Estrela Leminski e Téo Ruiz lançam vídeo ao vivo de “Ah Você Amigo”, canção de Paulo Leminski

Com uma rica obra poética, de prosa experimental, tradução e ensaios, Paulo Leminski se consolidou como um dos nomes mais importantes e vibrantes da literatura brasileira. O escritor, que teria completado 78 anos no último dia 24/08, experimentou diversas linguagens artísticas – e se destacou também na área musical. Uma das mais interessantes faixas de sua autoria é “Ah Você Amigo”, que ganha um vídeo ao vivo gravado na icônica Ópera de Arame por sua filha Estrela Leminski e Téo Ruiz. A música é um dos destaques do CD “Leminskanções”, de 2014.

Assista ao vídeo ao vivo “Ah Você Amigo”: https://youtu.be/wN-zRYyNqRI

Para conhecer mais a obra de Leminski: https://pauloleminski.com.br

Como compositor, escreveu mais de 100 canções e teve suas músicas gravadas por nomes como Caetano Veloso, Itamar Assumpção, Ney Matogrosso, Paulinho Boca de Cantor e Moraes Moreira. Em 2015, Estrela compilou as canções do pai em um songbook com partituras e cifras que podem ser baixadas de modo gratuito.

Confira uma playlist com faixas icônicas de autoria do poeta: https://spoti.fi/3PIL7Pl

Baixe o songbook de modo gratuito: http://www.pauloleminski.com.br/songbook/livro-cancoes-paulo-leminski.html

“Eu achei essa música numa fita K7 entre coisas que meu pai gravava coisas para si mesmo e para mostrar para amigos. Minha mãe (Alice Ruiz) disse que a história da música era real, de um amigo que ele preferiu se afastar por estar com algumas ideias bem estranhas”, conta Estrela sobre a letra da canção, extremamente atual.

“No arranjo, fizemos uma referência sonora ao Elvis e aos Beatles, seguindo o que foi colocado na letra. A gravação também foi simbólica por ser na Ópera de Arame, esse lugar marcante que faz parte do Complexo Paulo Leminski”, complementa Téo Ruiz.

Nascido na capital paranaense em 1944, Paulo Leminski fez de sua vida uma busca pelo sublime. Seja pela procura religiosa, vinda da vontade de ser monge que o levou a passar parte da juventude em um mosteiro, até a filosofia zen que marcou sua obra, passando pelo minimalismo do dia a dia dos haicais. A forma poética japonesa, aliás, teve no autor um de seus grandes divulgadores no Brasil. 

Em 1975 começa uma série de lançamentos de trabalhos que se tornaram marcos na literatura brasileira com “Catatau”, em prosa, e dos escritos poéticos independentes  “Quarenta clics em Curitiba” (com o fotógrafo Jack Pires) em 1976 e “Não fosse isso e era menos não fosse tanto e era quase” e “Polonaises”, ambos de 1980. A repercussão destes trabalhos foram base para o seminal “Caprichos e relaxos” (1983). Quatro anos depois lança seu último livro em vida, o cultuado “Distraídos venceremos”.

Como tradutor, Leminski trouxe para nossa língua textos de autores plurais como Matsuó Bashô, Beckett, James Joyce e John Lennon. Em 2013, a carreira de Leminski ganhou um renascimento com a cultuada coletânea “Toda Poesia”, best-seller com as obras poéticas completas, organizada por Alice Ruiz, que acompanhou toda a produção de sua obra. Esse trabalho apresentou o autor para toda uma nova leva de leitores. 

Neste ano, seu trabalho ganha edições em todo o mundo com publicações na Itália, Espanha, Argentina e Estados Unidos. Para os fãs brasileiros, está programada a exposição Múltiplo Leminski que abre em outubro em Porto Alegre, no Centro Cultural da UFRGS. O vídeo ao vivo foi realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Paulo Leminski por João Urban

Letra:

À você amigo que eu perdi na passagem de Elvis para os Beatles

Alguém comigo e como eu andou

Eu era a lira que só o vento me sabia manejar

Eu era e hoje a calmaria

Não me toca e toca a silenciar a imaginar a imaginar

Você é daqueles que ainda lembram de uma guerra na Coréia

Dos que pensam ter ideia do que vale a vida pra morrer

Choveu mas você é feito de uma substância que não deixa passar umidade

Calor, calafrio, calaboca

Ou eu te meto o braço que resta do abraço amigo

Ficha Técnica: 

