Jô Soares morre aos 84 anos em São Paulo

O autor e ator Jô Soares morreu na madrugada de hoje (5), aos 84 anos, em São Paulo. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês. A informação foi divulgada por Flávia Pedras Soares, em sua conta no Instagram. Ela foi ex-mulher do artista.

Segundo Flávia, o funeral será apenas para família e amigos próximos. José Eugênio Soares, o Jô Soares, nasceu em 16 de janeiro de 1938, no Rio de Janeiro, filho do empresário paraibano Orlando Heitor Soares e de Mercedes Leal Soares. Sua estreia como ator ocorreu no filme O Homem do Sputnik, filme de Carlos Manga.

Jô escreveu roteiros para programas de televisão em emissoras como as TVs Continental, Record e Globo. E também atuou em diversos programas humorísticos das TVs Tupi, Record, SBT e Globo.

Viva o Gordo

Entre os shows televisivos que comandou mais estão o humorístico Viva o Gordo e seus programas de entrevistas Jô Soares Onze e Meia, no SBT, e Programa do Jô, na Globo. Este último ficou no ar por 17 anos, de 2000 a 2016.

Jô Soares também se aventurou na literatura, publicando romances como O Xangô de Baker Street, O Homem que Matou Getúlio Vargas, Assassinatos na Academia Brasileira de Letras e As Esganadas.

Sobre o ex-marido, Flávia escreveu: “ você é orgulho para todo mundo que compartilhou de alguma forma a vida com você. Agradeço aos senhores Tempo e Espaço, por terem me dado a sorte de deixar nossas vidas se cruzarem. Obrigada pelas risadas de dar asma, por nossas casas do meu jeito, pelas viagens aos lugares mais chiques e mais mequetrefes, pela quantidade de filmes que você achava uma sorte eu não lembrar pra ver de novo e pela quantidade indecente de sorvete que a gente tomou assistindo. Obrigada para sempre, pelas alegrias e também pelos sofrimentos que nos causamos. Até esses nos fizeram mais e melhores”, disse ela.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Libertadores: Vitor Roque decide e Athletico-PR está na semifinal

Contado com o brilho do jovem atacante Vitor Roque, de apenas 17 anos, o Athletico-PR derrotou o Estudiantes (Argentina) por 1 a 0, na noite desta quinta-feira (11) no estádio Jorge Luis Hirschi, em La Plata (Argentina), e se classificou para as semifinais da Copa Libertadores, onde medirá forças com o Palmeiras.

A partida começou com os argentinos mantendo mais a posse de bola, e criando as melhores oportunidades nos 45 minutos iniciais.  Logo aos 6 minutos Manuel Castro criou a primeira chance do Estudiantes, com finalização que foi para fora. Mas a oportunidade mais cristalina surgiu aos 43, quando Morel escorou para defesa do goleiro Bento. Já o Furacão só criou alguma coisa aos 16 minutos, em cobrança de falta de Khellven que foi defendida por Andújar.

Após o intervalo a equipe comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari melhorou e começou a criar mais. Porém, a equipe de La Plata foi mais eficiente e chegou a superar o goleiro Bento aos 17 minutos, em finalização de Lollo. Porém, o gol acabou sendo anulado pelo juiz, com auxílio do VAR (árbitro de vídeo), ao assinalar irregularidade no lance.

Com o passar do tempo, Felipão mudou sua equipe de forma a tornar mais ofensiva, colocando em campo mais jogadores de ataque, entre eles o uruguaio Terans, que foi decisivo.

Já aos 50 minutos o camisa 20 do Furacão fez grande jogada pela esquerda e tocou para Vitinho na área, que levantou a bola para o garoto Vitor Roque ganhar de cabeça do goleiro Andújar para marcar o gol da classificação para a semifinal. Com este resultado o Brasil garante ao menos um representante na decisão da competição.

Após o compromisso pela Libertadores, o Athletico-PR encontra o Flamengo no Campeonato Brasileiro, a partir das 16h (horário de Brasília) do próximo domingo (14) no estádio do Maracanã.


Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Julho registra temperatura média mais alta da história 

Mesmo no inverno, os termômetros brasileiros registraram um mês quente com as temperaturas mais altas dos últimos 61 anos.

Dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) revelam que a temperatura média do mês de julho chegou a 22,8ºC, um aumento de 0,82 grau acima da média histórica registrada em 2015, fazendo de julho de 2022 o mais quente que se tem registro na história do Brasil para o período.

A meteorologista do Inmet Danielle Barros explica que, nos últimos anos, o país tem registrado invernos mais quentes.

“A gente está tendo invernos mais quentes, principalmente nos últimos 10 anos. Isso aí pode estar relacionado muito à persistência de massas de ar quente sobre a região central. O que é comum, mas elas estão mais frequentes. Aumento também das áreas mais desmatadas que estão levando pouca chuva para região central nessa época do ano”, afirmou.

Mas esse evento não está restrito ao Brasil. A Agência Estatal de Meteorologia da Espanha, por exemplo, que fica no lado norte do hemisfério terrestre, também registrou recorde em julho ao atingir uma temperatura média de 25,6°C. Os países do Hemisfério Norte estão no verão.

Outro caso foi no Reino Unido, com o registro da temperatura mais alta de sua história. Segundo o serviço nacional de meteorologia do Reino Unido, os termômetros de Londres marcaram 40,2ºC.

Para agosto, a meteorologista do Inmet também prevê temperaturas altas. “Eu acredito que as temperaturas em agosto possam ser acima da média, mas não tanto quanto essas de julho. Foi um mês atípico.”

*Estagiário sob supervisão de Raquel Mariano

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil