É lançado um aplicativo que entrega recomendações personalizadas de filmes e séries

APP disponível para Android e IOS une inteligência artificial e curadoria humana para fazer recomendações personalizadas, não importa quantos serviços de streaming o usuário assinar

A Viu Review disponibiliza, a partir de hoje, seu aplicativo “VRW” para dispositivos Android e IOS. Idealizada por André Siqueira, profissional com mais de 20 anos de experiência na área de entretenimento, a versão para desktop da plataforma foi lançada em janeiro de 2019 com o objetivo de auxiliar os quase 30 milhões de brasileiros, assinantes de serviços streaming, a decidir entre as melhores opções de séries e filmes oferecidas pela Netflix, Apple TV+, Amazon Prime Video, HBO Go, entre outras.

“O grande diferencial da Viu Review é que 100% do conteúdo é analisado por uma equipe especializada antes de entrar na plataforma, ou seja, só disponibilizamos para recomendação os filmes e séries que nosso usuário
realmente vai gostar, tanto que nossa taxa de assertividade é de, impressionantes, 99,79%. Como temos uma tecnologia que nos indica o que
esse usuário tem interesse de assistir, nunca tivemos que nos preocupar com quantidade, focamos sempre na qualidade!” afirma André Siqueira, criador da plataforma.


A tecnologia com Inteligência Artificial desenvolvida 100% pela Viu Review
permite um enorme cruzamento de informações com o objetivo de sempre
aprender com a jornada do usuário que está cadastrado na plataforma, entendendo quais as suas preferências mais particulares. Ao se unir com a
curadoria humana, que já analisou o que existe de melhor nos serviços de
streaming, surgem as recomendações que, realmente, são personalizadas.


“Diferente de outros aplicativos disponíveis no mercado, no “VRW” o usuário não precisa responder um formulário toda vez que buscar uma indicação e muito menos ficar esperando carregar um título, pois com o algoritmo que desenvolvemos tudo é automático e personalizado” afirma Weiberlan, sócio e desenvolvedor na Viu Review. “A I.A. da Viu Review vai aprendendo com cada interação do usuário, principalmente para entender quais títulos já foram vistos, quais ele mais gostou, que elementos narrativos ou visuais ele mais se interessa, etc. Quanto maior for essa interação, melhor será a assertividade das recomendações” completa Lucas Gabriel, co-fundador da Viu Review.


Caso o usuário ainda não seja cadastrado na versão desktop da plataforma e queira iniciar a experiência pelo “VRW”, basta baixar o aplicativo, cadastrar um e-mail e senha válidos, selecionar os serviços de streaming que ele assina e escolher um estilo de conteúdo para começar o aprendizado, como por exemplo um drama sobre relações ou um documentário de crimes. Após esses passos, as recomendações personalizadas estarão disponíveis toda vez que o cliente acessar o app.


“Nossa ideia sempre foi unir objetividade, facilidade e qualidade. Esperamos para lançar o aplicativo porque queríamos entregar a melhor experiência possível para nosso usuário. Não queríamos criar listas ou usar APIs de terceiros para encher nossa plataforma de títulos e confundir ainda mais as pessoas. O foco era a personalização. Criar uma ferramenta que, depois de cadastrado, o usuário só precisasse entrar no app que as melhores recomendações, baseadas no gosto pessoal dele, já estariam disponíveis, da forma mais simples e fácil possível. O fato é que nosso app entrega o que promete”, completa Siqueira.


Sobre a ViuReview:

A versão para desktop da Viu Review foi lançada em janeiro de 2019 pelos
sócios André Siqueira (conteúdo e inovação), Lucas Gabriel (marketing) e
Weiberlan Garcia (tecnologia). Hoje possui mais de 40.000 usuários de
streaming conectados à plataforma desktop e também oferece o serviço via
app para Android e IOS. Por meio de Inteligência Artificial e Curadoria Humana a Viu Review proporciona uma experiência simples e única para os usuários, monitorando os serviços de streaming, separando e recomendando apenas o que ele vai gostar de assistir, diminuindo de forma significativa o tempo que seria perdido em pesquisa e aumentando sensivelmente a assertividade da escolha.


