Dez projetos que vão mudar a cara do Litoral do Paraná

A programação de obras do Governo do Estado engloba dez projetos prioritários para remodelar o Litoral. Eles foram elaborados para atender demandas históricas dos moradores locais e seguem a determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior de reforçar investimentos em infraestrutura e estimular o turismo.

O balanço das iniciativas foi apresentado pelo secretário estadual de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes, durante a reunião de secretariado desta terça-feira (4). Entre elas estão a engorda da Orla de Matinhos, que será licitada nos próximos meses, a Faixa de Infraestrutura em Pontal do Paraná e a ponte entre Guaratuba e o balneário de Caiobá.

Os projetos começaram a ser acelerados em 2019 e vão apresentar resultados mais visíveis em 2020. O Estado pretende aplicar parte dos recursos de um financiamento de R$ 1,6 bilhão negociado no final do ano passado com um consórcio de bancos. A operação já tem o aval da Assembleia Legislativa.

“Os investimentos em infraestrutura são necessários no Litoral. Não dá para ver Santa Catarina se transformar em Miami e o nosso litoral ser preterido. Temos investimentos represados e capacidade para atrair novos negócios, mais empregos e desenvolvimento social para a região”, afirmou Ratinho Junior. “Com essas obras, voltaremos a ter condições de rivalizar com os Estados vizinhos na questão turística, além de ampliar a capacidade de exportação do Paraná”.

Segundo Márcio Nunes, os projetos foram desenhados para atender o compromisso de desenvolvimento sustentável e vão envolver medidas compensatórias por parte de eventuais investidores. “O Governo do Estado entende que deve haver um equilíbrio. Há um olhar diferenciado para o Litoral, ele pode ser um grande indutor do desenvolvimento e do turismo”, destacou. “A programação envolve ações como o Verão Maior e obras estruturantes”.

Conheça os projetos e os andamentos

Engorda da Orla de Matinhos: o Governo do Estado finaliza os detalhes para o lançamento do edital de licitação do maior projeto de reurbanização do Litoral – e também do maior projeto de infraestrutura deste ano, com custo estimado de R$ 660 milhões.

Entre as obras estão a engorda da faixa de areia, área de contenção de ressacas, proteção da erosão marinha, construção e revitalização de canais para evitar enchentes e saneamento básico, além de paisagismo, novos quiosques, pistas de caminhada, ciclovias e preservação das áreas de restinga.

Pelo projeto, estruturas semirrígidas serão colocadas no canal da Avenida Paraná, no desemboque do Rio Matinhos, no espigão ao Norte da Praia Brava e nos headlands (estruturas de pedras para reter a areia) localizados nos balneários Saint Etienne e Riviera – Saint Etienne ganhará um canal novo para ajudar na contenção das cheias, minimizando o impacto sobre o Rio Matinhos. Com isso, espera-se dobrar a faixa de areia no município para mais de 80 metros.

Ponte Caiobá-Guaratuba: o Governo do Estado já tem o estudo de viabilidade da ponte de 800 metros entre Caiobá (Matinhos) e Guaratuba e o próximo passo é a elaboração do projeto básico, para depois lançar o edital. A Secretaria de Infraestrutura e Logística trabalha para efetivar o projeto ainda no primeiro semestre e estuda um modelo de Regime Diferenciado de Contratação, quando a empresa vencedora desenvolve o projeto executivo a obra em si. A ligação, atualmente, é feita por ferry boat.

Faixa de Infraestrutura: a Faixa de Infraestrutura ou bioestrada da Mata Atlântica é uma ligação de 23 quilômetros para conectar a PR-407 a Pontal do Paraná, obra que induz o desenvolvimento da região e resolve um gargalo de tráfego para moradores e turistas.

Durante oito meses, o Governo do Estado, o Ministério Público, ONGs e entidades da sociedade civil se debruçaram sobre o traçado da obra e nesta segunda-feira (3) foi definida a continuidade do projeto que já conta com licenciamento.

“Jogamos luz nesse processo. Foram meses de trabalho com professores, representantes do Ministério Público, moradores. Entendemos que o melhor caminho é prosseguir o trecho já licenciado e garantir medidas compensatórias de eventuais investidores para garantir o desenvolvimento sustentável”, pontuou o secretário Márcio Nunes.

Sandro Alex, secretário de Infraestrutura e Logística, complementou que, apesar da definição, o Governo do Estado segue aberto a discussões para melhorar o projeto. “O crescimento da cidade está desordenado e a Faixa de Infraestrutura vem para melhorar todo o Litoral. Não abrimos mão da obra, temos que fazer. E ainda teremos diálogo aberto com todas as entidades, mas o objetivo é avançar”, acrescentou.

Ligação Guaraqueçaba-Antonina: o Governo do Estado contratou em 2019 uma empresa para estudar o tipo de pavimentação adequada para o trecho de 80 quilômetros de estrada histórica. O projeto será entregue em 2020 e, com as conclusões, a Secretaria de Infraestrutura e Logística pode dar andamento ao edital de contratação das obras.

Trapiches: os trapiches da Ilha do Mel ganharão ainda em 2020 novo sistema elétrico de iluminação, sistema de drenagem, novos dispositivos de segurança e sinalização, e dispositivos de acessibilidade (flutuantes) e de auxílio à atividade pesqueira, como estruturas para amarração de embarcações (cabeços). Eles também terão bancos de espera, proteção lateral para segurança e cobertura.

Além da Ilha do Mel, receberão novas estruturas as comunidades de Amparo, Europinha, Eufrasina, Ilha do Teixeira, Piaçaguera, Rocio, Vila Maciel, a Ilha dos Valadares (um no mar de fora e outro próximo à passarela), e as cidades de Pontal do Paraná (Vila dos Pescadores) e Antonina (na Ponta da Pita e no Portinho). Os investimentos são dos Portos do Paraná.

Ilha do Mel: o Governo do Estado está investindo R$ 8 milhões para melhorias na infraestrutura da ilha, que inclui a instalação de trapiches flutuantes, dragagem dos canais de acesso aos trapiches e reforço na coleta de lixo. Estão sendo feitas obras de revitalização da Praça de Alimentação e da Praça Central de Encantadas, além de limpeza dos canais, reforma das passarelas existentes e no Receptivo de Turistas de Nova Brasília. Estão previstos, ainda, receptivo de Encantadas, mirantes, passarelas e projetos de acessibilidade.

Ilha das Cobras: o Governo do Estado fará na Ilha das Cobras uma escola de turismo e gastronomia voltada para a capacitação dos moradores do Litoral. O local também deve ser aberto para receber turistas e para a instalação de restaurante-escola, que servirá comidas típicas caiçaras. O local abrigava a residência oficial de veraneio dos governadores.

O Sebrae e o Senac serão os responsáveis pelos cursos, que devem iniciar ainda neste semestre e serão gratuitos e voltados para os filhos de pescadores, a comunidade lindeira e donos de bares, restaurantes, lanchonetes e pousadas dos sete municípios do Litoral.

Obras rodoviárias: estão presentes no acordo de leniência com a concessionária Ecorodovias (empresa que controla a Ecovia e a Ecocataratas) as obras da duplicação da PR-407 no entroncamento com a PR-412, uma extensão de 830 metros em cada sentido, compondo uma rótula, no perímetro urbano de Pontal do Paraná; de uma passarela no km 1 da Avenida Ayrton Senna, em Paranaguá; a alça de retorno na BR-277 com a PR-508, no acesso da Alexandra-Matinhos; e a iluminação de cinco quilômetros na BR-277 na entrada de Paranaguá, para melhorar a segurança da movimentação de cargas, da população e evitar prostituição. Elas devem ficar prontas até 2021.

Obras urbanas: o Governo do Estado trabalha na duplicação da Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, em Matinhos, e já autorizou a contratação do projeto executivo de engenharia para restauração e ampliação de capacidade da Avenida Ayrton Senna da Silva, um dos principais acessos ao Porto de Paranaguá. A primeira obra ainda depende de desapropriações feitas pela prefeitura de Matinhos e a segunda deve começar neste ano.

Base náutica em Guaratuba: o Governo do Estado já lançou o chamamento público para construção e operação da Base Náutica de Guaratuba. O objetivo é construir um ancoradouro para barcos e uma garagem para abastecimento, pernoite e compra de mantimentos.

Dia da Árvore terá plantio de 550 mil mudas em todo Paraná

O Paraná comemora o Dia da Árvore com o plantio de mais de 550 mil mudas, que contribuirão para o reflorestamento. A ação é do programa Paraná Mais Verde, desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

Escritórios Regionais do Instituto Água e Terra (IAT) programaram ações de distribuição e plantio de mudas em todo o Estado. A maior parte das ações acontece nesta segunda-feira, 21 de Setembro. Algumas atividades aconteceram sábado e domingo (19 e 20). Todas as ações são cercadas de cuidados, com uso de máscaras, álcool gel e distanciamento. 

De acordo com o secretário Márcio Nunes, o reflorestamento é uma das ações para promover a sustentabilidade no Estado. “O Paraná é o estado que mais produz e distribui árvores nativas, com foco na preservação e recuperação de áreas degradadas. Somos o Estado que mais cuida, fiscaliza e recupera o meio ambiente”, afirmou.

Cada atividade foi idealizada pelos Escritórios Regionais do IAT. É um dos maiores movimentos de plantio de árvore do Brasil, em conjunto com demais instituições estaduais, como o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-PR) e municipais. “A ação busca o bem-estar da população com um meio ambiente melhor, mais agradável e com mais florestas nativas no Estado”, destacou o presidente do IAT, Everton Souza.

VIVEIRO – O objetivo é promover a restauração de 506,23 hectares com mudas produzidas nos 19 viveiros mantidos pelo IAT. O Paraná produz cerca de 100 espécies nativas, inclusive as ameaçadas de extinção como Imbuia, Araucária e Peroba Rosa.  Devido à pandemia do coronavírus, alguns Escritórios Regionais do IAT optaram por realizar as atividades no sistema Drive Thru.

EDIÇÃO ANTERIOR- No ano passado, a ação do Paraná mais Verde envolveu as 2.100 escolas estaduais e 400 escolas especiais dos 399 municípios. Elas receberam mudas e os alunos levaram s para plantar com suas famílias, em casa. Mais de 400 mil árvores foram entregues aos estudantes que, plantadas, representam 400 hectares.

COVID-19 – O IAT orienta que é preciso adotar medidas de cuidado e prevenção na distribuição e plantio das mudas, como uso de máscara, álcool em gel, distanciamento social, entre outras. As administrações devem adotar medidas de acordo as características de cada local.

Confira as ações programadas nos municípios:

Curitiba

Distribuição de mudas nativas e sementes (Drive Thru)

Data: segunda-feira (21)

Horário: das 9h às 16h

Local 1: Em frente ao IAT – Rua Engenheiros Rebouças, 1375 (esquina com Rua Reinaldo Machado – rua sem saída)

Local 2: Portão de entrada do Viveiro florestal – Margens da BR 277, Guatupê, São José dos Pinhais.

Campo Mourão

Ação 01: Distribuição de 500 mudas nativas

Data: sábado e domingo (19 e 20)

Horário: Das 9h às 16h

Local: Parque Lago Azul

Ação 02: Distribuição de 500 mudas nativas (Drive Thru)

Data: segunda-feira (21)

Horário: Das 8h às 11:30 e 13:30 às 16:30

Local: Rua Santa Cruz, 679 – em frente à sede do IAT

Ação 03: Distribuição de 25 mil mudas para 24 municípios da região

Cascavel

Plantio de Ipês e distribuição de mudas

Data: segunda-feira (21)

Horário: 11h30

Local: Avenida Brasil

Cianorte

Plantio de 2 mil mudas em Tapejara

Data: segunda-feira (21)

Horário: 10h

Local: Parque urbano de Tapejara

Cornélio Procópio

Ação 01: Plantio de 200 mudas

Data: segunda-feira (21)

Horário: 9h30

Local: Parque Estadual Mata São Francisco

Ação 02: Plantio de 1000 mudas

Data: sábado (18)

Horário: 9h30

Local: Parque Linear Urbano de Sapopema

Ação 03: Plantio de 2000 mudas

Data: segunda-feira (21)

Horário: 9h30

Local: Córrego Tigre – Assaí/PR

Ação 04: Plantio de 1000 mudas

Data: segunda-feira (21)

Horário: 9h

Local: Área de aterro abandonada em Sertaneja

Foz do Iguaçu

Plantio de 10 mil mudas

Data: segunda-feira (21)

Horário: 8h

Local: Infraero
OBS: Necessário credenciamento:  imprensa@infraero.gov.br ou (61) 9 9981-8411, informando nome completo, RG, CPF, e-mail e telefone dos integrantes da equipe de reportagem.

Guarapuava

Ação 01: Plantio de 50 mudas no Centro de Tratamento de Resíduos

Data: segunda-feira (21)

Local: Centro de Tratamento de Resíduos – Turvo-PR – PR-466, km 227 – Zona Rural.

Ação 02: Distribuição de 500 mudas (Drive Thru)

Data: segunda-feira (21)

Horário: Das 14h às 17h

Local: Avenida Sebastião de Camargo Ribas, 2165

Francisco Beltrão

Ação 01: Plantio de 1000 mudas em Manfrinópolis

Data: segunda-feira (21)

Horário: 14h

Local: Rua Clevelândia, 2222 – Sede IAT

Ação 02: Plantio de 80 mudas de grande porte em Bom Jesus

Data: segunda-feira (21)

Horário: 14 h

Local: Rua Clevelândia, 2222 – Sede IAT

Irati

Ação 01: Plantio de 8000 mudas em Fernandes Pinheiro

Data: segunda-feira (21)

Horário: 8h

Local: Parque da Prainha e Bacia do Rio Ibituvão

Ação 02: Plantio de mudas em Rio Azul

Data: segunda-feira (21)

Local: Parque Municipal

Ação 03: Plantio de 15 mudas de Gabiroba em Irati

Data: segunda-feira (21)

Horário: 13h30

Local: Av. João Stoklos, 400 – Centro da Juventude

Ação 04: Distribuição de 400 Mudas em Irati (Drive Thru)

Data: segunda-feira (21)

Horário: Das 13h às 16h

Local: Rua Caetano Zarpellon, 19 – Bairro Rio Bonito

Ivaiporã

Plantio de 300 mudas na RPPN Monte Sinai

Data: segunda-feira (21)

Horário: 9h

Local: Rodovia do Café – BR 376 – km 302 – Serra do Cadeado

Jacarezinho

Plantio de 2000 mudas

Data: segunda-feira (21)

Horário: 9h

Local: Rio Paranapanema

Londrina

Plantio de 100 mudas

Data: 21.09

Horário: 9h

Local: Mata dos Godoy – Rodovia Mabio Gonçalvez Palhano – km 14

Maringá

Plantio de mudas

Data: 21.09

Horário: 9h

Local: locais dispersos da cidade

Paranaguá

Ação 01: Distribuição de 1000 mudas nativas para o plantio e orientação à população

Data: 21.09 (Segunda-feira)

Horário: 14 horas

Local: Aeroparque

Ação 02: Plantio de mudas no Parque do Palmito

Data: 21.09

Horário: 10h

Local: Rodovia PR-407 – km 04 – Zona Rural

Paranavaí

Ação 01: Plantio de 2000 mudas

Data: 21.09

Local: Reserva Legal ao lado da área urbana

Ação 02: Plantio de 2000 mudas

Data: 21.09

Local: Mata ciliar de São Pedro do Paraná

Pato Branco

Plantio de 1000 mudas

Data: 21.09

Local: Parque Estadual Vitório Piassa

Pitanga

Ação 01: Plantio de 800 mudas

Data: 21.09

Horário: 9h30

Local: quadro urbano de Palmital

Ação 02: Plantio de 2200 mudas

Data: 21.09

Horário: 14h

Local: Assentamento Chapadão em Laranjal

Toledo

Ação 01: Distribuição de 5000 mudas (Drive Thru)

Data: 21.09

Horário: Das 9h às 11h30 e das 13h30 às 16h

Local: Rua Guaíra, 3132 – Toledo – Sede do IAT

Ação 02: Plantio de 4000 mudas no Rio Toledo

Data: 21.09

Horário: 11h

Local: Saída da Sede do IAT – Rua Guaíra, 3132

Ação 03: Plantio de 8000 mudas em Marechal Cândido Rondon

Data: 21.09

Horário: 14h

Local: Rodovia PR-163, km 283 – Frimesa

Umuarama

Plantio de mudas

Data: 21.09

Horário: 10h

Local: APP do Córrego Pinhalzinho – Rua São André – Jardim São Cristóvão

União da Vitória

Distribuição de 2000 mudas (Drive Thru)

Data: 21.09

Horário: Das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18

Local: Rua Quintino Bocaiuva, 12 – Centro

Informações AEN.

Itaipu alcança a marca 55 milhões de MWh em 2020 com o maior índice de produtividade de sua história

O indicador de produtividade, que mostra a relação entre a quantidade de energia gerada com o volume de água que passou pelas unidades geradoras (a vazão turbinada), nunca foi tão alto como em 2020.

A usina de Itaipu atingiu, neste domingo (20), a marca de 55 milhões de megawatts-hora (MWh) produzidos em 2020. Essa produção parcial, embora seja altamente significativa e não tenha paralelo no Ocidente e talvez no planeta (a produção parcial da megausina chinesa de Três Gargantas não é divulgada), não é o indicador que mais chama a atenção na geração da hidrelétrica binacional este ano. Mês a mês, a Itaipu segue batendo recordes históricos de produtividade – relação entre a quantidade de energia gerada com a água disponível.

Em outras palavras, a água nunca foi tão bem aproveitada na usina. Até este domingo, a produtividade média (que mostra a relação entre a quantidade de energia gerada com o volume de água que passou pelas unidades geradoras, ou seja, a vazão turbinada) de 2020 foi de 1,0888 megawatts médios por metro cúbico por segundo (MWmed/m3/s), ante o recorde anterior, de 1,0764 MWmed/m³/s em 2019.

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, observa que o desempenho da usina neste ano de pandemia será fundamental para que o Brasil tenha disponibilidade energética para impulsionar a retomada do crescimento econômico. “A Itaipu está fazendo a sua parte. Damos a nossa contribuição com o que fazemos de melhor, que é gerar energia elétrica de qualidade para o Brasil e o Paraguai.”

Além de seguir a tendência de maximizar a produtividade apresentada no ano passado, os indicadores parciais deste ano mostram grande possibilidade de nova quebra de recorde de produtividade em 2020.

De acordo com a Diretoria Técnica da usina, entre os motivos para o sucesso no uso da matéria-prima, a água, extraindo dela a máxima geração de energia possível, está principalmente a relação entre gestão da produção e dos ativos na binacional.

“Em ano de inúmeras dificuldades hidrológicas e com uma pandemia que restringe em muito nosso dia a dia na usina, as equipes da Diretoria Técnica, especialmente as de Operação e Manutenção, se desdobram para manter a disponibilidade, confiabilidade, produtividade e planos de manutenção em dia”, afirma o superintendente de Manutenção da Itaipu, Marco Aurélio Siqueira Mauro.

“Este esforço é recompensado com a produção de mais de 55 milhões de MWh até setembro. Poucas instalações ultrapassam este número no ano.”

Para o superintendente de Operação, José Benedito Mota Júnior, os índices de produção e produtividade alcançados até o momento em 2020 são o resultado do trabalho conjunto e da sinergia entre as áreas binacionais de Operação e Manutenção da usina. “É o que garante a excelência dos ativos da Itaipu, produzindo uma energia de qualidade para o desenvolvimento do Brasil e do Paraguai”, diz.

Produção dimensionada

A produção parcial da Itaipu em 2020 (os 55milhões de MWh registrados até este domingo) seria suficiente para atender ao consumo de energia elétrica de todo o mundo por 21 horas; do Brasil por um mês e 12 dias; da cidade de São Paulo por dois anos; do Paraguai por três anos e 11 meses; do estado do Paraná por um ano e nove meses; ou de 95 cidades do porte de Foz do Iguaçu por um ano.