Estrela Leminski – voz e direção artística

Téo Ruiz – voz, guitarra e produção executiva

Diego Perin – baixo e vocais

Ruan de Castro – guitarra

Douglas Vicente – bateria

Fernanda Cordeiro – trombone

Nicolas Salazar – saxofone

Produção – Aline Valente

Figurino – Estrela Leminski e Zab Milita

Germano Grandlaf – Captação de áudio

Fred Teixeira – Mixagem e masterização

Felipe Felino – Edição de áudio

Effex Tecnologia – Backline e sonorização

Vini Ruiz e Caio Gabriel – Assistentes de áudio

Roger Sarolli Mion – Direção

Luiz Mourão e Máximo Salomão – Câmeras

Zab Milita – Direção de arte

J. Augusto – Edição e finalização

Migi FPV – Operador de Drone

Projeto realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Supercores estreia com Outros Outubros 

Lançada nas plataformas digitais na última sexta-feira (16), Outros Outubros é a canção de estreia do quarteto curitibano Supercores. Produzida pela banda de maneira independente, a canção vem embalar um momento histórico do país. 

Inspirada no clássico do cinema novo ˜Terra em Transe˜, do diretor Glauber Rocha, a canção se lambuza na poesia marginal para contextualizar e traçar um paralelo entre presente e passado.

A própria banda é quem assina a produção do trabalho, que foi registrado no mês de julho no estúdio Casa do Fundo, em Curitiba, com mixagem e masterização de Matheus Bittencourt.


Fundada em maio de 2022 por Eduardo Souza (bateria), Felix Dee (guitarra e voz), Gustavo X (guitarra) e Renato Rigon (baixo, teclas e voz) a Supercores traz em suas raízes a sede pela música brasileira produzida no fim dos anos 60 e toda a década de 70. Artistas como Os Mutantes, Milton Nascimento, Clube da Esquina e Arnaldo Baptista são a base para as composições do grupo que também mergulha de cabeça na influência dos clássicos do rock’n roll dos anos 60 e toda a onda psicodélica que eles geraram e reverberaram.

A banda planeja mais um lançamento para este ano: a música Verticalidade que, segundo o compositor Felix Dee, fala da vida nas grandes cidades verticalizadas pelos edifícios. A previsão de lançamento é o mês de novembro. Além disso, o grupo comenta que tem se dedicado a novas composições e tem se reunido para fazer a pré-produção de mais um trabalho a ser lançado no ano que vem. 

Para saber mais sobre a Supercores acesse: www.instagram.com/supercoresoficial

Ficha Técnica

Felix Dee: Voz, guitarra e composição.

Gustavo X : Guitarra.

Renato Rigon: Baixo, teclas e voz.

Eduardo Souza: Bateria.

Matheus Bittencourt: Gravação, mixagem e masterização.

Produzida por Supercores.

Aberta seleção de músicas para o 16º Fejacan

Estão abertas até o dia 12 de outubro as inscrições para a 16ª edição do Fejacan – Festival Jacarezinhense da Canção. O evento promovido pelo Sesc PR será realizado em Jacarezinho (PR), nos dias 24 e 25 de novembro, no Sesc Jacarezinho.

Cantores, intérpretes, instrumentistas e compositores de todo o Brasil, maiores de 18 anos, podem submeter para análise até três músicas, de caráter popular ou erudito, em língua portuguesa ou em idiomas indígenas, e que não tenham sido apresentadas no Fejacan em edições anteriores.

Os trabalhos inscritos serão avaliados em conceito, qualidade e execução das obras, formato, linguagem, relevância artística, singularidade e inovação por uma comissão que selecionará até 26 músicas inéditas para apresentação no palco do evento.

Os trabalhos selecionados receberão remuneração de acordo com o número de músicas que foram selecionadas e com a distância da cidade de residência do artista até Jacarezinho. Os valores das remunerações variam de R$ 2.400 a R$ 5.950.

De acordo com os organizadores do evento, o Fejacan é uma oportunidade de apresentação e divulgação de artistas, de intercâmbio entre artistas e produtores, de apreciação musical pelo público.

As inscrições deverão ser realizadas exclusivamente pelo site do Sesc PR, por meio de formulário on-line, até o dia 12 de outubro.

Clique aqui para acessar.  <https://www.sescpr.com.br/edital/edital-de-selecao-fejacan-2022/>