Hospital Ministro Costa Cavalcanti já está habilitado para fazer até 480 exames rápidos para detectar covid-19

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, já está habilitado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) a fazer testes rápidos (Real Time – PCR) para detecção da covid-19, com diagnóstico em até duas horas. A resposta da autorização do credenciamento chegou nesta segunda-feira, 30, por volta das 14h30, num momento bastante aguardado pelos organismos de saúde de Foz do Iguaçu e região. Esses exames ajudarão no mapeamento epidemiológico da doença e na tomada de decisões dos municípios da 9ª Regional no enfrentamento da doença.

Já há no HMCC um estoque de 90 kits para exames rápidos, mas a expectativa é de receber nesta semana mais 1.500 dos 4 mil que foram adquiridos, o que depende do fornecedor internacional. Todos os exames só serão feitos mediante encaminhamento da Vigilância Sanitária de Foz e região. Até esta segunda (30), dez casos da doença haviam sido confirmados em Foz do Iguaçu. Outros 112 continuam sendo investigados.

Todos os casos suspeitos de covid-19 dos municípios da 9ª Regional, que compreende, além de Foz, Itaipulândia, Matelândia, Medianeira, Missal, Ramilândia, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu e Serranópolis do Iguaçu, poderão ser testados pelo HMCC, independentemente do local de entrada, seja por uma unidade de pronto atendimento ou por um hospital público, como o Hospital Municipal Germano Lauck.

Para os laboratórios de Análises Clínicas e, especialmente, de Saúde Única do Centro de Medicina Tropical, foram adquiridos equipamentos de automação e de reagentes para realizar exames diagnósticos, com destaque para o PCR para a covid-19.

Missão de Itaipu

Desde 26 de abril de 2019, quando assumiu a usina de Itaipu, o diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, direcionou mais de R$ 700 milhões obtidos com a economia e cortes de convênios e ações sem aderência à missão da usina, para obras estruturantes e demais iniciativas a favor do bem-estar da população da região. Dentro desta lista, só para o HMCC, que também atende pacientes dos SUS, foram destinados mais de R$ 60 milhões.

“Todos os investimentos têm como foco apoiar o desenvolvimento do Oeste do Paraná. Continuamos reforçando todas essas medidas. Agora, mais especificamente na área de saúde, por intermédio do HMCC e do Grupo de Trabalho que monitora a evolução do vírus da região, além das ações de proteção dos empregados da usina”, explicou.

O diretor superintendente do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, Fernando Cossa, conclama todos a colaborar. “O ideal é unir todas as instituições de saúde num mesmo esforço em comum para ganhar essa guerra”. E complementa: “Hoje um grande passo foi dado. Essa é uma conquista muito importante pra toda a região”.

Ala exclusiva para coronavírus


Atualmente, o hospital conta uma ala exclusiva para atendimento de pacientes de covid-19, com 27 leitos, 15 só na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 12 de semi-intensiva. O HMCC também gerencia um fundo emergencial de aproximadamente R$ 15 milhões voltados para a reestruturação da instituição e ajuda Foz do Iguaçu e municípios vizinhos no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

Com os testes rápidos (Real Time – PCR) da covid-19 é possível obter o diagnóstico, num primeiro momento, em até três horas. E, com a automação, o tempo pode ser reduzido para até duas horas.

Já se antecipando à crise causada pela covid-19, a Fundação Itaiguapy, que administra o HMCC, fez compras antecipadas de equipamentos de proteção pessoal, de materiais e medicamentos (cloroquina e azitromicina, entre outros), incluindo 35 aparelhos de ventilação mecânica, 50 monitores multiparamétricos e 40 camas hospitalares.

O HMCC contratou aproximadamente 80 colaboradores e médicos plantonistas para atuar em setores específicos no tratamento à covid-19, além de uma infectologista e um coordenador de medicina interna dedicados exclusivamente ao combate à doença. Mais de 200 pessoas estão em treinamento, aptas para uma possível crise.

Plano de contingência

O hospital também colocou em vigor um plano de contingência. Foi criado um núcleo de inteligência covid-19, responsável pela elaboração e divulgação de boletins diários internos sobre tratamentos, treinamentos e simulações, em apoio ao HMCC e ao Hospital Municipal Germano Lauck.

O HMCC também abriu um pronto atendimento para queixas respiratórias e criou um bloco exclusivo para internações de pacientes com covid-19, seguindo rigorosamente as indicações técnicas dos melhores centros de referência.

Além disso, o HMCC cedeu para o município equipamentos de proteção individual, máscaras cirúrgicas, luvas e monitores, entre outros. Também fez um convênio com um hotel para hospedagem de profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia. Com a reestruturação, o Centro Clínico tem agora dois prontos atendimentos, um para pacientes sem sintomas respiratórios e o outro voltado para os casos de sintomas respiratórios.

Melhores do Brasil

O Hospital Ministro Costa Cavalcanti aparece em décimo oitavo lugar numa lista das 41 melhores unidades hospitalares do Brasil. O ranking, que tem entre outros hospitais o Albert Einstein e o Sírio Libanês, primeiro e segundo lugares respectivamente, foi divulgado no site da revista Newsweek recentemente. O ranqueamento levou em consideração as recomendações de profissionais médicos, entrevistas com pacientes e indicadores-chave de desempenho médico.

Hospital de qualidade

Das mais de seis mil unidades hospitalares existentes no Brasil, somente 342 têm a chancela de Acreditação Hospitalar. O Costa Cavalcanti está entre os 2,95% de instituições brasileiras (177) com Acreditação com Excelência (Nível III).

