Jardim Botânico terá áreas de exposição, para cursos e um café

Destino mais pesquisado pelos turistas e um dos mais amados pelos curitibanos, o Jardim Botânico de Curitiba está passando pela segunda etapa do seu processo de revitalização. Estão em andamento os trabalhos de recuperação da área que fica logo atrás da estufa.

Foto: José Fernando Ogura

A Galeria das Quatro Estações, como será chamado o espaço, tem previsão de entrega para o final do primeiro semestre. Os investimentos são de cerca de R$ 3,5 milhões.

“As equipes trabalham na recuperação e pintura da estrutura metálica e na construção de alvenaria que vai compor o complexo”, conta o diretor de Parques e Praças da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Jean Brasil.

Trata-se de uma intervenção de 2.122 metros quadrados e 145 metros de extensão. Um terço da estrutura receberá cobertura e climatização, onde serão instaladas áreas de exposição, para cursos e um café.

“Parte permanecerá descoberta para abrigar uma nova coleção botânica, a ser definida pela comissão responsável dentro do Jardim”, informa o diretor de Produção Vegetal, José Roberto Roloff.

Cartão postal

A estufa, cartão postal de Curitiba, foi reaberta em novembro de 2019, após uma de suas maiores intervenções desde que foi inaugurada, na década de 1990. Mais de mil peças de vidro foram trocadas e 16,3 mil metros de borrachas de vedação foram substituídos.

Houve recuperação das esquadrias e estruturas metálicas do piso e do mezanino, escadas e calhas. Também foi feita a limpeza interna e externa, pintura e implantação de novos corrimões.

Cuidado constante

Desde 2017, o município vem promovendo melhorias na unidade de conservação voltada ao estudo e pesquisas botânicas. Houve intervenções no Jardim das Sensações, na coleção Jardim das Plantas Nativas e a reabertura da sala de Educação Ambiental, a Sala das Araucárias.

Em 2018, aconteceu uma revitalização da calçada e ciclovia que dão acesso ao Jardim Botânico. E os ciclistas, que não podem circular com as suas bicicletas dentro do Jardim, ganharam um bicicletário para deixá-las em segurança.

Internamente, as equipes trabalham nas constantes podas da vegetação e manutenção das estruturas. Em 2017, foram feitas melhorias no calçamento atrás da estufa, além da reorganização e troca das plantas que podem ser vistas por lá.

É um jardim

Unidade de conservação voltada ao estudo e pesquisa botânicas, o Jardim Botânico de Curitiba alia preservação de área verde na cidade com opções de lazer ao trabalho de conservação botânica. 

Além da estufa que abriga plantas da floresta atlântica, há nove coleções botânicas espalhadas pela área: Ameaçadas de Extinção, Araucarieto, Arbustos dos Campos do Paraná, Campos Nativos de Curitiba, Exóticas, Floresta Atlântica, Floresta Estacional Semidecidual, Palmeiras Brasileiras, e Jarim das Araucárias do Mundo.

Elas existem como forma de preservação das plantas e elemento de Educação Ambiental. Cada uma das coleções conta com placas que trazem uma breve descrição das características e regiões de origem, além de uma lista das espécies plantadas.

A escolha das coleções é feita pela Comissão Especial Permanente para pesquisa, implantação e manutenção das coleções vivas do Jardim Botânico Municipal de Curitiba.

Prefeitura de Curitiba promove mutirão de recolhimento de lixo eletrônico no sábado

Prefeitura de Curitiba promove mutirão de recolhimento de lixo eletrônico no sábado

No sábado (3/12), os curitibanos têm a última oportunidade do ano de descartar corretamente os aparelhos eletrônicos e cabos fora de uso que estiverem ocupando espaço em casa. O mutirão da Prefeitura de Curitiba acontece em dez pontos diferentes da cidade, das 9h às 15h.

Veja os endereços abaixo.

Podem ser levados computadores, geladeiras, smartphones, fornos elétricos, micro-ondas, aparelhos de som, ventiladores, desumidificadores, torradeiras, batedeiras, aspiradores, mixers, secadores, calculadoras, câmeras digitais, rádios, tablets, notebooks, impressoras, carregadores de celular, entre outros.

O recolhimento é feito pelas associações de reciclagem do Ecocidadão. As peças serão separadas e encaminhadas para darem origem a outros bens. O plástico presente nos aparelhos pode ser usado como matéria-prima para os novos.

A gerente de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Leila Maria Zem, reforça que, levando os eletroeletrônicos aos mutirões, além de colaborar com as famílias dos catadores, e no fortalecimento da cadeia de reciclagem, elimina-se o risco de descarte incorreto. “Em aterros sanitários ou bota-fora irregulares, os compostos químicos podem contaminar o solo e os lençóis freáticos”, explica.

