Paraná confirma mais três casos da variante delta; parceria com Ministério fará investigação

Mais três casos da variante delta foram confirmados na tarde desta quinta-feira (8) no Paraná, todos por sequenciamento genômico do vírus, realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, nos mesmos moldes dos quatro registros anteriores. 

Os três novos casos são de Francisco Beltrão, na 8ª Regional de Saúde; Mandaguari, na área da 15ª Regional de Saúde, de Maringá; e em Rolândia, na 17ª Regional de Saúde, de Londrina. Os outros quatro casos confirmados anteriormente são de um mesmo núceo, todos do município de Apucarana (Vale do Ivaí), sendo que dois foram a óbito e dois seguem em monitoramento domiciliar.

O caso de Francisco Beltrão é um homem de 60 anos que começou a ter sintomas do dia 10 de junho, coletou exame de RT-PCR, precisou de internamento com suporte ventilatório e teve alta em 18 de junho. Ele segue o monitoramento clínico em casa. O caso de Mandaguari é um homem de 28 anos. Ele teve sintomas e foi internado no início de abril. Chegou a ter alta, mas retornou à unidade hospitalar em junho, teve o quadro agravado com intubação e foi a óbito em 29 de junho. O caso confirmado em Rolândia é de uma mulher de 59 anos. Ela foi internada, necessitou de oxigênio, mas já teve alta e desde 12 de junho segue sendo monitorada. 

Agora são sete casos confirmados da variante delta do coronavírus no Paraná, mas ainda não existe a caracterização de transmissão comunitária: os quatro primeiros pertencem ao mesmo grupo e de contatos próximos e os três novos são de diferentes municípios, podendo ser “isolados”.

VIGILÂNCIA 

Uma equipe do Ministério da Saúde chegou nesta sexta-feira (9) ao Paraná e participará de uma investigação ampliada dos casos confirmados da variante delta em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde. A decisão de expandir a investigação foi tomada nesta quinta.

“Mesmo sem a transmissão comunitária, vamos ampliar a investigação, e para isso contaremos com o apoio técnico de uma equipe de cinco profissionais do Ministério da Saúde, do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Unico de Saúde (EpiSUS) que, junto com nossas equipes regionais e municipais, estarão nesses quatro municípios realizando novos rastreamentos”, afirmou o secretário Beto Preto.

“A vigilância neste momento é fundamental para nos apontar a presença e a prevalência das variantes. Não existe situação para pânico da população, trata-se de uma investigação para efeito epidemiológico, e não de diagnóstico. Este trabalho é fundamental para outras ações posteriores de saúde pública”, acrescentou.

Segundo ele, mesmo com o avanço da vacinação, as medidas preventivas são as melhores aliadas. “Precisamos mantar o distanciamento social, uso de máscara e higienização frequente das mãos. Além disso todos precisam ficar atentos ao calendário da vacinação contra a Covid-19. Estamos vacinando a população em geral, e em muitas cidades a faixa etária já atinge idades inferiores a 40 anos. Então é preciso acompanhar a divulgação municipal e ir até a unidade para receber a vacina”, ressaltou.

APOIO 

As equipes do EpiSUS e da Secretaria pretendem, a partir da chegada às cidades, investigar as redes de contato dos casos confirmados. O trabalho envolverá atividades de campo e de pesquisa junto às secretarias municipais de Saúde.

“O resultado possibilitará a avaliação do cenário epidemiológico da variante delta, considerada de atenção para a saúde”, afirmou a chefe da Vigilância Epidemiológica da Sesa, Rosana Piler.

Além do trabalho de campo, o Laboratório Central do Estado (Lacen) continuará enviando quinzenalmente amostras para investigação e monitoramento das cepas circulantes no Paraná. A seleção é feita de forma aleatória e cumpre critérios técnicos e epidemiológicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná alcança 5,6 milhões de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid-19

Com o avanço da vacinação em todas as regiões do Estado, o Paraná chega à marca de 5,6 milhões de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid-19, com a segunda dose (D2) ou dose única (DU), ultrapassando 64,6% de cobertura em adultos. Com 14 milhões de doses aplicadas desde de 17 de janeiro, 98,6% da população com mais de 18 anos, estimada em 8.720.953 pessoas, tomou ao menos uma dose ou a dose única.

Ao todo, foram aplicadas 8.275.359 D1, 5.314.711 D2 e 324.439 DU. Os dados são da base do Programa Nacional de Imunizações (PNI) na plataforma Localiza SUS, do Ministério da Saúde. Há, ainda, um quantitativo com registro pendente no sistema.

“Cada vacina aplicada é motivo de alegria para todos nós. Estes números representam o trabalho incansável das equipes municipais e de todos os profissionais do Governo do Estado na missão de salvar vidas. Estamos vencendo batalhas, mas ainda não ganhamos a guerra. Precisamos manter os cuidados e continuar vacinando para que em um futuro breve possamos comemorar o fim desta pandemia”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

O Paraná é um dos estados mais avançados na imunização, segundo o consórcio dos veículos de imprensa. Os estados com maior porcentagem da população imunizada (com D2 ou DU) são: São Paulo (59,48%), Mato Grosso do Sul (59,01%), Rio Grande do Sul (51,31%), Paraná (47,25%) e Espírito Santo (46,22%).

