Dia Internacional do Riso: quantos minutos você ri por dia?

“Rir é o melhor remédio”. Essa máxima que surgiu na década de 1960 já é comprovada por diversas pesquisas: dar risada melhora os sistemas muscular, cardiovascular, respiratório, endócrino, imunológico e nervoso central. “A risada aumenta a tolerância à dor e pode ser uma grande aliada de  pessoas com doenças crônicas. A literatura científica já apresenta dados de que, com a risada, conseguimos benefícios nos campos biológico, fisiológico e mental”, explica o cardiologista do Hospital Marcelino Champagnat, Fernando Luchina Alves. “Geralmente, a risada e o bom humor andam juntos e isso favorece bons e duradouros relacionamentos sociais que estão associados a uma vida mais saudável e longeva”, complementa o médico. 

E não precisa muito para colher todos os benefícios que a risada traz. Rir de 10 a 15 minutos por dia já é o suficiente para diminuir o estresse, produzir os chamados hormônios da felicidade (endorfina, serotonina e dopamina), responsáveis pelo bem-estar, e reduzir o cortisol, que provoca reação negativa no sistema imunológico e na pressão arterial. “A risada é indicada inclusive no pré-operatório, quando o paciente está tenso, ansioso”, ressalta a médica clínica no Hospital Universitário Cajuru, Larissa Hermann. 

Yoga do Riso

“Finge, finge até que atinge”. Esse é o lema que o embaixador do riso no Brasil, Paulo Barddal, usa quando pratica a Yoga do Riso em hospitais e empresas, e que é utilizada por mais de 16 mil clubes do riso espalhados por 115 países. “Rir é um exercício físico e podemos simular a gargalhada até ela ficar real. O cérebro não identifica se a risada é realmente genuína. Quando a gente ri, mesmo que seja um riso forçado, conseguimos resgatar um pouco da criança que existe em nós e que vamos deixando esquecida quando nos tornamos adultos”, conta Barddal.

Rir, dançar, cantar e brincar são os elementos que fazem parte da Yoga do Riso e que podem e devem ser realizados em frente ao espelho quando se está sozinho, porque a energia toma conta de todo o corpo e de pensamentos negativos, nos fazendo esquecer dos problemas, mesmo que momentaneamente. “Rir é terapêutico, porque com o riso conseguimos diminuir o sofrimento e enxergarmos o outro lado da situação. Ver o que nos causa ansiedade por outra perspectiva, ajuda a desarmar um pouco a tristeza, o medo e a angústia”, frisa o embaixador do riso.

Contraindicações

Por mais estranho que pareça, a risada também tem suas contraindicações. Mulheres que estão no primeiro ou último trimestre de gravidez, pessoas com hérnia de disco ou que fizeram recentemente cirurgias como extração de dente, não devem utilizar a prática. “Quando levamos a yoga aos hospitais, sempre nos inteiramos da história do paciente, do motivo da internação. Às vezes, só conversamos”, diz Barddal.

Ação nos hospitais

No dia 18 de janeiro é comemorado o Dia Internacional do Riso. Levando em conta todos os benefícios que a risada traz, colaboradores dos hospitais Marcelino Champagnat e Universitário Cajuru irão se unir durante a semana na prática da Yoga do Riso, que liga a respiração do yoga com exercícios lúdicos do riso. “Muitos começam a atividade com vergonha, tímidos, mas depois vão sentindo os benefícios e a gargalhada rola solta”, finaliza Barddal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moradores do Novo Mundo ganham praça de uso compartilhado

No sábado, dia 28 de janeiro, a AGL e a CWB Outdoor entregam a Praça New Urban, um espaço de uso compartilhado e aberto ao público que fica no terreno vizinho ao empreendimento da incorporadora em construção no bairro Novo Mundo, em Curitiba (PR). O edifício residencial tem como marca a sustentabilidade e é o primeiro de sua categoria em processo de certificação GBC Condomínio da capital, um “selo verde” da construção civil. Na mesma linha, a praça segue os preceitos da governança ambiental e corporativa (ESG) e das cidades inteligentes.

A agenda da inauguração começa às 10h, com a presença dos representantes das empresas parceiras no projeto, futuros moradores do New Urban, clientes AGL e representantes do bairro. Eles farão o plantio simbólico de mudas no espaço que será o berçário das plantas que farão parte do paisagismo das áreas de uso coletivo do edifício.

A praça será aberta ao público no mesmo horário, com a distribuição de algodão doce, pipoca e brindes. Empreendedores do bairro farão a venda de seus produtos nas áreas reservadas para futuras feiras de trocas, orgânicos, artesanato, e outras ações que poderão ser planejadas pela comunidade para o espaço de uso compartilhado. A incorporadora disponibilizará, de forma permanente, dois ombrelones que poderão ser usados em futuros eventos aos finais de semana.

A programação de inauguração inclui ação de coleta de lixo eletrônico pelo grupo social Tech Girls, que atua na educação de tecnologia da informação e tratamento de resíduos eletrônicos com comunidades femininas em situação de vulnerabilidade social. Também serão expostos acessórios dos projetos BijouxTech e DecorTech, que ensinam mulheres a confeccionar bijuterias e peças de decoração feitas com sucata, como microprocessadores e placas de memória RAM. No período da tarde, será ministrado workshop de adestramento de cães. O curso gratuito, mas com vagas limitadas, será ministrado pela Fox Dog Trainner no “espaço pet” da praça, que tem bebedouro, banco e portão de segurança para os animais de estimação. A inscrição pode ser feita por formulário online, disponível no link (clicar).

Sobre a Praça New Urban

Com projeto assinado pela Bloco Base, a Praça do New Urban será um espaço coletivo que tem como objetivo fomentar a convivência e contribuir para a qualidade de vida dos moradores da região. A praça terá paisagismo regenerativo, com jardim de espécies nativas da Mata Atlântica, horta comunitária, bicicletário, espaço pet, área de eventos, com mini arquibancada, espaço para a exposição de produtos dos empreendedores do bairro e portões de acesso.

A ideia foi inspirada por iniciativas de requalificação de espaços ociosos pelo mundo e a tendência de um novo modelo de ocupação dos espaços urbanos com foco no conceito de cidades inteligentes. “O terreno é de propriedade da CWB Outdoor, que cedeu o espaço em parceira, somando esforços para criarmos algo para as pessoas, que valorize o bairro, melhore a qualidade de vida da vizinhança, incentive a convivência no entorno do New Urban, a integração da comunidade e o lazer ao ar livre. É uma contribuição que a gente pode e quer dar para que a cidade seja um lugar melhor para todos”, define o engenheiro civil e sócio da AGL, Luiz Antoniutti.

A mesma visão é compartilhada pelo sócio da CWB Outdoor, Rafael Barth, proprietário da área de quase 300 m2. “Todo aquele espaço apenas para um painel não cumpria a função social do imóvel e, por isso, a parceria com a AGL para a construção da praça aberta ao público surgiu para nós como uma oportunidade. Esperamos que a ação sirva de inspiração para outros proprietários de lotes vagos em Curitiba, criando espaços de convivência convidativos e úteis para as pessoas“, diz.

Com o propósito de oferecer um espaço sustentável e que contribua para a recuperação do equilíbrio natural no ambiente urbano, a AGL buscou a parceria de empresa especializada em paisagismo regenerativo. Responsável pelo projeto, o consultor de sustentabilidade e fundador da Bloco Base, Iago de Oliveira, conta que priorizou a oferta de equipamentos úteis para a comunidade, um ambiente seguro e atrativo para a vizinhança e a seleção de vegetação endêmica e espécies em risco de extinção. “A gente buscou criar um ambiente convidativo, para estimular a ocupação do espaço. A presença das pessoas, além de favorecer a comunidade do ponto de vista da convivência e lazer, resulta em maior segurança para a própria região, atraindo a comunidade para ocupar a praça. Incluímos elementos úteis para a população e idealizamos o uso do espaço também para eventos que possam ser catalisadores do movimento na praça”, descreve.

Sobre o paisagismo regenerativo

O jardim da Praça New Urban será um dos destaques do projeto. Com viés de regeneração ambiental, o projeto será feito exclusivamente com espécies nativas. “A seleção considera o bioma de origem, que é Mata Atlântica, e o serviço ecossistêmico, que é a floresta ombrófila mista ou mata com araucária. Assim, as plantas são espécies adaptadas às condições de clima e solo locais. Além de ser um jardim auto gerível, que não precisa de um jardineiro fazendo poda e manutenção a cada 15 dias, o paisagismo regenerativo tem maior durabilidade e uma relação ecossistêmica mais fomentada, que considera a microfauna da região, com seus pássaros, roedores e outros animais” detalha Oliveira.

Entre as espécies vegetais que farão parte do jardim estão a falsa íris, samambaia paulista, banana de macaco, taioba, palmeira de sara e ipê rosa, em estado de extinção. O posicionamento e número de mudas devem seguir as indicações do estudo de incidência solar feito no espaço para garantir exposição adequada das plantas ao sol e também bom sombreamento nas áreas de estar, que serão equipadas com bancos de praça. O estudo foi feito com simulação computacional, que permite calcular até mesmo o número diário de horas de exposição ao sol em cada área de paisagismo da praça.

O projeto de revitalização e ocupação da área onde será construída a Praça do New Urban vai além do terreno. A intervenção inclui também a requalificação das calçadas, que estão degradadas, criando um espaço convidativo para incentivar a caminhada pelo bairro. Para proteger os pedestres da via rápida, o projeto terá maciços vegetais e um espaço generoso e seguro para os pedestres.

Além do jardim, a Praça New Urban terá uma horta comunitária equipada com pia, que deve cumprir o papel de conectar a comunidade e envolver a vizinhança no cultivo de hortaliças e temperos. “Antes de entregar o espaço para a comunidade, faremos o plantio de mudas de baixa manutenção, que podem ser substituídas de acordo com a vontade dos futuros frequentadores. Os canteiros serão permeáveis, para a água chegar ao solo, fazendo uma drenagem natural e a evapotranspiração para conservar o solo úmido”, explica o consultor. O espaço servirá de berçário para algumas espécies a serem usadas no paisagismo do empreendimento New Urban, que tem entrega prevista para junho de 2024.

Outro equipamento de utilidade pública será o espaço pet, que foi planejado para proporcionar uma vivência coletiva da vizinhança com seus animais de estimação. A área, delimitada para que os frequentadores deixem os pets soltos com proteção, terá bancos, lixeira e bebedouro para os bichinhos. Projetada para ser um ambiente flexível, a praça terá duas entradas com portões removíveis para o acesso de veículos, bicicletário e área com bancos de arquibancada, um espaço para eventos.

As obras da Praça New Urban estão em andamento e a inauguração está prevista para segunda quinzena de dezembro. “É um empreendimento privado que beneficia as pessoas ao redor, principalmente através da conexão social. Encontramos, na AGL, a oportunidade de desenvolver algo que impacta a sociedade do muro para fora. Isso é possível em função de três fatores: a boa intenção do empreendedor, a disposição do mesmo de fazer esse pacto com a comunidade e a equipe de projeto capacitada e engajada para fazer algo que represente a diferença para a cidade”, resume Oliveira.

De acordo com o sócio da AGL, o sucesso no uso do espaço pelos futuros moradores e pela vizinhança será o sinal de que o objetivo do projeto foi alcançado. “O que a gente quer é que a comunidade se aproprie da praça, aproveite o espaço e cuide dele. Queremos ver as pessoas tomando sol em um jardim bonito, mexendo na terra, e vivendo numa cidade mais acolhedora. A praça combina com o propósito do próprio empreendimento”, conclui Antoniutti.

Sobre o New Urban

Com 84 unidades, de dois e três quartos, o New Urban é o sexto empreendimento da AGL em Curitiba. Com projetos fotovoltaico, de reuso de água, eficiência energética, conforto térmico e acústico, o residencial é o primeiro de sua categoria em processo de certificação GBC Condomínio (Green Building Council) no Paraná.

O empreendimento terá painéis de captação de energia solar instalados no topo do edifício, que vão abastecer parte do consumo de energia nas áreas comuns do condomínio. O projeto luminotécnico inclui sistema de sensores de presença em todas as áreas comuns, opção pelas lâmpadas de LED e projeto arquitetônico que otimiza o aproveitamento da luz natural nas unidades e espaços de uso compartilhado.

O New Urban também adota tecnologias para conforto térmico e acústico, que incluem esquadrias que reduzem a troca de calor e os ruídos, além de manta acústica nos pisos. Além disso, foram executados estudos lumínicos para o empreendimento, visando o melhor aproveitamento da incidência solar em todas as unidades.

Para a economia de água, o edifício conta com sistema de aproveitamento da água da chuva e águas cinzas para reuso nas descargas dos vasos sanitários, irrigação e limpeza das áreas comuns. O projeto também prevê a instalação de central de coleta multi seletiva, para separação aprimorada dos resíduos orgânicos e recicláveis em vidros, metais, papéis, plásticos e lixo eletrônico.

O projeto do New Urban segue os preceitos da gestão construtiva responsável e prevê subsolo único, para remoção de menor quantidade de terra (preservação do solo) e também o uso de materiais construtivos de procedência certificada, que não contêm produtos químicos que possam ser prejudiciais à saúde dos moradores. Além disso, a logística das obras prevê a redução do impacto ambiental com a geração de resíduos da construção civil e a destinação correta dos mesmos. O New Urban está em construção na rua João Bonat, 93, no bairro Novo Mundo, entre a Antônio Gasparin e a avenida República Argentina. A entrega da obra está prevista para junho de 2024.

Ano novo, casa organizada: confira quatro dicas para organizar tudo em pouco tempo

Com a chegada do novo ano, é comum programar aquela faxina para se desfazer do que não é mais necessário e liberar espaço. Os papéis acumulados, decorações de Natal, roupas em excesso, objetos dispensáveis e utensílios antigos que acumulam, bagunçam e impedem o aproveitamento dos espaços são o principal foco da organização. Assim, é possível preservar uma casa mais prática, organizada e que promova conforto e aconchego. E, vale lembrar, um lar pequeno não é limitador para ajustar móveis, organizar objetos, dispor dos objetos de maneira funcional e sem comprometer a estética.

A Espaço A+, rede de self storages, separou algumas dicas para começar o ano com a casa organizada e os espaços mais otimizados:

Revise papéis e documentos  

Na hora de fazer a limpa na papelada, é preciso prestar atenção para não jogar fora notas fiscais de produtos que ainda estão na garantia e documentos pessoais originais, como certidões. Aqueles que possuem mais de cinco anos ou que não precisam mais ser guardados, podem ser descartados. Manuais e papéis em geral também podem ser eliminados, caso não sejam mais necessários. Para facilitar, o ideal é dividir os documentos em pastas etiquetadas e com indicação do conteúdo que guardam.

Outra dica funcional é guardar as caixas de arquivos em um box self storage, para mantê-los seguros. “Os boxes são como containers que permitem o armazenamento de caixas, objetos e arquivos que não são usados com frequência e acabam ocupando o espaço que poderia servir para guardar algo mais útil. É uma forma de liberar espaço tendo a certeza de que tudo está bem guardado em um local seguro”, explica a gerente de operações da Espaço A+ Self Storage, Rousy Mary Rojas. 

Arrumar o guarda-roupas

Mais uma sugestão para facilitar o dia a dia é deixar à mão as roupas utilizadas na estação corrente, como vestidos, bermudas, regatas e itens de praia. Já casacos e botas podem ser guardados em local separado, com antimofo.Para alguns materiais específicos, como o couro, é desejável tirá-los do guarda-roupa a cada 30 dias, deixando a peça na sombra e em ambiente fresco. Independentemente do item, se ele tem uso e serventia esporádica, é importante que seja armazenado limpo, lembrando que as peças brancas precisam de cuidados extras para evitar o amarelamento. A regra que pode ser aplicada é: se a peça não foi usada no último ano, é sinal que está sobrando e você pode passar adiante, doando ou revendendo.

Organizar os objetos

Prancha de surfe, barraca, bicicleta, ferramentas, quadros, móveis, entre outros, são alguns exemplos de itens que ocupam bastante espaço e que nem sempre são utilizados no dia a dia. Uma alternativa é armazená-los em um box, visto que a maioria dos apartamentos não possuem espaço suficiente para guardar objetos sobressalentes.“Assim, os ambientes do lar acabam sendo otimizados e um ‘quartinho da bagunça’ pode virar uma sala de estudos, um atelier ou estúdio”, sugere a gerente.

Outro utensílio frequente no fim do ano, e que ocupa muito espaço, é a árvore de Natal e os enfeites . Segundo Rousy, esse item é um dos mais comuns de ser encontrado nos boxes locados. “Com os apartamentos e as casas centrais diminuindo de tamanho, as pessoas têm buscado alternativas para guardar seus pertences com pouca utilização. Esse é o caso das decorações natalinas, que não precisam ocupar os espaços de casa o ano inteiro.”

Mantenha a organização

Essa é uma tarefa que deve ser rotineira para evitar o acúmulo de bagunça e facilitar a manutenção dos espaços. Colocar na agenda um horário semanal e tratá-lo como compromisso é uma proposta que funciona: não acumule tarefas. Assim, as pequenas organizações semanais tornam o processo mais rápido e ajudam a evitar a procrastinação. “Manter a casa organizada também facilita a limpeza diante da correria do dia a dia, já que a pessoa não perde tempo procurando o que precisa, uma vez que os materiais estarão guardados no lugar certo”, finaliza a gerente da Espaço A+.

Sobre a Espaço A+

A Espaço A+ Self Storage é uma rede de self storages, com unidades em pontos estratégicos de Curitiba (PR) e São José dos Pinhais (PR), que disponibiliza boxes para locação de pessoa física ou jurídica. Além da fachada moderna, os espaços possuem sala de reuniões e uma infraestrutura com corredores claros em tons de laranja e azul, sistema de controle de acesso e monitoramento 24 horas. Mais informações: www.espacoamaisself.com.br.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com