Limite entre Curitiba e Fazenda Rio Grande pode mudar; entenda

O limite entre as cidades de Curitiba e Fazenda Rio Grande pode mudar, para corresponder oficialmente ao curso do rio Iguaçu, que teve seu canal retificado anos atrás, alterando seu traçado original. Os poderes Executivos dos dois municípios concordam com a alteração, que precisa do aval dos vereadores das duas cidades para ser submetida à ratificação dos deputados da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Na Câmara Municipal de Curitiba (CMC), a proposta está sendo discutida nas comissões, para depois ser votada em plenário.

O projeto de lei do Executivo foi recebido pela CMC no dia 8 de novembro e possui apenas dois artigos, referendando o novo limite entre os municípios (005.00297.2021). Na justificativa, assinada pelo prefeito Rafael Greca, a gestão explica que o acordo é resultado de um estudo interinstitucional liderado pela Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba), com a participação do IAT (Instituto Água e Terra), que são órgãos do Governo do Paraná.

O novo limite, conforme o documento anexado à proposição, começaria “no eixo do Rio Iguaçu retificado, na foz do Rio Mauricio, no ponto com coordenadas no sistema de projeção UTM, Datum Horizontal SIRGAS2000, meridiano central 51ºWGr N = 7.162.826,62 e E = 664.667,17, tríplice fronteira entre os Municípios de Fazenda Rio Grande, Curitiba e Araucária. Segue deste ponto a montante pelo eixo do Rio Iguaçu retificado até a foz do Rio Despique, no ponto com coordenadas N = 7.166.515,42 e E = 673.166,28, que representa a tríplice fronteira entre os Municípios de Fazenda Rio Grande, Curitiba e São José dos Pinhais”.

Curitiba e São José dos Pinhais

Há dois anos, a CMC avalizou a mudança de limite entre a capital e São José dos Pinhais, gerando a lei municipal 15.743/2020. Com o ajuste, o Parque São José, que possuía grande parte de sua área dentro de Curitiba, passou a pertencer integralmente a São José dos Pinhais. E a capital incorporou à Reserva do Cambuí, que já fica em seu território, uma área adjacente localizada entre o antigo leito do Rio Iguaçu e o Canal Extravasor (paralelo ao rio).

Carretas do Conhecimento vão abrir 1.884 vagas para cursos profissionalizantes em 30 cidades

As Carretas do Conhecimento, projeto do Governo do Estado em parceria com a Volkswagen e o Senai-PR, vão oferecer 1.884 vagas para cursos profissionalizantes em 30 municípios do Paraná nos quatro primeiros meses deste ano.

O primeiro curso de 2022 já está em andamento. Uma turma de 54 alunos está cursando “Instalação e Manutenção de Aparelhos de Ar Condicionado” no bairro do Tatuquara, em Curitiba. Em 2022 as aulas serão presenciais, substituindo o formato híbrido adotado em 2021 em função da pandemia, com parte dos alunos fazendo o acompanhamento on-line.

No total, serão 102 turmas com uma carga horária de 2.270 horas. As inscrições devem ser feitas diretamente nas Agências do Trabalhador e não mais serão aceitas pelo site.

A programação prevê que Curitiba e mais 11 municípios receberão cursos ainda no mês de janeiro. A formação em Eletricidade Automotiva será oferecida em Rolândia e Quintadinha; Mecânica de Automóveis em Campina Grande do Sul e Santa Izabel do Oeste; Mecânica de Motocicletas em Maria Helena, Lapa e Sertaneja; Mecânica Industrial em Palmas; Hidráulica e Pneumática Industrial em São José dos Pinhais; Eletricidade Predial em São Sebastião da Amoreira; e Panificação Básica em Nova Prata do Iguaçu.

FEVEREIRO – No mês de fevereiro serão atendidos os municípios de Clevelândia (Corte e Costura), São Jorge do Patrocínio (Eletricidade Predial), Matinhos (Manutenção de Ar Condicionado), Leópolis (Panificação), Guaíra (Mecânica de Motocicletas), Icaraíma (Manutenção de Ar Condicionado), Alto Piquiri (Eletricidade de Automóveis), Mallet (Corte e Costura), Mandirituba (Eletricidade Predial), Piraquara (Mecânica de Motocicletas) e Tijucas do Sul (Mecânica Industrial).

Curitiba ainda terá duas etapas, com o curso de Mecânica de Automóveis, no bairro Fazendinha, e Eletricidade Automotiva, em Santa Felicidade.

MARÇO – Estão programados cursos em março nas cidades de Araucária (Mecânica de Automóveis), Guaratuba (Manutenção de Ar Condicionado), Bituruna (Corte e Costura), Centenário do Sul (Eletricidade Industrial), Almirante Tamandaré (Panificação), Terra Boa (Manutenção de Ar Condicionado) e Pinhalão (Mecânica de Motocicletas). Curitiba terá outros dois cursos: Panificação, no Bairro Alto, e Corte e Costura, no Boqueirão.

CURSOS EM 2021 – O programa Carretas do Conhecimento ofereceu, ao longo de 2021, 1.782 vagas em cursos profissionalizantes em 35 municípios, com investimentos de R$ 2,8 milhões. Foram 104 turmas nas habilitações de elétrica automotiva, informática básica, refrigeração, mecânica industrial, corte e costura industrial, instalações elétricas, manutenção de motocicletas e panificação.

PARCERIA – O projeto Carreta do Conhecimento é uma parceria lançada na gestão do governador Carlos Massa Ratinho Junior, por meio da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, com a Fundação Grupo Volkswagen, a Volkswagen e o Senai-PR.