Q&A com André Siqueira – criador da Viu Review

  1. Porque criar uma plataforma de recomendações sendo que os próprios serviços de streaming já fazem isso para os seus assinantes?
    Eu tenho uma tese que a melhor forma de consumir os serviços de streaming é criando uma espécie de portfólio que englobe todas as suas preferências mais particulares. Com o distanciamento daquele modelo linear que dominou o mercado, como das TVs por Assinatura, por exemplo, um usuário fatalmente vai possuir recursos para assinar mais de um serviço, já que são tantas opções bacanas, tantas produções de qualidade, por um preço tão mais acessível que será natural esse movimento. Isso gera dois problemas: a sobreoferta de conteúdo e uma dificuldade enorme de navegação entre as plataformas, até encontrar o que ele realmente quer assistir. Mesmo com as recomendações de cada serviço, que possuem algoritmos não tão assertivos ainda, o desperdício de tempo é enorme. Sabendo dessa dor, a idéia sempre foi ser objetivo:
    precisávamos criar uma forma de entregar o conteúdo ideal para nosso usuário sem que ele perdesse tempo entrando e saindo de todas as plataformas que ele assina.
    A Viu Review monitora os serviços de streaming, entende o que entra, o que sai do catálogo e ainda cruza um número enorme de dados com as
    preferências de cada um dos nossos usuários; com isso nossas recomendações ficam, de fato, as mais assertivas possíveis, não importando quantos serviços de streaming o usuário assina, afinal está tudo num só lugar!
  2. Mas você não acha que os algoritmos dos serviços de streaming vão
    evoluir e entregar recomendações tão assertivas quanto da Viu Review?

    Tão assertivas eu não sei, mas com certeza o algoritmo vai evoluir muito. O problema é que, por melhor que seja a solução de recomendações que eles vão desenvolver, eles vão focar, claro, nos títulos que estão no catálogo da sua plataforma, nunca na do concorrente. Enquanto isso, nós temos a tecnologia para recomendar o que existe de melhor em qualquer que seja o serviço, basta o usuário nos dizer qual ele assina e a gente faz o resto.
  3. Você me disse que criou a Viu Review em janeiro de 2019, por que demorou tanto para lançar um app?
    Na verdade eu criei a Viu Review em junho de 2018, mas precisei de 6 meses para desenvolver uma lógica que fizesse sentido no desafio de evitar que o usuário perdesse tanto tempo possível de pesquisa até encontrar o conteúdo que ele quisesse assistir. Enquanto isso, meu sócio, Lucas, trabalhava, na criação do design e na programação do que se tornaria a plataforma. Depois de uns 10 meses, já com a plataforma no ar, entendemos que precisávamos eliminar essa necessidade tão ativa de pesquisa por parte do usuário e começar a entregar um conteúdo automaticamente, com mais rapidez e menos cliques, então trouxemos o Weiber para sociedade. Na época não tínhamos grana para contratar desenvolvedores, então foi no convencimento, na estruturação de um projeto bem consistente e que, de fato, poderia se tornar um negócio – foi aí que tudo se encaixou. Depois de transformarmos aquela lógica que desenvolvi lá atrás em um algoritmo, implementamos a Inteligência artificial, e validando sua eficácia, vimos que era hora de subir mais um degrau e melhorar a experiência do nosso usuário: o que faltava era um app!
    Respondendo sua pergunta: demoramos um ano e meio entre o lançamento da Viu Review e o app “VRW”, porque queríamos realmente entregar o que prometíamos: assertividade e rapidez, sem perder a qualidade que a versão para desktop já tinha – e isso demandou um cuidado enorme no desenvolvimento! E lógico que como fizemos tudo isso só com investimento dos sócios, o cronograma também precisou ser adaptado ao orçamento que tínhamos.
  4. Qual a expectativa de crescimento com o lançamento do app?
    Hoje temos mais de 40.000 usuários usando a Viu Review. Claro que temos uma expectativa de aumentar nossa base de usuários, mas mais importante que esse número, é saber que quem migrar para o nosso app ficará satisfeito.
    O crescimento é consequência da nossa competência em entregar o que
    prometemos: a melhor recomendação no menor tempo possível!
  5. Como a Viu Review pretende monetizar com o VRW?
    Nós temos um público bastante especifico: assinantes de streaming que não querem perder tempo escolhendo o que assistir! Para os players, nossa solução B2B, permite que eles tenham um canal exclusivo dentro da nossa plataforma com seus respectivos conteúdos analisados pela nossa equipe e disponibilizados na ferramenta de recomendações personalizadas – com isso entregamos relevância, awareness, fidelização e até uma possibilidade de novas conversões bem interessante – já que nossa tecnologia entende o que o usuário realmente gostaria de assistir e pode, pontualmente, sugerir títulos de outros serviços se houver um match muito alto!
    Para os nossos usuários o serviço é gratuito, mas sabemos que a necessidade de estarmos sempre à frente pode ter um preço – podemos resolver isso com investimento externo, publicidade e até com um plano de assinatura, com um valor quase simbólico pelas nossas projeções. O tempo vai nos dizer, mas estamos preparados para seguir por qualquer um desses caminhos!
  6. Vocês acreditam que a solução que a Viu Review oferece pode chamar atenção de muitas pessoas e por consequência de alguns investidores?
    Não existe bem mais precioso que o nosso tempo, ainda mais nos dias de
    hoje! Então, se formos capazes de fazer com que nosso usuário não
    desperdice o seu (tempo) escolhendo ou procurando algo pra assistir e ao
    mesmo tempo crie o hábito de nos consultar, com a certeza que entregaremos a melhor opção de entretenimento que ele pode ter a partir das nossas recomendações, acho que temos um grande negócio nas mãos!
    Já sobre os investidores, isso não nos preocupa já que temos uma operação 100% sustentável, mas não podemos esquecer que estamos falando de um mercado de mais de 30 milhões de usuários só no Brasil, que está em pleno crescimento, onde players de respeito como Apple, Disney, Warner, Globo estão direcionando seus esforços para serem cada vez mais relevantes e assim conseguirem mais market share… Nesse cenário tão promissor, não tenho dúvidas que em curto prazo, muitos investidores vão prestar mais atenção em soluções que podem impactar na qualidade do entretenimento e na economia de tempo.
  7. Concordo plenamente! Bom, e o que podemos esperar da Viu Review
    daqui para frente?

