Para preservar Rio Iguaçu e combater falta d’água, Paraná terá Reserva Hídrica do Futuro

Uma nova reserva hídrica na Região Metropolitana de Curitiba promete suprir o abastecimento de água da região em momentos de estiagem e alavancar a preservação ambiental no Rio Iguaçu. O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, assinaram, nesta quarta-feira (15), o Decreto Municipal 1.172/2021 que cria a Reserva Hídrica do Futuro – área que receberá ações para melhorar a segurança hídrica da região. O projeto estabelece uma cooperação técnica entre Sanepar, Instituto de Água e Terra (IAT), Prefeitura de Curitiba e Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec).

Governador Carlos Massa Ratinho Junior e o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, assinaram, nesta quarta-feira (15), o Decreto Municipal 1.172/2021 que cria a Reserva Hídrica do Futuro – área que receberá ações para melhorar a segurança hídrica da região. 15/09/2021 – Foto: José Fernando Ogura/AEN

A Reserva Hídrica do Futuro da Bacia do Alto Iguaçu vai de Balsa Nova até Piraquara, interligando antigas cavas de exploração de areia nas margens do Rio Iguaçu que possuam potencial para formação de lagos. A área cria um corredor de biodiversidade e preservação de 150 quilômetros de extensão, que poderá reservar até 43 bilhões de litros de água para serem utilizados no abastecimento regional em situações emergenciais de estiagem – como a atual, que já se estende por quase dois anos.

“Esse é um projeto de planejamento para o futuro, feito pelos maiores técnicos ambientalistas do Paraná, que sem dúvida alguma vai garantir que as futuras gerações não tenham que passar por seca por falta de planejamento. Estamos sentindo a necessidade do cuidado com a água, e por isso queremos criar um dos maiores corredores de biodiversidade do mundo, que cuida da natureza. Poder selar essa parceria com Curitiba é motivo de muita alegria”, afirmou o governador.

O projeto também protege e recupera as áreas de preservação permanente do Rio Iguaçu e seus afluentes. Entre os objetivos da criação da reserva, está orientar e regulamentar atividades na área visando à sustentabilidade ambiental, social e econômica; minimizar riscos, impactos e danos relacionados a enchentes e inundações; e fomentar o turismo, a geração de emprego e a valorização da paisagem.

A área total do espaço é de cerca de 21 quilômetros quadrados, dos quais 14,5 são áreas de águas e lagos – 65% do total. Além de Curitiba, a área compreende outros quatro municípios da RMC: Pinhais, Araucária, Fazenda Rio Grande e São José dos Pinhais.

“Esse imenso parque, que vai de Piraquara até Porto Amazonas, é um projeto estratégico para que façamos a proteção dos mananciais que restam para a Grande Curitiba. Ocupações irregulares só fazem mal a esses mananciais do Rio Iguaçu, e fazer um corredor de biodiversidade para fornecer água para a Grande Curitiba é uma solução mais barata para resolver esse problema”, ressaltou o prefeito de Curitiba, Rafael Greca.

Foto: José Fernando Ogura/AEN

Os recursos para implementação estão estimados em R$ 120 milhões, e deverão ser viabilizados através da conversão de multas em atraso junto ao Ibama e outros órgãos.

PRIMEIROS PASSOS – No evento, as autoridades também assinaram o Decreto Municipal nº 1.478/2021, que institui um grupo de trabalho para elaboração dos estudos da Reserva Hídrica do Futuro. O grupo será coordenado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba.

As ações da proposta vão se concentrar em duas etapas. A primeira fica entre o Rio Barigui e a BR-277, abrangendo os bairros curitibanos da Caximba (Reserva da Vida Silvestre), Campo de Santana, Umbará e Ganchinho. Os trabalhos já se iniciaram com a alteração de zoneamento no trecho e a negociação com os proprietários dos terrenos da região.

A expectativa é que, ainda neste ano, a Sanepar possa iniciar a fase de infraestrutura hídrica, com a intervenção na preparação dos lagos.

