Mesmo após apelo de Bolsonaro, Paraná amanhece com nove pontos de bloqueios de caminhoneiros

O Paraná amanheceu com nove pontos de bloqueios por parte de caminhoneiros nas rodovias federais, mesmo após apelo do presidente da república Jair Bolsonaro para que os apoiadores não bloqueassem as estradas. Na manhã desta quinta-feira (9), apenas veículos de passeio e de cargas urgentes ou perecíveis passam nestes pontos.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os bloqueios são os seguintes: BR 369, Kms 37 (Andirá), 79 (Sta. Mariana) e 157 (Londrina); BR 373, Km 254 (Guamiranga); BR 376, Kms 109 (Paranavaí), 158 (Mandaguaçu), 188 (Marialva) e 504 (Ponta Grossa); BR 476 Km 285 (S. Mateus do Sul).

Nas rodovias catarinenses, são 18 os pontos de bloqueios, segundo a PRF: BR 101 – km 72 Araquari, km 353 Jaguaruna, km 375 Içara, km 402 Maracajá, km 419 Araranguá e km 451 São João do Sul. BR 280 – km 1,4 São F. do Sul, km 11 São F. do Sul, km 55 Guaramirim, km 121 São B. Sul e km 230 Canoinhas. BR 116 – km 07 Mafra e km 138 S. Cecília. BR 470 : km 4 Navegantes, km 45 Gaspar e Km 89 Ascurra. BR 282 – km 606 Maravilha ekm 646 São M. Oeste.

Apelo

Durante a madrugada, Bolsonaro encaminhou um áudio aos caminhoneiros pedindo que parassem com os bloqueios, temendo desabastecimento e aumento ainda maior da inflação. Após o discurso inflamado do presidente nas manifestações de sete de setembro, os caminhoneiros passaram a bloquear as rodovias pedindo a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Informações Banda B

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

UEL abre inscrições para o Vestibular 2022 na próxima segunda-feira

A Universidade Estadual de Londrina (UEL) abre nesta segunda-feira (20), a partir das 17 horas, as inscrições para o Vestibular 2022, que será realizado, excepcionalmente, em fase única, dia 6 de março, com salas de provas distribuídas em escolas e faculdades em Londrina. Serão ofertadas 3.125 vagas em 52 cursos de graduação presenciais. As inscrições custam R$ 140,00 e podem ser feitas no portal da Coordenadoria de Processos Seletivos (COPS) até as 23h59min do dia 3 de novembro.

Das 3.125 vagas, 2.509 são ofertadas para ingresso pelo Vestibular. As outras 616 vagas são disponibilizadas por meio do Sistema de Seleção Unificada (SISU). A primeira convocação dos aprovados no Vestibular 2022 será divulgada em 19 de abril, ao meio-dia. As aulas do ano letivo 2022 terão início em agosto do próximo ano.

Segundo a professora Sandra Garcia, Coordenadora da Cops, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão decidiu em julho seguir o modelo adotado no último concurso, realizado em 30 de maio deste ano. A prova será aplicada em um único dia, dividida em duas partes, sendo a primeira com 36 questões objetivas sobre Conhecimentos Gerais relacionados ao conteúdo do Ensino Médio; 10 testes de Língua Portuguesa e Literatura em Língua Portuguesa e quatro de Língua Estrangeira (Inglês, Espanhol ou Francês). A segunda parte será composta pela redação, uma produção textual em prosa.

Inscrições do Vestibular 2022 da UEL começam na próxima segunda-feira, dia 20 – LOndrina, 16/09/2021 – Foto: UEL

A expectativa é de mais de 27 mil inscritos, mesmo número de candidatos registrados este ano. Segundo a professora, o otimismo está relacionado ao bom desempenho da UEL nos rankings que atestam a qualidade do ensino e no trabalho realizado pela equipe de aplicação e fiscalização do último Vestibular.

Como na edição deste ano, para ter a redação corrigida os candidatos terão de alcançar pelo menos 26% da pontuação total na parte de Conhecimentos Gerais, Língua Portuguesa e Literaturas em Língua Portuguesa e em Língua Estrangeira. A duração da prova também será de cinco horas, uma a mais do que nos anos anteriores, quando a prova era realizada em duas etapas.

PREVENÇÃO – A Coordenadora da Cops orienta que o concurso do próximo ano, mesmo com a intensificação da imunização contra a Covid-19 na população brasileira, será realizado de acordo com as regras sanitárias exigidas. Serão menos alunos nas salas de provas. Em 2021 foram utilizadas 1.439 salas em 64 locais distribuídos em Londrina – escolas públicas e privadas, faculdades e o campus da UEL.

As recomendações serão as mesmas deste ano. Os candidatos deverão portar mais de uma máscara e levar as garrafas para se abastecer de água durante a prova. Também será incentivado o uso individual de álcool para desinfecção das mãos. “Se houver qualquer alteração vamos comunicar os estudantes”, afirma a professora.

CADASTRO PRÉVIO – A COPS divulgou novo procedimento que trará mais segurança aos dados dos candidatos a partir do Vestibular 2022. Durante as inscrições, a partir desta segunda-feira, no site COPS, eles deverão fazer um cadastramento prévio, com login e senha. A medida segue a Lei de Proteção de Dados e visa proteger as informações e dados pessoais dos vestibulandos. Para o cadastro, o candidato deverá anexar uma foto da identidade (RG) e definir uma senha de acesso.

MANUAL DO CANDIDATO – Os estudantes já podem acessar o Manual do Candidato a partir desta quinta-feira (16), antes mesmo da abertura das inscrições. O documento está disponível no site da COPS – Manual do Candidato – e traz todas as informações relativas ao processo do Vestibular 2022 como cronograma de datas, peso de cada matéria, oferta de vagas por curso e recomendações para o estudante participar do Vestibular pelo processo excepcional, em fase única, com toda a segurança.

Para preservar Rio Iguaçu e combater falta d’água, Paraná terá Reserva Hídrica do Futuro

Uma nova reserva hídrica na Região Metropolitana de Curitiba promete suprir o abastecimento de água da região em momentos de estiagem e alavancar a preservação ambiental no Rio Iguaçu. O governador Carlos Massa Ratinho Junior e o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, assinaram, nesta quarta-feira (15), o Decreto Municipal 1.172/2021 que cria a Reserva Hídrica do Futuro – área que receberá ações para melhorar a segurança hídrica da região. O projeto estabelece uma cooperação técnica entre Sanepar, Instituto de Água e Terra (IAT), Prefeitura de Curitiba e Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec).

Governador Carlos Massa Ratinho Junior e o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, assinaram, nesta quarta-feira (15), o Decreto Municipal 1.172/2021 que cria a Reserva Hídrica do Futuro – área que receberá ações para melhorar a segurança hídrica da região. 15/09/2021 – Foto: José Fernando Ogura/AEN

A Reserva Hídrica do Futuro da Bacia do Alto Iguaçu vai de Balsa Nova até Piraquara, interligando antigas cavas de exploração de areia nas margens do Rio Iguaçu que possuam potencial para formação de lagos. A área cria um corredor de biodiversidade e preservação de 150 quilômetros de extensão, que poderá reservar até 43 bilhões de litros de água para serem utilizados no abastecimento regional em situações emergenciais de estiagem – como a atual, que já se estende por quase dois anos.

“Esse é um projeto de planejamento para o futuro, feito pelos maiores técnicos ambientalistas do Paraná, que sem dúvida alguma vai garantir que as futuras gerações não tenham que passar por seca por falta de planejamento. Estamos sentindo a necessidade do cuidado com a água, e por isso queremos criar um dos maiores corredores de biodiversidade do mundo, que cuida da natureza. Poder selar essa parceria com Curitiba é motivo de muita alegria”, afirmou o governador.

O projeto também protege e recupera as áreas de preservação permanente do Rio Iguaçu e seus afluentes. Entre os objetivos da criação da reserva, está orientar e regulamentar atividades na área visando à sustentabilidade ambiental, social e econômica; minimizar riscos, impactos e danos relacionados a enchentes e inundações; e fomentar o turismo, a geração de emprego e a valorização da paisagem.