    Muito trabalho! (risos)
    Faz parte do DNA da Viu Review querer melhorar a experiência do nosso
    usuário sempre. O VRW é prova disso, uma forma simples de ter as melhores recomendações na palma da mão, com apenas um clique.
    Obviamente que temos outras funcionalidades para implementar (tanto no app quanto na nossa versão para desktop), algumas melhorias na própria tecnologia de monitoramento e ainda querermos estar presentes em outros devices em breve, porém vamos seguir nosso planejamento sem atropelar as fases; o que posso adiantar é que vem muita coisa bacana pela frente e que nossa história só está começando!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pri Lacerda canta fins e recomeços no clipe “Não quero”

Depois de abraçar as próprias contradições e rir de si mesma no clipe “Capricorniana”, a cantora e compositora Pri Lacerda embarca em uma jornada mais intensa na inédita “Não quero”. O single, que também chega com um clipe, mostra uma faceta intimista, sensível e introspectiva da artista curitibana, agora lançando suas primeiras canções em português na sequência do EP de estreia.

Assista ao clipe “Não quero”: https://youtu.be/ddiKZKm7OfQ

Ouça “Não quero”: https://pomar.fanlink.to/naoquero 

A nova faixa surgiu de histórias compartilhadas sobre o amadurecimento após o fim de relacionamentos, de pessoas que, em momentos de crise ou términos, não conseguem mais reconhecer o parceiro (a). “Não quero sentir o gosto / olhar seu rosto / e depois sofrer / Não quero que mexa comigo / que fique a ferida / de um beijo antigo”, canta Pri.  A música convida o ouvinte a sair da zona de conforto, priorizando o amor próprio nas relações que não fazem mais sentido. O objetivo é convidar a uma reflexão sobre a importância de escolher a si mesmo quando se está diante de uma relação que machuca e causa sofrimento – ainda que no início seja difícil negar o próprio desejo e a atração pelo outro para romper o ciclo e conseguir seguir em frente.

“A música vem talvez causar um incômodo e, quem sabe, fazer o ouvinte refletir sobre a permanência ou não em qualquer relação que machuca ou sufoca de alguma forma. Talvez o mais importante seja pensar sobre o que é viver uma relação saudável e ter a coragem de sugerir mudanças ou até encerrar ciclos. Eu tenho a sorte de ter um parceiro que me apoia em todas as minhas mudanças, processos e novas escolhas. Eu acredito que o amor tem uma relação direta com a liberdade de deixar o outro ser e seguir o seu próprio caminho. É uma soma que não sufoca, é um amor que permite o outro viver, errar, sorrir”, resume a artista.

Pri Lacerda é conhecida como cantora, compositora e vocalista da banda de jazz e blues Snap Jazz. Ela embarcou no seu projeto solo com o primeiro EP, lançado em 2018 com cinco canções que faziam a ponte entre a nostalgia do soul e a música pop atual. Além de canções próprias, o trabalho contou com “Catch the Ash” e “River of Stars”, ambas do americano Jesse Harris (autor do sucesso “Don’t Know Why”, de Norah Jones). Este ano, Pri olha para o futuro em nova fase.

