Governo destina R$ 5 milhões para pesquisa com nitazoxanida

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) vai destinar R$ 5 milhões para a segunda fase da pesquisa com a nitazoxanida, para avaliar a eficácia desse antiparasitário em pacientes com sintomas leves da covid-19. O medicamento começou a ser testado em pessoas no mês passado, após ter apresentado 94% de eficácia em ensaios in vitro na redução da carga viral em células infectadas pelo novo coronavírus.

Na primeira fase, estão sendo testados 500 pacientes positivos para a covid-19, com sintomas de pneumonia como febre, tosse seca e as características da tomografia com vidro fosco. Na segunda fase, que deve começar ainda esta semana, participarão mais 500 pacientes com sintomas iniciais da doença. Ao todo, 17 hospitais em sete estados participam dos testes clínicos.

De acordo com o ministério, a nitazoxanida é um antiparasitário que pode agir em viroses e, no passado, já foi utilizado com sucesso contra o rotavírus. A droga é de baixo custo, tem poucos efeitos colaterais mas, agora, por segurança e para evitar uma corrida às farmácias, está classificado como remédio controlado.

“No momento que tivermos os resultados vamos ter certeza se funciona ou não [para covid-19]. A probabilidade maior é que funcione, dado o histórico da pesquisa. Mas é importante ter o resultado porque ele segue um protocolo científico”, explicou o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, em coletiva de imprensa, hoje (19), no Palácio do Planalto.

Novos investimentos

Os ensaios clínicos com a nitazoxanida são um dos projetos prioritários da RedeVírus MCTIC, programa responsável pela articulação dos laboratórios de pesquisa e especialistas na continuidade dos estudos do novo coronavírus. Os recursos para os testes são parte do montante de R$ 352,8 milhões em crédito extraordinário disponibilizados para a pasta por meio da Medida Provisória 962/2020, publicada no início deste mês.

“Essa rede de especialistas, pesquisadores e cientistas nos dão a direção, de forma científica, do que seguir, do que o país precisa”, disse o ministros, acrescentando que “recursos para ciência e tecnologia não são gastos, são investimentos com retorno garantido tanto em riquezas e conhecimento para o país, quanto em qualidade de vida para a população”.

Pontes apresentou como serão gastos os recursos e os projetos que receberão investimentos. Por meio da Telebras, o ministério vai usar R$ 6,3 milhões para instalação de 1 mil pontos de conexão à internet via satélite em unidades de saúde. No Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) serão investidos R$ 45 milhões para a realização de ensaios clínicos de fármacos, adequação de laboratórios e estruturação de unidades de biologia sintética, desenvolvimento de kits diagnósticos e triagem e reposicionamento de fármacos.

Por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia, operado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o governo investirá R$ 150 milhões na chamada pública para o desenvolvimento de produtos nacionais, entre ventiladores pulmonares, testes e diagnósticos e máscaras e equipamentos de descontaminação, desinfecção e esterilização.

Há também R$ 20 milhões em recursos destinados a projetos de pesquisas de tratamentos, vacinas e sequenciamento do novo coronavírus e R$ 15 milhões para adequação de laboratórios no âmbito dos projetos apoiados pela RedeVírus MCTIC.

Outros R$ 111,5 milhões serão investidos, entre outras coisas, em 11 laboratórios de campanha, novas plataformas tecnológicas para vacinas, ensaio clínico com anticoagulantes, desenvolvimento de testes, aumento da capacidade de processamento de amostras e modelagem matemática para o controle descentralizado da pandemia da covid-19.

Marcos Pontes disse que o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), acaba de lançar um diretório de fontes de informação científica de livre acesso sobre o novo coronavírus no mundo. A plataforma reúne ensaios clínicos, teses, dissertações, relatórios, evidências, dentre vários outros materiais nacionais e internacionais.

“Estamos tratando desse caso agora, com a pandemia de covid-19. Vai ser a última vez que vamos fazer isso? Não. Infelizmente, essa a questão não é se vamos ter ouro tipo de vírus, é quando vamos ter. Então, nós precisamos ter o país preparado para responder rapidamente a essas situações”, explicou.

