Em Curitiba, Sebrae capacita empresários em segurança cibernética e proteção de dados

Proprietários de micro e pequenas empresas de tecnologia participaram, nesta segunda-feira (1°), do Sebrae Experience sobre Cyber Segurança. O evento aconteceu na sede do Sebrae Paraná, em Curitiba, e contou com a participação de quatro palestrantes, que debateram a proteção de dados pessoais no contexto da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e deram dicas sobre segurança quanto a ataques hackers.

O coordenador estadual de Tecnologia do Sebrae Paraná, Vinícius Galindo, explica que muitos empresários ainda pensam que a LGPD é algo para o futuro. No entanto, ele alerta que empresas já estão sendo processadas por vazamento de dados.

Ao final do evento, os palestrantes se reuniram para tirar dúvidas dos participantes sobre Cyber Segurança (Foto: Rafael H. Barzotto)

“Por isso, organizamos este evento com as empresas que têm a tecnologia atrelada à rotina de trabalho. Com soluções e dicas práticas sobre como proteger os próprios negócios de ataques pela internet, como o sequestro de dados, por exemplo, e como garantir a segurança dos dados que as empresas detêm dos usuários, para que não haja um vazamento”, comentou.

A primeira palestrante da noite, a advogada Samara Schuch, falou sobre a proteção dos dados pessoais, dentro do contexto da Lei Geral de Proteção de Dados, que entrou em vigor em 2020.

“Estamos vivendo uma economia digital baseada em dados. Junto com a tendência de digitalização das empresas, veio uma série de emergências de saúde, que levou todos para o isolamento social. E todas as relações começam a se intensificar de forma digital, as compras e as vendas. O impacto para todos os setores foi enorme”, contextualizou.

Donos de micro e pequenos negócios lotaram o auditório do Sebrae Curitiba para o evento (Foto: Rafael H. Barzotto)

Segundo Samara, os proprietários de micro e pequenos negócios precisam estar de acordo com a legislação, o que significa coletar e tratar os dados da forma correta, sem correr o risco de perder, destruir ou violar o direito destas informações, que são de propriedade dos consumidores.

Entre os benefícios de estarem adequados ao que regulamenta a LGPD estão a identificação e controle de riscos, redução de custos e despesas, valorização da empresa, criação de uma cultura organizacional e vantagens competitivas.

Lei vigente

Regina Acutu tem uma empresa de coleta de provas digitais, a Verifact e garante: ao contrário do que muitos empresários ainda pensam, a internet não é uma terra sem leis. De acordo com Regina, o famoso “print” (captura simples da tela do celular ou do computador) pode ser, facilmente, fraudado. Por isso, cada vez mais é questionado por juízes como prova cabal em processos jurídicos.

“A Verifact, que surgiu há muitos anos com a ajuda do Sebrae, hoje fornece provas digitais tanto para advogados quanto para empresas e colaboradores. Nós emitimos um documento que tem validade jurídica, de forma online, e pode ser utilizado como prova em um processo trabalhista, por exemplo”, explicou a empresária.

Especialistas

Para apresentar soluções e alternativas aos problemas de segurança que as empresas de tecnologia podem enfrentar em suas páginas de comércio eletrônico, o Sebrae também trouxe, como palestrantes, Álvaro Teófilo (responsável pela segurança cibernética de um dos principais bancos que atuam no território nacional) e o empreendedor Adonis Batista (diretor executivo da Adopt, empresa que desenvolveu uma plataforma de adequação à LGPD).  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pizza e café: saiba como investir em duas paixões nacionais e ter seu próprio negócio

Pizza e café são as grandes paixões gastronômicas do brasileiro e disso ninguém tem dúvidas. De acordo com uma pesquisa realizada em junho de 2022 pela Associação Pizzarias Unidas do Brasil – APUBRA, 54% das mais de 80 mil pizzarias abertas no território nacional pertencem a microempreendedores individuais (MEI), o que demonstra a potência desse mercado. O café, por sua vez, é consagrado como a segunda bebida mais consumida no país, um dado revelado pela  Organização Internacional do Café (OIC), que apontou que o brasileiro consome 5,8 kg de café por ano. É possível unir essas paixões nacionais investindo em um próprio negócio no formato de franquia e começar a trabalhar com aquilo que realmente gosta. Confira:

Uma das opções é a Pizza Prime, rede de pizzarias com mais de 20 anos de experiência e que conta com 70 unidades em todo o país. Apostando nas tradições regionais, a franquia investe na criação de sabores típicos a fim de se aproximar do consumidor. Para Gabriel Concon, CEO da franquia, a identificação com o produto e a facilidade na hora da entrega são diferenciais importantes para quem quer abrir um negócio na área. “O consumidor precisa ter o sabor que está acostumado a ter na sua mesa, porque isso gera identificação e curiosidade de experimentar esse ingrediente na pizza. A disponibilidade, rapidez e qualidade do produto também é essencial para fidelizar o cliente”, afirma.