MAIS DADOS – O avanço da vacinação contra a doença reflete diretamente nos índices de infecção e internamento em decorrência da contaminação pelo vírus Sars-CoV-2.

No pico da pandemia no Paraná, registrado em março deste ano, 6.385 pessoas morreram em consequência da Covid-19. Desde junho, estes números têm baixado, chegando a 1.155 óbitos em setembro, uma redução de 81% em seis meses.

Já com relação aos casos, o maior número de confirmações durante a pandemia foi em maio, quando o Estado registrou 193.404. Em setembro, 50.088 pessoas foram diagnosticadas com a doença, uma diminuição de 74%.

O número de internações e ocupações de leitos exclusivos para atendimento a pacientes infectados também teve queda. Em 31 de março, o Paraná somava 4.712 leitos exclusivos nas quatro macrorregiões. Destes, 4.060 estavam ocupados. Dentre os 1.816 de UTI, 94% eram utilizados, e dos 2.896 de enfermarias, 81% estavam ocupados. Na época, 735 pessoas ainda aguardavam na fila por um leito exclusivo.

Cenário bem diferente do registrado nesta quarta-feira (6), quando, segundo a Regulação Estadual de Leitos, o Paraná somou 3.211 leitos, com 1.247 pacientes internados. Atualmente, o Estado possui 1.510 UTIs, 50% ocupadas, e 1.701 enfermarias, 29% utilizadas. Há 39 pessoas no Estado aguardando transferência.

Beto Preto reforçou que a queda nos indicadores confirma a eficácia das vacinas. “Não há dúvidas de que os imunizantes protegem contra a infecção pelo vírus e minimizam o agravamento do quadro clínico, o que evita internamentos e mortes. Essa pequena minoria de menos de 2% que ainda não se vacinou deve procurar uma unidade de saúde e garantir sua dose”, disse.

SEGUNDAS DOSES – Somente nos seis primeiros dias de outubro, 235.483 segundas doses ou doses únicas foram aplicadas no Estado, uma média de 32 pessoas por minuto.

Considerando o intervalo entre a D1 e D2 de imunizantes como a AstraZeneca e Pfizer/BioNTech de oito a 12 semanas, respectivamente, nos dois últimos meses o Paraná registrou grande aumento de pessoas imunizadas contra a doença. Entre julho e setembro, a soma de segundas doses aplicadas cresceu 89,6%.

Confira os números:

Governo renova decreto de medidas de enfrentamento à Covid-19 por mais 15 dias

O Governo do Estado renovou as orientações indicadas no último decreto sobre a pandemia por mais 15 dias no Paraná. A normativa foi assinada nesta quinta-feira (30) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior.

De acordo com o documento, podem ser realizados eventos em espaços abertos, para público exclusivamente sentado ou delimitado, com capacidade máxima de lotação de 60% do previsto para o local, desde que não exceda 5 mil pessoas. Em ambientes fechados, também com público exclusivamente sentado ou delimitado, a regra delimita capacidade máxima de lotação de 50% do previsto para o local, desde que não ultrapasse 2 mil pessoas.

Há exigência para que organizadores dos eventos exijam o comprovante de vacinação ou um teste negativo para Covid-19 dos participantes, com no máximo 48 horas de antecedência.

Permanece proibida a realização presencial dos eventos, de qualquer tipo, que possuam uma ou mais das seguintes características: em local fechado que não tenha sistema de climatização com renovação do ar e Plano de Manutenção, Operação e Controle atualizados; que demandem a permanência do público em pé durante sua realização; com duração superior a 6 horas; que não consigam garantir o controle de público no local ou que possam atrair presença de público superior àquele determinado nesta norma, como exposições e festivais; de caráter internacional; realizados em locais não autorizados para esse fim; e que não atendam os critérios previstos nesta legislação e demais normativas vigentes.

VACINAÇÃO – O cenário mais positivo da condição do Estado está atrelada ao avanço da vacinação no Paraná. Para dar seguimento à aplicação das doses no Paraná, o Ministério da Saúde enviará mais 176.670 vacinas contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech nesta semana. Serão 146.250 para dose reforço de trabalhadores da saúde que tenham tomado a segunda dose (D2) ou dose única (DU) até 31 de março e 30.420 para DR de idosos acima de 60 anos que tenham finalizado o esquema vacinal também até 31 de março.

Os imunizantes fazem parte da 55ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde, que deve incluir, ainda, 137.200 vacinas da AstraZeneca/Fiocruz para completar 100% da D2 da 30ª pauta e 59% de D2 da 31ª pauta. Ao todo, o Paraná receberá 313.870 vacinas. As doses ainda não têm data confirmada para envio, mas devem chegar ao Estado ainda nesta semana.

Até o momento, o Paraná já aplicou 13.348.280 vacinas contra a Covid-19, sendo 8.093.515 D1, 323.286 doses únicas (DU), 4.890.510 D2, 30.930 doses de reforço (DR) e 10.167 doses adicionais (DA) em imunossuprimidos.

CENÁRIO – De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Sesa nesta quinta-feira (30), o Paraná soma 1.505.437 casos e 38.879 óbitos pela Covid-19. 629 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 493 em leitos SUS (303 em UTIs e 190 em clínicos/enfermarias) e 136 em leitos da rede particular (83 em UTIs e 53 em clínicos/enfermarias).