Via: Agência Brasil

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 115 milhões

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2545 da Mega-Sena. O sorteio foi realizado na noite desse sábado (3) no Espaço da Sorte em São Paulo, SP.

De acordo com a estimativa da Caixa, o prêmio acumulado para o próximo sorteio, na quarta-feira (7), é de R$ 115 milhões. As dezenas sorteadas foram: 20, 23, 32, 36, 39, 57.

A quina registrou 94 apostas ganhadoras, cada um vai receber R$ 66.967,36.

A quadra teve 8.855 apostas vencedoras. Cada apostador receberá R$ 1.016,89.

As apostas para o próximo concurso podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo país ou pela internet. O volante, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Copa: Brasil enfrenta Camarões tentando manter 100% de aproveitamento

A seleção brasileira encerra sua participação na primeira da Copa do Catar, a partir das 16h (horário de Brasília) desta sexta-feira (2) no Estádio de Lusail, em partida contra Camarões. Após vitórias sobre a Sérvia e a Suíça nas rodadas anteriores, a expectativa é de que o Brasil some mais três pontos de forma a encerrar sua participação no Grupo G com 100% de aproveitamento.

Com a classificação para as oitavas de final já assegurada, o técnico Tite decidiu poupar os jogadores considerados titulares, o que também lhe permitirá observar atletas que tiveram poucas oportunidades de mostrar serviço. “Só posso mensurar quantos atletas posso utilizar em sequência com eles produzindo em campo. É uma oportunidade de alto nível de eles competirem. É um risco? Sim, mas uma oportunidade para mostrarem toda sua qualidade”, declarou o treinador em entrevista coletiva na última quinta-feira (1).

Considerando três ausências certas por lesão (Neymar, Danilo e Alex Sandro) e as últimas atividades do Brasil no Catar, a expectativa é de que o Brasil entre em campo com uma equipe completamente nova. Uma possível escalação da seleção para o jogo com Camarões é: Ederson; Daniel Alves, Militão, Bremer e Alex Telles; Fabinho, Fred e Rodrygo; Antony, Gabriel Jesus e Martinelli.

Daniel Alves, inclusive, viverá um momento especial diante de Camarões. Aos 39 anos de idade, o lateral se tornará o jogador mais experiente a vestir a camisa da amarelinha em um Mundial de seleções da Fifa. “Isso é motivo de orgulho, motivo de estar aqui e ainda defender a seleção. São muitos anos de história e agora é hora de encerrar o ciclo dentro da seleção brasileira jogando uma Copa do Mundo. Para mim é uma satisfação muito grande”, declarou.

Se o Brasil chega em uma situação confortável à partida, à seleção africana (que soma apenas um ponto após duas rodadas) uma vitória é fundamental para continuar sonhando com uma vaga nas oitavas.

E o técnico de Camarões, Rigobert Song, afirmou, em entrevista coletiva, que sua equipe não abdicará de uma postura ofensiva que lhe permita buscar a classificação: “Não pensamos em como eles [Brasil] se comportarão, mas pensamos em como nós vamos nos comportar. É certo que eles têm a vantagem da classificação. Não queremos pensar em como eles vão nos atacar, mas em como nós os atacaremos. Não me interessa o que eles farão e nos preparamos para jogar uma partida digna. É uma final”.

Para esta partida uma ausência é certa, do goleiro titular André Onana, suspenso por motivos disciplinares. Assim, Epassy deve ocupar a posição. Outra novidade pode ser a entrada do camisa 10 Aboubakar, que foi decisivo no empate de 3 a 3 com a Sérvia, partida na qual marcou um gol e deu uma assistência.

Com isso, uma possível escalação de Camarões para o jogo com o Brasil é: Epassy; Fai, Castelletto, N’Koulou e Tolo; Hongla, Anguissa e Kunde; Aboubakar, Choupo-Moting e Ekambi.


Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil