Mesmo após apelo de Bolsonaro, Paraná amanhece com nove pontos de bloqueios de caminhoneiros

O Paraná amanheceu com nove pontos de bloqueios por parte de caminhoneiros nas rodovias federais, mesmo após apelo do presidente da república Jair Bolsonaro para que os apoiadores não bloqueassem as estradas. Na manhã desta quinta-feira (9), apenas veículos de passeio e de cargas urgentes ou perecíveis passam nestes pontos.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os bloqueios são os seguintes: BR 369, Kms 37 (Andirá), 79 (Sta. Mariana) e 157 (Londrina); BR 373, Km 254 (Guamiranga); BR 376, Kms 109 (Paranavaí), 158 (Mandaguaçu), 188 (Marialva) e 504 (Ponta Grossa); BR 476 Km 285 (S. Mateus do Sul).

Nas rodovias catarinenses, são 18 os pontos de bloqueios, segundo a PRF: BR 101 – km 72 Araquari, km 353 Jaguaruna, km 375 Içara, km 402 Maracajá, km 419 Araranguá e km 451 São João do Sul. BR 280 – km 1,4 São F. do Sul, km 11 São F. do Sul, km 55 Guaramirim, km 121 São B. Sul e km 230 Canoinhas. BR 116 – km 07 Mafra e km 138 S. Cecília. BR 470 : km 4 Navegantes, km 45 Gaspar e Km 89 Ascurra. BR 282 – km 606 Maravilha ekm 646 São M. Oeste.

Apelo

Durante a madrugada, Bolsonaro encaminhou um áudio aos caminhoneiros pedindo que parassem com os bloqueios, temendo desabastecimento e aumento ainda maior da inflação. Após o discurso inflamado do presidente nas manifestações de sete de setembro, os caminhoneiros passaram a bloquear as rodovias pedindo a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Informações Banda B

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em um mês de temporada, PM registra redução de 91,6% em roubos no Litoral

Os sete municípios do Litoral do Paraná recebem um policiamento diferenciado da Polícia Militar nos primeiros dias do Verão Paraná – Viva a Vida 2021/2022. No primeiro mês, a atuação da Corporação derrubou os índices de criminalidade, principalmente os roubos, que caíram 91,6% no comparativo com o mesmo período da temporada anterior (de 486 para 41).

Também foram ampliadas as ações contra o tráfico de drogas, como a apreensão de mais de 30 quilos de pasta base de cocaína e 700 compridos de ecstasy em Guaratuba, na última semana. Ao todo, a PM encaminhou 458 adultos e 17 adolescentes desde o início do Verão Paraná até domingo (16). 

O subcomandante-geral da PM, coronel Rui Noé Barroso Torres, explica que o planejamento  previu o reforço de policiamento em todas as cidades do Litoral, o que reflete nos resultados. “Além do efetivo fixo que já atua na região, temos aplicado equipes de unidades especializadas em missões nas áreas do trânsito urbano e rodoviário, patrulhamento tático, fiscalização ambiental e de operações aéreas, justamente por conta do aumento de veranistas. Estudamos os dias e horários para fazer a aplicação de policiamento”, destaca.

O comandante do 1º Comando Regional da PM, coronel Renato de Oliveira Ribas Filho, reitera que o diferencial da PM para esta temporada foi o planejamento prévio, com utilização mais consistente de policiamento motorizado com viaturas e motos, e a presença das equipes hipomóveis e de ciclopatrulhamento nas orlas para reforçar o trabalho preventivo. 

Mesmo com a maior movimentação de veranistas nas praias após o fim das medidas restritivas, a PM conseguiu manter a ordem e a segurança públicas e coibir a criminalidade. “A PM tem atuado de forma ostensiva, aumentado a presença através de barreiras, bases na orla e com prisões de pessoas que possuíam mandados de prisão em aberto. Estamos fazendo diversas operações para combater o tráfico e coibir as ações de criminosos e, assim, temos conseguido a diminuição significativa do número de roubos, se comparado a outros anos”, destacou. 

REDUÇÕES – Em relação à violência doméstica, a queda foi de 78,2% (de 449 para 98), segundo o balanço. Houve reduções, ainda, nas ocorrências de tráfico de drogas (de 75 para 59, 21,3%) e uso flagrante de drogas (de 449 para 98, 78,2%). 