Já o segundo trecho vai da BR-277 até o Rio Atuba, passando pelos bairros Alto Boqueirão (Zoológico), Boqueirão (Parque Náutico), Uberaba (Parque da Imigração Japonesa) e Cajuru (Parque Peladeiros e Cajuru).

POTENCIAL TURÍSTICO – O perímetro da Reserva Hídrica do Futuro será delineado por uma nova margem com potencial paisagístico, composta por orla, grama, via parque, ciclovia, lagos, recuperação de mata ciliar, áreas de lazer e esporte, mirantes e deques. O grupo também vai criar um plano urbanístico sustentável para estimular a construção de edificações com frente para os novos lagos.

“Esse programa vai deixar um grande legado, não só pelo tratamento da água como pela conservação de fauna e flora do entorno. Além disso, o projeto prevê ampliar ciclovias e tornar parte do rio navegável, gerando pequenos negócios ao longo do trajeto. O que buscamos é o cuidado com a questão hídrica, e paralelamente, uma forte educação socioambiental. É uma obra de curto, médio e longo prazo que vai garantir às próximas gerações que não passem pelos problemas de estiagem atuais”, detalhou o diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile.

O secretário estadual de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Marcio Nunes, reforçou que é imediata a necessidade de criar projetos para preservação ambiental. “Não existe outro planeta, um planeta B. Temos que cuidar da sustentabilidade desse mesmo planeta em que vivemos, cuidando do solo, da água, da recuperação e preservação do meio ambiente. O crescimento e desenvolvimento do Paraná passa pelo cuidado com as pessoas e pela preservação do meio ambiente — com tudo acontecendo ao mesmo tempo”, pontuou.

RESERVAS HÍDRICAS – A nova cooperação técnica integra o programa Reservas Hídricas nas Várzeas do Rio Iguaçu, que promove soluções baseadas na natureza para oferecer benefícios vitais no desenvolvimento sustentável dos municípios. Os programas integram Sanepar, Comec, IAT e prefeituras.

O programa recupera mais de 150 quilômetros de rios em mais de 20 mil hectares de intervenção, beneficiando três milhões de pessoas que moram nas regiões preservadas. Já são três mil hectares de jardins de infiltração (wetlands), 1,8 mil hectares de parques, 50 quilômetros de ciclovias e 50 bilhões de litros d’água armazenados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná recebe mais vacinas e anuncia início da aplicação da dose de reforço

Com a ajuda das vacinas contra a Covid-19 que o Paraná recebeu nesta segunda-feira (20), a Secretaria de Estado da Saúde dará início a mais uma etapa da campanha de vacinação com a aplicação das doses de reforço (terceira dose).

Serão utilizadas 450 da Janssen para o reforço de indígenas com mais de 70 anos e imunossuprimidos (pessoas que passaram por um transplante ou pacientes que têm HIV, por exemplo) de 18 a 59 anos, além de 118.170 imunizantes da Pfizer para a aplicação em idosos acima de 70 anos e imunussuprimidos, desde que com o esquema vacinal completo há mais de seis meses.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, acompanhou a chegada das doses, e disse que a terceira dose será importante para aqueles que já tomaram as duas primeiras, dentro dos atuais critérios da campanha de vacinação. “Nós teremos agora um quantitativo para aqueles que têm um sistema imunológico mais suscetível e idosos que tomaram a vacina no início da campanha, seguindo a orientação do Programa Nacional de Imunização (PNI)”, disse.

As demais 164.250 da AstraZeneca/Fiocruz, que também chegaram nesta segunda, ainda aguardam a divulgação do Informe Técnico do Ministério da Saúde para definir o público e a descentralização.

