Arquivos

Edição presencial da PARALELA abre inscrições para oficinas

Após duas edições realizadas de forma remota, em 2022 a PARALELA plataforma de arte irá ocorrer presencialmente entre os dias 10 e 15 de outubro em Uberlândia (MG), com atividades espalhadas pela cidade. Além das apresentações artísticas, neste ano o evento contará com duas oficinas de artistas da Bahia e Minas Gerais: “POUSO – partilhas para expandir noções de dança, saúde e coletividade” com Rafael Alves (BA), e “Urbgrafias” com Elaine Nascimento (MG).

As inscrições para as oficinas podem ser realizadas gratuitamente até o dia 26 de setembro por meio dos formulários disponíveis no site www.paralelaplataformadearte.com.br. O resultado da seleção será divulgado nas redes sociais da PARALELA no dia 3 de outubro.

As oficinas para a 8ª edição da PARALELA foram selecionadas por convocatória e curadoria de Alexandre Molina, Marcelo Camargo e Fernanda Bevilaqua. Alexandre Molina, um dos idealizadores da plataforma de arte, destaca que “o retorno ao presencial é um reencontro muito aguardado após dois anos de atividades virtuais, devido à pandemia da Covid-19, e que a resistência na arte e com a arte mostrou-se difícil e muitas vezes sem sucesso, mas que olhar para a história da PARALELA nos impulsiona no movimento de quase uma década de trabalho”.

A oitava edição da PARALELA conta com o incentivo do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) da Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura Municipal de Uberlândia, e com o apoio do Curso de Dança do Instituto de Artes (IARTE) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). O encontro é promovido anualmente como forma de reunir artistas em torno de discussões e performances sobre dança, arte e corpo. 
 

Oficina “POUSO – partilhas para expandir noções de dança, saúde e coletividade”, por Rafael Alves (BA) 

SINOPSE: A oficina é destinada a todas as pessoas interessadas em práticas transdisciplinares entre arte, saúde e comunidade. Como as práticas integrativas e procedimentos tradicionais ditos de saúde movem a dança? E como as práticas corporais e procedimentos artísticos de dança movem as práticas integrativas e de saúde? Como as práticas de dança podem ser tecnologias para estabelecer vínculos e formas de participação coletiva? A oficina propõe experiências com aromas, toques e agulhas ativando conexões sensíveis com o chão geográfico e afetivo (objetos e fotografias) que este corpo habita e transita. Nesse sentido, quais tecidos sociais, peles comunitárias, coletivas, do bairro, da sociedade, do espaço do teatro, do galpão, do beco, da praça precisam ser tocadas, varridas, alfinetadas e estimuladas para melhor distribuir sua energia sócio-política-econômica-cultural? Como nos conectamos ao poder do toque coletivo?

A criação desta oficina é desdobramento da pesquisa de Rafael, desenvolvida no contexto do Mestrado Profissional em Dança da Universidade Federal da Bahia (PRODAN – UFBA), orientação de Rita Aquino, co-direção e tutoria artística de Leonardo França e fruto de uma atuação como terapeuta corporal na Clínica Comunitária do Alto da Sereia (BA).

PERFIL DO PÚBLICO: Artistas, estudantes e todas as pessoas interessadas em práticas transdisciplinares entre arte, saúde e comunidade.
DATAS E HORÁRIOS: 13 a 15 de outubro de 2022, das 9h às 12h.
ONDE: Oficina Cultural. Praça Clarimundo Carneiro, 204 – Centro. Uberlândia (MG).
NÚMERO DE VAGAS: 15.
FORMA DE SELEÇÃO: Serão selecionadas pessoas para participarem da oficina a partir das informações fornecidas no formulário de inscrição. Para participação na oficina é necessário ter disponibilidade em todos os dias e horários propostos.
LINK DE INSCRIÇÃO: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdK7tN_LjjrOpMAr-XTH6LL6lLbXvru2EX359sgphhFyF7QJw/viewform 
CONHEÇA O ARTISTA: Rafael Alves é filho de Joanita Alves de Assunção e Stênio Cardoso de Oliveira. Artista da dança, terapeuta e mestrando no Programa de Pós Graduação Profissional em Dança da PRODAN/UFBA. Especialista em Estudos Contemporâneos em Dança UFBA. Licenciado em Dança/IFB. Possui formação no Método Kusum Modak ℠ Terapia Yoga Massagem Ayurvédica ℠ com Prem Shunya, em Thai yoga massagem pelo Spa Raquel Furquim/DF, pré-treinamento em Gyrokinesis® e Gyrotonic® pelo Gyrotonic Sudoeste Brasília e em Pilates pela Personal Pilates/DF e CGPA/SP. A partir de uma compreensão integrativa de corpo realiza atendimentos de massoterapia e terapia auricular na Clínica Comunitária do Alto da Sereia, Salvador/BA.    



Oficina “Urbgrafias”, por Elaine Nascimento (MG)

SINOPSE: A oficina consiste na proposição de três jogos/disparadores que versam sobre assuntos que movimentam o corpo em direção a cidade: Jogo do Caminhar, Jogo do Caber e Jogo do Contar. Caminhar como prática inicial, como primeiro exercício de contato entre corpo e espaço. Caber como forma de fazer existir, entender como esse corpo cria espacialidades através do seu movimento e da sua interação. Contar é sobre falar: que mapas são possíveis de contar a partir das experiências vividas nos jogos anteriores? Com essas proposições pretende-se a investigação sobre as espacialidades gestadas pelo corpo em experiência na cidade, bem como de todas as questões que surgem a partir das proposições.

PERFIL DO PÚBLICO: Artistas e estudantes maiores de 18 anos, sem exigência de formação específica, apenas disponibilidade para exercícios práticos.
DATAS E HORÁRIOS: 10 a 12 de outubro de 2022, das 9h às 12h.
ONDE: Oficina Cultural. Praça Clarimundo Carneiro, 204 – Centro. Uberlândia (MG).
NÚMERO DE VAGAS: 10.
FORMA DE SELEÇÃO: Serão selecionadas pessoas para participarem da oficina a partir das informações fornecidas no formulário de inscrição. Para participação na oficina é necessário ter disponibilidade em todos os dias e horários propostos.
LINK DE INSCRIÇÃO: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf4LbY67QYvH7lhB2jX3mMFv4RlphoG-TRAhg_q6uvGtzJDxg/viewform
CONHEÇA A ARTISTA: Elaine Nascimento atua como designer e cenógrafa/expógrafa. Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela UFSC, possui mestrado em Artes Cênicas pelo PPGT UFBA (2014) e mestrado em Arquitetura e Urbanismo pelo PosArq UFSC (2018). Desenvolve a pesquisa prático/teórica chamada Urbgrafias: cartografias de espacialidades gestadas pelo corpo em experiência na cidade, narrativas visuais que contam sobre o espaço urbano.     

HISTÓRICO

A PARALELA surgiu em 2015, como uma proposta do grupo de pesquisa SPIRAX, coordenado pelo artista e professor Alexandre Molina, para compartilhar as atividades desenvolvidas pelos estudantes do componente curricular Práticas em Dança II: performances do corpo, do Curso de Bacharelado em Dança da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). 

O projeto de extensão cresceu e, hoje, a PARALELA se estabelece como plataforma de intercâmbios em arte, conectando pessoas e lugares através da dança, em diálogo com outros fazeres artísticos. As ações previstas nesta plataforma borram fronteiras entre formação e atuação artística, fortalecendo as relações entre fazer e pensar arte na contemporaneidade de modo integrado.