Graças ao trabalho preventivo 18 armas de fogo foram retiradas de circulação no período analisado, mesmo quantitativo da temporada anterior. Com essas apreensões, a PM preveniu diversos crimes como roubos, ameaças, lesão corporal, e evitou homicídios que poderiam ser praticados com esse armamento.

PULSEIRINHAS – A PM considera que a prevenção é o maior resultado deste primeiro mês. Isso porque em paralelo às ações de repressão de crimes, a corporação também desenvolveu estratégias para oferecer orientações às pessoas e entregar a pulseirinha de identificação. Mais de 35 mil pulseiras foram entregues para crianças. Também foram realizadas 55.923 orientações sobre diversos assuntos. Os dois quantitativos são maiores que os registrados no mesmo período do ano anterior (16.459 pulseiras e 34.682 orientações).

Ao longo dos primeiros 30 dias, a PM desenvolveu atividades de polícia comunitária, atuando na conscientização das pessoas por meio da educação. Um desses trabalhos é desenvolvido pelo cabo Leandro Marcondes Teixeira e a soldado Camila Boschini Ferreira. Eles trabalham em um módulo móvel em Caiobá, em Matinhos, e interagem com as crianças no momento da entrega de pulseirinhas de identificação. Com balões, doces e um adesivo com a frase ‘Sou amigo da Polícia Militar’, a equipe demonstra às crianças que elas podem ter a PM como amiga para toda a vida.

PERTURBAÇÃO DO SOSSEGO  O balanço aponta que apesar do aumento na quantidade de ocorrências de perturbação do sossego (de 156 para 490), o número de Termos Circunstanciados lavrados por este tipo de contravenção, quando há encaminhamento do infrator, caiu 56,3% (de 71 para 31).

O coronel Ribas explica que essa mudança se deve ao trabalho de orientação dos policiais militares junto à população. “Os casos de perturbação de sossego, que são comuns nessa época do ano pelo abuso de som alto e de festas, aumentaram, mas a PM tem dado a resposta imediata, resolvido mais no local, e encaminhado apenas aqueles que insistem no excesso”, disse o coronel Ribas.

Predominância da Ômicron passa de 85% no Paraná, aponta Fiocruz

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Paraná confirmou na noite desta quarta-feira (19) à Secretaria de Estado da Saúde que o índice de predominância da variante Ômicron gira em torno de 85,3%. Agora, dentro de 190 novas amostragens analisadas, 162 positivaram para a cepa, e 28 para a Delta, que era predominante no Estado em 2021.

O Relatório de circulação de linhagens do vírus Sars-CoV-2, responsável pela Covid-19, do Instituto Carlos Chagas, já havia confirmado a predominância da variante no sequenciamento genômico de sábado (15). A análise considera testes coletados entre 3 e 9 de janeiro deste ano nas quatro macrorregiões do Estado em parceria com o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP).

“A presença e a circulação acelerada da Ômicron no Paraná são fatos. Já estávamos esperando desde a confirmação da variante no Brasil. Nossa média móvel de casos em janeiro é muito maior do que a de dezembro, isso mostra claramente a predominância da Ômicron, ultrapassando a Delta no Estado”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. 

A cepa é considerada como “variante de preocupação” (VOC) pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A VOC tende a induzir casos mais graves e aumentar a transmissibilidade da doença. 

“Precisamos que a população se conscientize e continue utilizando máscaras, lavando as mãos, usando álcool em gel e deixando a vacinação contra a Covid-19 em dia, seja com a primeira dose nas crianças, segunda dose em adultos e adolescentes e dose de reforço”, disse o secretário. 

A Sesa havia confirmado oito novos casos da variante nesta quarta após o Relatório de Sequenciamento Genômico da Fiocruz Rio de Janeiro, somando 100 registros da variante. Com o sequenciamento da Fiocruz Paraná, o Estado passa a ter 262 confirmações da Ômicron, sem óbitos registrados. 

Os casos identificados serão inseridos no monitoramento oficial do Estado nos próximos dias, após investigação epidemiológica para identificação do perfil, município de residência e evolução dos infectados.