Governador Ratinho Junior está em São Paulo para trazer as primeiras vacinas ao Paraná

Publicidade
Publicidade

Nesta manhã, em Guarulhos, o Governador Ratinho Junior, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, e o chefe da Casa Civil, Guto Silva, se encontraram com o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, no Centro de Distribuição de Vacinas do Ministério.

Como será a vacinação?

GRUPOS – A definição de grupos prioritários para receber as doses da vacina contra a Covid-19 seguiu critérios do Ministério da Saúde, tempo de contato (ou exposição) com os pacientes Covid-19 e pessoas com maior risco de complicações pela infecção causada pelo Sars-CoV-2. O anexo II do Plano Estadual de Vacinação conceitua Trabalhadores de Saúde aquele que “desenvolve diferentes funções em ambientes diversos, e não exclusivamente na assistência ao usuário de serviços de saúde, foram adotados critérios relacionados à atividade desenvolvida e ao ambiente de trabalho. ”

Na primeira etapa da vacinação a população alvo a ser vacinada contra a Covid-19 é composta por profissionais que aplicarão as vacinas, pessoas com mais de 60 anos que residem em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) e os profissionais que atuam nos locais, população indígena, todos os trabalhadores que atuam em unidades de saúde que atendem pacientes com suspeita ou confirmados de infecção pelo novo coronavírus. Na sequência o Estado planeja vacinar pessoas com 80 anos ou acima desta idade, pessoas entre 75 e 79 anos e assim sucessivamente até aqueles que tem idade variando entre 60 e 64 anos. O detalhamento, assim como a estimativa da quantidade de pessoas em cada grupo prioritário constam na página 4 do Plano.

Conforme anunciado pelo Ministério da Saúde, a quantidade de vacinas a serem destinadas ao Paraná é de 5% do total que o país tiver disponível. Com a quantidade de doses disponibilizadas, seguindo a ordenação por grupos prioritários, a previsão é vacinar o total de 4.019.115 pessoas até maio de 2021. A vacinação ocorrerá de acordo com o recebimento dos imunizantes, de forma gradual e escalonada.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, afirma que a vacinação é prioridade e que o planejamento prevê o início da aplicação das doses simultaneamente em todos os municípios do estado. “Nossa estrutura é muito segura e sustentada. As nossas regionais já estão recebendo as seringas, agulhas e outros insumos necessários para distribuir aos municípios. O processo de distribuição do imunizante será realizado como os demais que já fazemos, ágil, seguro e monitorado e também com apoio aéreo para maior agilidade”.

A expectativa do Governo do Paraná é expandir a longo prazo a estratégia de vacinação para a população acima de 18 anos de idade ainda não vacinada totalizando 8.736.014 pessoas, de acordo com projeções do IBGE 2020 no Paraná, que estima um total de 11.516.840 pessoas residentes no estado.

INDICAÇÃO – Além de estar no público-alvo para a vacinação, a Sesa recomenda que mesmo pessoas que já tiveram a Covid-19 podem ser vacinadas. Mas recomenda-se o adiamento da vacinação nas pessoas com infecção confirmada, ou seja, que estejam doentes. Sugere-se aguardar a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas. A Sesa indica ainda que as pessoas devem levar a carteira de vacinação para registro das doses.

CONTRAINDICAÇÃO – De acordo com as pesquisas em andamento, e os critérios de exclusão utilizados nestes estudos, não devem ser vacinadas: pessoas menores de 18 anos de idade (Atençãoː este limite de faixa etária pode variar entre as vacinas, portanto sempre será recomendada a confirmação desta informação diretamente na bula);  gestantes e pessoas com histórico de reação anafilática confirmada associada a dose anterior da Vacina contra COVID-19 ou a qualquer um de seus componentes. Porém, de acordo com o Plano de Vacinação, a contraindicação pode variar conforme o tipo da vacina.

A Sesa também não recomenda a administração simultânea de vacinas. A orientação é que as vacinas sejam aplicadas com intervalo de no mínimo de 30 dias entre uma e outra.

LOGÍSTICA – O Ministério da Saúde anunciou que enviará para a Secretaria de Estado da Saúde 5% do total de doses da vacina contra a Covid-19 que o país conseguir adquirir nos próximos dias. Após o recebimento dos lotes no Aeroporto Afonso Pena, será realizada a conferência e organização para o envio no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar). As caixas com o imunizante seguirão via terrestre acondicionadas em caminhões baús refrigerados (com sistema de rastreamento via satélite), até as 22 Regionais de Saúde onde serão guardadas em câmaras frias. Em locais mais afastados as caixas serão transportadas por aviões. Cada município é responsável por retirar as caixas com as quantidades de doses para aplicação na sua população.

OUTROS INSUMOS – Em 2020 a Secretaria de Estado da Saúde adquiriu 11 milhões de seringas e agulhas para uso exclusivo para a vacina contra a Covid-19. A Sesa tem em estoque luvas, algodão, máscaras, face shield e demais equipamentos de proteção individual para a uso na operação de aplicação das vacinas.

SALAS DE VACINAÇÃO – O Paraná tem 1.850 salas de vacinação nos 399 municípios. A quantidade de locais varia em cada cidade de acordo com o tamanho da população. Os municípios são responsáveis pela gestão dos profissionais para aplicação das doses da vacina, assim como pelas estratégias de vacinação chamada extramuros, ou seja, fora das salas de vacinação. Um exemplo de desse formato é a vacinação em terminais de ônibus ou drive-thru.

