Live na Itaipu ajuda 500 trabalhadores do turismo em Foz do Iguaçu

O Polo Iguassu começou nesta segunda-feira (15) a cadastrar os mais de 500 trabalhadores de turismo impactados pela covid-19 que serão atendidos com as doações de R$ 80 mil arrecadadas na live com o cantor Gabriel Smaniotto, no aniversário de 106 anos de Foz do Iguaçu, transmitida do mirante central da Itaipu na quarta-feira (10).

O dinheiro arrecadado será distribuído com vouchers no valor de R$ 150 para compra de alimentos e produtos de higiene. Os cartões da Nutricard e da Green Card, que não cobrarão taxa de serviço, poderão ser usados em mais 100 pequenos comércios.

A live marcou a retomada gradativa dos atrativos turísticos do Destino Iguaçu. A iniciativa tem o apoio do Programa Acelera Foz. O valor arrecadado soma as doações individuais durante a apresentação e os aportes das empresas que abraçaram a iniciativa encabeçada pela Itaipu.

A margem brasileira da binacional doou R$ 50 mil. “Esse aporte simbólico, que se soma a muitos outros feitos pela atual diretoria de Itaipu no enfrentamento ao novo coronavírus, pontualmente para essa camada importante da população de Foz, que vive basicamente do turismo, é providencial”, diz o coordenador do Comitê Estratégico da Covid-19, coronel Aureo Ferreira.

Itaipu investiu mais de R$ 22 milhões em diversas ações contra a covid-19. Os recursos foram usados, por exemplo, na reestruturação do Hospital Ministro Cavalcanti, com a criação de uma ala exclusiva para pacientes graves da doença; na compra e repasse de insumos e equipamentos para a 9ª Regional de Saúde; e na ajuda para entidades humanitárias.

Solidariedade
Além da Itaipu, também colaboraram a Idisa Veículos, a Cooperativa Frimesa, a Lar Cooperativa e Cooperativa Sicredi, que repassaram R$ 5 mil cada; a Rede Costa Oeste de Comunicação, o Rafain Show e o Dreamland doaram R$ 2 mil cada; Posto Azteca e a Sicoob Três Fronteiras ajudaram com R$ 1 mil cada. A Cataratas do Iguaçu S/A doou 100 cestas básicas.

Os profissionais de turismo estão entre os mais impactados economicamente pela covid-19 em Foz do Iguaçu. Muitos deles não têm nenhum tipo de renda desde o início da pandemia, há mais de três meses. O Polo Iguassu fará a gestão dos recursos. Os dados dos profissionais do turismo serão repassados pelo Liguiafoz.

A coordenadora do Polo Iguassu, Fernanda Fedrigo, explica que, após o cadastro, atestando que esses profissionais trabalham no setor e que tiveram a renda comprometida em função da pandemia, essas pessoas serão chamadas para receber os vouchers. Tudo será feito considerando os protocolos sanitários, para evitar aglomerações. O agendamento será feito por telefone.

Há estimativas de que cerca de 5 mil pessoas em Foz do Iguaçu de diversos segmentos perderam o emprego por causa da pandemia. “Para nós, do Polo Iguassu, é uma grande satisfação participar de alguma forma dessa grande corrente do bem. É gratificante”, diz Fernanda.

As doações ainda podem ser feitas. O Polo Iguassu, parceiro da iniciativa, está centralizando a ajuda em dinheiro. Para entrar em contato, o número do Whatsapp é 45-9806-3979. A Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu (Acifi) também está recebendo produtos de higiene e alimentos. A Acifi fica na Rua Padre Montoya, 490 – centro de Foz do Iguaçu.

Retorno responsável

Os atrativos do Destino Iguaçu voltaram a funcionar com 30% da capacidade. Para isso, adotaram todos os cuidados necessários, como uso obrigatório de máscaras de proteção facial, passagem por barreiras sanitárias, aferição de temperatura e distribuição de álcool gel 70% em vários locais.

O retorno da atividade turística à cidade é mais uma ação do Programa Acelera Foz, que tem a coordenação estratégica do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Prefeitura de Foz, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento, Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (Acifi) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

Limite entre Curitiba e Fazenda Rio Grande pode mudar; entenda

O limite entre as cidades de Curitiba e Fazenda Rio Grande pode mudar, para corresponder oficialmente ao curso do rio Iguaçu, que teve seu canal retificado anos atrás, alterando seu traçado original. Os poderes Executivos dos dois municípios concordam com a alteração, que precisa do aval dos vereadores das duas cidades para ser submetida à ratificação dos deputados da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Na Câmara Municipal de Curitiba (CMC), a proposta está sendo discutida nas comissões, para depois ser votada em plenário.

O projeto de lei do Executivo foi recebido pela CMC no dia 8 de novembro e possui apenas dois artigos, referendando o novo limite entre os municípios (005.00297.2021). Na justificativa, assinada pelo prefeito Rafael Greca, a gestão explica que o acordo é resultado de um estudo interinstitucional liderado pela Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba), com a participação do IAT (Instituto Água e Terra), que são órgãos do Governo do Paraná.

O novo limite, conforme o documento anexado à proposição, começaria “no eixo do Rio Iguaçu retificado, na foz do Rio Mauricio, no ponto com coordenadas no sistema de projeção UTM, Datum Horizontal SIRGAS2000, meridiano central 51ºWGr N = 7.162.826,62 e E = 664.667,17, tríplice fronteira entre os Municípios de Fazenda Rio Grande, Curitiba e Araucária. Segue deste ponto a montante pelo eixo do Rio Iguaçu retificado até a foz do Rio Despique, no ponto com coordenadas N = 7.166.515,42 e E = 673.166,28, que representa a tríplice fronteira entre os Municípios de Fazenda Rio Grande, Curitiba e São José dos Pinhais”.

Curitiba e São José dos Pinhais

Há dois anos, a CMC avalizou a mudança de limite entre a capital e São José dos Pinhais, gerando a lei municipal 15.743/2020. Com o ajuste, o Parque São José, que possuía grande parte de sua área dentro de Curitiba, passou a pertencer integralmente a São José dos Pinhais. E a capital incorporou à Reserva do Cambuí, que já fica em seu território, uma área adjacente localizada entre o antigo leito do Rio Iguaçu e o Canal Extravasor (paralelo ao rio).

Carretas do Conhecimento vão abrir 1.884 vagas para cursos profissionalizantes em 30 cidades

As Carretas do Conhecimento, projeto do Governo do Estado em parceria com a Volkswagen e o Senai-PR, vão oferecer 1.884 vagas para cursos profissionalizantes em 30 municípios do Paraná nos quatro primeiros meses deste ano.

O primeiro curso de 2022 já está em andamento. Uma turma de 54 alunos está cursando “Instalação e Manutenção de Aparelhos de Ar Condicionado” no bairro do Tatuquara, em Curitiba. Em 2022 as aulas serão presenciais, substituindo o formato híbrido adotado em 2021 em função da pandemia, com parte dos alunos fazendo o acompanhamento on-line.

No total, serão 102 turmas com uma carga horária de 2.270 horas. As inscrições devem ser feitas diretamente nas Agências do Trabalhador e não mais serão aceitas pelo site.

A programação prevê que Curitiba e mais 11 municípios receberão cursos ainda no mês de janeiro. A formação em Eletricidade Automotiva será oferecida em Rolândia e Quintadinha; Mecânica de Automóveis em Campina Grande do Sul e Santa Izabel do Oeste; Mecânica de Motocicletas em Maria Helena, Lapa e Sertaneja; Mecânica Industrial em Palmas; Hidráulica e Pneumática Industrial em São José dos Pinhais; Eletricidade Predial em São Sebastião da Amoreira; e Panificação Básica em Nova Prata do Iguaçu.

FEVEREIRO – No mês de fevereiro serão atendidos os municípios de Clevelândia (Corte e Costura), São Jorge do Patrocínio (Eletricidade Predial), Matinhos (Manutenção de Ar Condicionado), Leópolis (Panificação), Guaíra (Mecânica de Motocicletas), Icaraíma (Manutenção de Ar Condicionado), Alto Piquiri (Eletricidade de Automóveis), Mallet (Corte e Costura), Mandirituba (Eletricidade Predial), Piraquara (Mecânica de Motocicletas) e Tijucas do Sul (Mecânica Industrial).

Curitiba ainda terá duas etapas, com o curso de Mecânica de Automóveis, no bairro Fazendinha, e Eletricidade Automotiva, em Santa Felicidade.

MARÇO – Estão programados cursos em março nas cidades de Araucária (Mecânica de Automóveis), Guaratuba (Manutenção de Ar Condicionado), Bituruna (Corte e Costura), Centenário do Sul (Eletricidade Industrial), Almirante Tamandaré (Panificação), Terra Boa (Manutenção de Ar Condicionado) e Pinhalão (Mecânica de Motocicletas). Curitiba terá outros dois cursos: Panificação, no Bairro Alto, e Corte e Costura, no Boqueirão.

CURSOS EM 2021 – O programa Carretas do Conhecimento ofereceu, ao longo de 2021, 1.782 vagas em cursos profissionalizantes em 35 municípios, com investimentos de R$ 2,8 milhões. Foram 104 turmas nas habilitações de elétrica automotiva, informática básica, refrigeração, mecânica industrial, corte e costura industrial, instalações elétricas, manutenção de motocicletas e panificação.

PARCERIA – O projeto Carreta do Conhecimento é uma parceria lançada na gestão do governador Carlos Massa Ratinho Junior, por meio da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, com a Fundação Grupo Volkswagen, a Volkswagen e o Senai-PR.