Curitiba tem 266 pessoas recuperadas da covid-19

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) identificou nesta quarta-feira (22/4) mais 15 novos casos de covid-19 em moradores da cidade. Com isso, Curitiba chega a 450 casos do novo coronavírus confirmados.

De acordo com o boletim do dia, há outras 107 pessoas com suspeita da infecção e 1.080 casos descartados.

A capital tem até agora 14 mortes registradas com resultado positivo para a infecção.

Liberados

Até agora 266 pessoas que testaram positivo foram liberadas do isolamento. Desse total, 51 precisaram de internamento, sendo 18 em Unidade de Terapia Intensiva, e duas tiveram suporte de ventilação mecânica no processo de recuperação.

A média de idade entre os 266 pacientes recuperados da covid-19 em Curitiba é de 41 anos (na faixa entre 1 a 94 anos).

“Temos os extremos de idades nesse perfil dos pacientes liberados do isolamento”, diz a epidemiologista da SMS, Marion Burger.

Total de internamentos

Desde o primeiro caso confirmado na cidade, em 11 de março, 134 pessoas precisaram de internamento devido a complicações causadas pela infecção pelo novo coronavírus.

No momento, 61 continuam hospitalizadas, sendo 37 em UTI e 21 necessitando ventilação mecânica (respirador).

Em Curitiba, a idade das pessoas confirmadas com covid-19 é de, em média, 43,5 anos (variando de 1 a 96 anos). Já a média de idade dos pacientes que necessitaram de internamento é de 58 anos.

Óbitos

A SMS investiga também óbitos em que haja suspeita de covid-19. Foram investigados 97 até agora: 81 descartados, 14 confirmados e um ainda aguarda o resultado laboratorial. Entre os óbitos, a faixa etária média é 81 anos

Números da covid-19 em Curitiba

1.080 casos descartados
107 casos em investigação
450 casos confirmados
266 pessoas liberadas do isolamento
14 óbitos por covid-19

Deixar animais soltos em ruas e praças pode gerar multa de até R$ 2 mil em Curitiba

Projeto de lei que reforça punição à maus-tratos foi aprovado em 1º turno na Câmara Municipal.

Os vereadores de Curitiba aprovaram nesta quarta-feira (16), por unanimidade e em 1ª discussão, o projeto de lei que, entre outras coisas, estabelece multa de R$ 200 a R$ 2 mil para quem abandonar animais em ruas e espaços públicos. O projeto modifica  modifica lei já existente e amplia as práticas consideradas como crime de maus-tratos a animais.

A proposta da vereadora Katia Dittrich (Solidariedade) lista 24 ações ou omissões como maus-tratos, o dobro do que previa a lei de 2011. Entre os novos comportamentos que caracterizam o crime, o mais significativo é o de abandono.

“Deixar o animal solto em vias e logradouros públicos” como diz o texto do projeto, vai passar a doer no bolso, com multas de até R$ 2 mil no caso de flagrante ou denúncia comprovada. As medidas seguem a linha de projeto semelhante porém ainda mais rigoroso e que prevê responsabilização criminal, aprovado no Senado Federal na semana.

Outros dois pontos polêmicos do projeto são a proibição expressa de ‘passeios’ desacompanhados e abandono de animais idosos ou doentes. No primeiro caso está prevista responsabilização dos tutores com multa, pelo risco do animal sofrer ou causar acidentes, além de permitir uma possível cria indesejada” e no segundo uma característica de agravante ao crime de maus-tratos, pela vulnerabilidade dos bichos.

Para entrar em vigor, o projeto precisa ser aprovado em 2ª discussão para depois ser sancionado ou não pelo prefeito.  Caso seja sancionada, a lei então terá um prazo para regulamentação.

Informações Banda B.

Sérgio Moro recebe carteira da OAB e abre escritório em Curitiba

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência.

O ex-juiz federal que conduziu a Lava Jato e colecionou desafetos entre alguns criminalistas vai atender sua futura clientela em um endereço de Curitiba, base e origem da maior operação já desencadeada no País contra a corrupção.

Antes de começar a advogar, no entanto, Moro deverá acabar de cumprir a quarentena de seis meses determinada pela Comissão de Ética da Presidência. Levando em consideração a data em que anunciou sua renúncia e acusou o presidente de suposta tentativa de interferência na Polícia Federal, 24 de abril, a quarentena do ex-juiz terminará no fim de outubro.

Informações Banda B.