Curitibanos everywhere

Desde 2010, brincamos aqui no Busão Curitiba com a “antipatia” do curitibano e recebemos centenas de comentários com relatos de pessoas que viveram situações ruins com nossos conterrâneos. Mas realmente somos tão antipáticos assim?

Curitibanos everywhere

Eu acredito que o estereótipo vem mudando ao longo dos anos, porque não é estranho sair na rua e escutar um sotaque diferente do “Leite Quente” ou pegar um Uber em que o motorista veio de outra cidade. Pesquisas dizem temos quase 50% da população de Curitiba vinda de fora, então a mudança de hábitos e costumes vem se atualizando. Claro que continuamos com a “antipatia” – que prefiro me referir timidez – a qual dizem que herdamos dos europeus, mas agora com um toque a mais de metrópole e de cidade plural.

Curitiba vem crescendo e deixando de ser apenas aquela Vila Nossa Senhora da Luz dos Pinhais para vestir a camisa da cidade cosmopolita, que a cada esquina se vê lugares e pessoas diferentes. Somos o “bixxxxcoito”, mas também a bolacha (por mais que eu prefira a bolacha…rs).

Voltando na pergunta se somos tão antipáticos assim, acredito que não. O curitibano se molda a cada instante, seja pelo nosso tempo de chuva, sol e neve; seja pelas mudanças – necessárias – no mundo; seja pela chegada de novos curitibanos; seja pelo amor pela cidade; e seja por diversos outros fatores. Se afirmamos com seriedade isso, a realidade é que a “antipatia” é uma questão pessoal e não tão generalista. Continuaremos dando risadas de nós mesmos, falando que somos rabugentos e não gostamos de ninguém. É engraçado! Mas sabemos que bem lá no fundo, a amizade de um curitibano é para toda a vida e não há preço que se pague por isso. A quebra de gelo é normal em qualquer ligação social, uns é mais fácil e outros é mais difícil.

Caso não se convença disso, leia o TUTORIAL DE COMO FAZER AMIZADE COM UM CURITIBANO… rs