Atuando no cenário musical de Curitiba desde 2013, Priscilla soma a uma trajetória profissional como jurista, mestre em Direito Econômico e Social, professora universitária há mais de 10 anos e escritora, tendo publicado um livro de Direito sobre igualdade e, recentemente, participou da Bienal do Livro com o seu primeiro livro infantil “O Mundo Colorido da Girafa Zazá”. A música foi rapidamente de uma paixão dormente e hobby a alguns dos principais festivais e palcos da região, participando inclusive do Sofar Curitiba.

Este ano, Pri Lacerda está pronta para dar mais um passo em sua carreira musical, absorvendo o aprendizado de seu primeiro trabalho e as reflexões diante de acontecimentos que têm nos colocado em contato com questões íntimas e emocionais. Depois da bem-humorada “Capricorniana”, a artista mostra sua versatilidade com mais um single.

Assista a “Capricorniana”: https://youtu.be/ZXCozxDgnE4

Fazendo dessa nova fase uma entrega pessoal e criativa sem precedentes até aqui na carreira da artista, os novos singles de Pri Lacerda atestam seu crescimento lírico e musical, coroando o atual momento com uma nova canção inédita.

Ficha técnica

Voz/composição – Pri Lacerda

Produção/guitarra/baixo/teclas/

samples – Eduardo Rozeira

Mix e Master – Nico Braganholo

Preparadora vocal: Paola Pagnosi

Backing vocal: Paola Pagnosi

Gravado por Eduardo Rozeira e Alvaro Paz no Estúdio Gota e estúdio Nicos

Clipe:

Direção:  Izabella F. e Rosano Mauro Jr

Dir. Fotografia e Montagem: Rosano Mauro Jr

Ass. de fotografia: José Eduardo Pereira

Figurino: Daniela Carvalho

Acompanhe Pri Lacerda:

facebook: https://www.facebook.com/aprilacerda/ 

instagram: https://www.instagram.com/aprilacerda/ 

tiktok: https://www.tiktok.com/@aprilacerda 

twitter: https://twitter.com/aprilacerda 

Park Shopping Boulevard recebe evento de Buzz Lightyear no Mês das Crianças

Durante todo o mês de outubro, em uma ação inédita em Curitiba, o Park Shopping Boulevard apresenta uma novidade intergaláctica. O local recebe o evento “Lightyear”, um circuito de atividades liderado pelo patrulheiro espacial Buzz Lightyear e seus colegas do comando estelar.

Famoso personagem do filme Toy Story, lançado em 1995, Buzz Lightyear é um astronauta que faz sucesso com a criançada. Neste ano, ele ganhou seu próprio filme, lançado pelos estúdios Disney. Lightyear é um herói, patrulheiro e líder da missão espacial que viaja ao lado do fiel escudeiro, o gatinho-robô Sox. Izzi, Mo e Darby completam a equipe espacial.

Atividades estelares

Entre 1º e 30 de outubro, quem passar pelo Park Shopping Boulevard poderá conferir mais detalhes sobre as personagens e o filme, de uma forma totalmente interativa.  Na sala de descontaminação, os patrulheiros mirins recebem jatos de ar para se esterilizar antes de entrarem na sala de comando.

Já no local, eles terão uma simulação de como é uma sala de controle de missões espaciais, com óculos de realidade virtual que darão acesso a imagens do espaço sideral. Lá dentro, começa uma contagem regressiva que leva para a próxima atividade.

O evento ainda terá atividades com chuva de meteoros, em que o objetivo é escapar ileso dos corpos celestes; operação de drones; memorização na velocidade da luz e plantas carnívoras, em que o objetivo é eliminar a vegetação invasora. 

O evento vai funcionar todos os dias, das 14h às 20h, na praça central do shopping e tem entrada gratuita. A capacidade é de 15 crianças por período e cada grupo pode permanecer no espaço por cerca de vinte minutos.

Os pais ou responsáveis não estão autorizados a entrar na área de atividades, que será controlada por monitores treinados pela Disney PIXAR. Crianças entre 4 e 12 anos podem participar.

Serviço:

“Lightyear” no Park Shopping Boulevard

Data: 01 a 30 de outubro

Horário: 14h às 20h

Local: Park Shopping Boulevard

Endereço: Linha Verde, BR-116, 16303 – Xaxim

Atração gratuita