproveitar o período chuvoso, que vai de dezembro deste ano a abril de 2022, e garantir a recuperação dos níveis para os anos seguintes. Neste ano, a falta de chuvas provocou redução significativa da capacidade dos reservatórios. 

O plano define vazões defluentes máximas que devem ser praticadas durante o período chuvoso nos reservatórios de Serra da Mesa, Três Marias, Sobradinho, Emborcação, Itumbiara, Furnas, Marechal Mascarenhas de Moraes, Jupiá e Porto Primavera. Novos reservatórios poderão ser incluídos nas medidas de contingência. 

A agência informou que as regras serão comunicadas ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para adoção no Sistema Interligado Nacional (SIN). A implementação das medidas será acompanhada por meio de boletins e sala de crise específicas.