Volta em março

Os recolhimentos mensais voltam a acontecer apenas em março, em função dos meses de férias escolares de verão. Até lá, quem precisar encaminhar o lixo eletrônico pode levar diretamente a um dos Ecopontos Mistos, ou a algum dos pontos fixos das regionais Boqueirão, Tatuquara e Cajuru.

No ICI

Continua disponível o recolhimento do material, também, no  Instituto das Cidades Inteligentes (ICI), no Cabral. Quem faz o recolhimento é a Associar, do Ecocidadão, todas as primeiras sextas-feiras do mês. Inicialmente, a ação foi estendida, além do material gerado no ICI, aos servidores do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e moradores da primeira quadra da Rua São Pedro, onde fica o ICI.

Mais informações sobre o descarte correto de resíduos e os serviços disponíveis estão no site coletalixo.curitiba.pr.gov.br e no site da Família Folhas.

Mutirão de recolhimento de lixo eletrônico

Data: 3/12 (sábado)

Horário: das 9h às 15h

Locais

    • Parque Barigui: acesso pela BR-277, no estacionamento em frente ao heliponto
    • Parque Bacacheri: acesso pela Rua Dr. Eurico César de Almeida
    • Administração Regional Cajuru: Avenida Prefeito Maurício Fruet, 2.150
    • Parque São Lourenço: Rua José Brusamolin, 125 – acesso pela Rua Mateus Leme
    • Parque Tingui: acesso pela Rua José Casagrande, próximo à ponte
    • Rua da Cidadania do Pinheirinho: Avenida Winston Churchill, 2.033 (no estacionamento, em frente à UPA)
    • Largo Padre Albino Vico: na frente da Paróquia Santuário São José, com acesso pela Avenida República Argentina
    • Praça Menonitas: Rua Antônio Kosovski, 3.425, c/ Rua Major Theolindo Ferreira Ribas
    • Praça Des. Armando Carneiro: esquina das ruas Lourival Portella Natel e Levino Schier
    • Horto Municipal do Guabirotuba: Avenida Senador Salgado Filho, 947

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Sabores de Natal chegam nas lojas Café Cultura com café especial e sobremesas

O clima de celebração que dezembro traz é recebido com sabores exclusivos no Café Cultura. A rede catarinense preparou um cardápio com várias opções de bebidas e doces inspirados na festividade, que estão disponíveis nas mais de 30 lojas pelo Brasil. Um blend de café próprio, biscoito natalino e outras surpresas fazem parte das pedidas.

O Santa Blend é um blend exclusivo da rede Café Cultura, disponível apenas durante o Natal. Os grãos selecionados foram cultivados no solo de Alfenas, Minas Gerais. De corpo leve, tem acidez equilibrada e alta doçura, revelando notas de frutas secas e avelã tostado com aroma de butter toffee.

Outra saborosa surpresa da temporada é a Torta de chocolate sem glúten. Ideal para pessoas com restrições alimentares, mantém o sabor do chocolate e ainda leva decoração temática. O biscoito Ginger Bread tem o clássico boneco de gengibre, disponível em uma embalagem que funciona como lembrança de Natal. Ele também é servido com café: é o Ginger Coffee, o tradicional café com leite acompanhado pelo biscoito. Para os dias quentes, a pedida é o Frappè de morango, preparado com a fruta, dose de espresso e leite, além de chantilly.

Para aprimorar o clima, a decoração especial também toma conta das lojas. Os cafés com leite ganham estêncil de canela ou de cacau em pó, e os cafés para levar têm copos com mensagens de Feliz Natal. As sacolas também recebem artes temáticas, o que as deixam ideais para presentear, combinando itens natalinos como o Ginger Bread com copos térmicos da rede, por exemplo.

Sobre o Café Cultura

A rede Café Cultura foi fundada pelo casal Joshua Stevens e Luciana Melo em 2004, em Santa Catarina. A preocupação com toda a cadeia de produção dos cafés é foco da marca, que ganhou projeção nacional com o conceito Farm to Cup, de controle dos grãos da fazenda até a xícara.

A rede Café Cultura conta com seis endereços em Curitiba: ParkShoppingBarigüi (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 600), Soho Batel (R. Saldanha Marinho, 1050), Batel (R. Coronel Dulcídio, 558), Cabral (R. São Pedro, 696), Pátio Batel (Av. do Batel, 1868) e São Lourenço (R. Mateus Leme, 4715 – Abranches). Para mais informações, acesse o site.