Com a ajuda das vacinas contra a Covid-19 que o Paraná recebeu nesta segunda-feira (20), a Secretaria de Estado da Saúde dará início a mais uma etapa da campanha de vacinação com a aplicação das doses de reforço (terceira dose).. Foto: Américo Antonio/SESA

DISTRIBUIÇÃO – A Secretaria também anunciou a distribuição de 571.670 vacinas às 22 Regionais de Saúde, sendo 327.600 da Pfizer/BioNTech, 168.870 de Coronavac, 450 da Janssen e 74.750 da AstraZeneca/Fiocruz. As remessas serão para a primeira (D1), segunda (D2) e terceira (D3) doses. Elas chegaram ao Paraná nos últimos dias (sábado e domingo). 

As vacinas foram encaminhadas no início da tarde para as Regionais de Saúde (via terrestre e aérea) de Paranaguá, Metropolitana, Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Londrina, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Toledo Telêmaco Borba e Ivaiporã.

ADOLESCENTES – Beto Preto também disse que nesta terça-feira (21), em reunião com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), o Paraná vai fechar uma decisão conjunta sobre a vacinação dos adolescentes. Na última quarta-feira (15) o Ministério da Saúde emitiu Nota Técnica recomendando a vacinação apenas para adolescentes entre 12 e 17 anos que tenham deficiência permanente, comorbidades ou estejam privados de liberdade.

“É importante ressaltar que o Paraná continua seguindo o PNI, mas, ao mesmo tempo, dialogamos com o Ministério da Saúde e cobramos que, o quanto antes, se realize a vacinação dos adolescentes, sem comorbidades”, enfatizou. 

VACINAÇÃO – Segundo os dados do Vacinômetro, o Paraná já aplicou 12.412.029 doses (D1), sendo 7.894.999 primeiras doses; 322.484 doses únicas (DU) e 7.894.999 segundas doses (D2). O Estado já atingiu 94,23% da população adulta, estimada em 8.720.953 pessoas com, pelo menos, uma dose.

Confira como ficou a distribuição para as 22 Regionais de Saúde:

Foto: SESA

Paraná abre quase 2 mil vagas para cursos profissionalizantes gratuitos; saiba como participar

O programa Carretas do Conhecimento, que leva cursos profissionalizantes em unidades móveis a todas as regiões do Paraná, está com 1.936 vagas abertas em 36 municípios. A iniciativa do Governo do Estado é executada pela Secretaria estadual da Justiça, Família e Trabalho, em parceria como Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e a Volkswagem. O objetivo é qualificar pessoas para ocuparem postos de trabalho no Estado.

“Priorizamos a geração de empregos. O governo tem realizado trabalho intenso para atrair investimentos e novas empresas para o Paraná, e elas precisam de bons profissionais, de trabalhadores qualificados e preparados para entrar no mercado de trabalho”, afirma o secretário Ney Leprevost.

Essa nova etapa do projeto inicia no próximo dia 27 (segunda-feira) com 75% das aulas online e 25% presenciais, de acordo com os protocolos sanitários determinados pela secretaria estadual da Saúde. Serão 104 turmas nas habilitações de elétrica automotiva, informática básica, refrigeração, mecânica industrial, corte e costura industrial, instalações elétricas, manutenção de motocicletas e panificação.

Nessa etapa os cursos serão oferecidos em Curitiba, Cascavel, Fazenda Rio Grande, Goioerê, Itapejara D’Oeste, Londrina, Marechal Cândido Rondon, Ponta Grossa, Antonina, Balsa Nova, Campo Magro, Capitão Leônidas Marques, Colombo, Contenda, Francisco Beltrão, Pato Branco, Pitanga, União da Vitória, Arapoti, Coronel Vivida, Nova América da Colina, Santa Cecília do Pavão, Itaperuçu, Rio Branco do Sul, São João do Ivaí, São Pedro do Ivaí, Barbosa Ferraz, Nova Prata do Iguaçu, Maria Helena, Pinhais, Campo Largo, Farol, Mariluz, Pinhal do São Bento, Salto do Lontra e Santo Antônio da Platina.

Confira AQUI as informações sobre os locais dos cursos, datas e pré-inscrição.

Informações também podem ser obtidas nas Agências do Trabalhador dos municípios.