Museus do Paraná reabrem ao público com protocolos de segurança e novas exposições

Seguindo o decreto estadual 7.506/2021 e todas as orientações de segurança determinadas pela Secretaria de Estado da Saúde, museus estaduais estão reabrindo para a visitação do público. O Museu Oscar Niemeyer (MON) e o MAC Paraná, que ocupa temporariamente as salas 08 e 09 do MON devido à reforma em sua sede principal, já estão de portas abertas desde o dia 1° de maio.

Outros espaços públicos, como o Museu Paranaense, Museu da Imagem e do Som do Paraná, Museu Casa Alfredo Andersen e Museu do Expedicionário voltam ao funcionamento a partir deste sábado (8).

Uma série de protocolos foi adotada para possibilitar a medida, como a limitação no número de visitantes, que não deve ultrapassar 50% da capacidade total de cada um dos espaços, garantindo assim um distanciamento seguro na circulação interna. Todo o material impresso, como guias e folders, foi substituído por versões digitais, disponíveis através de QR Codes em pontos estratégicos do local.

A superintendente-geral de Cultura do Paraná, Luciana Casagrande Pereira, afirma que os visitantes podem se sentir seguros no museu para um passeio cheio de novas descobertas. “O momento de retorno, tão aguardado pelo público, mas também por nós que estamos nos bastidores, certamente será muito satisfatório para todos. Os museus do Paraná estão pulsando arte à espera do público”, destaca.

Os museus retornarão às atividades com novidades. O MON e o MAC já abriram as portas para exposições inéditas e o MUPA apresenta de uma só vez quatro lançamentos.

Foto: Kraw Penas/SECC.

SCHWANKE NO MON – Como novidade na reabertura, o MON apresenta a exposição “Schwanke, uma Poética Labiríntica”, concebida exclusivamente para o espaço do Olho. É uma retrospectiva do trabalho do artista Luiz Henrique Schwanke (1951-1992), desde a década de 1970 até as últimas produções, num total de mais de 150 obras, sendo boa parte inédita.

O artista tem em sua obra a singularidade de permitir diferentes abordagens e se estender por variadas formas, o que inclui desenhos, pinturas, livros, objetos, esculturas e instalações, num conjunto complexo e surpreendente.

DULCE OSINSKI NO MAC – Também com mostra inédita, o MAC Paraná apresenta “Verdeazul”, individual da artista paranaense Dulce Osinski, instalada na sala 09 do MON. Com curadoria de Benedito Costa Neto, a exposição reúne pinturas e gravuras realizadas pela artista nos últimos 13 anos, congregando momentos distintos, porém interligados, do desenvolvimento de sua poética.

Essa exposição é acompanhada de uma segunda, realizada na Sala Adalice Araújo, onde o público pode conhecer as obras de Dulce Osinski que fazem parte da coleção do MAC Paraná. A Sala Adalice Araújo fica no edifício-sede da Secretaria da Comunicação Social e da Cultura, no centro de Curitiba, e a entrada é gratuita.

MUPA – O Museu Paranaense apresenta quatro novas exposições ao público: “Agrocorpus”, “Curitiba: Símbolos em Questão”, “Eu Memória, Eu Floresta: História Oculta” e “Educação pela Pedra”. Seguindo todos os protocolos de segurança, o museu estará repleto de novidades para quem está com saudades do contato direto com a cultura. Outra novidade é que as visitas aos finais de semana e feriados, mais sujeitos a aglomeração, agora deverão ser agendadas previamente no site do museu.

Serviço

Museu Oscar Niemeyer

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)

www.museuoscarniemeyer.org.br

MAC Paraná

Funcionando temporariamente nas salas 08 e 09 do Museu Oscar Niemeyer devido à reforma em sua sede.

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)

Sala Adalice Araújo – localizada no edifício sede da Secretaria da Comunicação Social e da Cultura. Rua Ébano Pereira, 240 – Centro – Curitiba/Paraná.

Visitação: segunda a sexta, das 8h às 18h

Entrada gratuita

Siga o MAC nas redes sociais: Instagram; Facebook.

www.mac.pr.gov.br

Museu Paranaense (MUPA)

Rua Kellers, 289 – Alto São Francisco 

De terça a domingo, das 10h às 17h30

*Para visitar o MUPA aos finais de semana é preciso agendar a visita previamente pelo Sympla. Nos demais dias, não é necessário agendamento.

