Mãe edita foto e acrescenta baratas para forçar o filho a tomar banho

Uma mulher apelou ao Photoshop para fazer com que o filho tome banho. Sob anonimato, ela contou no grupo “Mommie Mania”, no Facebook, que o filho estava se recusando a tomar banho e que dormia sem passar pelo chuveiro.

Então a mulher teve uma ideia “brilhante”. E que funcionou rapidamente, deixando o filho assustado.

“Ele não queria tomar banho, então peguei uma foto em que ele dormia e acrescentei baratas. Agora, ele toma dez banhos por dia”, explicou ela.

A imagem se tornou viral no Facebook e no Instagram.

“Amei! O meu filho fica 10 minutos no chuveiro e não sai molhado”, postou uma mãe.

“Vou fazer o mesmo na próxima vez que a minha neta falar que vai pular o banho”, comentou outra internauta.

Via: Extra/Globo

Com bandeira laranja, museus do Estado reabrem a partir desta quinta

Depois de nove dias de restrições rígidas, os museus do Estado que ficam na capital paranaense reabrem suas portas ao público a partir desta quinta-feira (10). As medidas indicadas pelo Decreto 960/2021 (bandeira laranja) permitem visitação com horários especiais, mantendo as exigências de distanciamento social e todos os demais cuidados sanitários. O novo decreto vale até o dia 16 de junho.

Espaços como o Museu Oscar Niemeyer, Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Museu Paranaense, Museu Casa Alfredo Andersen, Museu da Imagem e do Som do Paraná já estão preparados para novamente receberem seus públicos com importantes medidas de segurança.

Museu Alfredo Andersen – Foto: Marcelo Almeida

“Uma série de protocolos foi adotada para possibilitar a reabertura dos museus neste período, como a limitação do número de pessoas para garantir um distanciamento seguro na circulação interna”, afirma a superintendente-geral da Cultura, Luciana Casagrande Pereira.

Todo o material impresso dos espaços, como guias e folders, foi substituído por versões digitais, que estão disponíveis através de QR Codes em pontos estratégicos dos locais, e o uso de máscara é sempre obrigatório, tanto para o público quanto para o corpo técnico da Cultura.

Museu Oscar Niemeyer (MON)

De segunda a sábado, das 10h às 18h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico

www.museuoscarniemeyer.org.br

Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC-PR)

De segunda a sábado, das 10h às 18h

Funcionamento temporário nas salas 08 e 09 do MON

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico

www.mac.pr.gov.br

Museu Paranaense (MUPA)

Reabertura a partir de sábado (12/06)

De terça a sábado, das 10h às 17h30

Entrada gratuita. Para entrada aos sábados, é necessário agendar sua visita previamente pelo Sympla (https://www.sympla.com.br/museuparanaense)

Rua Kellers, 289 – Alto São Francisco

www.museuparanaense.pr.gov.br

Museu Casa Alfredo Andersen (MCAA)

De terça a sábado, das 10h às 17h. Nos sábados, das 10h às 16h

Entrada gratuita

Rua Mateus Leme, 336 – Centro

www.mcaa.pr.gov.br

Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR)

De terça a sábado, das 10h às 17h

Entrada gratuita

Rua Barão do Rio Branco, 395 – Centro

www.mis.pr.gov.br

‘O Caso Evandro’: série baseada em fatos reais ocorridos em Guaratuba faz sucesso no Globoplay

No início da década de 90, algumas regiões do Brasil sofreram com o desaparecimento de crianças, o que causou a revolta da população e o sentimento de desespero por parte das famílias que poderiam ser vítimas desses ataques. E essa onda de sequestros atingiu uma família de Guaratuba, no Litoral do Paraná. 

Divulgação GloboPlay

Essa é a história principal da série documental O Caso Evandro, que estreou a pouco tempo no Globoplay. A produção é derivada de uma série de podcasts chamada Projeto Humanos, comandada por Ivan Mizanzuk. O documentário chamou a atenção de todo o Brasil tanto por destrinchar a história de uma época cheia de mistérios, como por revelar novas informações sobre o caso que também ficou conhecido como “As Bruxas de Guaratuba” (sem mais informações para evitar spoiler).

O Caso Evandro

Evandro Ramos Caetano desapareceu no ano de 1992 em Guaratuba, a cerca de duas horas de distância de Curitiba. Diferente de muitas crianças que sumiram na época, Evandro foi encontrado dias depois do seu sumiço, infelizmente, sem vida. O corpo da criança mostrava sinais de um crime de extrema brutalidade, o que horrorizou o Brasil, e a busca por culpados deixou a história ainda mais assustadora. Meses depois do assassinato, sete pessoas confessaram o crime, que teria sido feito por meio de um ritual. Porém, o caso ainda não estava nada resolvido.

Divulgação GloboPlay

A investigação do caso por Ivan Mizanzuk começou em 2015, mas foi em 2018 que ele uniu a grande quantidade de material coletado para criar a nova temporada do podcast Projeto Humanos. Em 2020, o programa apresentou a descoberta de novas fitas e trouxe uma reviravolta para o desfecho do caso, que é conhecido como o julgamento mais longo já registrado no Brasil. “[…] O Caso Evandro é um grande ensinamento sobre como é o nosso sistema criminal”, conta Mizanzuk. 

A ideia de transformar o podcast em uma série para o Globoplay foi de Mayra Lucas, da Gaz, que já acompanhava este formato de programa. Quando foi apresentada ao Projeto Humanos, decidiu que seria uma ótima ideia adaptá-lo para a televisão.

A série documental foi gravada em Guaratuba e conta não só com simulações, como também com entrevistas das principais pessoas envolvidas. O Caso Evandro estreou no dia 13 de maio no Globoplay.