A área total do espaço é de cerca de 21 quilômetros quadrados, dos quais 14,5 são áreas de águas e lagos – 65% do total. Além de Curitiba, a área compreende outros quatro municípios da RMC: Pinhais, Araucária, Fazenda Rio Grande e São José dos Pinhais.

“Esse imenso parque, que vai de Piraquara até Porto Amazonas, é um projeto estratégico para que façamos a proteção dos mananciais que restam para a Grande Curitiba. Ocupações irregulares só fazem mal a esses mananciais do Rio Iguaçu, e fazer um corredor de biodiversidade para fornecer água para a Grande Curitiba é uma solução mais barata para resolver esse problema”, ressaltou o prefeito de Curitiba, Rafael Greca.

Foto: José Fernando Ogura/AEN

Os recursos para implementação estão estimados em R$ 120 milhões, e deverão ser viabilizados através da conversão de multas em atraso junto ao Ibama e outros órgãos.

PRIMEIROS PASSOS – No evento, as autoridades também assinaram o Decreto Municipal nº 1.478/2021, que institui um grupo de trabalho para elaboração dos estudos da Reserva Hídrica do Futuro. O grupo será coordenado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba.

As ações da proposta vão se concentrar em duas etapas. A primeira fica entre o Rio Barigui e a BR-277, abrangendo os bairros curitibanos da Caximba (Reserva da Vida Silvestre), Campo de Santana, Umbará e Ganchinho. Os trabalhos já se iniciaram com a alteração de zoneamento no trecho e a negociação com os proprietários dos terrenos da região.

A expectativa é que, ainda neste ano, a Sanepar possa iniciar a fase de infraestrutura hídrica, com a intervenção na preparação dos lagos.

Já o segundo trecho vai da BR-277 até o Rio Atuba, passando pelos bairros Alto Boqueirão (Zoológico), Boqueirão (Parque Náutico), Uberaba (Parque da Imigração Japonesa) e Cajuru (Parque Peladeiros e Cajuru).

POTENCIAL TURÍSTICO – O perímetro da Reserva Hídrica do Futuro será delineado por uma nova margem com potencial paisagístico, composta por orla, grama, via parque, ciclovia, lagos, recuperação de mata ciliar, áreas de lazer e esporte, mirantes e deques. O grupo também vai criar um plano urbanístico sustentável para estimular a construção de edificações com frente para os novos lagos.

“Esse programa vai deixar um grande legado, não só pelo tratamento da água como pela conservação de fauna e flora do entorno. Além disso, o projeto prevê ampliar ciclovias e tornar parte do rio navegável, gerando pequenos negócios ao longo do trajeto. O que buscamos é o cuidado com a questão hídrica, e paralelamente, uma forte educação socioambiental. É uma obra de curto, médio e longo prazo que vai garantir às próximas gerações que não passem pelos problemas de estiagem atuais”, detalhou o diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile.

O secretário estadual de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Marcio Nunes, reforçou que é imediata a necessidade de criar projetos para preservação ambiental. “Não existe outro planeta, um planeta B. Temos que cuidar da sustentabilidade desse mesmo planeta em que vivemos, cuidando do solo, da água, da recuperação e preservação do meio ambiente. O crescimento e desenvolvimento do Paraná passa pelo cuidado com as pessoas e pela preservação do meio ambiente — com tudo acontecendo ao mesmo tempo”, pontuou.

RESERVAS HÍDRICAS – A nova cooperação técnica integra o programa Reservas Hídricas nas Várzeas do Rio Iguaçu, que promove soluções baseadas na natureza para oferecer benefícios vitais no desenvolvimento sustentável dos municípios. Os programas integram Sanepar, Comec, IAT e prefeituras.

O programa recupera mais de 150 quilômetros de rios em mais de 20 mil hectares de intervenção, beneficiando três milhões de pessoas que moram nas regiões preservadas. Já são três mil hectares de jardins de infiltração (wetlands), 1,8 mil hectares de parques, 50 quilômetros de ciclovias e 50 bilhões de litros d’água armazenados.