Entrada gratuita

www.museuparanaense.pr.gov.br

Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR)

Rua Barão do Rio Branco, 395 – Centro – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a sexta-feira, das 10h às 17h. Nos sábados, domingos e feriados das 10h às 16h. Fechamento para o almoço das 12h às 13h. Atendimento por ordem de chegada.

Entrada gratuita

www.mis.pr.gov.br/

Museu Casa Alfredo Andersen (MCAA)

Rua Mateus Leme 336 – Centro – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a sexta-feira, das 10h às 17h. Nos sábados, domingos e feriados das 10h às 16h.

Entrada gratuita

www.mcaa.pr.gov.br/

Museu do Expedicionário

Rua Comendador Macedo, 655 – Alto da XV – Curitiba/Paraná

Visitação: terça a sexta-feira das 10h às 12h (manhã) e 14h às 17h (tarde).

Entrada gratuita

www.museudoexpedicionario.5rm.eb.mil.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Live Curitiba anuncia nova administradora e divulga nove shows que devem acontecer ainda em 2021

A casa de shows Live Curitiba, será administrada pela Opus Entretenimento. A empresa é responsável pelo gerenciamento e operação de importantes espaços no Brasil como Teatro Bradesco e o Teatro Opus (São Paulo/SP).

Além do anuncio da nova administradora, foram divulgados nove shows que acontecerão ainda neste ano, respeitando todos os protocolos de segurança. Confira a lista:

31/10 – Jorge & Mateus

01/11 – Jorge & Mateus

05/11 – Dilsinho

12/11 – Marcos e Belutti

13/11 – Hello Adele Tribute

20/11 – Queen Celebration in Concert + Orquestra Sinfônica de Curitiba

26/11 – Maiara e Maraisa

27/11 – Maneva

10/12 – Diego e Victor Hugo

Mais informações e venda de ingressos acesse aqui

Round 6: as origens da série coreana que pode se tornar a mais vista da história da Netflix

Menos de 15 dias depois de estrear na Netflix, a série coreana “Round 6” (lançada como Squid Game em alguns países) se tornou a número um do momento na maioria dos países onde o serviço funciona, disse o CEO da empresa, Ted Sarandos, em um evento sobre tecnologia nos EUA.

Segundo ele, os números atuais apontam para “uma grande probabilidade” da série se tornar a “maior de todas” na história da plataforma, superando a atual campeã, Bridgerton, que teve mais de 82 milhões de espectadores até agora.

Criada pelo coreano Hwang Dong-hyuk, a série mostra uma série de personagens desesperados e sem grana que competem por um prêmio em dinheiro. Apesar da competição ser com brincadeiras de criança (como “cabo-de-guerra” e uma mistura de “estátua” com “pega-pega”), a disputa é violenta e os participantes competem até a morte.

Dong-hyuk, que também escreveu o roteiro e dirigiu a série, é conhecido por navegar entre diversos gêneros cinematográficos – seus filmes mais famosos são um thriller violento (The Crucible), uma comédia familiar (Miss Granny) é um romance histórico (The Fortress).

“Eu falo abertamente que tirei grande inspiração de mangás e animes japoneses ao longo dos anos”, afirmou o diretor à revista Variety.

Entre as histórias que ele gostava de ler, estão os mangás Battle Royale (2000 – 2005) e Liar Game (2005-2015).

Battle Royale é uma história sobre estudantes obrigados a competir em jogos violentos por um regime totalitário. Já Liar Game foca em uma garota que é envolvida em um torneio onde os participantes precisam roubar dinheiro uns dos outros de qualquer forma possível.

“Eu comecei a imaginar como se sentiria se participasse dessas competições. Mas eu achava as disputas muito complexas, então para o meu próprio trabalho eu usei brincadeiras de criança”, disse Hwang Dong-hyuk.

Segundo o diretor, o fato das competições serem simples e fáceis de entender permite que o telespectador preste atenção nos personagens, em vez de se distraírem tentando interpretar as regras.

Para ler a matéria completa na BBC Brasil clique aqui.