TREINAMENTO – Os profissionais que atuarão na aplicação das doses das vacinas devem passar por treinamento para registro de dados dos vacinados no sistema de informação do Ministério da Saúde, registro de notificações de eventos adversos, acompanhamento entre outras informações. O primeiro treinamento realizado pela Sesa aconteceu no dia 7 de janeiro de 2021 com técnicos das áreas de imunobiologia e epidemiologia das 22 Regionais de Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pequenos negócios do Paraná já podem se inscrever no projeto Agentes Locais de Inovação

Publicidade
Publicidade

Neste ciclo, o foco será o atendimento de micro e pequenas empresas inovadoras que desejam se tornar mais competitivas e promover melhorias rápidas para crescer

Trinta e cinco Agentes Locais de Inovação (ALI) estão preparados para atender, gratuitamente, micro e pequenos negócios de todo o Paraná que desejam inovar em seus produtos, serviços e processos e aumentar os lucros por meio dos ganhos de performance. Para se inscrever no projeto que, neste ano, integra o programa Brasil Mais, basta acessar o site: www.gov.br/brasilmais.

O Brasil Mais é o novo programa do Governo Federal, Sebrae, Senai e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), que tem como principal objetivo tornar milhares de negócios mais produtivos até 2022. As empresas selecionadas para atendimento do Sebrae receberão acompanhamento por quatro meses dos ALI, que inclui visitas individuais e encontros coletivos, que serão realizados virtualmente.

No Paraná, a expectativa é atender 3.850 empreendimentos das áreas de serviços, indústria e comércio durante os cinco ciclos do projeto. São 35 agentes locais de inovação, capacitados pelo Sebrae/PR para elevar o nível de produtividade e competitividade dos pequenos negócios participantes por meio da promoção de melhorias rápidas e de impacto em um cenário de transformação digital.

A coordenadora do projeto ALI no Paraná, Danubia Milani, explica que a metodologia do projeto foi reformulada. Nos dois próximos anos, a atuação dos ALI será dividida em cinco ciclos de quatro meses cada. Isso significa que a cada quatro meses as empresas atendidas se renovam. Outra novidade, segundo ela, é que serão selecionadas aquelas que já possuem uma cultura de inovação e de transformação digital.

No primeiro ciclo serão atendidos 770 negócios em todo o Paraná. Os empresários interessados em receber o apoio do programa devem fazer a inscrição e um autodiagnóstico no portal do programa Brasil Mais.

“O Sebrae/PR entrará em contato para marcar a primeira visita, checar se a empresa se encaixa no perfil do projeto e começar a trabalhar”, conta Danubia.

Serão seis encontros individuais – em que os agentes irão até a sede da empresa – e três coletivos virtuais, para a troca de experiências entre os participantes. Entre as vantagens de participar do projeto ALI, a consultora cita os ganhos de produtividade, competitividade e também o networking.

“Nos encontros coletivos há muita troca de informações e ideias. As empresas têm a chance de encontrar parceiros, fornecedores e clientes e criar novas oportunidades de negócios”, destaca.

O empresário londrinense Leonardo Rodrigues Benni, diz que apesar de já criar produtos inovadores para a odontologia, a empresa usou a metodologia trazida pelo projeto ALI para ampliar a visão de inovação em processos internos. Para ele, que participou do último ciclo, a experiência foi muito positiva, já que ajudou a indústria a ter uma visão mais estratégica do negócio e do relacionamento com o cliente.

“A inovação é uma jornada, não tem receita. O projeto é importante porque mostra o caminho e as fases dessa jornada e é muito interessante criar essa cultura na empresa”, afirma.

O projeto

O projeto ALI, que existe desde 2008 e possui abrangência nacional, tornou-se uma ação de referência no mercado como um diferencial de estratégia e competitividade para os pequenos negócios. Os novos agentes foram capacitados pelo Sebrae/PR para prospectar, analisar, avaliar e acompanhar pequenas empresas, apresentando soluções para gerar impactos positivos em gestão, na melhoria de produtos e processos e identificação de novos mercados.

Ratinho diz que estado não vai permitir aglomerações; desrespeito as regras pode gerar multa e prisão

Publicidade
Publicidade

Para a tarde desta sexta-feira, está marcada uma reunião entre o governador e a Secretaria de Estado da Segurança Pública

Com o anúncio de medidas mais restritivas para o combate do coronavírus, o governador Ratinho Junior prometeu um reforço nas ações de policiamento de todo o Paraná. Segundo ele, que concedeu entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (26), o Estado não irá permitir desrespeito com as medidas, especialmente nas relacionadas com aglomeração.

“Nós não vamos admitir desrespeito com encontros clandestinos, com festas que possam estar acontecendo de maneira deliberada, com volume de participantes. Vamos impor multa para essas pessoas e prisão, seremos extremamente rígidos com aqueles que não cumprirem o decreto”, disse Ratinho Junior.

Para a tarde desta sexta-feira, está marcada uma reunião entre o governador e a Secretaria de Estado da Segurança Pública. Devem participar o secretário Rômulo Marinho, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Hudson Leôncio Teixeira, e representantes da Polícia Civil.

Segundo Ratinho, todas as medidas adotadas pelo Estado são necessárias. “É um freio de arrumação, para que a situação volte aos trilhos nesse período de pouco mais de uma semana. As avaliações serão diárias em torno da linha que a pandemia seguirá no Estado. A curva só vai diminuir com a participação de todos”, comentou.

Toque de Recolher

Entre as medidas adotadas, está a suspensão do funcionamento dos serviços e atividades não essenciais em todo o Estado e a ampliação na restrição de circulação das pessoas, que passa a ser entre as 20 horas e 5 horas. O decreto entra em vigor à 00h deste sábado (27) e tem validade até as 5 horas do dia 08 de março.

Informações Banda B.