Com um investimento inicial de R$ 269 mil, incluindo taxa de franquia, reforma predial, equipamentos de cozinha e atendimento, fachada, verba para planejamento de mídia inicial e projeto arquitetônico, a unidade precisa de sete funcionários para começar a sua operação e tem como faturamento médio mensal R$ 170 mil, com previsão de retorno entre 18 a 36 meses.

Já a Mais1 Café, rede de cafés especiais, tem o conceito ‘to go’, ou seja, oferecem atendimento ágil para que as pessoas possam tomar a bebida de alta qualidade e levá-la para onde quiserem. Presente em 17 estados, a franquia possui mais de 200 unidades em todo o país e busca expandir a partir da praticidade dos seus produtos. De acordo com Alan Parise, diretor de expansão da rede, atender a necessidade dos consumidores em locais estratégicos é um grande diferencial para investir em uma loja do segmento. “Com a correria do dia a dia, ter um lugar onde é possível tomar o seu café sem filas ou simplesmente pegar a sua bebida e levá-la para casa, trabalho ou até mesmo para o transporte facilita muito. E esse pode ser um grande atrativo para conquistar os clientes”, conclui.

A rede, que trabalha com a otimização da experiência do cliente, levando um atendimento personalizado e digitalizado, oferece várias opções de bebidas de alta qualidade para o público. Com um investimento inicial a partir de R$ 150 mil, incluindo taxa da franquia e publicidade, cada unidade fatura, em média, R$ 30 mil por mês, com retorno do investimento entre 18 a 24 meses.

Negócios, chope, música e empreendedorismo: Happy Tech acontece dia 16, em Curitiba

Imagine um evento em que você vai conhecer pessoas novas e que tenham a mesma sinergia. Adicione boas doses de chances reais para novos negócios e match de soluções que podem fazer toda a diferença para o seu negócio.

Tudo isso, com discussões descontraídas e embaladas por boa música em um ambiente descolado e stand up no palco, é o que propõe a primeira edição do Happy Tech, evento direcionado para quem é do Paraná e atua no segmento de tecnologia. A iniciativa é do Ecossistema de Inovação do Estado do Paraná e conta com o apoio de alguns segmentos do setor. A estreia será no Armazem Garagem Bar, um mega bar com exposição permanente de carros antigos e chope artesanal, além da assinatura que remete há algumas décadas e casa com o estilo rock in roll.

O Happy Tech, que espera reunir até 300 convidados, está em contagem regressiva: ele acontece no dia 16 de agosto e tem como projeção se tornar uma agenda mensal de encontro entre os empresários, recebendo sempre novos interessados e empreendedores da categoria. Para a primeira edição, estão sendo convidadas todas as empresas do setor de tecnologia da informação (TI) do Paraná.  

Quem participar, também será convidado a ingressar na Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-PR), para, a partir disso, estreitar o relacionamento e ter acesso a toda oferta de ações que a entidade defende e promove. “O ingresso de novos associados é sempre muito bem-vindo. Além disso, quem entra, ajuda a oxigenar ideias e fortalece a categoria. A expectativa é bastante grande para essa primeira, de muitas, edições”, comenta o presidente da entidade, Lucas Ribeiro.

Como participar

A presença depende uma inscrição através de um link (veja mais em Serviço). O investimento é de R$ 30 e dá direito a dois chopes. Além da noite agradável e de novos relacionamentos, para amizades e negócios, o Happy Tech conta ainda com um convidado especial, o apresentador e humorista Zico Lamour, que fará um show de stand-up e imitações. 

Tecnologia no Paraná

O Estado é o quarto em quantidade de empresas de tecnologia em desenvolvimento de softwares no País. No quesito inovação, o Paraná também é destaque. O Mapeamento das Startups Paranaenses 2022, realizado pelo Sebrae-PR (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná), divulgado em março, mostra que o Estado tem 522 startups a mais que no último levantamento, totalizando 1.956 empresas inovadoras em atividade em 108 municípios.

SERVIÇO

O que

Happy Tech

Quando

Dia 16/08

Local e horário

Armazém Garagem Bar – Rodovia Curitiba/Ponta Grossa BR-277, 2630 – Santo Inácio, a partir das 18 horas

Como participar

Inscrição pelo link: https://www.sympla.com.br/happy-tech__1641402 [vagas limitadas]

Investimento

R$ 30,00